História Bloody Love - Season 2 - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Tags Bloody Love
Exibições 6
Palavras 1.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Fantasia, Festa, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capítulo 10


Fanfic / Fanfiction Bloody Love - Season 2 - Capítulo 10 - Capítulo 10

Havia me despedido de Adam e retornado para casa. Tinhamos combinado de nos encontrarmos para conversar no dia seguinte, agora no apartamento em que estava vivendo. Lucy havia tentado me ligar algumas vezes, porém tinha ignorado todas. Estava com a cabeça latejando, suplicando por uma bebida. 

Já que Safira ia passar a noite na casa de uma amiga, aproveito e vou direto para o porão. Enquanto desço as escadas percebo a maioria das pessoas espalhadas pelos sofás bebendo ou jogando pôker ou sinuca. Caminho e sento-me em um dos bancos no balcão do bar.

- Preciso de um martíni. -digo, notando que quem estava no comando do bar hoje era Leonard.

- Olha quem apareceu. -ele comenta, em seguida dando uma risadinha sarcástica. 

- Qual o problema agora, Leonard? Tirando o fato de você discordar de tudo que eu mando você fazer ultimamente? -pergunto, apoiando meus cotovelos no balcão.

- Ninguém te falou? -ele pergunta, agora pegando uma taça para preparar minha bebida. - Jake ficou agindo que nem um babaca o dia todo hoje. Bom, ele sempre é um babaca pra mim. Mas hoje ele foi, literalmente, um babaca. -fala ele, me entregando meu martíni.

- Como assim? Nunca tive problemas em deixar Jake no comando. -falo após tomar um gole. Antes de ouvir a resposta, tomo quase o conteúdo todo da taça tentando me preparar para o que poderia ouvir.

- Ele ficou obrigando todo mundo a fazer coisas estúpidas, literalmente perda de tempo. Quando alguém questionava, ele simplesmente mandava a pessoa ir embora. Muitos foram e acabaram nem treinando. E mesmo para quem ficou não adiantou muita coisa. -Leonard fala enquanto serve cerveja para si mesmo.

- Não é possível. -digo cerrando os punhos, já me estressando. Só queria tomar a droga de um martíni. Levanto-me do banco, pegando a taça e jogando-a contra o armário de bebidas, assustando algumas pessoas. - Ele só pode estar de sacanagem com a minha cara. 

[...]

Quando subo novamente para casa, vou imediatamente procurar Jake; logo encontrando-o sentado em meu escritório. Ele percebe minha presença e abre um sorriso gigante, consigo sentir o cheiro de alcool de longe.

- Maya! Você chegou! -Jake fala, se levantando e abrindo os braços em minha direção. Ele apanha duas taças cheias, provavelmente champanhe pela cor, e estende uma em minha direção. - Vamos brindar! -diz, ainda com um sorriso no rosto.

- Você ficou louco? -pergunto ao me aproximar dele, a taça em sua mão ainda erguida em minha direção.

- Vamos, pegue-a. -ele insiste, logo agarro a taça e jogo no chão, quebrando-a e pisoteando-a enquanto os cacos de vidro se multiplicavam.

- É isso que eu vou fazer com a sua cabeça se você não explicar que diabos deu em você! -ameaço ele, já estava gritando.

- Relaxa, Maya. Eu estou melhor que nunca. -ele responde, o sorriso diminuí, mas seu olhar continuava me encarando. - Você anda muito estressada, vem, deixa eu fazer você relaxar.. -Jake fala, colocando a mão na cintura e me puxando para si. Antes de nossos corpos se chocarem, empurro-o e dou um tapa forte em seu rosto.

- Você perdeu o juízo? Sendo irresponsável com o clã a ponto de ir treinar com eles bêbado desse jeito! Mandar gente pra casa e fazê-los perder treinamento? Jake, realmente perdeu a noção do perigo? -grito com ele, sentindo ele me olhar enquanto percebo o local do tapa ficar vermelho.

- Você também esteve fora o dia todo e eu não te questionei nada. Eu fiz o que você pediu, guiei o clã hoje. Quem é irresponsável é você. -ele fala, apontando seu dedo em direção ao meu rosto. Seguro sua mão e torço-a, provavelmente quebrando ou deslocando seu pulso. Ele solta um resmungo de dor.

- Não aponte seu dedo para mim, Jake. -digo friamente, cerrando os dentes. - Você  realmente perdeu a noção, não é? Acha que agora tem algum tipo de moral? -falo, dando uma joelhada nele fazendo-o cair de quatro no chão; o pulso ainda machucado. - Acha que o fato de dormir na mesma cama que eu faz você se tornar superior? Acho que você esqueceu como é a verdadeira Maya. Eu ainda mando nessa merda.  -digo, observando ele com os olhos apertados por conta da dor. - Não sei que porra deu em você para agir assim, mas acho bom você parar com essa palhaçada de agir que nem um novato e voltar ao normal. -caminho até ele, chutando seu corpo e fazendo-o cair totalmente no chão, cuspindo um pouco de sangue. - Você me entendeu? -pergunto, meu pé pressionado em suas costas. Quando percebo ele suspirar derrotado no chão, apenas dou meia volta e deixo-o agonizando.

[...]

No dia seguinte, um ataque num dos centros de treinamento acabou atrasando meu compromisso com Adam, pois tive que lutar com o resto do clã. Jake havia se recuperado da luta na noite anterior, porém o proibi de ir para o patrulhamento com o clã pelo resto do dia como punição. Após combater os inimigos, liberei o resto do grupo e fui até o apartamento de Adam.

Começou a nevar quando cheguei ao prédio no endereço que ele havia me dado, situado bem no centro de Manhattan. Ele logo me recebe no corredor, me convidando para entrar em seguida. O lugar mal estava decorado, dando a impressão de que os cômodos pareciam mais vazios. Ele estava vestido com uma camisa comprida, semelhante á um moletom e um casaco por cima, fazendo-me lembrar que ele sofria com o frio que a cidade estava tendo ultimamente.

- Está bonita. -Adam diz assim que nos sentamos no sofá na sala de estar. Sou obrigada a dar um pequeno sorriso.

- Obrigada. -respondo, me ajeitando no sofá. - Me desculpe pelo atraso, precisei lidar com algumas coisas antes de vir para cá. -falo ao ver que Adam analisava um pequeno corte na minha testa, quase impossível de ver.

- Não tem problema, espero que tenha resolvido; -ele diz.

- Está tudo bem. -falo - Belo apartamento, a propósito. É muito raro conseguir algum lugar disponível por aqui, principalmente por que é no centro. Não acha estranho? -pergunto, tentando tirar alguma informação. Tinha que ter algo que ele lembrasse que ajudasse em alguma coisa.

- Sei que quer conversar sobre outras coisas, mas preciso dizer o porque quis falar com você hoje, Maya. -Adam fala, molhando os lábios em seguida.

- Sobre o que você quer falar? -pergunto um pouco confusa. Ele dá um suspiro e então olha diretamente para mim.

- Queria falar com você pois quero ver Safira.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...