História Bloody Star - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Hozi, Jeongcheol, Jihoon, Soonhoon, Soonyoung
Exibições 234
Palavras 4.968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noiteeeee@
Desculpem pela demora. Como eu disse, estava bastante ocupado e estava muito travado para escrever.
Então, vim com o capítulo quentinho e já aviso para vocês, se preparem psicologicamente antes de ler, ok? Ok
Minha Beta se sentiu destruída no final do capítulo.

Enfim, falo melhor com vocês nas notas finais.
Boa leitura

Capítulo 9 - Chapter 8 - Não sei se devo sentir ciúme ou se posso confiar


Fanfic / Fanfiction Bloody Star - Capítulo 9 - Chapter 8 - Não sei se devo sentir ciúme ou se posso confiar

Chapter 8 – Não sei se devo sentir ciúmes ou se posso confiar

 

Eu estava completamente entediado, não estava fazendo nada, não tinha nenhuma obrigação da escola e Minghao disse que ficaria com Wonwoo naquele final semana, sem crise, sem ataque de tristeza, sem choro. Resolvi confiar e acreditar que ele amadureceu um pouco para tal responsabilidade. Ele sempre seria nossa criança, mas enquanto nosso amigo estivesse nesse estado frágil, teríamos que nos virar para cuidar dele.

 

Andei pela casa inteira, até pelo quarto de Seungcheol, ele continua da mesma forma que antes, mas não estou pronto para mexer nas coisas e relembrar de quando ele ainda era vivo. Revirei o quarto dos meus pais procurando alguma coisa de interessante para fazer e percebi que meus pais são muito sem graça. Eles não tinham nenhuma fantasia ou brinquedo sexual, eu realmente pensei que eles fizessem esse tipo de coisa.

 

Eu olhei as roupas da minha mãe e a maquiagem, me perguntei se eu deveria vestir para ver como eu ficaria, mas eu percebi no que estava pensando. Eu estou ficando maluco? Só porque eu estou namorando um garoto não quer dizer que me tornei uma menina. Continuo tendo um pênis e me orgulho muito dele. Acho que o tédio está me fazendo delirar. Eu definitivamente preciso fazer alguma coisa ou vou ficar maluco.

 

Peguei meu celular e mandei uma mensagem para Soonyoung, poderia ficar com as irmãs dele caso ele não pudesse ficar comigo. O que eu preciso é me distrair, dar uns beijos no final de semana seria ótimo. Segundos depois, ele estava me ligando a fim de conversar sobre a mensagem, certeza. Ele definitivamente gosta de ficar falando.

 

– Alô, Soonyoungie? – Eu ouvi sua voz um tanto manhosa do outro lado do telefone. Aposto que tinha acabado de acordar ou estava com preguiça para fazer alguma coisa. Soonyoung nunca será um exemplo em relações aos estudos. Na verdade, preciso descobrir algo que ele seja bom e que possa usar futuramente. – O que está havendo? Tem algum dever de casa para fazer?

 

– Tenho um trabalho, mas estou com muita preguiça de fazer. É muito chato! – Ele prolongou a ultima vogal por vários segundos. Eu acabei rindo daquele garoto enquanto imaginava aquele rostinho fofo e um biquinho nos lábios. Aish, eu fiquei completamente arrepiado e acabei sorrindo só de imaginar. Eu me sinto tão ridículo por estar apaixonado.

 

– Você pode parando com essa sua preguiça desmedida. Você prometeu que se esforçaria para melhorar na escola. – Falei no telefone tentando manter a voz autoritária e apenas consegui porque estávamos falando pessoalmente um com o outro. – Você é um garoto inteligente, só precisa se esforçar para ficar com notas melhores. Você repetiu no último ano por isso.

 

– Eu sei. Ok, você me convenceu. Daqui a pouco eu vou ligar para um amigo e pedir para ele vir aqui. Assim vamos fazer o trabalho juntos e eu não vou ficar tão entediado. Eu não sou brilhante? – Soonyoung falou como se fosse a melhor ideia do ano, eu tive que afastar o aparelho do telefone para rir.

