História Blue (Fanfic Min Yoongi, BTS) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Exibições 150
Palavras 1.919
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong <3

Capítulo 3 - Chapter 3- H e l p


Fanfic / Fanfiction Blue (Fanfic Min Yoongi, BTS) - Capítulo 3 - Chapter 3- H e l p

Eleonora
            Quarta-feira
            06:25

     Mais uma vez eu fazia minha rota até a escola. Andava calmamente por entre as poucas pessoas que estavam pela rua. Meus olhos estavam pesados por conta da noite em claro que passei. Aos meus ouvidos um som agradável se aplicava, Kiss me, do Ed Sheeran. Minha disposição era quase inexistente, me encontrava naqueles dias em que você não tem vontade de nada, um dia um tanto quanto deprimente.
        Cheguei nos portões do colégio, passando pelos mesmos lentamente. Já se encontravam vários alunos por lá, brincando com seus amigos, rindo e gritando. No corredor, pessoas mexiam em seus armários, namorados trocavam carícias discretamente, alguns meninos implicavam ridiculamente com um garoto "mais fraco" que eles. Parei em frente ao meu armário, abrindo o mesmo e pegando alguns livros. Tirei meus fones e os guardei ali. Senti um cutucão em meu ombro, virando e dando de cara com um garoto de cabelos loiros, alto, alto demais. Tinha os lábios carnudos e um sorriso neles.

- Com licença, você sabe onde fica a sala AB? - Perguntou o garoto, coçando a nuca.

- Ah, sim...- Respondi cabisbaixa. Poucas pessoas falavam comigo por ali, e quando alguém falava, eu ficava toda acanhada, não conseguia nem responder direito. - Eu vou pra lá agora, quer que eu te acompanhe?

- É uma ótima ideia, obrigado. - Sorriu mais ainda, aguardando que eu fechasse meu armário, e andando ao meu lado a caminho da sala de aula. - A propósito, meu nome é Kim Namjoon. - Disse ele, quebrando o silêncio curto que antes era presente.

- Eleonora Gaspari, mas pode me chamar de Leninha, prazer. - Sorri. - Você não fala muito né?!- Perguntou ele, me deixando um pouco constrangida. Minha pele das bochechas formigava um pouco, denunciando que eu havia corado levemente. Me senti envergonhada, por não ter coragem de falar com ele direito, era um tanto quanto chato pra mim ser assim. Apenas assenti com a cabeça, afirmando sua pergunta. Ele riu nasalado, mantendo seu sorriso incessante. Chegamos na sala, então abri a porta, com ele atrás. Ele parecia procurar um lugar pra sentar, até que avistou um no outro lado da sala. Colocou sua mão em meu ombro, se abaixando um pouco pra falar.

- Obrigada Leninha. Espero que possa retribuir seu favor. - Ele então saiu dali, se dirigindo ao seu novo lugar. Caminhei até minha classe, recebendo um sorriso sugestivo de Tábata. Sentei, então a mais velha se virou em minha direção. - Quem era aquele?!- Falou pausadamente. - Um garoto, novo provavelmente, ele pediu ajuda pra chegar até a sala. - Ela me lançou um olhar desconfiado, provavelmente desacreditando em minhas palavras. - Não Tábata, não aconteceu nada. - Ela revirou os olhos, rindo. - Por que não atacou ele logo? - Ri alto com seu comentário- Se tu não quiser, eu quero, amiga. Olha aquele pedaço de mal caminho, só não ultrapassa o Jay Park, porque aquele lá...- Suspirou. Eu ria com seus comentários, ela conseguiu alegrar meu dia, que tinha tudo pra ser ruim, mas que com ela ao meu lado seria impossível não soltar uma gargalhada ou um sorriso.

