História Blue Sea - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Boyxboy, Fluffy, Jinmin, Lemon, Namjoon!seme, Namjoon!top, Namjoon/ativo, Sugamon, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoongi!bottom, Yoongi!passivo, Yoongi!uke, Yoonjoon
Visualizações 174
Palavras 2.350
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello~~~

Brotei~

Turu bom?

Saiu teasers do próximo comeback, ai gente, eu tô muito ansiosaaaaaaaaaaaa

Acho que o novo MV vai ter aquela pegada melancólica de Spring Day, pelo menos, foi o que concluí pelas fotos.

Blue Sea será atualizado as sextas, pq sim

Boa Leitura~

Capítulo 2 - Garoto Misterioso


Fanfic / Fanfiction Blue Sea - Capítulo 2 - Garoto Misterioso

NamJoon olhava para o relógio de parede impaciente. Parecia que agora que estava entrando de férias, as horas passavam mais devagar. Já tinha feito as provas e não ficou de recuperação em matéria alguma. Era de se esperar de um dos melhores alunos daquela escola. O motivo de sua impaciência eram dois. O primeiro: queria chegar em casa e se esparramar em sua cama, ver séries, jogar online e outras coisas que gostava fazer. O segundo: iria para a casa de seu avô passar os dois meses de férias com ele. Claro, aproveitaria para arranjar um emprego de verão para ter grana e usá-la para suas necessidades sem que precisasse pedir para seu avô algum dinheiro emprestado. Ah, estava animado. Seu avô morava perto de uma praia e trabalhava como pescador. Gostaria de ir com ele para o mar e também se divertir na praia e quem sabe arranjar um peguete?

Riu de seus pensamentos.

O sinal finalmente tocou, fazendo todos comemorarem animados. Todos saíram apressados da sala e com NamJoon não foi diferente. Estando ansioso, nem percebeu quando chegou em casa. Arrumou uma mala e começou a organizá-la, por sorte seu avô tinha roupas lá que serviam em NamJoon, então não precisaria se preocupar em levar tanta coisa, apenas o mais importante. Terminado tudo, só precisaria pegar dois trens. Tudo isso seria a três dias.

Três dias era muito para a impaciência de NamJoon.




Não demorou para chegar em Busan, havia dormido durante a viagem, então parecia que tinha sido mais rápido que o habitual. Pegou sua mala e procurou por seu avô naquele terminal de trem, o encontrando com uma plaquinha com seu nome. Se aproximou dele, fazendo com que o notasse.

— boa tarde, vovô! — falou, sorrindo largo. Estava muito feliz por estar alí.

— já falei para me chamar pelo nome! Me sinto velho com você me chamando de vovô!

— mas você não é?

Ele levantou uma mão para me dar um tapa e eu me afastei dele, rindo da minha própria audácia.

— aish, esse pirralho... — murmurou, negando com a cabeça e com um sorriso de canto nos lábios. — vamos logo para casa que está quase escurecendo!

— sim, senhor!

Os dois saíram do terminal, NamJoon deixou sua mala no banco de trás e os dois entraram no carro já começando uma conversa simples e familiar. Aquelas mesmas perguntas: "e as namoradinhas?", "como vai os estudos?", "está tudo bem com você?" essas perguntas básicas que NamJoon respondia de bom humor.

— pretende trabalhar durante as férias, NamJoon?

— sim, será para cobrir meus gastos e também para quando eu sentir vontade de comprar alguma coisa.

— sabe que você não me incomoda.

— eu sei, mas ainda sim prefiro comprar as coisas com meu dinheiro e suor.

— ah, você parece comigo quando eu era mais jovem... E com seu pai também. Nós somos orgulhosos demais para aceitar ajuda sem retribuir o favor.

— acho que é nossa maldição. — brinquei, rindo em seguida.

— mas, se isso tira um pouco do peso da sua consciência, pode me ajudar quando eu for pescar.

— oh, sério?

— sim, eu as vezes preciso de ajuda. Já não tenho mais tanto vigor quanto antes.