 

– Desculpa se eu estiver sendo duro, mas eu só quero o seu bem. – Falei para que não achasse que eu quero mudá-lo, eu fiquei até trêmulo só de pensar. Não quero começar uma briga no início do namoro. Sei lá, eu sou muito impulsivo e vou falar muita merda em uma discussão. – Suas irmãs estão aí? Fizeram o almoço para você? Porque ainda não comi e estou pensando em almoçar com você.

 

– Elas saíram, estou sozinho e com muita preguiça de fazer alguma coisa para comer. Dá muito trabalho, sabe? – Ele falou com uma voz brincalhona, estava pensando em ir na casa dele e obrigá-lo a fazer algo para comer quando me lembrei de que ele chamaria um amigo para ir na casa dele. Sabe, ele e outro garoto sozinhos. Eu acabei sentindo uma ansiedade e uma vontade de matar alguém que nem eu entendi.

 

– Espera um momentinho, deixa eu ligar as coisas. – Eu falei sem pensar muito bem, sabe quando você percebe que está fazendo algo errado, mas não para? Eu estava fazendo isso e não é agora que vou parar. – Você está sozinho em casa, sem suas irmãs, sem ninguém. Então você vai chamar outro garoto, provavelmente bonito e gostoso, para sua casa vazia, no seu quarto? É isso mesmo que você vai fazer?

 

– O Sanha pode ser bonito, mas não é nem um pouco gostoso. Ele parece uma vareta, não tem curva nenhuma. De onde tirou isso? – Soonyoung perguntou pelo telefone com uma voz confusa. Fiquei com vontade de quebrar uma vassoura naquela cabeça castanha dele. De onde surgiu tanto ódio, não sei?

 

– Tirei da vassoura que vou enfiar nesse seu rabo se você fizer alguma coisa com esse garoto. – Eu falei com bastante seriedade e até raiva na voz. Soonyoung com certeza estava confuso e acho que riria dos meus ciúmes bobos se eu estivesse assistindo de fora. Sim, eu estava com ciúmes e admito isso. – Quer saber? Estou indo para sua casa agora, vou ajudar vocês dois com o trabalho.

 

– Mas o que? Jihoon, espera um… – E desliguei o telefone sem que ele pudesse responder. Eu me arrumaria de um jeito irresistível, gostoso para caralho e quero saber se esse tal de Sanha vai me superar. Onde já se viu? Eu estou namorando há um mês e já tem garotos querendo tirá-lo de mim? Ah, mas eu vou ficar de olho nesses dois, eu não vou dar mole com o namorado lindo que eu tenho. Nem que eu tenha que espancar esse garoto até ficar inconsciente no chão.

 

Ok, estou exagerando, mas ninguém vai me superar com o meu corpo vestido com uma calça colada e uma camisa provocante. Vou até passar uma maquiagem no rosto, vou arrasar mesmo. Olha como eu estou falando, eu preciso me controlar. Primeiro queria usar uma roupa da minha mãe, depois começo a agir como uma bicha louca. Daqui a pouco eu vou passar a fazer barraco no meio da rua e puxar cabelos alheios.

 

Eu definitivamente preciso me controlar.

 

Respirei fundo para me acalmar, eu ainda nem conhecia o Sanha e se o Soonyoung estivesse interessado nele, já estariam juntos de alguma forma. É tão estranho sentir ciúmes, não gostei nem um pouco. Mas ainda vou com minha roupa mais sensual, não vou dar mole.

 

Procurei as calças em questão, uma das que minha mãe comprou para o meu encontro – que tinha ficado extremamente justa e por isso não a escolhemos – e peguei um casaco um tanto largo devido ao frio. Dizem que você fica mais bonito quando se sente bonito, então é exatamente isso que irei fazer. Estou até pensando em deixar de ter esse cabelo castanho, recebi muitos elogios por parte de Wonwoo e Minghao quando estava loiro, talvez seja legal voltar àquela cor.

