História Bloodstream ☯ - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bromance, Drama, Homossexuais, Leiaélegal, Lgbt, Relacionamentosabusivos
Exibições 47
Palavras 4.671
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa Leitura :v

Notas finais? Notas finais!

Capítulo 5 - 🌚 G


Fecho meus olhos,jogando a cabeça para trás e envolvo seus cabelos em meus dedos,forçando sua cabeça para baixo,para que engula,com um pouco de dificuldade cada centímetro do meu pau.Seus gemidos inebriantes fazem com que eu estremeça e me sinta cada vez mais excitado.Sua boca é tão quente e ELE sabe muito bem o que faz,me chupando e levando até o fundo de sua garganta com habilidade.

__Oh porra!_solto um grunhido e aumento ainda mais o aperto em meus dedos,fazendo ele gemer sôfrego e chupar com mais vontade.Ele me leva mais uma vez até sua garganta e então move sua cabeça,fazendo com que meu comprimento deslize lentamente e com facilidade pelos seus lábios úmidos de saliva e pré-gozo.Meus cotovelos falham e eu desabo na cama,suado e ofegante,sentindo sua língua passear pela minha glande.

Lambendo e provocando.Depois,tudo que sinto é sua boca se afastar e traçar um caminho imaginário até chegar em meu pescoço,aonde começa a distribuir beijos e chupões.Assim que ele sobe em mim e envolve suas pernas em ambos os lados do meu quadril,minhas mãos vão direto para suas nádegas,apertando e logo após lhe dando um tapa extremamente forte,fazendo com que solte um gemido rouco.Abro um sorriso malicioso,ao imaginar sua aparência.Certamente sua pele branca estaria marcada pelos meus dedos,sua face rosada e lábios inchados pelo boquete.Sua pele suada e seus fios loiros desgrenhados pelos puxões.Só de pensar,sinto meu pau fisgar em uma dor agoniante.Agora eu só quero jogá-lo contra a cama e fodê-lo.Bruto,com força.Quero que ele me sinta o preencher centímetro por centímetro...Seus dentes prendem meu lábio inferior e o suga,soltando-o em um barulho molhado e excitante.

__Você é tão gostoso..._ouço sua voz rouca e manhosa..Mas não é sua voz.

Abro meus olhos imediatamente e vejo um rosto totalmente diferente do que eu esperava.Rolo na cama,ficando por cima e pisco uma,duas,três vezes para ter certeza de que aquilo não era miragem.

Não era seu corpo pequeno e curvilíneo abaixo de mim e sim um magro e moreno,não era sua boca que havia me chupado e beijado,não eram fios loiros e desgrenhados sobre os travesseiros e sim fios negros e compridos.Não era Kevin que estava abaixo de mim,ofegando.Era Marcela.

A frustração que senti em seguida foi,definitivamente,broxante.Tanto é que me levanto imediatamente,me atrapalhando um pouco com os lençóis e me embaraçando nas roupas espalhadas pelo quarto.Viro de costas,para que ela não veja o meu "estado".

"Mil vezes caralho!"

Praguejo mentalmente todas as gerações da raça humana,pelo que acabou de acontecer.

__Gabriel? Está tudo bem? Eu fiz algo errado?_Ouço Marcela se mexer na cama e sua voz um pouco rouca e fodidamente manhosa,afetando instantaneamente meus nervos."Porra!"

__S-sim,eu,ah...Calma!Eu apenas esqueci a-a ah,camisinha! É,a camisinha!_gaguejo e me praguejo mais ainda.

__Amor,não tem problemas.Você sabe que estou tomando minhas pílulas.Venha,vamos terminar..estava tão bom_ela chama."Como diabos eu posso terminar isso se eu estou completamente mole!?"

Não sei o que é mais cômico,broxar pela primeira vez na cama,com uma mulher como Marcela ou imaginar meu melhor amigo em seu lugar.Isso nunca havia acontecido comigo,nem em minha época de rebeldia escolar, eu e meu amiguinho falhamos.Eu nunca me imaginei fazendo sexo com um homem,muito menos com Kevin! O que diabos eu tenho na minha cabeça?! Fecho meus olhos novamente tentando pensar em minha namorada nua e entregue deitada em minha cama mas de imediato a imagem dele no quarto ao lado,vem em minha mente.Faz quase um mês que Kevin está morando comigo,e meus dias tem sido um inferno pessoal.

