História Bloodstream - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Dean Winchester, Ruby, Sam Winchester
Tags Wincest
Exibições 72
Palavras 2.895
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Tava ouvindo Bloodstream do Ed Sheeran e saiu isso, não sei se tem alguma coisa a ver mas, espero que gostem!!

Capítulo 1 - Capítulo Único.


 

Dean sentia a cabeça rodar, por duas semanas procurava por Sam que nem um louco de cidade em cidade, indo de caçador em caçador. Em busca de noticias e pedindo ajuda. Ele temia pois sabia que Sam não estava só, Ruby o ajudava a fugir sempre que estava perto de encontra-lo. Isso tudo para alimentar Sam com o maldito sangue de demônio na desculpa esfarrapada de se livrar de Lilith. Mas se fosse verdade ou nao, ele não deixaria Sam passar por isso sozinho. 

 Depois de muito brigar e xingar, Dean teve a ideia mais louca de sua vida. Sam nessas investidas contra demônios poderia se encrencar, não só por que o inferno estavam em suas colas ou qualquer outro monstro e sim, pelos riscos cotidianos. Doenças transmitidas pelos corpos que o demônio estava possuindo, assaltos... Sei lá. O mundo estava um lixo faz tempo. Os humanos o tornavam pior. 

 Não falou com o Bobby mesmo sempre recorrendo a ele e muito menos a Castiel. Pois sabia que iria ser impedido e seria capaz de matar qualquer um que o impedisse de chegar até Sam, mesmo sendo seu anjo da guarda.

 ... 

 Dean esperava impaciente do lado de fora do Impala, agachado de cócoras, como se estivesse vendo o pneu furado. 

  Era de noite e estava a beira de uma estrada qualquer. Até que um carro surgiu na escuridão, virando a curva e se aproximando de Dean. 

 Um homem, um pouco mais velho, de suéter azul e calça jeans, talvez um pai de familia. Estava no volante de um carro de classe econômica e parou na frente do Impala e apagou os faróis. 

 - Precisa de ajuda? - perguntou o homem saindo do carro. 

 - Sim, meu pneu... - disse Dean se levantando.

 - Pensei que caçadores soubessem trocar um pneu - falou o homem agarrando a gola do casaco de Dean e o jogando contra o parabrisas que trinca com o impacto. 

 Os olhos do homem estavam negros. 

 - Chegou rápido - disse Dean se sentando sobre o capô sentindo um pouco de dor. 

 - Não é sempre que damos sorte de encontrar um Winchester dando bobeira - o demônio falou rindo pelas narinas. 

 - Realmente é a sua noite de sorte - falou Dean saltando do carro e se atracando com o demônio na pista. 

 Dean consegue corta a coxa do demônio com a faca da Ruby, que urra de dor mas não para de lutar. Quando Castiel aparece e puxa Dean dos braços do demônio para longe e empurra maldito para o chão e arranca sua espada no sobre tudo. 

  O demonio fica pasmo ao vê a forma de Castiel sob a casca de Jimmy Novak e se desespera. 

 - Não, por favor - pediu o demônio tentando afastar Castiel. 

 Castiel empunha a espada e quando vai golpear o ser das trevas, Dean o segura e o tira de cima do demônio. 

  -Está ficando louco?! - exbravejou Castiel para Dean

 - Não me lembro de pedir sua ajuda!! - gritou no mesmo tom, peitando o anjo. 

 Castiel o olhou com irá. 

  - Vá embora!! - gritou 

 - Dean - o repreendeu

 O demônio se levantava para fugir quando Dean lançou a faca e a cravou na parte de trás da coxa do demônio que caiu gritando, mas não morrendo.

 - Agora!! - falou Dean mais Sério como jamais. 

 Castiel o olhou incrédulo e sumiu num farfalhar de asas. 

 Dean soltou o ar que prendia e foi em direção ao demônio. 

 - Você é o protegido dos anjos - disse o demônio se arrastando para longe de Dean. 

 - Eu falei que era seu dia de sorte - tirando a faca e o puxando para ficar de pé - Vai me ajudar a encontrar o meu irmão - falou o olhando nos olhos - Ou vou fazer coisas com você, que vai implorar pelo Castiel. 

 O demônio balançou a cabeça em entendimento e Dean o  arrastou para o carro e o jogou dentro. 

  ... 

 Longe dali, Ruby e Sam descutiam num Motel. 

 - Não acredito que ia bota tudo a perder pelo  idiota do Dean... 