 

Depois que finalmente me senti bem o suficiente – se passaram quase uma hora, diga-se de passagem – e morrendo de fome, deixei minha casa tediosa e vazia. Eu tinha uma breve lembrança de como se chegava à casa do meu namorado, mas eu iria me arriscar. Se eu me perder, era só fazer um telefonema para o mais velho vir me buscar. Inclusive, estava andando com o celular na mão porque a calça estava tão apertada que nem conseguia colocar o aparelho no bolso.

 

Passei a caminhar rapidamente pela cidade, eu não queria que Soonyoung ficasse muito tempo sozinho com esse garoto. Eu não confiaria nele até o conhecer. Passei na frente do hospital e pensei seriamente em entrar para ver como Wonwoo e Minghao estava, mas me prometi que confiaria no mais novo. Respirei fundo e continuei andando sem me preocupar com isso. Ele estava bem e cuidando muito bem do nosso amigo. Minghao estava crescendo e até eu estava ficando emocionado por isso.

 

Segui em frente, caminhei mais uns metros até encontrar a residência do meu namorado. Me lembrei de como eu estava nervoso na primeira vez que o visitei. Estava com medo de suas irmãs não me aceitarem ou me julgarem, sei lá. Estava com muito medo da família de Soonyoung, mas eu já tinha passado no teste antes mesmo de chegar. Pude olhar toda a estrutura com calma. Era uma bela casa branca, com arquitetura moderna e muito bem cuidada. Luxuosa e confortante como o interior.

 

Entrei no pequeno jardim e toquei a campainha. Senti meu corpo estremecer o coração apertar. Estava ansioso, mas não por ver o Soonyoung, mas sim por saber o que eles estavam fazendo. Eu fui rapidamente atendido pelo meu namorado adoravelmente vestido com um avental.

 

– Oh! Você veio mesmo, entre, estou terminando o almoço. – Ele falou abrindo espaço para eu entrar. Ele falou de forma tão animada que nem parecia que o ameacei há quase uma hora. Segui o mais velho até a cozinha e encontrei um rapaz de cabelo cacheado com uma boina. Ele era um tanto magrinho, do jeito que foi mencionado no telefone. Mas era um garoto extremamente fofo, principalmente enquanto estava concentrado na tela do notebook, provavelmente fazendo o tal trabalho deles.

 

– Fiz uma pesquisa completa sobre os Cavaleiros Templários, eles parecem ser caras bem legais. Tem até um jogo inspirado em uma lenda onde um deles vai até o inferno recuperar a alma de sua esposa. Bem interessante. – O rapaz falava ainda procurando informações na internet.

 

– Apesar de ser um assunto muito interessante e eu gostar bastante, acho que a reconquista da península ibérica trouxe muitos problemas para os dias de hoje. A demonização das lendas pagãs, assim como a demonização da mulher e da fada. A floresta que era um lugar puro, onde os guerreiros usavam como porto seguro passou a ser um lugar onde os soldados de Deus eram seduzidos pelo mal. Eles distorceram muitas coisas sabe? – Eu comecei a falar porque acho esse assunto muito interessante e poderia ter ajudado antes se eu soubesse o assunto.

 

– Eu não sabia disso, acho que vou pesquisar. – O rapazinho disse agitado após olhar para mim por alguns segundos e voltar para a tela do computador. Por algum motivo, eu reconhecia aquele olhar.

 

– É só olhar nas literaturas, Alexandre Herculano é um grande autor do romantismo histórico, então ele revive esses romances de cavalaria, porém ele veio de uma era em que o catolicismo já existia, então ele usa a bruxa e a floresta como elementos do inferno. – Eu comentei sentando em uma das cadeiras, eu nem prestava mais atenção no que Soonyoung fazia, apenas estava falando. – Se você comparar com Tristão e Isolda, por exemplo, que é um livro realmente medieval, você verá a diferença. A feiticeira é uma pessoa confiável, o braço direito do rei e a floresta o ninho de amor do casal. Em A dama e o pé de cabra, a bruxa é um demônio feio e a floresta é o lugar da perdição do personagem principal.

 

– Nossa! Você parece que faz faculdade! Você conseguiu fazer uma interdisciplinariedade com a matéria de história. Aposto que a professora vai gostar bastante se falarmos desses pontos, Soonie. – Ah, eu não gostei desse apelido. Estou começando a me arrepender de ter ajudado esse garoto.

