História Blue eyes - Capítulo 26


Escrita por: ~

Exibições 251
Palavras 1.924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiiiii gente linda que lê minha fic.
Então demorei um pouco, estava com um mau humor tão grande que nem eu me aguentava então achei melhor não escrever senão eu ia transferir meu mau humor pra história e ia ficar tudo uma m**** então achei melhor esperar e escrever depois. E também era época de prova. Ainda é época de prova pra falar a verdade.
Sem contar que começava a escrever e achava tudo ruim. Enfim....
ENJOY!!!

Capítulo 26 - Cinema


POV Maria Di Angelo.

Eu estava tão feliz por Nico. É claro que eu não tinha certeza se o que estava acontecendo com Will e Nico era realmente o que eu achava que estava acontecendo. Preciso ver como eles se comportam ao redor um do outro pra ter certeza.

É claro que eu sábia que Nico é gay. Não sei como, mas eu sábia. Queria que ele me contasse logo, mas Nico não era nada fácil quando se tratava de falar sobre si mesmo, é claro que não se é da mesma forma com Will.

Aquele garoto, pelo pouco que havia visto, o garoto era a luz no meio da escuridão.

Vou até a porta do quarto de Nico e bato:

— Eu preparei um lanche pra comermos juntos e conversarmos. — digo pra eles.

Ouço a resposta de Nico e recuo até a cozinha para esperar por eles. Ao vê-los lado a lado confirmo minha primeira suspeita, Nico não se incomodava nenhum pouco com Will invadindo seu espaço pessoal, muito pelo contrario, parecia querer ficar perto de Will. Nico nunca gostou de ser tocado e quando alguém invadia seu espaço social, mas com Will... Era como se ele fosse atraído para sua luz.

Quando eles se acomodam a mesa um ao lado do outro o sorriso em meu rosto é enorme, eu me sento do outro lado da mesa ficando de frente para eles:

— E então, Will, Nico mencionou que está no segundo ano de medicina.

— Sim. — Will me responde prontamente.

Ele parece ligeiramente ansioso, creio que por estar me conhecendo:

— Um excelente aluno, eu imagino.

— Eu me mantenho. — diz modesto.

Nico bufa e revira os olhos:

— Não se faça de modesto. — Nico me olha — Ele é um gênio.

— Porque decidiu fazer medicina? — pergunto animada, nunca vi Nico elogiar alguém tão abertamente.

A expressão de Will fica ligeiramente sombria, a partir disso, descubro que nem tudo era tão fácil quanto parecia na vida dele, Nico imediatamente fica tenso pela mudança na expressão de Will que respira fundo antes de falar:

— Meu pai é medico. — diz ele soltando a respiração juntamente com a fala.

— Pensei que ele fosse administrador de empresas. — diz Nico confuso.

Will olha para Nico e confirma com a cabeça, um pequeno sorriso surge em seus lábios quando seus olhos se encontram e o que mais me surpreende é que Nico não desvia o olhar, mas o sustenta, encaro a interação entre ele com um sorriso no rosto:

— Sim, mas ele começou como medico, depois passou a ser diretor do hospital e se interessou por administração então começou a trabalhar na área e se tornou o que é hoje. — Will explica para Nico.

— Então ele é um bom empresário? — pergunto.

A expressão de Will é difícil de ler e não tenho certeza sobre o que ele esta sentindo, creio que a definição de Nico sobre ele é correta, se me lembro bem ele falou Ele é honesto, mas misterioso. É aberto, mas ao mesmo tempo não é. É difícil explicar.”, essa definição não poderia estar mais certa:

— Ele é excelente no trabalho dele. — diz Will seco.

A expressão de Nico também é dura e percebo que o pai de Will não é um assunto agradável pra nenhum deles:

— Mas então, seu pai é medico. Por isso você quis ser medico? — pergunto curiosa.

Will nega com a cabeça:

— Quando eu era pequeno, meu pai não tinha tanto dinheiro quanto agora então nem sempre havia alguém pra ficar comigo em casa quando Jane estava de folga então ele me levava pro hospital com ele e as vezes eu via os médicos ou enfermeiras atendendo os pacientes e me apaixonei pela profissão.