 Sam pega Ruby pelo pescoço e a imprensa contra a parede, a Olhando severamente. 

 - Não me importa o que você seja ou que esteja fazendo. Se Falar dele assim outra vez, eu mato você - Falou a soltando e a fazendo cair no chão buscando ar. 

 Sam andou pelo quarto, se sentia forte mas sujo. Teve que matar inocentes, mesmo Ruby o instigando a ve-los como demonios quando se alimentava,  para sassiar o vício. Mas o efeito durava pouco, logo teria que encontar outro demônio para se satisfazer mas nesse tempo de lucidez. Sentia que a falta de Dean o iria deixar louco. E sabia que o mesmo estava rodando os quatro cantos desse mundo para encontra-lo. 

 - Sam - chamou Ruby se levantando e engolindo a raiva.

 Sam sentiu nojo ao ouvir a voz da garota. 

 - Eu quis dizer, que você está tao perto do que deseja, sem ninguém o controlar - falou mansa - Esta a um tris de salvar a humanidade e ser visto como um herói finalmente. Não vê que Dean... 

 Sam se virou esperando o insulto. 

 - ... Estando perto, te deixa fraco. - completou com cautela - Estou aqui para ajudar, sem pedir nada em troca, só sua confiança e não lembro de te desapontar nisso. 

 Ruby caminhou até Sam e segurou sua mão, num ato quase romântico e protetor.

 - Precisa de mais, e eu  gostaria mas não tenho o suficiente, que tal relaxarmos um pouco - a última frase saiu maliciosa - Depois seguimos para outra cidade, ouvi falar que Lilith planeja algo e mandou seus seguranças para colocarem tudo em ordem. 

 Sam assentiu mais calmo e se afastou de Ruby. Deixando a demônio com um sorriso satisfeito. 

 ... 

 Dean estava com o demônio no banco da frente, como uma compainha agradável... Só que não.

 - Onde eles estão? - perguntou sem tirar os olhos da estrada. 

 - A cem quilômetros, motel Green Vale - o demônio respondeu um pouco mais aliviado. 

 - Acho bom não ser uma armadilha - falou Dean o olhando sério e levando a mão até a faca. 

 - Não, senhor - falou com medo.

 - Bom menino.

 Dean pisou fundo e o carro cantou pela estrada úmida de orvalho. Dirigiu por duas horas, nada que não estivesse acostumado e parou numa quadra antes do Motel. O demônio saiu do carro com ele e Dean caminhou até um beco. 

 - Posso ir agora? - seguindo Dean. 

 - Não disse nem que podia falar - caminhando para dentro do beco. 

  O demônio engoliu seco e se calou. Dean parou de andar e se virou para o demônio que mantinha os olhos no chão.

 - Tem mais algum demônio por aqui? - perguntou Dean olhando ao redor. 

 - Não - respondeu submisso. 

 - De que escalão você é? Foi o chefão que te mandou? 

 - Eu não sei... - respondeu baixo. 

 - Desembucha! - gritou o fazendo olhar nos olhos. 

 - Só cumpro ordens - falou rápido.

 - Eu vi isso, me obedeceu bem - falou como um pai reconhecendo o bom comportamento do filho - Então você é a escória do inferno? Um merdinha? - zombou 

 O demônio mudou os olhos para negros e deu um passo a frente, com raiva mas Dean colocou a faca em seu pescoço o mantendo parado. 

 - Desculpe ferrir seus sentimentos, princesa - zombou forçando a faca mas não cortando. 

 O demônio sorriu de escárnio. 

 - Você pensa que vai conseguir salva-lo mas só esta enganando a si mesmo, Samuel já escolheu o lado dele. Ele é nosso. - riu de deboche. 

 A mão de Dean coça para mata-lo mas não poderia perder o foco agora. 

 - Ops! Ferri seus sentimentos... - mostrando um sorriso maligno. 

 Dean puxa a faca e soca o demônio até cansar. Até seu ódio esfriar e o segura contra a parede inválido. 

 - Me possua - pediu olhando nos olhos do demônio que para de se contorser e o olha curioso ainda Esbanjando olhos negros. 

 - É uma piada?

 Dean deu um soco na boca do estômago do homem Que cospe sangue. 

 - Pareço estar brincando? - perguntou no ouvido do homem e voltando encara-lo. 

 O demônio não diz nada e o observa. Dean preparava outro soco quando o demônio segurou seus braços, não para machuca-lo e abriu a boca. 