 

– A propósito, eu sou namorado do Soonie. – Eu disse de modo sarcástico deixando bem claro meu relacionamento com o mais velho. Assim que disse aquilo, os olhos de Sanha arregalaram-se em ao me fitar antes de um sorriso surgir em seus lábios. – Meu nome é Jihoon, muito prazer.

 

– Ah sim, o Soonie me fala a beça de você. Tipo muito, muito mesmo, ele não para de falar de vocês desde que se conheceram. – Ok, isso me deixou um pouco mais animado, já estava gostando mais dele. – Espera um momento, Jihoon? Seu nome é Jihoon? Ai meu senhor, meu nome é Sanha! Não se lembra de mim?

 

– Sinceramente? Não tenho certeza.

 

– Poxa, Sol Azul! Você não vai mesmo dizer o seu nome para podermos brincar como amigos de verdade? – Ele falou imitando uma criança e então tudo voltou a minha mente como um tufão. Uma mulher me deixando em um orfanato, um garoto irritante chamado Sanha queria saber meu nome e gostava muito de brincar comigo, mesmo eu não querendo.

 

– Sanha! – Eu falei assim que me recordei. Ele me lançou um sorriso largo e me abraçou com força. Ai senhor, não sei como agir. Então simplesmente devolvi o ato enquanto ele me apertava mais. Ele vai me sufocar.

 

– Sanha, está exagerando. – Soonyoung disse colocando pratos na mesa, macarrão com molho de tomate e carne moída. Ele estava com um sorriso satisfeito no rosto por ter terminado o almoço. – Viu, amor, você não precisa saber cozinhar para morarmos juntos. Eu posso fazer isso.

 

– Ai senhor, vocês são fofos como eu imaginava! – Sanha disse com os olhos brilhantes em expectativa, eu não sabia se achava aquilo bizarro ou se me sentia feliz por ter mais gente apoiando nosso relacionamento. É horrível quando o melhor amigo do seu namorado te odeia. – Eu quero muito que isso aconteça comigo e com Eunwoo um dia. Quero ter um relacionamento perfeito.

 

– QUE? WONWOO? COMO ASSIM? – Perguntei assustado quando ele disse aquele nome. O Sanha era apaixonado no meu amigo?

 

– Calma, Jihoon! – Soonyoung começou a rir com o macarrão na boca e eu soltei um palavrão bem alto. Detesto ser motivo de risada, principalmente quando estou falando sério. Aquilo era um abuso contra mim. – Ele gosta do Eunwoo e não do Wonwoo, não confunda os nomes.

 

– AH! Que susto você me deu! – Eu falei levando a minha mão ao peito, meu coração estava até acelerado.  – Eunwoo era aquele garoto certinho que nos levava para comer doces e tudo mais? Tipo uma mãezona em miniatura?

 

 – Ele mesmo. Ele está tão lindo, Jihoon, você não tem ideia do quanto. – Sanha disse com um tom apaixonado. Assim que percebi o quanto ele estava engraçado e ridículo falando de outra pessoa, me reavaliei. Eu fico tão idiota desse jeito quanto falo do Soonyoung? Eu tinha pensado nisso de manhã, mas o Sanha era muito estranho.

 

– Um dia preciso marcar para voltar ao orfanato, falar com o Eunwoo e com o outro lá. O que tinha nariz grande, filho da tia. – Eu sou péssimo com nomes, nunca peça para eu me lembrar dessas coisas.

 

– Jeongguk. – Ele lembrou-me o nome do qual eu havia esquecido. O pequeno Jeongguk. Ele e o Sanha eram os menores e viviam me enchendo o saco, nunca mais vou me esquecer disso. – E vai sim, quero bater um papo com você sem essa surpresa toda. Precisamos fazer esse trabalho e não posso demorar muito. Tenho que ajudar nas tarefas domésticas do orfanato.

