História Blood Sweat Tears - Imagine Jimin BTS - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Xiumin
Tags Álcool, Amor, Bangtanboys, Briga, Drama, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Revelaçoes, Romance, Suga, Triângulo Amoroso, Violencia, Wendy
Exibições 251
Palavras 1.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Harem, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


bom pessoal aqui está o capítulo 3! desculpem a demora

Capítulo 3 - Saindo de Casa


...

Resolvi pensar em como sairia de casa, pensa Wendy, pensa...

Já sei!!!

Vou para a casa da minha amiga, fui até a cozinha peguei alguma frutas, biscoitos e água, peguei minha mala, coloquei todas as minhas roupas( eu não tinha muitas), já que meu pai preferia comprar tudo em bebida e ás vezes cigarro.

Passei pelo balcão e vi uma mensagem no celular do meu pai .

"As 3:45 da madrugada mate Wendy, e não tenha pena"

Concerteza ele enviou para que eu visse e não pudesse sair de casa, peguei uma máscara e um cap azul, coloquei e sai com a mala e mochila, e viu á casa da minha amiga, torcendo para que ninguém me visse.

Peguei o metro e fui até o bairro dela, bati em sua porta e a mesma não demora para atender.

-Wendy!! Quanto tempo garota! Não te vejo desde o 7 ano.

-Me ajuda pelo amor de deus Cris...

-O que houve? 

-Meu pai... eu sai de casa e gostaria que você deixasse eu ficar aqui por pelo menos 2 dias.

-Claro entra aí.

Ela me ajuda a carregar as malas e eu me sento no sofá, ela me trás um copo com água e um doce.

-Me conta Wendy... o que aconteceu...

-Meu pai... lembra que eu disse que ele chegava bêbado em casa?

-Lembro sim Wendy... e você não queria denunciá-lo.

-Então... eu não quero mais passar por isso, amanhã mesmo vou a delegacia e por um fim nessa história.

-É mesmo assim ... mas olha pra você tá cheia de olheiras... é melhor ir dormir, você pode ficar com a parte inferior do beliche.

Cris morava sozinha, ela tinha 18 anos, a mãe viajou pro Chile e o pai só viva trabalhando então ela quis morar sozinha.

Peguei um pijama e fui dormir , e tomar minha iniciativa no dia seguinte.

(...)

Acordo , escovo os dentes , tomo um banho, pego umas frutas cortadas e coloco num pote pra comer na escola.

Ao chegar na escola vejo Jimin que me aguardava sorridente, fui até ele e tirei a máscara e o cap.

-Jimin...

-Wendy, o que houve Por que você tava com máscara e esse cap?

-Eu fugi de casa, tô na casa da minha amiga , meu pai tentou quebrar meu bem mais precioso, e eu não aguento mais, então fui embora.

-QUÊ!!!! Mas você pode ser pega. Jimin fala tão alto que algumas pessoas do pátio ouvem.

-Fale baixo seu louco. Dou um peteleco em sua testa e o mesmo passa a mão no local.

-Desculpa eu me empolguei um pouco,   mas me diz o que ele fez eu quero te ajudar Wendy. Jimin pega na minha mão. -Eu confesso que nunca senti vontade de ajudar nenhuma garota , mas você é diferente Wendy.

-Não conta para ninguém por favor...

-Não vou contar fica calma, mas você vai continuar morando na mesma casa?

-Estava pensando seriamente, eu vou me mudar de bairro e de escola.

-E-escola?

-Pela minha segurança sim Jimin, mas não deixaremos de nos ver certo.

-Claro, mas não vai ser a mesma coisa do que conversar contigo todos os dias.

O sinal tocou e nos despedimos. coloquei a máscara e disse ao professor que estava um pouco gripada, me sentei na última cadeira e por sorte o professor fez a chamada, quando o sinal tocou para a saída, esperei Jimin e o mesmo me deu um abraço e disse que precisava ir embora, fui até um orelhão e disquei o número da polícia , eu ia denunciar meu pai.

"alô?

"Sim,  emergências?

"Quero fazer uma denúncia, meu pai ... quero denunciá-lo por  agressão e tentativa de morte.

" Me passe o endereço da casa e o número.

Dei todas as informações e desliguei o orelhão e tentei passar pela minha casa, era arriscado mas eu queria ver o que se passava, depois de um tempo observando vi ele colocando caixas e mais caixas num carro, foi daí que pensei, ele vai fugir.

Não vai mesmo!

Vi uma viatura da polícia chegando e o segurando pela camisa e colocando algemas em suas mãos, corri até os policiais e os mesmo me mandaram se afastar.

-Por favor mocinha, você não deve se meter nesses assuntos.

-Mas ele é meu pai, eu que fiz a denúncia!

Eles me olharam espantados e me pediram mais informações, quando vi meu pai entrando na viatura , meu coração quase parou , as palavras que eu ouvi do meu pai, iriam ficar para sempre em minha mente.

"eu vou voltar"...

Eu tinha que dar algum jeito, ele não podia sair da cadeia, ele tinha que apodrecer lá, um dos policiais me pediram para eu comparecer a delegacia em 3 horas com todos os meus documentos, assenti e fui pra casa da minha amiga, para tomar um banho, comer e depois ir.

(...)

Faz mais ou menos 1 hora que cheguei a casa da minha amiga ,tomei um banho, comi e peguei uma pasta com meus documentos e sai em direção a delegacia, lá me perguntaram se eu queria vê-lo, mas eu neguei eu não queria ver meu pai nunca mais, queria ele ardendo no fogo do inferno.

Mostrei a cicatriz nas minhas costas e o corte no braço, o das costas foi a 4 meses trás e o do braço 2 semanas atrás , o delegado constatou que ele ficaria num presídio de segurança máxima em outro estado, e sua pena... muito maior do que eu pensei, eram 43 anos, eu estava satisfeita pois assim ele iria pegar pelo que fez.

...

Fui para casa da minha amiga e resolvi no dia seguinte morar em um apartamento no bairro vizinho, e no ano que vem de escola, eu queria evitar morar na mesma casa, por segurança, e na mesma escola também.

No dia seguinte...

Vou para a escola, com um sorriso no rosto, vou contar a Jimin a felicidade que me batia, depois de anos eu estava livre do meu pai.

Me sentei em um banco  e fiquei esperando Jimin, o mesmo chega e se senta ao meu lado.

-Então Wendy?! Como foi?

-Meu pai foi preso e a pena foi de 43 anos Jimin!!!!

Acabo beijando a bochecha de Jimin na frente de todos e ele fica corado, foi tão fofo.

Os outros começam a rir de nós e Jimin se enche de fúria.

-Seus desocupados !!!!! Nos deixem em paz! Seus bando de FDP!

Todos ficam espantados , e nos deixam em paz.

-Estou tão feliz por você ... sabe eu não gosto de te ver triste Wendy.

-Ai para Jimin...eu nem sou  tão especial assim...

-Se não fosse, eu não estaria aqui com você...


Notas Finais


Bom pessoal, outro capítulo aqui!! desculpem a demora de verdade


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...