Não imaginava que seria tão difícil quando tive a ideia de propôr dividir o mesmo espaço.Kevin é meu melhor amigo,e obviamente eu não iria deixá-lo voltar pra seu apartamento e correr o risco de ser abusado novamente.Já que somos amigos de longa data,e eu também não tenho problemas com ele,por que não vir morar comigo? Seria como troca de favores.Ele poderia me fazer companhia e ficar no meu campo de visão,assim eu poderia ficar mais tranquilo em saber que ele está por perto e comigo.Eu só não contava com minha cabeça novamente pregando peças e me fazendo imaginar coisas.
Na primeira semana,foi um pouco estranho me adaptar a um novo morador,já que moro sozinho ha um bom tempo e geralmente Marcela só fica uma ou duas noites.Eu o deixei em um quarto ao lado do meu,em que eu guardava apenas alguns livros ou papéis da universidade.No começo Kevin resistiu e tentou argumentar bem e recusar meu pedido,mas ele acabou cedendo logo após Bruno vir atrás dele,no mesmo dia.

Infelizmente não consegui estabelecer uma conversa amigável e acabei lhe dando um ou dois socos,e o expulsando do meu apartamento recebendo ameaças e xingamentos.Não é como se eu me importasse ou tivesse medo dele,ele não poderia fazer nada para me atingir,a menos que volte a pelo menos tentar se comunicar com Kevin.No final,ele acabou aceitando de qualquer maneira.E então se mudou.
Claro que Marcela e minha mãe não aceitou a ideia,mas isso também não importava para mim.Eu estava em meu apartamento,ajudando meu amigo e eu sou independente,elas não tem que dar palpites.Embora Kevin tenha acabado de sair de uma experiência no mínimo marcante,e tido que se adaptar a uma mudança repentina,ele não demorou muito para se sentir à vontade,o que me surpreendeu bastante,já que Kevin é acanhado.Cuidei para que ele soubesse todos os dias que não precisava se preocupar,ele estava em casa.E então começou uma rotina que particularmente achei tão boa...Por conta da nossa universidade,alguns dos nossos horários batiam,ja outros não.Sendo assim,quando eu acordava meu café já estava pronto e Kevin já havia saído para uma aula particular de idioma.Quando dava o período da tarde,logo após o almoço que ele faz questão de preparar todos os dias,íamos os dois para a Universidade,alternando sempre entre o turno Vespertino e Matutino.Eu não sabia explicar,mas os meus dias começaram a ficar menos monótonos.

Eu havia até esquecido que minha namorada não estava conversando comigo direito,por causa dele.Kevin simplesmente me fazia esquecer um pouco dos problemas,e eu realmente achei que nossa amizade chegou a um patamar nunca alcançado.Isso antes de eu começar a confundir as coisas,interpretar errado seus olhares e sorrisos.Minha cabeça virar ao avesso o vendo andar pela casa usando seus óculos de descanso,calças de moletom e regatas,sem contar os fios loiros bagunçados.Eu realmente estava perdendo a cabeça.

Na terceira semana eu fiz algo que eu me arrependo e muito.Eu fiquei fodidamente duro,apenas em vê-lo concentrado em algum trabalho,mordendo a ponta do lápis e o rondando pela pele vermelha dos lábios.E eu agi como um adolescente que havia acabado de entrar na puberdade ao me masturbar no banho,imaginando aquela cena em minha cabeça.Kevin estava me fodendo e isso estranhamente me repelia e me atraía ao mesmo tempo.Me deixando confuso e ao mesmo tempo me deixando a desejar.Eu estava tão confuso e em negação que acabei acertando as coisas com Marcela novamente,e eu ainda não havia caído na real,ate agora.