— E quanto a sua mãe? — pergunto.

Assim que as palavras saem da minha boca, percebo que não devia ter perguntado:

— Ela morreu depois do meu parto. — diz Will.

— Oh! Sinto muito. — digo realmente sentida por ter trazido isso átona.

Will sorri triste:

— Não se preocupe com isso.

— Que tal mudarmos de assunto? — Nico pergunta, ele está claramente preocupado com Will.

Pela posição do braço de Nico sei que sua mão esta na perna direita de Will passando conforto através de um toque, algo que pensei que nunca veria Nico fazer:

— Tudo bem. O que vocês dois planejaram para esse fim de semana? Com certeza não vão ficar enfurnados nesse apartamento dois dias seguidos.

Espero que ao perguntar isso o clima melhore. A expressão de Nico me diz que ele não pensou sobre isso e a de Will me diz que ele tem algumas ideias:

— Ahn... Nós não planejamos nada. Foi meio de ultima hora. — Nico diz.

— Podíamos ir ao cinema. — Will sugere animado de repente — Esta passando um filme que eu realmente quero ver.

Nico faz uma careta:

— Não gosto de cinema.

Will se inclina para perto de Nico próximo ao seu ouvido e sussurra algo, posso ver Nico se arrepiar todo e corar. Enquanto observo isso sinto que eu estou invadindo um momento intimo, se antes eu suspeitava de algo, agora tinha certeza, quando Will se afasta Nico acena com a cabeça:

— Acho que pode ser legal. — diz ainda corado.

Seguro o riso, Will com certeza era bom em lidar com Nico e o que me deixava mais feliz é que Nico estava feliz e não havia mais nada que eu quisesse no mundo, além disso:

— Vocês deviam comer logo pra se arrumarem e irem à sessão da 21h30m.

POV Nico.

— Então... Qual é o lance com o cinema? — Will me pergunta quando estou fechando a porta de casa.

Dou de ombros:

— Nenhum problema. Eu só não gosto. — minto sabendo que isso não seria suficiente para despistar Will.

Começo a andar em direção ao elevador, decidimos ir a pé já que havia um cinema bem próximo, há apenas uns dois quarteirões daqui. Quando as portas do elevador se fecham Will se aproxima de mim, ele da um passo a frente para cada passo que dou pra trás ate que encosto na parede do elevador e não consigo mais me afastar, Will posiciona suas mãos cada uma de cada lado da minha cabeça, seu olhar prende o meu, ele está perto o suficiente para que eu pudesse tocar, mas Will manteve a distância de dois centímetros entre nós, uma distância que eu realmente queria que ele fechasse:

— Então... — Will move a mão esquerda e acho que vai me tocar, a atração que sinto é tão forte, entretanto ele apenas pega uma das mexas do meu cabelo da minha nuca e passa a brincar com ela enquanto fala — Nenhuma história ruim envolvendo cinema?

Deus! Estar tão perto e ao mesmo tempo tão longe é horrível, lambo meus lábios secos, quando faço isso os olhos de Will imediatamente se direcionam para a minha boca, quando ele volta a olhar em meus olhos é como se o desejo crepitasse entre nós:

— Bom... — começo a falar, mas as portas do elevador se abrem nos interrompendo.

Depois de um minuto Will se afasta bem lentamente e saímos do elevador, logo estamos andando pela rua, nunca pensei que estaria nessa situação andamos lado a lado na rua, sem dar as mãos, entretanto nossas mãos não param de roçar uma na outra, o que envia arrepios para todo o meu corpo:

— Vai me dizer? — Will pergunta todo fofo, sabendo que eu não podia resistir a esse seu olhar.

Will tem um lindo sorriso no rosto sabendo que havia ganhado essa batalha:

— Não é grande coisa. Às vezes a escola nos levava ao cinema, mas eu nunca consegui ver o filme, ficava ocupado tentando não cair em nenhuma pegadinha ou não ser encurralado no banheiro por algum valentão. Não era muito agradável.

Will pensa no que eu disse por um tempo antes de responder:

— Acho que dessa vez vai ser extremamente agradável. — fala me olhando malicioso com certeza se referindo ao que sussurrou no meu ouvido mais cedo.