 A fumaça preta e espessa se arrastou para fora da boca do homem e Dean mesmo receoso abriu a boca para recebe-la. 

 Sentiu seu corpo ser tomado de tal forma, uma escuridão, desespero, medo e perdeu os sentidos por um momento até que estava completamente tomado. O demônio através de Dean olhou para seu novo corpo e sorriu com a estadia. Mas ele não sabia que Dean tinha feito o dever de casa e procurou todos os jeitos de controlar um demônio dentro de si. Achou o convencional pelo destino. O mesmo que Sam fazia. A uma semana ele tomava uma dose do sangue de demônio para se manter forte, ele não estava se tornando um. Apenas adquirindo força para lutar contra essa força dentro dele. E assim se sucedeu. 

 O demônio caminhava pomposo com a casca de Dean para fora do beco, quando perdeu a consciência e antes de deixar o corpo cair no chão, Dean voltava a tomar posse de si. 

 - Mais fácil do que eu esperava - falou para si ofegante.

 ... 

 Sam dormia na grande cama de casal, só com a calça jeans aberta revelando seu físico glorioso e cueca preta e sem sapatos,  enquanto Ruby arrumava as malas. 

 Alguem bate na porta e Ruby vai atender sem medo e emburrada. 

 - O que quer? - perguntou enquanto abria, esperando ser a camareira.

 E foi surpreendida por Dean, que lançou água benta em seu rosto e a fez se afastar da porta, tapando o rosto. 

 - Dean - falou entre dentes e tentando correr até Sam. Mas Dean a segura e a faz cair. 

 Agora o demônio que estava tomando Dean, assume o controle e sorri vitorioso. Forças compatíveis agora, Ruby não tinha como escapar. 

  - Mark - Ruby se surpreendendo olhando os olhos negros de Dean. 

 - Também senti saudade, irmã - falou pegando a faca e ficando no peito de Ruby, que solta um grito. 

 Sam se levanta rápido e vai ver o que esta acontecendo. E vê o corpo de Ruby se debater e um brilho faiscar pelos olhos e boca, indicando sua morte. 

 - Não!! - gritou Sam. 

 Dean assume o controle e finca a faca mais fundo ainda, só por raiva. 

 Sam o tira de cima dela e olha pro corpo sem vida da garota. 

 - Sammy... - se levantando.

 - Como me achou?

 - Qual é irmãozinho, fui eu que te ensinei tudo o que sabe. 

 - Sempre estragando tudo o que faço... - disse com raiva 

 - A festa parecia estar boa mesmo - olhando para as roupas do irmão e sentindo um ciúme que não deveria ser exposto Agora - Que nojo, Sam... Ele é um demônio. 

 - E eu seu irmão... - o olhou com pesar - Então sente nojo de mim também? 

 - Não foi isso que quis dizer... - se Retratou e caminhou ate a porta para fecha-la. 

 Mas o demônio toma a frente de novo e solta uma risada ainda costas para Sam. 

 - Melhor do que novela mexicana - zombou o demônio. 

 Sam olhou para Dean se preparando para lutar. 

 - Quem é você? - perguntou Sam tomando distância. 

 - Ah, Samuel - riu mais e se virou. 

 O corpo de Dean cambaleou e Dean voltou ao normal. 

 - Sou eu Sammy - voltando ao mesmo tom de antes. 

 - Dean? O que ta acontecendo?

 - Explico no caminho, vamos - pediu.

 - Não, vá embora, vou continuar minha missão mesmo sem ela. 

 - Sam, vim te ajudar - falou Dean calmo e lhe estendendo a mão. 

 - Mentira - falou entre dentes. 

 - Não é, olhe pra mim - aproximou devagar - Nos meus olhos, diga se estou mentindo. 

 Ficaram se encarando alguns segundos ate que o demônio assumiu o controle. 

 - Eu sempre suspeitei desse amor de vocês - falou sarcástico - Que coisa mais linda. 

 Sam estendeu a mao para o corpo de Dean e começou a concentrar a força para expulsa-lo e quando a fumaça começava a sair, Dean toma o controle. 

 - Pare - falou engasgando com a nevoa preta - Sammy, pare!! - pediu sem forças, segurando a garganta. 

  Sam o olhou confuso e parou o exorcismo. 

 - Dean, o que você fez? - com olhos marejados - Como? 

  Dean afastou a blusa de sua tatuagem e mostrou um corte profundo sobre a mesma, desfigurando o desenho. 

 - Não... 

 Sam segurou Dean e o ajudou a ir até a cama. O observou com uma enxurrada de emoções e sem palavras. 