— depois você reclama quando eu digo que você está velho.

— aish, esse moleque...

— mas ainda assim vou procurar um emprego de verão.

— tudo bem, você que sabe! Não adiantaria nada se eu tentasse te contrariar, você é teimoso como uma mula. Igualzinho ao seu pai.

— aish... Vovô...!

— já falei pra não me chamar assim milhares de vezes!!

Quando chegaram em casa, já estava de noite, porém não muito tarde. NamJoon deixou suas coisas no quarto e voltou para ajudar seu avô com o jantar.

— como está sua mãe? Faz tempo que não a vejo.

— ah... Trabalhando como sempre, as vezes ela volta para casa, mas é muito raro ela ficar mais do que uma semana.

— hm... E seu pai?

— as vezes ele me visita, mas as vezes não.

— você ainda mora com sua mãe?

— é... — suspirei. — já pensei em ir morar sozinho, mas prefiro continuar em casa. As vezes sinto que mamãe não superou, então não consigo imaginar a deixando.

— ... Entendo.

Um silêncio permaneceu no lugar. NamJoon tentou ajudar no que pôde, mas por ser um pouco desastrado, acabou por ser expulso da cozinha. Ficou apenas assistindo qualquer programa que passava na tv enquanto a comida não estava pronta. Depois de um tempo seu avô o chamou para comer.

Ao terminar a refeição ambos foram lavar e secar a louça, o que custou alguns pratos quebrados e um NamJoon sendo expulso da cozinha mais uma vez. Os dois assistiram um pouco de tv e pelas 20:30 PM, seu avô foi dormir. Depois de um tempo, foi a vez do Kim mais novo se recolher para o seu quarto.




NamJoon acordou com um balde de água fria. Literalmente.

— acorde logo, ninguém te disse que era para dormir tão tarde da noite!

— o que...?

— ande, ande! Vá se trocar e comer que já estaremos saindo!

E foi assim que NamJoon se vestiu as pressas e totalmente confuso sem entender mais nada. Quando chegaram no porto, onde ficava o barco de seu avô, foi que percebeu o que estava acontecendo.

— por que não disse antes que estávamos indo pescar? Aliás, por que saímos de casa tão cedo?

— céus, você fala demais!

— você cuida de tudo sozinho?

— lógico que não, garoto! Acha mesmo que somente eu consigo tomar conta de tudo isso? Nem responda! Vamos esperar meu outro assistente chegar e aí podemos ir para o alto mar tentar a sorte de conseguir alguns peixes!

— tá bom, então.

Os dois entraram no barco, que nem era muito grande nem muito pequeno, e começaram a verificar as coisas. No caso de NamJoon, Ele foi obrigado a ver se estava tudo ok.

— bom dia, senhor Kim!

Um garoto entrou no barco e seu avô o cumprimentou sem ir vê-lo, já que estava verificando as coisas da cabine de controle. NamJoon presumiu que o garoto que veio até eles era o tal assistente que seu avô disse. O Kim mais velho apareceu e pôs uma mão sobre o ombro do outro.

— NamJoon, este é Park Jimin! Jimin, este é Kim NamJoon, meu neto!

— ah, é um prazer conhecê-lo! — disse fazendo uma reverência.

— bem, já que estamos todos aqui, podemos ir. Ah, e recomendo vocês passarem um protetor solar.

— sim, senhor!

Seu avô foi para a cabine de controle enquanto NamJoon e Jimin se sentaram em qualquer lugar do barco e começaram a fazer o que o Kim mais velho disse. O barco começava a se afastar, da mesma forma que o sol tímido ía subindo para o céu.

— então... Faz muito tempo que você trabalha com meu avô?

— comecei esse ano... Eu queria um emprego básico para ter meu próprio dinheiro, sabe? Não queria ficar dependendo da mesada dos meus pais.

— ah, entendi, e quantos anos você tem?

— dezoito.

— parece que sou seu hyung, tenho dezenove!

— posso te chamar de "NamJoon hyung"?