Não é possível que eu fui tão idiota a ponto de não perceber,depois de todo esse tempo,e dessas últimas semanas.Eu só não quero adimitir que estou sexualmente atraído pelo meu melhor amigo.O quão bizarro e errado isso pode ser?!

Imaginar seu corpo,imaginá-lo no lugar de uma mulher,que mantenho relações há anos.Eu realmente estou ficando louco,há algo de errado comigo.Respiro fundo novamente e tento ignorar novamente os pensamentos insanos,ignorar que há alguns minutos atrás eu o imaginei me chupando e o fodendo."Porra!" Olho para baixo e vejo meu membro dar sinal de vida novamente.E isso me deixa mais puto e frustrado ainda."Mil vezes porra!"

Sinto mãos delicadas me envolverem por trás e mal percebo quando Marcela está me abraçando e levando uma de suas mãos até meu pau.

__Amor por quê você..._eu não a deixo terminar.Seguro sua mão antes que ela me toque e me viro,ficando frente a frente.Antes que ela diga algo eu a empurro com mais força que o desejado contra a cama e subo em cima,me posicionando no meio de suas pernas.

__Gabriel..._não espero que ela diga mais nada e envolvo sua boca com a minha,a beijando com selvageria e ao mesmo tempo lhe penetrando fundo sem nenhum preparo,arrancando gemidos que foram abafados por minha boca.Sustento meus braços em ambos os lados de seu corpo,mordo seus lábios e os solto,pegando impulso para me mover,sem interrupção,o mais fundo que eu conseguisse chegar.A única coisa que se ouvia era o barulho de nossos corpos se chocando e seus gritos e gemidos femininos e agudos.Fecho meus olhos e a fodo com força,esvaziando toda minha frustração em seu corpo.

Saio do meu quarto,minutos depois de ter tomado um banho e vestido roupas limpas.Deixo Marcela tomando seu próprio banho e sigo para a cozinha,onde percebo que há alguém.Hoje é sexta,e uma hora dessas é óbvio que Kevin já tenha chegado.Paro para pensar na hipótese dele ter ouvido algo,e solto um palavrão baixinho.Eu devia ter pensado nisso e agora não sei com que cara eu irei olhar para ele.Paro na entrada assim que vejo Kevin de costas se movendo pela cozinha,usando fones e mexendo os quadris em um ritmo lento e fodidamente provocante.Está com uma de suas calças folgadas de moletom e uma blusa de frio cinza.Essa última semana,Seattle tem feito bastante frio e até mesmo tido algumas chuvas fortes.Olho para o corredor para checar se Marcela ainda estava no banheiro,e quando o vejo vazio,entro em silêncio na cozinha.Noto que o microondas está ligado e tem algumas sacolas sobre a mesa.Kevin começa então a cantarolar,ainda sem me perceber ali.Então eu o observo,cada movimento e sua voz baixa cantarolando alguns trechos.

"I'll come around
If you ever want to be in love
I'm not waiting, but I'm willing if you call me up"

"Eu estarei por perto
Se você quiser amar
Eu não estou esperando,mas estarei disposto se me quiser"

Ele continua cantando enquanto tira duas latinhas de refrigerante da geladeira e ao mesmo tempo pega o pacote de pipocas do microondas,e então quando ele vira para pegar uma vasilha,ele me nota.Mas não fica tímido,pelo contrário,ele cora mas continua cantando e me lança um sorrisinho de canto,que faz meu coração prontamente acelerar.Ele empurra seu óculos com o indicador e o ajeita no rosto,despeja a pipoca do pacote na vasilha e olha para mim ainda sorrindo e eu não consigo evitar o sorriso idiota que eu lanço de volta.Eu já havia escutado essa música,justamente com ele.Mas escutá-la não foi como agora,ouvi-lo cantando fez parecer de certa forma que a letra dos trechos haviam sido para mim.O que me parece estranho,pensar desse jeito.Entao Decido ignorar.