 

– Sim, claro, não irei me esquecer. Eu só preciso esperar essa fase difícil da minha vida passar. Ainda tem muita coisa na minha cabeça e voltar a estudar não está me ajudando em nada. – Fui sincero brincando com a massa que estava em meu prato, que a proposito estava cheirando muito bem. Soonyoung e Sanha comiam bastante, acho que estava mesmo gostoso. – Eu só preciso me recuperar. – Falei antes de levar um garfo farto de macarrão até minha boca. Assim que senti aquele sabor delicioso no meu paladar eu xinguei alto. – Mas que delicia! Vou comer tudo e já aviso que vou repetir!

 

> Chapter 8 – Cut <

 

Sanha já tinha terminado o trabalhado e voltado para o orfanato. Eu escovei os dentes com a escova do Soonyoung porque não tenho nojo de dividir essas coisas e me deitei em sua cama. Peguei um dos shorts largos do mais velho, provavelmente muito usado para dançar, e vesti no lugar daqueles jeans super apertados. Eu estava bonito, mas dentro de casa é muito melhor usar algo mais confortável. Estava deitado na cama dele quando ele entrou no quarto com o notebook desligado.

 

– Obrigado por ter ajudado no trabalho, adiantou muito a nossa vida. – Ele disse pulando sobre a própria cama com um sorriso infantil no rosto, em seguida, selou nossos lábios com um beijo fofo e rápido. – Eu te amo, sabia?

 

– Porra, Soonyoung! – Eu me assustei levantando da cama com o coração acelerado e com o rosto completamente vermelho de vergonha. – Não fale algo tão importante assim tão naturalmente. – Eu reclamei com a mão no peito. Ele parecia estar apertado enquanto meu órgão batia com pressão dentro do meu corpo.

 

– É o que sinto por você, Jihoon, eu apenas disse a verdade. – Soonyoung levantou-se da cama com aquele sorriso fofo nos lábios e me abraçou ali, no meio do quarto, sem perder o contato visual comigo. – Eu me apaixonei na primeira vez em que te vi, agora que estamos namorando, tenho certeza que meu sentimento por você evoluiu e se tornou amor. – Ele começou a falar tudo isso com aquele olhar fofo. Ele estava destruindo minhas estruturas, merda. – A gente pode estar namorando há apenas um mês e meio, mas sinto que posso viver minha vida toda com você. Sinto que não preciso mais de ninguém. Eu te amo, Jihoon.

 

– Aish, Soonyoung, me beija logo antes que eu fale merda e estrague o clima. – praticamente ordenei antes de puxar sua cabeça para mais perto da minha para um beijo intenso, cheio de paixão, de sentimento, de coisas que apenas nós dois podíamos sentir e não expressar. Não importa quantas palavras eu use aqui, nunca vou falar com exatidão o que senti nesse momento. Mas estou extremamente feliz.

 

Continuei sugando seus lábios cheinhos enquanto brincava com sua língua com a minha de maneira afoita. Depois de vários beijos que trocamos, eu já estava bom naquilo. Usava toda a minha força para não afastar nossos lábios enquanto ele apertava ainda mais minha cintura no abraço. Foi ai que a parada ficou tensa. Não sei exatamente quando começou, mas de repente, meu corpo ficou mais quente e mais carente de toques. Eu não sabia exatamente o que estava fazendo, mas apenas me desfiz do beijo para atacar seu pescoço exposto.

 

Ele tem uma pele tão branca e quente. Fiz questão de deixar bem marcado para todo mundo ver que ele tinha dono. Ele deixou um gemidinho baixo escapar pela boca antes de suas mãos descerem para minha bunda e apertar o local. Puta que pariu, nunca gostei que tocassem ali, mas nesse momento foi a melhor coisa que ele poderia ter feito. E o tecido do short é bem fino, ou seja, era como se ele estivesse tocando diretamente em mim, como se eu estivesse apenas de cueca.

 

Voltamos a nos beijar quando senti a ereção dele tocar minha barriga, ele já estava excitado, ou seja, estava no caminho certo. Caminhei desastradamente no meio do beijo até a cama e o sentei no colchão. Passei a cariciar seu cabelo com a mão esquerda enquanto tocava a minha ereção por baixo daquela roupa.