— claro! Você é bem legal, acho que vamos nos dar bem durante essas férias!

— oh, você já entrou de férias? Eu ainda não, mas falta pouco.

— que bom!

— vejo que a conversa está boa, mas temos que começar nosso trabalho! Andem, andem!

Os dois mais novos riram e se levantaram para começar o trabalho. Jimin ajudou NamJoon a mexer com aquela máquina e conseguiram alguns peixes. Na hora tiveram de selecionar alguns peixes, pois alguns eram muito pequenos para sua espécie o que dizia que se ainda um filhote ou não. NamJoon as vezes se atrapalhava com os peixes e se assustava quando eles se debatiam em sua mão, fazendo os presentes rirem do quão frouxo o Kim mais novo podia ser. Eles haviam se divertido, NamJoon havia gostado daquela atmosfera boa entre eles. Ele se sentou e olhou em direção à cidade, não estavam nem muito longe ao ponto de não vê-la mais, mas também não estavam tão perto. Não resistiu e pescou seu celular do bolso, colocando na câmera e tirando uma foto. Havia ficado boa, quando estivesse em sua casa iria postar no seu instagram.

— ei, NamJoon! Você pode ligar a máquina para jogar a rede pela última vez? Já deve ser meio-dia, o barco parece ter dado um problema no motor, irei ajudar seu avô, ok?

— ah, ok!

NamJoon foi até a máquina e puxou a alavanca e esperou um pouco quando a corda parou de descer antes de puxá-la de novo. Ficou mexendo no celular enquanto a corda era puxada de volta com a rede. Quando a máquina parou, ele olhou para ver o que tinha conseguido. Seu celular caiu de sua mão, assim como sua boca abriu em uma careta de espanto.

Havia um garoto dentro da rede junto de alguns peixes. O garoto tinha cabelos claros, loiros, olhos em um lindo azul e uma pele clarinha, além de lábios finos. Ele parecia tão assustado quanto NamJoon, os dois apenas se olhavam sem dizer palavra alguma. NamJoon estava muito confuso, chutava que se estivesse em um desenho animado, em cima de sua cabeça teria um enorme ponto de interrogação.

"Como ele havia parado nessa rede de pesca?" Era isso o que ele se perguntava.

— hã... Você... Como...?

Ele tentou perguntar algo coerente, mas não conseguiu e o outro parecia mais assustado agora que NamJoon havia falado. NamJoon puxou uma outra alavanca e aquela rede foi para dentro do convés. O Kim foi até ele quase correndo e o ajudou a tirar a rede de cima de sí. Ele tentou se levantar e sair correndo, mas tropeçou e caiu. NamJoon não conseguiu segurar a risada, mas achou fofo e engraçado a forma desesperada do pequeno e como ele havia caído de cara no chão.

— desculpe, foi sem querer. — se desculpou por rir e percebeu que o garoto tinha um pé preso na rede. — ah, parece que você se enrolou... Literalmente.

NamJoon o ajudou a se sentar em um canto do barco e passou a desamarrar o bolo de linha que havia ficado no pé daquele misterioso garoto. Quando terminou, ele não parecia mais tão arisco e NamJoon chutava que ele parecia curioso consigo.

— prontinho, agora você não está mais preso. — falou, sorrindo para tentar acalmar o outro.

NamJoon reparou bem no outro, estava um pouco curioso com ele também, pois apesar de ter lindos olhos azuis e os cabelos loiros, ele tinha olhos puxados, o que destacava sua descendência asiática. Talvez fossem lentes, na cabeça dele, mas eram de um tom tão lindo que NamJoon se perguntava se era possível fazer um olho de cor escura ficar com aquela cor linda só com lentes de contato.

— ei, agora que você parece mais calmo, consegue me explicar como entrou dentro daquela rede?

Ele pareceu ficar nervoso com aquela pergunta e ficou olhando desesperadamente para os lados, parecendo buscar uma resposta.

— ei, calma! Não precisa ficar assim! Apesar que eu ainda estou tentando entender como você está aqui...