"If you ever want to be in love
I'll come around"

"Se você quiser estar apaixonado
Eu estarei por perto"

Quando termina,ele retira os fones do seu iPod e o deposita na bancada.Mexe a pipoca na vasilha e prova uma,fazendo uma expressão de aprovação pra si mesmo.
__Me desculpe pelo show_ele diz dando de ombros_Mas eu não consigo ficar calado quando está tocando James Bay,no aleatório.
Eu balanço a cabeça concordando e enfio as mãos no bolso da frente da minha bermuda.

__Eu cheguei e vi que você estava no quarto,então não quis incomodar,tomei um banho e vim direto para a cozinha... preparar uma pipoca...

__Hmm,e então? O que está aprontando?_pergunto me referindo a pipoca e refrigerante, tentando mudar de assunto ao lembrar o que estava fazendo momentos antes no quarto.
Ele então nota ao que estou me referindo e fica um pouco nervoso.

__Bom,hoje é sexta.Então como não podemos sair com essa chuva,achei que nós poderíamos assistir um filme.Topa?_pergunta falando rápido,quase tropeçando e eu acabo dando risada do seu jeito,o fazendo rir também.Ele estava nitidamente nervoso,pois não parava de mexer na armação de seus óculos e piscar.

__Ei! Não dê risada da minha pessoa,apenas aceite meu humilde convite_ele diz cruzando os braços.

__Ah,claro.Deixa eu pensar... acho que não vai dar..._seu sorriso vai sumindo aos poucos_Acho que a pipoca não vai dar,seu bobo_completo apontando para a vasilha,antes de desviar de algumas pipocas que o mesmo havia jogado em mim.

__Hey!_protesto e ele sorri balançando a cabeça descrente.
Eu havia gostado da ideia,seria até legal já que eu não tinha mais nada para fazer,e bom,a ideia de passar um momento junto com ele me parecia ótima,porem havia um detalhe...

__Amor!_ouço a voz de Marcela vindo do corredor e Kevin olha para mim e solta um "Ooh" baixinho.Havia esquecido de avisá-lo que ela estaria aqui,me sinto culpado pela sua expressão nítida de frustração.

__Eu adoraria,mas Marcela irá ficar aqui essa noite.Se não tiver problemas...podemos assistir nós três...
Ele abaixa a cabeça e o vejo concordar em silêncio.

__Kevin..Eu ah,..não sabia que você...
__Tudo bem.._ele força um sorriso.
__Amor! Gabriel!_ela volta a gritar e então Kevin me dá as costas,andando ate a geladeira e pegando mais uma latinha.
__Eu vou estar esperando vocês na sala_diz antes de equilibrar a vasilha em um braço e as três latinhas na outra,passando rapidamente por mim.Bufo e começo a me arrepender por ter trazido Marcela para passar a noite aqui.

Na manhã seguinte,eu não havia encontrado Kevin na cozinha,tomando seu chá e me desejando um "Bom Dia",como de costume.Mas encontrei o café da manhã pronto.Então esperei Marcela acordar para que me acompanhasse,porem ela acordou se queixando de que não estava bem e foi embora,sem ao menos tocar na comida.Depois que eu a levei até em casa,fiquei sozinho no apartamento.Me sentei no sofá e esperei,esperei e esperei Kevin aparecer,mas as horas do dia foram passando e ele não havia aparecido.Comecei a ficar preocupado,me perguntando aonde ele iria tão cedo em uma manhã de sábado e por que ainda não havia voltado.

Começo a balançar meu joelho,visivelmente nervoso,pensando em mil e uma coisas.E se acabou topando com Bruno? Ou pior,e se tiver ido vê-lo mesmo depois do que aconteceu? Mesmo depois que eu tentei separá-los e mante-lo seguro? O pensamento dele com Bruno me deixa irritado,irado! Ele não seria tolo ao ponto disso,seria? Por que eu estou pensando tanto? Ele só saiu...E ainda não voltou,mas isso não quer dizer que foi ver o Bruno,deve estar com outra pessoa.Deve ter acontecido algo.Droga!Tento ligar várias vezes em seu número novo,mas só dá caixa.Por fim percebo que estou realmente muito irritado,de certa forma até desnecessária,por ele ter saído sem alguma explicação,nem uma mensagem,nem nada! Isso me faz voltar ao dia em que ele foi embora e em como me senti.Foi o mesmo desespero,a mesma sensação,por não saber aonde foi e nem o por que me deixou.Ele não pode ter feito isso de novo...não há motivos para isso.Não pode ter sido por ontem a noite.Alem do mais eu iria pedir desculpas hoje de manhã, por Marcela e seus comentários e provocações durante o filme.