"Comigo vai ser bom. Vou te beijar durante o filme todo."

— Ainda não acredito que você disse aquilo com a minha mãe bem na nossa frente. — digo.

— Ela não ouviu. — diz como se isso justificasse.

Riu:

— Você é impossível.

— Mas você já sabia disso. — diz mandando uma piscadinha.

***

Compramos nossos ingressos, ainda estava cedo e como era a sessão das 20h30 não havia tanta gente, Will e eu nos sentamos em umas cadeiras que ficavam dentro do cinema enquanto esperávamos a sessão atual terminar.

Eu me sento na cadeira do canto e Will se senta na cadeira do lado que fica a minha direita, o cinema estava praticamente vazio, havia algumas pessoas esperando do lado de fora e aqui dentro onde estávamos não havia mais ninguém além de nós e as pessoas atrás do balcão de comida. Will me surpreende ao se inclinar em minha direção e deitar sua cabeça em meu ombro, quase que imediatamente meus batimentos cardíacos assim como minha respiração se aceleram tanto pelo seu gesto quanto pela sua proximidade, seu cabelo é macio contra o meu pescoço e contenho minha vontade de virar o rosto e pressionar um beijo no topo de sua cabeça quando vejo o moço do balcão nos observando. Pigarreio antes de falar:

— Cansado? — pergunto em voz baixa já que estávamos tão próximos.

— Foi uma longa semana. — Will sussurra se aconchegando mais perto de mim, agora os lados de nossos corpos estão praticamente colados.

Realmente havia sido uma longa semana, cheia de reviravoltas, eu mesmo não conseguia processar tudo que havia acontecido.

***

Um pouco antes de entrar para assistir o filme compramos pipoca, chocolate e refrigerante. Assim que entramos pra ver o filme não demorou para que os trailers começassem. O filme era animais fantásticos e onde habitam.

***

Nos primeiros minutos de filme Will não fez nada, ficamos comendo pipoca e meus olhos estavam na tela do cinema mesmo que o que eu realmente estivesse assistindo fosse os movimentos de Will, era enervante o quanto eu era consciente de sua presença. Depois de dez minutos ele levanta aquele apoio pra pipoca que fica entre as cadeiras e cola a lateral de seu corpo ao meu, olho para Will que tem um sorriso malicioso nos lábios:

— Gostando do filme? — pergunta sussurrando.

— Eu acho... — antes que eu possa concluir o pensamento Will se inclina e passa a distribuir beijos pelo meu pescoço, começando devagar, indo da base do meu pescoço até o ponto abaixo da minha orelha que sempre me fazia suspirar, eu podia ouvir e sentir os batimentos do meu coração.

— Sabe o que eu quis fazer o dia todo? — pergunta.

— Hum? — pergunto meio aéreo.

Sinto Will sorrir contra meu pescoço. A mão direita de Will se agarra a minha nuca, os lábios de Will agora roçam contra a minha bochecha direita, quando sua boca roça contra o cantinho da minha tento virar meu rosto pro lado para beijá-lo, mas Will se desvia e passa a roçar seus lábios contra minha bochecha esquerda, sem que eu perceba enlaço meus braços ao redor da cintura de Will me inclinando na direção dele para ficar o mais próximo possível, a outra mão de Will também se posiciona em minha nuca, Will planta um beijo em meu queixo e então roça seus lábios contra os meus, avanço para realmente beijá-lo e ele finalmente deixa, não consigo evitar deixar escapar um gemido do fundo da minha garganta quando nossos lábios estão finalmente pressionados um contra o outro, o som parece agradar Will, pois logo em seguida sua língua invade minha boca e logo se encontra com a minha. Seus lábios são tão macios, eu não me cansava de beijá-lo.


Notas Finais


Notas Finais.
Desafios do capitulo: Qual o primeiro contato de vocês com Percy Jackson e os Olimpianos? Qual o personagem preferido de vocês? Qual a cena preferida de vocês nos livros? Qual casal vocês mais shipparam desde o começo?
E é claro o que acharam desde capitulo? Gostaram do POV da Maria?
Esse desafio é para os fortes!
Obrigado por lerem!!! Comentem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...