 

– Se você quiser me ver sem esses tecidos, você quem vai ter que tirar. – Falei em um provocativo. Claro que não iria voltar atrás, estava tão estimulado quanto ele. Soonyoung sorriu para mim e abaixou minhas calças juntamente com minha cueca, de uma vez só. Mas que menino apressado, ele nem estava nervoso. Aposto que ele queria tanto quanto eu. Mordi os lábios em antecipação, quando ele me puxou para mais perto de repente.

 

Ele começou a passar o rosto no meu pênis, sem encostar a boca enquanto suas mãos deixavam marcas na minha bunda de tanto que ele apertava. Eu apenas arfava, ele não me ganharia tão fácil assim. Levei a mão em seu cabelo e o olhei nos olhos. – Abre a boca para mim, sim?

 

Soonyoung sorriu e apenas me obedeceu, gosto assim. Fiz questão de colocar meu pênis em sua boca e puxei os fios para que ele a fechasse. Sem nenhuma ordem, ele começou a mover a cabeça, me chupando gostosa e lentamente. Eu joguei a cabeça para trás e arfei de prazer. Meu sonho era receber um boquete e a boca do Soonyoung era perfeita para aquilo. Logo meu pênis estava ficando mais duro e maior. Claro que o mais velho ainda não tinha habilidade naquilo, mas ele tentava fazer como podia. Sugava com vontade cada centímetro meus enquanto movia a língua rapidamente.

 

Aquilo definitivamente era muito bom.

 

– Soonyoungie. – Eu falei em um tom provocativo, eu estava segurando para não gemer, mas estava sentindo tão prazer que revirava os olhos com espasmos que sentia pelo corpo. Os lábios dele eram tão macios e gostosos de se sentir. A boca de Soonyoung era perfeita e eu não podia ficar só naqueles movimentos lentos. – Lembra quando você falou que meu pau era pequeno porque minha mão também era? – Eu falei com um sorriso provocante ao provar para ele que nada do que ele disse era verdade. – Vou fazer você engolir o que disse, literalmente. – Eu falei antes de puxar a cabeça dele contra minha base com força, quando minha glande bateu em sua garganta, eu soltei meu primeiro gemido.

 

Sim, foi fino, sim, foi gay, mas o que pode se fazer quando você sente um prazer tão intenso? Naquele momento, eu parei de pensar naquela situação, apenas queria sentir mais. Então passei a mover meu quadril e literalmente passei a foder aquela boca incrivelmente gostosa. Não me importava com as vezes que Soonyoung se engasgava por lhe atingir na garganta, eu apenas continuei. E penetrei e penetrei com mais força, e mais rápido. Meu corpo todo estava muito mais quente que antes. O cabelo de Soonyoung já estava completamente desarrumado por causa dos meus dedos. E nem me segurei quando o orgasmo chegou, eu apenas penetrei bem fundo e me deixei chegar ao ápice naquela boca deliciosa. Soltei um gemido arrastado enquanto derramava mais e mais líquido branco dentro daquele espaço quente.

 

Senti minhas pernas fraquejarem, então me apressei em sentar-me na cama, ofegante do trabalho que tinha feito naquele momento. Ouvi uma risada baixa vinda de Soonyoung, ele limpava o canto da boca com aquele sorriso travesso enquanto seu rosto voltava à cor normal, ele estava extremamente vermelho.

 

– Isso deve ter sido bastante gostoso, não é mesmo? – Ele me perguntou tirando a própria camisa. – Mas a partir de agora, quem controla sou eu. – Ele falou levantando-se do colchão e me empurrando a fim de me deitar. Em seguida, deitou-se sobre mim e atacou meu pescoço com vontade, deu uns chupões provocantes e bem estalados. Eu me contorci debaixo dele, mesmo depois do orgasmo, estava sentindo prazer.

 

Ele segurou minhas mãos e colocou-as a cima da minha cabeça enquanto passeava com a livre por dentro do meu casaco. Eu admito que gosto de mandar, gosto de ser o dominador, mas estava gostando do jeito que Soonyoung estava segurando as rédeas. Quando ele colocou os dedos do meu mamilo, ele lambeu meu pescoço e não pude deixar de gemer. Ele estava tocando meus pontos mais sensíveis e eu estava me arrepiando todo.