Kevin não pode ter ido embora.Checo seu quarto e tudo está em ordem,ele não pode ter ido embora.Ligo mais algumas vezes mas todas as ligações acabam em "Olá,aqui é o Kevin.Não posso atender no momento,mas deixe seu recado.Retornarei assim que possível".Ele não pode ter ido embora.Confirmo com Noel sua saída do prédio,e ele me diz que Kevin estava como o habitual,nada de estranho,apenas um rapaz desconhecido estava o esperando no saguão...ele não foi embora! Kevin estava com alguém nesse exato momento enquanto estou praticamente pirando por achar que ele possa estar mal ou que algo tenha lhe acontecido.Eu sei que não tenho nada haver com quem ele saí ou pra onde vai,mas poderia ao menos me avisar? Eu só quero saber que ele está bem...

E então a porta abre e eu me levanto em um pulo do sofá,andando em direção a um Kevin risonho que falava ao telefone.Logo que o vejo sorrir e nem ao menos olhar em meu rosto enquanto passa por mim,eu travo meu maxilar e fecho os punhos.

__Obrigado por hoje_pausa,e sorri mais uma vez_Eu sei... também senti sua falta_pausa,e olha pra mim_Tudo bem_Olha em meus olhos_Eu também te amo_e desliga.

Tento processar o que acabei de ouvir,e chego a conclusão de que ele provavelmente estava com Bruno...ou seria um outro rapaz?! Ele dá de ombros e sem dizer mais nada,abre a sua jaqueta e me dá as costas indo para o corredor em direção ao seu quarto.Eu nem ao menos penso,quando começo a segui-lo

__Ei! Aonde estava?_pergunto,mas ele não responde e continua andando lentamente até seu quarto.

__Kevin!_chamo novamente.Porem ele está bastante empenhado em me ignorar.Passo a mão nos cabelos e respiro fundo para não perder o controle.Então ele passa o dia inteiro na puta que pariu,chega de "só deus sabe onde",trocando risadinhas ao telefone sendo que todas minhas chamadas deram caixa e ainda por cima de ignora...

__Porra..Kevin!_resmungo,o alcanço em alguns passos e o seguro pela jaqueta,o empurrando contra parede em um baque e fazendo com que olhe para mim.Sua expressão logo se fecha e ele começa a respirar pela boca,atraindo meu olhar diretamente para lá.Minha respiração acelera e eu amenizo o aperto em sua jaqueta,porem continuo na mesma posição.

__Aonde você estava?_pergunto olhando diretamente em suas pupilas dilatadas,ignorando totalmente sua boca.Ele passa a língua pelos lábios umidecendo-os mais uma vez,franze as sobrancelhas e me dá uma resposta que já era mais que esperada,porem me surpreende,pois Kevin nunca havia me respondido dessa maneira.

__Eu não lhe devo satisfação de onde vou ou deixo de ir_nesse momento eu volto a apertar o jeans de sua jaqueta com mais força,imobilizando-o e o mantendo parado contra a parede.Ele prende o lábio inferior e leva suas mãos até o local em que as minhas estão apertando sua jaqueta,tentando afastá-las,mas acaba desistindo e as deixando por cima das minhas.Estamos próximos...muito próximos e isso me deixa perturbado.Sua resposta,minha irritação genuína e a nossa proximidade me deixa realmente perturbado,ainda mais por pensar em querer morder e sugar eu mesmo o seu lábio,que já estava vermelho pela força de sua mordida.Volto a ignorar novamente esses pensamentos e me concentro em encará-lo da melhor maneira possível,talvez tentando intimidá-lo do mesmo modo que seus olhos castanhos claro estão fazendo comigo.