     Nossa conversa não durou muito tempo, pois logo o professor chegou. Era aula de física, infelizmente. Desnecessário. Notei que Yoongi não se encontrava ali, mas dei de ombros, não era da minha conta.
   Depois de muito tempo, a aula finalmente acabou. Tínhamos 5 minutos até que a próxima aula começasse, e nesse meio tempo, Yoongi chegou. Me assustei com o que vi, ele tinha seu olho roxo, um corte em sua boca, no nariz, e outro na maça do rosto. Não tinha expressão em seu rosto, apenas encarava o chão enquanto andava até sua classe. Não pude levantar pra perguntar o que aconteceu, pois a professora de inglês havia chego. Eu sabia que não era da minha conta, também tinha o risco de levar um fora e ele ficar irritado comigo. Não tinha intimidade o suficiente pra me intrometer na vida dele, mas eu mesmo assim me preocupava. Ele não era meu amigo, apenas um conhecido, ou colega, mas queria saber o que ocorria com o mesmo. Esperei passar ansiosamente o período da aula. Depois de longos minutos de nervosismo, o sinal para o intervalo tocou, e todos se levantaram, menos eu e ele. Tábata me olhou confusa, como se estivesse dizendo “vamos logo” com o olhar. Respondi a ela que iria depois, que precisava cuidar de um assunto primeiro. Após todos saírem da sala, levantei de minha carteira calmamente, dando passos receosos até Yoongi. Eu estava prestes a tocar em seu ombro, quando o mesmo levantou sua cabeça e socou a mesa. Dei um pulinho pra trás como susto. Quando me acalmei, coloquei minha mão sobre seu ombro, surpreendendo o mesmo. Ele virou sua cabeça em minha direção, levemente espantado. Ao perceber que era eu, virou pra frente novamente.

 - Yoongi...- Me pronunciei finalmente, com a voz baixa. - O que quer?- Perguntou ele, um tanto quanto ríspido.- O que... O que aconteceu?- Ousei perguntar, mas o mesmo não me respondeu. Num ato um tanto quanto atrevido, puxei seu rosto em minha direção, examinando cada machucado. Ele franziu sua sobrancelha, empurrando minha mão. - Você brigou com alguém? - Ele apenas virou seu rosto na direção contrária. - Já foi na enfermaria? Precisa tratar isso. - Ele continuava me ignorando, mas eu persistia até que falasse alguma coisa. - Por que não deixa eu te ajudar? - Dessa vez ele olhou pra mim, suas orbes negras e frias me encaravam, parecia estar formulando uma resposta. - Porque ninguém pode me ajudar. - Sua fala me assustou, a voz grossa e triste dele causou arrepios sobre meu corpo. Metade de mim queria fugir dele e desse problema que ele guarda consigo, mas a outra metade queria abraçar ele e dizer que podia confiar em mim. Me deixa louca ser tão atenciosa com alguém que não conheço mais que o nome, mas eu não iria desistir tão cedo daquilo tudo. Ele abaixou sua cabeça, coloquei minha mão sobre seus cabelos, e o puxei pra mais perto, o abraçando. O mesmo não correspondeu meu abraço, mas não fugiu dele também. - Eu posso tentar. - Respondi o que o mesmo havia dito antes. Eu não sabia o que eu estava fazendo, nem onde eu me envolvia. É como se fosse um imã tudo isso pra mim, eu nunca sentira vontade de me intrometer na vida de alguém como agora, nem que fosse pra ajudar. Também nunca teria feito isso com alguém. De uns tempos pra cá, desde que eu conheci ele, eu mudei totalmente, é ridículo o fato de eu tentar me aproximar dele em tão pouco tempo, não conhecia ele a mais de dias, mas era totalmente involuntário tudo. A cada situação eu sentia mais e mais vontade de me envolver em sua vida e consolá-lo com todos os seus problemas que até agora não foram revelados pra mim. O maior se afastou de mim ao ouvirmos o sinal tocar. Sorri pra ele, indo até meu lugar e sentando-me novamente. Depois de uns dois minutos, o restante dos alunos chegaram. Tábata entrou na sala me fuzilando com o olhar. Ela chegou perto e deu um tapa no meu ombro. - Eu vou te matar! Onde é que você tava? - Massageei o local onde ela havia me “agredido. ” - Aish, depois eu te conto, não precisa agredir. - Ela, irritada, sentou-se na cadeira novamente. Olhei pra Yoongi, que me encarava, mas ao perceber que eu o olhava, desviou o olhar rapidamente.

 

[...]