 

Ele soltou meus braços e passou a acariciar minhas pernas naquele momento. Passeava a ponta dos dedos por cada centímetro da minha coxa enquanto brincava com meu mamilo e chupava meu pescoço. Puta que pariu, que coordenação motora. Fechei meus olhos, a fim de aproveitar melhor momento quanto senti seus lábios sobre os meus, em um beijo afoito e necessitado.

 

– Eu quero te ver por completo. – Ele falou se afastando de mim e tirando meu casaco. Por algum motivo, ter aqueles olhos sobre meu corpo exposto me deixou com vergonha. Ele olhava cada centímetro do meu corpo como se fosse a coisa mais bonita que ele já tinha visto, e eu nunca gostei de ser o centro das atenções, mesmo sem roupa, mesmo sendo Soonyoung.

 

– Anda logo com isso. – Eu falei com um tom de constrangimento. Merda, eu queria ter ocultado essa parte. Ele riu para mim antes de se livrar do resto de suas roupas e puta que pariu. Porra. Caralho e todos os palavrões inexistente. Soonyoung era incrivelmente grande. E eu estava com muito medo dos efeitos que aquela coisa teria dentro de mim.

 

– Você tem o corpo mais perfeito do mundo. – Agora me senti o Mister Coreia. Ele voltou a deitar-se em cima de mim, passando a mão pelo meu corpo, desde minhas pernas até chegar ao meu rosto, antes de me beijar novamente. Abri e levantei as pernas institivamente a fim dele se encaixar melhor e senti sua ereção no começo da minha segunda naquela tarde. Eu fazia questão de chupar e brincar com sua língua para ele ficar ainda mais desejoso de mim.

 

Eu queria aquilo tanto quanto ele.

 

Com uma de minhas mãos livres, passei a me preparar durante o beijo. Não queria que Soonyoung metesse tudo de uma vez, ainda mais com aquele tamanho. Senti um leve desconforto, mas nada que eu não pudesse aguentar. Afinal meus dedos eram finos e dois ainda não eram o suficiente.

 

Ele findou o beijo ofegante no momento que introduzi o terceiro dedo e deixei um gemido sôfrego escapar. Revirei os olhos e mordi os lábios quando senti o prazer vir acompanhado da dor. Nunca revirei tanto os meus olhos na minha vida. Soonyoung observava minhas expressões enquanto se masturbava. É claro que ele estava louco para me foder nessa cama, mas eu preciso estar preparado.

 

O problema é que quero ele dentro de mim, logo, agora.

 

Tirei os dedos de meu interior e envolvi seu pescoço com os meus dois braços. – Pode vir. – Falei baixinho enquanto olhava em seus olhos. Soonyoung lambeu os lábios e nem perguntou se eu tinha certeza, o safado. Apenas me beijou e começou a penetração.

 

Lembra que falei vários palavrões ali em cima quando vi o tamanho do pênis do Soonyoung? Eu repito tudo três vezes agora com a dor que senti a cada centímetro que ele enfiava aquela coisa em mim. Mas essa merda doía! Senti que aquele pênis estava atravessando todo o meu corpo, como se ele fosse pequeno demais para aguentar aquele tamanho. E realmente era. Talvez por ter a bunda enorme e coxas avantajadas, minha entrada é bastante apertada e sem nenhum lubrificante, demorou e doeu a beça até que ele conseguisse colocar tudo dentro de mim.

 

Ele findou o beijo e passou a respirar com dificuldade. Ele estava muito suado e tenho certeza que sentia muito prazer por estar me comendo. Mas puta que pariu, eu estava sentindo muita dor. Eu apenas mordia os lábios e tentava aguentar tudo como um verdadeiro homem que eu sou. Respirei fundo e não deixei nenhum xingamento ou reclamação sair, ou Soonyoung pararia com o ato.