Ele não respondeu, mas olhou para NamJoon ainda nervoso. O Kim olhou para seus cabelos loiros e riu baixinho ao perceber algo daquele tipo somente agora. O loirinho ficou confuso com aquilo, NamJoon então levou sua mão para cabeça do garoto que fechou os olhos com força e se encolheu mais ainda.

— ei, calma! Não vou te machucar! Estou só tirando isso da sua cabeça! — mostrou para o outro o que tinha em mãos.

Não era nada mais nada menos que uma alga. Yoongi olhou para aquilo confuso, mas ainda encolhido perante a presença de NamJoon.

"Como isso tinha grudado em meu cabelo?" se perguntou.

Apesar de já ter tirado aquilo da cabeça de Yoongi, NamJoon levou sua mão novamente aos fios claros do garoto, fazendo um leve carinho em sua cabeça e sentindo as madeixas macias em seus dedos.

— NamJoon! Vem ajudar aqui se você quer voltar pra casa! — chamou o Kim mais velho.

— ok! — respondeu no mesmo tom, o que assustou o menor. — olha, não precisa ficar assustado, sabe? Não irá acontecer nada com você! Irei ver do que eles precisam e você fica aqui quietinho que eu já volto.

NamJoon então se afastou para ver o que acontecia de tão grave para lhe chamarem. Lógico, Yoongi ainda estava desconfiado com ele. Curioso, mas muito desconfiado. O loiro ao perceber que ele não iria voltar por enquanto, tratou de tentar se levantar, porém com a presença da gravidade aquilo se tornava difícil de se fazer. De forma desengoçada, Yoongi conseguiu pular de dentro daquele barco para a água. Nadou com toda sua força para voltar ao fundo e procurou pelo navio naufragado, até que sentiu alguém lhe abraçar apertado com força.

— Yoongi! Estávamos preocupados! Ficamos te procurando! — disse Hoseok, sendo dramático como sempre.

— onde você estava? Depois que aquele tubarão foi embora a gente ficou te procurando que nem dois condenados!

— ei! Não é como se eu fosse morrer por sumir só um pouquinho! — reclamou.

— tá, mas vamos voltar para casa! Já tivemos emoção demais para um dia só!




— é sério que vocês me chamaram pra somente pegar uma chave de fenda? — perguntou NamJoon, procurando a bendita chave de fenda. — por que vocês mesmos não procuraram por ela?

— não sei se percebeu, mas estamos impossibilitados de fazer isso! — disse o mais velho de todos.

— ok, ok! Tomem aqui a chave de fenda!

O Kim mais novo entregou para seu avô a ferramenta e se encostou na "parede", apenas observando-os trabalhar. Logo o motor deu um ronco e voltou a funcionar.

— parece que era esse o problema.

— a demora foi mais pra achá-lo? — perguntou NamJoon.

— sim, mas enfim, vamos voltar para casa.

— vovô, antes de subirmos, eu queria te avisar que achei alguém.

— no meio do mar? — arqueou as sobrancelhas.

— ... É, de certa forma sim.

— estranho. — comentou Jimin pela primeira vez.

— também achei. — concordou NamJoon.

Os três subiram e ao passarem o olhar pelo convés, não havia nada além de alguns peixes e umas caixas.

— mas... Onde...? Ele sumiu.

O Kim mais novo ficou confuso. Ele estava bem alí, não estava?

— pode-se perceber isso... — disse Jimin, pensativo.

— NamJoon, eu que sou velho estou bem mais são do que você.



Notas Finais


Antes que me perguntem: sim, o Yoongi tem olho azul (em um tom maravidiwo, já digo logo) e é loiro. Não gostou, mete o procelsson -qqqqq

Uma pequena curiosidade desse cap: eu procurei no Google Maps a distância de Ilsan até Busan kkkkkkkkkkkk

Kissus de açúcar! ( ˘ ³˘)❤

Nos vemos em uma próxima atualização! Bye~

~ foge pras montanhas ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...