__Aonde estava?_volto a perguntar _Estava com ele?! Foi ver o Bruno?!
Ele não me responde,apenas solta um grunhido e tenta novamente soltar minhas mãos,em vão.

__Eu fiquei preocupado.Puta Merda! E se tivesse acontecido algo?!_eu solto minhas mãos de sua jaqueta e passo uma delas pelo cabelo em sinal de nervosismo.

__Mas não aconteceu! Eu estou aqui, não estou?!_ele fala alto e claro."O que diabos deu nele?!" Só então percebo que sua respiração também está descompassada,sua pele um pouco vermelha e olheiras ornamentavam seus olhos...ele andou chorando,isso era visível...porra! E se Bruno tivesse feito algo com ele?! Meus olhos percorrem por sua clavícula e lugares onde a pele estava exposta,mas não há marcas recentes.Respiro fundo e pisco algumas vezes tentando me acalmar..Ok,nao ha motivos para agir assim,eu só quero saber se ele está bem e por que não me avisou que iria passar o dia fora,assim evitaria eu quase dar um troço.

__Aonde você estava,Kevin?_Tento novamente_Você estava com ele?
Ele me olha descrente e logo após balança a cabeça bufando.

__Olha,eu não estava com ele,Ok? Eu sai pra me distrair um pouco,me divertir,sair da rotina..._responde mas eu não dou tempo para que complete.Aponto para seu celular

__Eu te liguei várias vezes! Deixei recado e mandei mensagens...Por que não me avisou que ia sair para se "Divertir"_Faço aspas com a mão,insinuando coisas que nem eu mesmo fazia noção.Ele abre a boca e nega com a cabeça_Por que não me disse nada,Kevin?!
Ele abre um sorriso de lado,visivelmente irônico e desdenhoso.

__Por que eu diria?!_rebate_Eu disse algo ontem enquanto você estava se "divertindo" com sua namorada?!_ele faz o mesmo sinal de aspas e aponta um dedo em meu peito.Abro os olhos antonito.Então ele ouviu...porra...

__Eu não disse nada quando cheguei e ouvi os malditos gemidos.Você estava obviamente se "divertindo" a sua maneira.Entao por que eu diria?!_quando ele se cala,um silêncio desagradável paira no ambiente.Nos encarando,a tensão poderia ser cortada com faca.Ele ouviu... então ele fez isso por causa de ontem? Saiu sem dizer nada por causa de ontem a noite?! Eu realmente não estou entendendo aonde ele quer chegar...Eu não estou entendendo aonde EU quero chegar.Nao entendo por que perdi a cabeça e quis vir tirar satisfação.Logo me sinto estúpido por ter me preocupado atoa,ele estava nitidamente bem.Me sinto estúpido por achar que ele iria embora,e por achar que ele teria ido se encontrar com Bruno.Talvez ele tenha ido,mas idaí? O que eu tenho haver com isso?

__Olha,eu...me desculpe..Eu...Droga!_digo e ele balança a cabeça negando,dando alguns passos.

__Só..me deixe em paz,Gabriel_diz antes de me dar as costas e ir para seu quarto,fechando a
porta em seguida e a trancando.

__Bata na sua cara,antes que eu mesma bata!_a cacheada sentada a minha frente,praticamente grita,me fazendo pedir silêncio.

__Anna,será que dá pra ser mais discreta,por favor?_falo olhando para os lados,capturando os olhares dos curiosos que viam a cena de longe,imaginando que certamente era apenas um casal discutindo em público.Ela bufa,fazendo uma careta de reprovação e em seguida,da uma mordida em seu salgado.O meu tempo na Universidade era resumido em aulas com Anna,intervalo,aulas com Anna,Anna e suas coxinhas de frango,aulas.Anna era uma moça que estudava na mesma sala que eu,nos conhecemos em um dos trabalhos em dupla.Tem 21 anos e é possivelmente lésbica.Na verdade,Anna era uma das pessoas mais liberais e mente aberta que eu conheço,e não é segredo para ninguém que ela fica com homens e mulheres,porem atualmente está em um "relacionamento sério" com uma moça que havia conhecido na internet.Embora nós dois não sejamos grandes amigos,eu gostava de sentar de vez em quando e trocar algumas ideias com ela.Afinal,ela era divertida e tinha vários assuntos,sem contar que tinha uma maturidade meramente duvidosa para uma pessoa de sua idade.Kevin também conversava com ela,mas por ela ser bem extravagante e Kevin ser bem contido,era rara as vezes em que andavam juntos pelo campus,porem também sentavam em alguma mesinha da cantina para conversar sobre algo.Digamos que Anna,Kevin e eu,sejamos um trio de universitários jovens tentando bancar os bacanas,já que no fundo a Universidade da uma baita dor de cabeça.

