História Blue code - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags Chaeyoung, Dahyun, Hospital, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Twice, Tzuyu
Visualizações 146
Palavras 2.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIIII

DESCULPEM A DEMORA, ÚLTIMA SEMANA DE FÉRIAS E EU JÁ VOLTEI PRA ESCOLA COM PROVAS, DELÍCIA NÉ?

Espero que gostem do cap, vejo vocês no final.

Capítulo 8 - Suture


ChaeYoung P.V.O


A qualquer momento, o cérebro tem 14 bilhões de neurônios sendo disparados a 724,2 km/h. Nós não temos controle algum sobre a maioria deles. Quando temos um arrepio… calafrios. Quando ficamos excitados… adrenalina. O corpo naturalmente segue seus impulsos o que eu acho que é parte do motivo de ser tão difícil para nós controlarmos os nossos. Claro que às vezes a gente tem impulsos que preferiríamos não controlar e que, depois, a gente queria ter controlado. Ocorpo é escravo de seus impulsos. Mas o que nos torna humanos é o que conseguimos controlar. Depois da tempestade, depois da correria, depois do calor do momento, nós podemos esfriar a cabeça e limpar a bagunça que fizemos. Nós podemos tentar desencanar do ocorrido. Mas então,novamente… 


Nós caímos nessa correnteza de impulsos.


Narrador P.V.O



ChaeYoung estava apoiada ao parapeito da área de pousos do helicóptero de emergência, já era noite, uma noite fria e calma no hospital depois de uma tarde conturbada. Geralmente nesse momento ChaeYoung tinha Dahyun para abraçar seu corpo contra o frio e aquecer-lo. Agora tudo oque tinha era um casaco, somente um casaco... Ou talvez;


-Você pode ficar gripada pegando essa brisa fria- Tzuyu falou se colocando ao lado de ChaeYoung, é a sua frente ela estendia um copo de café.


-Ah... Obrigada Tzuyu- ChaeYoung virou o rosto para a amiga que tinha seus cabelos voando lentamente, um sorriso se estendia pelo seu rosto e seus olhos brilhavam junto com a noite de Seul.


-Eu não sei oque séria de você sem mim-  ChaeYoung riu do comentário de Tzuyu.


-Eu seria uma pessoa gripada e triste...- Comentou ChaeYoung encarando seu café.


-Aish unnie, não fique assim!- Tzuyu falou passando as mãos nas costas de ChaeYoung em sinal de conforto.


-Ah, tô mal por um tempo, mas acho que tô curtindo ficar na bad porque isso parece me fazer ficar mais atenta. Ou talvez minha mente esteja se enganando, mas tudo parece tão real que ser iludida parecer ser algo normal- Chaeyoung falou suspirando e tomando do seu café, que aqueceu seu corpo.


-Se iludindo com oque unnie?- Tzuyu perguntou arqueando as sombrancelhas.


-Com a vida, comigo mesma, me iludido que talvez eu possa sair dessa fossa que eu mesma me meti, me iludindo que talvez eu ache o amor da minha vida novamente... Isso agora sooa de forma tão estúpida que o amor da minha vida agora parece um rótulo infantil, que os pais usam para iludir as crianças para que elas acreditem no amor.- ChaeYoung deu mais um gole em seu café.


-Aish unnie! O amor é real, basta ter paciência e acreditar nele... Talvez uma pessoa apareça, nem que demore um pouco o amor não tem hora para chegar, quando você percebe você está sorrindo para as paredes e ascenando para todos porque tem um convite para jantar.- Tzuyu falou suspirando em meio a um sorriso.


-Como assim? Alguém te chamou para jantar?- Tzuyu assentiu se apoiando de costas contra o parapeito.


-E é por isso que eu tenho esperanças no amor, só basta uma questão de tempo e paciência- Tzuyu falou sorrindo e fechando seus olhos para sentir melhor a brisa fria bater contra seu rosto.


-Eu trabalho com detalhes e nomes- ChaeYoung falou se colocando a frente de Tzuyu.


-Minatozaki Sana, Médica responsável pelo departamento de cirurgia geral, ela me convidou para comer comida Chinesa... Comida da minha terra natal!- Tzuyu falou abrindo os olhos e estendendo os braços para o ar.


-Nossa!- ChaeYoung fez um bico e balançou a cabeça positivamente -Só não faça parecer que você estava esperando isso a séculos, porquê e oque aparenta sabe...- ChaeYoung falou zombando da mais alta.


-YAH ChaeYoung! Você não presta!-Tzuyu falou empurrando o braço de ChaeYoung.


-Eu sei, e é por isso que eu não tenho ninguém- ChaeYoung falou rindo.


-Idiota- Tzuyu revirou os olhos -Vamos, temos que conferir os pacientes.-Tzuyu começou a andar na direção da saída da área de pouso.



^^



-Doutora Yoo?- Uma jovem mulher com um rosto bem definido, cabelos loiros que vestia um par de roupas azuis e um jaleco segurava o ombro de Jeongyeon.