 

– Você é tão apertado, tão quente. – Ele sussurrou no meu ouvido fazendo todo o meu corpo se arrepiar. Aquelas palavras estranhamente me fizeram me sentir melhor, é como você receber um elogio quando se sente feio. Aquilo fez com que minha dor diminuísse. Eu levantei um pouco o corpo e lhe dei um ultimo beijo rápido.

 

– Pode se mexer. – Eu disse com certa dificuldade ainda sentindo meu corpo queimar. Soonyoung obedeceu de imediato, moveu o quadril devagar para trás antes de dar uma estocada com um pouco de brutalidade para quem ainda estava se acostumando. Deixei um gemido sair nesse momento, mas porque também senti um espasmo de prazer vir junto com o da dor. No segundo movimento, eu gemi novamente. E de novo, e de novo.

 

Soonyoung começou a se mover com velocidade enquanto eu acompanhava o ritmo com meu corpo. Apenas deixava os sons escaparem pela minha boca enquanto sentia as estocadas fundas do meu namorado virem com uma onda forte de prazer. Eu já estava excitado de novo e já estava achando aquilo extremamente delicioso. O mais velho aumentou ainda mais a rapidez das estocadas e passei a gemer mais alto. Aquilo estava bom, estava gostoso. Passei a sorrir no meio do ato enquanto arranhava aquelas costas brancas com minhas unhas levemente cumpridas. Deixei minha mão descer até sua bunda e apertei o local com meus dedos o estimulando a continuar com a penetração.

 

O suor dos corpos já se misturavam, o som da pele de Soonyoung se chocando com a minha era maravilhoso, eu estava gostando cada vez mais disso. Estava gostando cada vez mais de Soonyoung me fodendo de um jeito que meu corpo estava adorando. Envolvi seu quadril com minhas pernas antes de morder seu ombro com força. Meu corpo estava completamente trêmulo, eu estava gemendo alto de prazer e provavelmente os vizinhos estavam escutando, mas nem me importei. Permiti que Soonyoung continuasse com os movimentos de vai e vem enquanto seu corpo se tornava mais quente.

 

– Ah, Soonyoungie, continua, bem fundo. – Eu falei para provocar, mas ele acabou por obedecer. Passou a penetrar-me ainda mais fundo e eu passei a gemer mais e mais em resposta. Resolvi apertar as paredes do meu interior, para se envolverem melhor naquele pênis. A resposta do mais velho veio em um gemido junto com o meu. Eu arranhei suas costas quando senti que iria gozar pelas segunda vez.

 

E foi isso que aconteceu. Deixei todo o líquido sair com pressão e força, sujando e melando nossos corpos ainda em movimento. Porém, eu perdi o controle dos meus músculos, devido ao orgasmo, friccionei ainda mais Soonyoung dentro de mim e não teve como, ele apenas se desfez dentro de mim também. Eu mordi os lábios com força quando senti a glande de Soonyoung bem fundo dentro de mim liberando aquele líquido quente e agradavelmente bom.

 

Fazer sexo com Soonyoung foi a melhor coisa que já me aconteceu na minha vida.

 

– Isso foi muito bom. – Ele falou levantando a cabeça com o rosto vermelho, testa suada, pescoço marcado, completamente ofegante e com um sorriso satisfeito. Eu me senti incrivelmente bem não pelo ato, mas por saber que consegui satisfazer meu namorado. Sorri para ele, com a garganta ardendo – mesmo que não tivesse chupado nada – e apenas o puxei para um beijo. Era só aquilo que eu precisava.

 

Um beijo do garoto que eu estava apaixonado.

 

> Chapter 8 – Finish <


Notas Finais


Então, gente, para quem não sabe, estou organizando a Hozi Week, uma semana onde vamos postar fanfics SoonHoon usando a tag. Leiam o jornal e participem!
https://spiritfanfics.com/perfil/nahuel_mdj/jornal/projeto-hozi-week-6603635

Bom, tive certa dificuldade de escrever em primeira pessoa esse lemon, mas parece que estava muito bom, então fiquei feliz.
Espero que tenham gostado de tudo.
Obrigado por lerem e comentar,
Beijos de um viciado em TaeKook (e escravo de SoonHoon)
Nahu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...