Olho para ela apreensivo,esperando que mastiga sua coxinha e só então me dê sua opinião sobre os acontecimentos.Eu contei um pouco do que está acontecendo,obviamente não falei nada sobre o que aconteceu com Kevin,mas ela sabe que ele está morando comigo e que venho percebendo seu comportamento estranho,assim como venho tendo pensamentos estranhos.Ela bebe um pouco do seu suco e então me encara.Seus olhos azuis estão brilhando mais que o normal e suas pupilas estão dilatadas,me fazendo ter até medo do que possa estar passando naquela mente insana.

__Gabriel,você é tapado ou finge ser?_ela questiona,jogando seus cabelos de lado,e eu franzo as sobrancelhas sem entender nada.Ela revira os olhos_Oh sim,você é tapado!_ela da um tapa em minha testa,me fazendo protestar.

__Até eu que ando há poucos meses com você já havia percebido o que rolava entre você e Kevin.
__Como assim? "rolar"? Nós somos apenas amigos,nada a mais que isso.Eu tenho minha namorada e ele tem..._pauso_aah,acho que ele ainda está com o Bruno,mas enfim...

__Cale a boca! Você é muito tapado,cara! Meu deus!_ela pega a notinha da lanchonete e começa a rabiscar algo na parte livre da conta.
__Eu não vim aqui para você me dizer o quão tapado,pra seja lá o quê,eu sou!_digo,fazendo menção de me levantar,mas ela segura em meu braço me fazendo ficar.
__Olha_ela pisca suas orbes azuis_Ta meio que óbvio que Kevin sente algo por você,mas não será eu que confirmarei isso_ela da uma pausa.
"Kevin sente algo por mim?!" Isso com certeza não deve ser a causa de seu comportamento...ou pode! Não! Eu e ele somos apenas amigos e eu..Eu não sou gay! Não posso retribuir,caso ele sinta mesmo,simplesmente não posso.Não sou gay,tenho uma namorada e meu amigo só está passando por momentos ruins...é isso! Não posso deixar a Anna por coisas na minha cabeça.

__Isso..isso é a maior besteira.Kevin não está...você sabe...de mim!_falo a encarando descrente.Ainda estou dando oportunidades para que ela retire o que disse ou vire para mim e ria da minha cara,mas ela não o faz.Simplesmente revira os olhos e abaixa mais ainda o tom de voz,visivelmente sendo ácida.
__Por que isso seria besteira? Por que é "provável" que seu amigo gay esteja interessado em você?! Escuta Gabriel,não é errado amar alguém.Independente de ser homem ou mulher.Não há nada de errado em ele estar apaixonado por você,qual seria o problema?!

__Eu não sou gay! Esse é o problema!_falo um pouco alto,mas logo abaixo o tom.Não quero atrair atenção de outras pessoas.__Anna,somos amigos de longa data,esse sentimento provavelmente iria arruinar nossa amizade.Convivemos por anos,e sempre fomos próximos,ele deve estar confundindo as coisas...sei lá...
A ideia de ter Kevin sentindo algo por mim,me faz sentir de uma maneira que nunca senti antes,porem eu não adtimiria.É só idéias que se plantaram na minha cabeça,quando essa cacheada maluca abriu a boca.Eu sabia que não devia ter vindo pedir sua opinião.
Ela bufa

__Como eu disse,não será eu que lhe dirá se Kevin sente ou não algo por você.Cara,você nunca parou pra perceber como você vem agindo?! Gabriel,tudo que você fala,qualquer assunto,você envolve o loiro no meio.Acha que não percebi os olhares todas as vezes que nos sentamos em uma mesa,ou quando alguém se aproxima dele?! Não acha que isso significa algo?!