-Sim?-Jeongyeon se virou assustando-se por quase beijar a mesma, sorrindo sem graça a moça se afasta e encara Jeongyeon.


-Eu sou sua nova parceira na ala de Neurologia, me chamo Kwon Yuri, mas me chame de Yuri ou dourada Kwon, oque preferir claro.- Yuri riu de seu próprio jeito atrapalhado.


-A Sim!- Jeongyeon fez uma breve cirurgia e estendeu sua mão para a Doutora -Prazer Yoo Jeongyeon- Jeongyeon sorriu abertamente.


-Sim sim, eu já ouvi falar sobre você, a doutora que está caminhando na direção da cura da perda de memória recente... Realmente eu admiro seu trabalho é sua coragem- Yuri sorriu encarando a médica nós olhos.


-As notícias correm mais rápido que internos atrás de cirurgias...- Jeongyeon falo rindo e colocando sua pasta sobre a mesa e puxando uma cadeira para que Yuri pudesse se sentar.


-E... Agora pensando bem, você tem razão- Yuri riu olhando os exames que estavam na tela do computador -Nossa... Isso é incrível, a forma como o canal vai percorrer pelos neurônios e então aitivar-los...- A doutora ficou boquiaberta.


-Ah isso- Jeongyeon olhou para a tela do computador -Isso e só um porcento de oque eu vou fazer na cirurgia...- Jeongyeon sorriu passando as mãos em seus cabelos.


-Realmente inacreditável, essa paciente e sortuda- Yuri cruzou os braços.


-Mas então... Oque lhe traz para o hospital de Seul?- Jeongyeon voltou a preencher seus papéis.


-Uma boa vaga, uma ótima equipe sem contar na chefe do departamento de Neurologia, que é uma pessoa fascinante.- Yuri sorriu.


-Muito obrigada pelo elogio...- Jeongyeon coçou a nuca em sinal de nervosismo -Será um prazer trabalhar com a senhoita- Jeongyeon se levantou.


-Digo o mesmo-Yuri falou se levantando também, mas sem tirar o olhar de Jeongyeon.


-Agora de me permite vou visitar uma paciente- Jeongyeon fez uma reverência e se retirou da sala, Yuri sorriu colocando as mãos no bolso e balançando a cabeça.


^^


ChaeYoung analisava os medicamentos de Mina discretamente, com o propósito de não acordar a paciente, tanto que tentava controlar até sua respiração, deixando-a baixa ou até às vezes não respirando, pois os medicamentos ficavam bem ao lado da maca.


-Quem está aí...- Resmungou Mina.


ChaeYoung arregalou os olhos e engoliu a seco, a médica apenas ouviu o barulho da cama e sentiu olhos sobre seu corpo.


-ChaeYoung!- A voz de Mina parecia soar feliz, deixando Chaeyoung surpresa por ela não estar de mal humor em plena madrugada.


-Olá Mina- ChaeYoung sorriu mostrando suas covinhas, oque foi uma das coisas que a paciente mais gostava na médica. -Você pode dormir, só estou aqui de passagem- ChaeYoung riu sem graça.


-Ah...- Mina fez um bico -Já que você foi a responsável por me acordar, vai ter que me fazer dormir - Mina falou desafiadora.


-Olha eu posso aumentar seu sedativo... Ou então te aplicar um sonífero oque acha?- ChaeYoung falou ainda com a atenção nos remédios.


-Ah, isso é meio bruto não acha?- ChaeYoung riu de Mina.


-Então oque quer que eu faca senhorita Myoui, eu não sei nenhuma canção de ninar... E também não sei história para criancinhas indefesas- ChaeYoung puxou sua cadeira e se sentou a frente de Mina.


-Você estava chorando?- Mina susurro levando seus dedos para o rosto de ChaeYoung.


-Why? Não isso é só cansaço...- Chaeyoung riu tímida e segurou o pulso de Mina, o colocando na maca novamente -Pronto agora seu pulso está aquecido novamente.


-ChaeYoung, eu sei que sou uma completa estanha para você, só mais uma paciente...- Mina deu uma pausa para passar a língua entre os lábios -Mas gostaria que você pudesse ser minha amiga, tudo bem que agora eu não tenho quase nenhuma utilidade física, eu só durmo, reclamo de dores e durmo, mais se você quiser contar comigo, ou até almoçar aqui... Uma enfermeira me disse que vocês geralmente almoçam na mesma hora que entregam o almoço dos pacientes, então eu achei que seria legal.- ChaeYoung agora se encontrava com o rosto corado, o tamanho afeto de Mina era incomum era uma coisa doce e aconchegante, como abraçar sua mãe depois de passar o dia inteiro sem ver-la.


-Oh Mina, e um ato muito nobre o seu, mas tem certeza de que vai me ajudar durante a hora do almoço?- ChaeYoung falou dando uma risada.


-Eu aguento... Eu...- Os olhos de Mina lentamente foram se fechando, com relutância a paciente segurou a mão da médica e sorriu -Eu vou amar ter que aturar uma pessoa legal como você Dongsang...- Os olhos pesados de Mina se fecharam, ChaeYoung se permitiu sentir a pele quente e macia de Mina por alguns minutos até se levantar e cobrir seu corpo de forma correta.