 

      Eu andava pela rua escura. Haviam poucas pessoas perto, pois eu passava por um lugar um tanto quanto perigoso. Estava voltando tarde pra casa porque hoje tive aula de desenho, e o lugar onde eu fazia era um pouco longe do meu apartamento. Eu tentava passar por lá rápido, por conta do medo que me consumia de andar por ali. Enquanto passava na frente de umas lojas já fechadas, vi Min Yoongi com uma garrafa de bebida cambaleando pela rua. Ele estava bêbado. Veio caminhando em minha direção, semicerrando seus olhos, como se estivesse me reconhecendo. Ao se aproximar mais, abriu um sorriso desajeitado, e abriu seus braços. - Pequena artista, você por aqui! - Chegou em minha frente, pude ver que o mesmo ainda não tinha tratado seus ferimentos. - Yoongi, pelo amor de Deus. O que aconteceu? - Ele riu nasalado com deboche. Revirou os olhos e voltou a me encarar- É tudo culpa daquela vadia.- Fiquei confusa com sua resposta, mas mesmo assim resolvi não perguntar mais nada. Encaixei seu braço em meu pescoço, quase caindo ao sentir seu peso se apoiar em mim. - Vamos, eu não vou deixar você aqui. - Ele caminhava junto a mim- A gente vai pro céu? - Perguntou ele, esperançoso, o olhei confusa. - Claro que não! A gente vai pra minha casa. - Desanimou-se.

         Não demorou muito, e chegamos em meu apartamento. Eu já havia jogado sua garrafa longe no meio do caminho quando ele tentou beber mais, então da bebida pelo menos estava livre. Ao entrar em casa, coloquei o maior no sofá. Fui até a cozinha e servi um copo d’água, levando a ele. O mesmo tomou tudo rapidamente, me devolvendo o copo em instantes. Voltei a sala e sentei ao lado dele.

- Por que fez isso? - Quebrou o silêncio incomodo que antes estava instalado sobre nós. Parecia que ele já estava melhor, não tão bêbado como antes.

- Por que eu me importo com você. - Respondi involuntariamente, logo arregalando os olhos ao perceber o que eu havia dito. Levantei do sofá, indo até a cozinha novamente e pegando um Kit de primeiros socorros no armário. Voltei lá, ficando em sua frente- Você não cuidou disso. Deixa que eu faço. - Abri a caixa, tirando de lá o álcool e um algodão. Depositei um pouco do líquido no algodão, passando o mesmo pelo corte em sua bochecha e no nariz. Após limpar os dois, coloquei um mini band-aid neles. Limpei também a ferida em seus lábios, mas não coloquei o curativo ali, pois não teria como. Não fiz nada com seu olho roxo, pois não tinha o que fazer. Guardei tudo novamente, enquanto ele observava cada movimento meu. - Desculpa... Por dar esse trabalho todo. - Falou. O encarei por uns instantes, então sorri. Não respondi nada, apenas voltei a cozinha pra guardar a maleta. Fui até meu quarto trocar de roupa. Coloquei meu pijama simples, e então voltei à sala pra perguntar a Yoongi se ficaria ali, porém, ao chegar lá, me deparo com o mesmo jogado no sofá dormindo. Ri com sua posição engraçada, ele estava com a boca aberta, quase babando. Voltei pro meu quarto, pegando um travesseiro e um edredom no armário. Fui de novo a sala, cobri o garoto com o edredom, levantei sua nuca e coloquei o travesseiro ali. Ajeitei a barra do edredom mais pra cima, cobrindo-o mais, enquanto fazia isso, sua mão segurou a minha. Ele agarrou meu indicador, tentando me puxar. Eu me assustei com aquilo, não queria que ele me soltasse, pelo contrário, queria deitar ali junto a ele. Mas me vi em obrigação de sair, então puxei meu dedo. Saindo da sala e indo ao meu quarto me jogar na cama e tentar ter uma boa noite de sono ao menos uma vez no mês.

 

                                                                                                                              


Notas Finais


Desculpem pelo cap meio bosta, eu to achando que ele ta muito precipitado, mas é que eu não tenho paciência pra ficar enrolando e adiando qualquer intimidade entre eles. Eu to com um certo bloqueio, e não sei muito bem o que colocar mais kdfkkhm mas podem deixar que daqui a pouco eu já posto outro, e prometo que vou melhorar na escrita e tudo mais
Beijinhos, e obrigada por ler <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...