Pisco e nego com a cabeça.É mais complexo que isso.Ela não sabe o que Kevin passou,ou o que passamos até aqui.Anna não sabe como me sinto em relação a ele,entao não pode concluir nada apartir de meros gestos.É apenas preocupação de amigo.Não quero que outra pessoa o machuque.

__Não,não significa.Não para mim._meu estômago chega a revirar,pois algo me diz que estou mentindo para mim mesmo.
__Deus,cara.Você foi contra tua namorada e agora estão morando juntos.Você praticamente pirou quando ele passou o sábado fora e voltou dizendo que amava alguém ao telefone.Você passou toda a semana queixando que Kevin não está lhe dirigindo uma palavra sequer,sem contar que você não para um minuto de falar sobre ele...
__Eu não fiquei falando dele o tempo..._ela me interrompe
__Eu entendi Sr.Hetero,é só "Preocupação de amigo"_ela volta a revirar os olhos e rasbicar algo no papel da conta.
Odeio ter que pensar no que ela me disse.Tem sido uma semana difícil,não parei de pensar um momento sequer em quem o Kevin vem visitando ou aonde o Kevin anda indo com um cara desconhecido da recepção.Uma semana.Passamos uma semana trocando apenas monossílabos,uma semana vendo-o sair de casa e voltar todo animadinho,uma semana recebendo respostas curtas e grossas.Eu gostaria de saber o que eu fiz.Não entendo o por que ele me trata assim.Eu até deixei de encontrar com Marcela em meu apartamento,e isso fez o seu humor incrívelmente mudar na quarta,já que ele falou mais que duas palavras e até sorriu quando fiz piada da situação.Porem ele ainda me afastava,e isso me deixa angustiado.Eu só quero saber o que está acontecendo com ele,talvez ele queira ir embora,voltar a morar sozinho.Ou ele está com um outro alguém e não quer me falar...

__Gabriel_me chama e meu olhar volta para ela_Eu te aconselho a ir falar com ele.Converse com ele e tente arrancar dele o que vem o incomodando.

__Mas eu ja tentei!_rebato
E como tentei...Mas como em todas outras vezes ele se desvencilhava do assunto,ou até mesmo me pedia novamente para "deixá-lo em paz" e se trancava em seu quarto.
__Tente de novo!_diz,e logo após abre um sorriso_Hmm,converse com ele! E se tudo se acertar,me ligue e deixe o resto comigo_ela se levanta,me deixando confuso.

__Como assim? O que você irá fazer?_pergunto.Tenho que desconfiar,já que Anna as vezes tem umas idéias meio loucas.
__Vou apenas plantar uma dúvida nessa sua cabeça dura_ela responde dando de ombros _Talvez fazer você se questionar se boceta é mesmo a sua praia _ela pisca,joga uma caneta que ela havia pego emprestado em minha direção e me dá as costas.

__Te vejo na próxima aula,Sr.Hetero!_ela abana a mão e eu continuo sentado olhando atónito para o coraçãozinho que ela havia desenhado.Haviam as iniciais K+G dentro dele.O que me faz olhar e refletir um pouco.E se o que chamo de "atração sexual pelo melhor amigo" for outra coisa..algo como,paixão? Talvez..apenas talvez,a Anna esteja certa.Talvez não seja errado amar uma pessoa,mesmo que ela seja seu melhor amigo.
__Isso é a maior besteira..._falo baixo e rabisco aquele coraçãozinho idiota.Bufo e me levanto.Besteira ou não eu precisava conversar com Kevin.


Notas Finais


Bom,só vim postar e já estou caindo fora.Proximo capítulo promete 🌚🌝
Mas enfim,o capítulo está completo e deve haver alguns errinhos que eu irei corrigir depois.
Mamãe ama,Porrinhas :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...