-ChaeYoung?- Tzuyu falou entrando no quarto da paciente, a Doutora pulou assustada com a mão no peito ela encarou Tzuyu.


-Tzuyu que susto!- Susurrou ChaeYoung cerrando os olhos.


-Você estava admirando a japonesa ChaeYoung? Não sabe que é contra as regras se envolver com os pacientes?- ChaeYoung rolou os olhos.


-Eu só vim trocar a medição, aí vi que ela estava mal coberta então arrumei- Sussurrou ChaeYoung para não acordar Mina.


-Eu sei idiota, agora vamos eu comprei chocolate quente para nós duas, vamos- Tzuyu falou acenando com a mão.


-Já estou indo Dongsang.- ChaeYoung sorriu e andou até Tzuyu.




^^




-Quem e você?- Nayeon falou encarando Jeongyeon que sorria ao ver Nayeon ler um mangá.


-Eu sou uma das suas doutoras, Yoo Jeongyeon- Jeongyeon colocou a mão no bolso.


-Eu acho que me lembro de você... Você me socorreu não é ?- Nayeon falou sorrindo.


Hoje exatamente faria exatamente uma semana que ocorreu o acidente, então a memória de um dia estaria se restabelecendo aos poucos na cabeça de Nayeon, um dia demoraria uma semana para ser relembrado.


-Exatamente, fico feliz que se lembra de mim, caso ao contrário eu ficaria muito triste sabe?- Jeongyeon falou rindo.


-Oh não fale assim doutora, eu tenho uma memória excelente... Afinal sou professora- Nayeon falou rindo.


-Agora me deixe saber porque está acordada as três e onze da manhã?- Jeongyeon questionou erguendo uma das sombrancelhas.


-Ah é que eu dormi o dia todo, e também tenho sentindo grandes pontadas na cabeça...- Nayeon suspirou.


-Eu posso aumentar sua morfina, assim vai diminuir a dor e te dar sono, pode ser?- Jeongyeon falou andando até o armário com medicamentos.


-Por mim tudo bem- Nayeon bocejou e fechou os olhos se ajeitando na maca.


Jeongyeon aplicou o remédio junto ao soro que ia a ceia de Nayeon, logo a paciente adormeceu sem demora, Jeongyeon pegou o mangá da mesma para guarda-lo na pequena comida que havia ao lado da maca, então acabou por ler um pouco da história, a história se passava em um período medieval, dois jovens exploradores estavam a procura do grande tesouro ao norte da grande ilha do sul, logo um dos exploradores morre deixando com que o outro ficasse sozinho na ilha, assim quando achou o tesouro ele foi completamente dedicado a um navio com o nome do explorador, que mais tarde ficou famoso pelo seu ato de bravura por ter salvado a vida do amigo.


Jeongyeon sorriu deixando o mangá na pequena cômoda e pôs a se retirar do quarto trombando com Momo.


-Jeongyeon Unnie- Momo fez uma reverência e voltou a andar, com receio do que podeira ouvir.


-Hirai Momo- Jeongyeon falou calmamente colocando a mão sobre o ombro da Japonesa.


-Sim?- Momo virou o rosto ainda com certo receio.


-Eu ainda sou sua amiga... Como ChaeYoung me disse, eu não posso guardar rancor por ela.- a mais velha sorriu para Momo que tinha seus olhos cheios de lágrimas.


-Eu pensei que tivesse perdido sua amizade Unnie- Momo fez uma reverência -Muito obrigada por me perdoar unnie, isso significa muito para mim- Momo falou com a voz chorosa e se curvou novamente.


-Aish Momo, vem cá me dê um abraço sua idiota- Jeongyeon abraçou Momo que se desabou no ombro da mais velha.



^^


-Bom eu acho que eu poderia...- Sana suspirou tacando o jaleco no chão.


-Sa-Sana!- Tzuyu arregalou os olhos.


-Relaxe, eu vou fazer direito.


-Ok...- Tzuyu fechou os olhos esperando pela mais velha.


-Eu queria saber como você se cortou mocinha...- Sana falou limpando o ferimento de Tzuyu.


-Eu cai...- Tzuyu falou fechando os olhos a sentir a ardência em seu braço, e logo a sutura passando por sua pele. -AISHI!- Ela gruniu apertando sua pena.


-Tzuyu! Por favor não grite, pode acordar os pacientes.- Sana falou cautelosamente.


-Desculpa unnie... E que eu sou alérgica as anestesia daqui... Só a anestesia geral que funciona- Tzuyu falou mordendo o lábio, enquanto isso Sana seu outro ponto -AIG;


No momento os lábios de Sana se juntaram aos de Tzuyu, não só para tampar o grunhido de dor, mas também porque não estava mais se segurando.


Notas Finais


EITA XOVANA!

oque será que a Tzu vai fazer?

Até o próximo cap, 2 bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...