 - Ser exorcizado é ruinzao - falou Dean passando a mao pelo rosto. 

 - Nem me diga... - falou Sam rindo sem vontade. 

 - Sam, eu não vou te deixar, nem se preocupe em me pedir isso - falou tocando o ombro do irmão e o olhando no fundo dos olhos. 

 - O que quer então? Por que se deixou possuir? - perguntou sem entender

 - Não quero você tomando o sangue de qualquer um, não quero que fique doente. Ou sei lá... - falou com medo - Não quero te perder. Vou te dar todo sangue que precisar.

  Sam o olhou com admiração por um instante, Dean não querer que ele se alimentasse de mais ninguém sem ser nele. Era uma das maiores provas de amor que ele tinha recebido. Mas as palavras de Ruby rodavam sua cabeça.

 - Vou te ajudar. - continuou Dean, saiu seco  mas sincero - Vamos tentar o seu plano, vá matar a Lilith mas vamos juntos. 

 -  Claro. Como sempre você, salvando a pátria. Querendo se igualar ao pai e segurar essa fama de melhor caçador só pra você. 

 - Acha mesmo que se eu quisesse isso, venceria com um demônio dentro de mim?! - Dean riu de escarnio e se levantou.

 
 - Onde vai? 

 - Eu não sei, mas você pode ir se foder - falou indo até a porta irritado. 

 - Hey.. - entrando na frente de Dean -Me desculpe, ta legal.

 - Agora é fácil pedir, você já estragou tudo. 

 - Não, não. Por favor, fica - pediu com olhos de cachorrinho. 

 - Sammy - se xingando por dentro por não resistir. 

 - Eu preciso de você. Não só pela Lilith mas... 

 - Diz - pediu esperançoso 

 - Porque - sentiu suas bochechas corarem

  Dean segura as lagrimas e o abraça. 

 - Eu te amo - dizem em unisom 

 E Sam retribui o abraço apertado. Se separam e o caçula ataca a boca de Dean, sedento. Dean retribui, tira o casaco mas para e o afasta. 

 - O que foi? - perguntou Sam com medo de ter feito algo errado. 

 Dean morde o lábio inchado pelo beijo e fecha os olhos e suspira. 

  - Não posso fazer isso com ele aqui - se referindo ao demônio,  pondo as mãos na cintura. 

 Sam riu de gargalhar e o olha descrente. 

 - Ta falando sério? - perguntou ainda rindo. 

 - Sim, eu não vou te... Com ele aqui dentro de mim, vai que ele se mete - falou nervoso - Não vou deixar que ele te toque. 
 
 - Ah, Dean... Qual é - falou Sam se aproximando e tocando o queixo de Dean lançando um olhar cheio de desejo - Sempre quis fazer um menage - sussurou nos lábios de Dean. 

 Dean fica duro na hora mas empurra Sam que logo começa a rir sem controle e pondo a mão na barriga pela cara de surpresa irmão. 

 - Não tem graça - gesticulando nervoso - Sam se eu souber que você ta dando pra alguém, eu te mato e depois vou atrás do desgraçado. 

 Sam RI mais ainda pelo ataque de ciumes de Dean, ele fica lindo quando sente que não esta no controle da situação. Todo vermelho e olhos arregalados.

 - Eu estava brincando - tentando não rir - Olha.. Eu não ligo para o sexo, okay, isso também fez falta... - riu - Mas só de ter você aqui, é o suficiente. E nunca vou poder retribuir o que esta fazendo por mim - completou emocionado, aliviando os ânimos de Dean. 

 - Nunca vou te deixar, Sammy - falou tentando não derreter pela declaração. 

 Sam sentiu uma dor de cabeça forte e vacilou sobre os pés. 

 - Uou - indo até Sam e o segurando. 

  - Dean, eu preciso - tocando o braço de Dean e sentindo as veias grossas do braço do loiro com os dedos. 
 Dean fechou os olhos não com medo mas temendo o estado de Sam. 

 O levou para a cama e tirou a faca do cós da calça. Deixou o demônio assumir mas agora estava sem forças para escapar, pelo exorcismo no inicio. Fez o demonio corta seu braço, mesmo com alguns gritos de dor e Sam colocou a boca no corte. Sugando todo sangue que conseguia. 
 - Eu sinto muito, Sam - falou Dean olhando Sam por de trás do demônio que sorria maléfico.


Notas Finais


Obrigada por continuar ate aqui e deixe seu comentário.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...