História Blue Wall - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Amor, Clara, Comedia, Drama, Harry, Joe, Loucura, Moda, Musica, Wild
Visualizações 18
Palavras 1.724
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Santa Monica


Fanfic / Fanfiction Blue Wall - Capítulo 28 - Santa Monica


Chegamos em Santa Monica e fomos para um daqueles hotéis comuns e baratos. Estacionamos o carro e Harry me ajudou a tirar as malas do carro depois de pegarmos as chaves. Fomos para o nosso quarto, os garotos iriam ter quartos separados também. 

A viagem tinha sido mais longa do que deveria, nós tomamos café na estrada, paramos em vários lugares e acabamos chegando em Santa Monica no começo da noite. Estava arrumando algumas roupas para mais tarde, nós iriamos fazer um lual na praia, quando Harry chegou sorrateiramente por traz de mim.

- Acho que a gente podia aproveitar enquanto não dá a hora de sairmos.- disse ele beijando o meu pescoço.

- Ótima idéia.- eu disse.

Me virei para ele e selei nossos lábios. Começamos um beijo lento mas intenso. Suas mãos apertavam a minha cintura, me fazendo ficar ainda mais próxima dele.

Percebi que Harry estava com roupa demais, então tirei sua blusa e a joguei pra qualquer lugar daquele quarto. Ele me jogou na cama e logo subiu em cima de mim. Seus lábios beijavam todo o meu corpo até chegar na minha calça, que foi desabotoada. Tirei meus sapatos e os joguei no chão.

Minhas mãos passaram por cada centímetro do corpo de Harry, eu já tinha memorizado todos os seus detalhes. Tiramos todo o tecido que impedia que ele me tocasse por completo. Agarrei sua nuca e mordi sua orelha, ele sempre se arrepiava quando eu fazia isso.

- Você sempre faz isso...- ele disse.

Selei nossos lábios novamente e me girei, fazendo com que eu ficasse em cima dele. Nossas línguas dançavam em nossas bocas, as mãos de Styles apertavam minha cintura me fazendo gemer baixo. De repente, ele estava em cima de mim. Um barulho de alumínio sendo rasgado e a camisinha já estava na minha mão para eu colocar, e foi isso que eu fiz. 

Coloquei a camisinha em seu membro ereto e Harry passou seus dedos na minha intimidade, me provocando. Meus braços foram jogados para cima da minha cabeça e antes de qualquer outro movimento, nossas mãos se encontraram. Ele entrelaçou nossos dedos, e então, me penetrou.

Entre entocadas meus gemidos iam aumentando assim como os dele.

- Eu te amo.- ele sussurrou no meu ouvido, me fazendo sorrir e procurar seus lábios.

- Eu te amo muito mais.- eu disse.

Suas entocadas foram ficando mais rápidas e eu sentia meu ápice chegando. Em pouco tempo estremeci e ele veio. Não muito tempo, Harry também alcançou o climax.


Harry's P.O.V


Caí em cima de Clara, e senti seu peito subindo e descendo com a sua respiração. 

- Nada como uma rapidinha antes de sair.- eu disse, levando um tapa no ombro logo depois.

- Idiota.- disse ela.

Por algum motivo inexplicável em palavras, eu a amava. Nossa como eu a amo, isso é maior do que tudo em que eu ja acreditei. Poder ter ela do meu lado todos os minutos da minha medíocre vida a torna não menos medíocre, mas extraordinária. Como era possível uma pessoa mudar tudo? Eu era mais feliz ao lado dela, a alegria que tinha em mim eu nunca tinha sentido antes. Aquilo era tudo e muito mais, não precisava de mais nada além dela.

Talvez eu seja um idiota apaixonado, mas eu era um idiota sortudo pra caralho por ter ela comigo. Minha rainha, minha família, minha melhor amiga, minha Clara. Agora eu tenho certeza que ninguém pode tirá-la de mim.

Ficamos deitados por mais alguns minutos antes de eu decidir ir tomar banho, e como sempre, Clara veio logo atrás. Entrei no box e ela ficou fazendo alguma coisa no espelho da pia. Quando saí do banho, tinha uma toalha no gancho do banheiro. Já falei o quanto eu me sinto feliz por ela cuidar de mim? Voltei para o quarto e Clara entrou no banho. Botei uma blusa branca, calça preta e tênis preto, pra variar.

Clara saiu do banho e depois de quinze minutos já estava quase pronta.

Ela usava uma calça jeans rasgada em algumas partes, e um casaco rosa junto to tênis branco. Ouvi batidas na porta e gritei um "entra", Ryan entrou no quarto já arrumado.

- Vamos, raio de sol.- ele disse.- Está linda como sempre.

- Ainda não me conformo em você flertar com a minha namorada.- eu disse. Eu sabia que eles eram amigos, mas Ryan me deixava enciumado pelo jeito que a tratava.

- Você está esplêndido, Ry.- disse ela, me fazendo bufar.- Vamos, Harry.

Pegamos meu violão e saímos do quarto. Descemos as escadas e chegamos ao estacionamento onde estavam Spencer e George.

- Nós vamos de carro?- perguntou Ryan.

- Não, só vim pegar isso.- disse George mostrando um saquinho de maconha. É claro que ele trouxe.

- Harry.- chamou Clara, cheguei mais perto e ela colocou uma bandana vermelha no meu pescoço.- Pronto.

Fomos caminhando até a praia. Clara pulou nas minhas costas no caminho, e foi ali em cima durante todo o percurso. Demorou um pouco, mas nós finalmente chegamos a praia.

Estava de noite, então tudo estava meio escuro. Pegamos vários gravetos que achamos pelo caminho e fizemos uma fogueira. Clara se acomodou ao meu lado, e o resto dos meninos em volta da fogueira.

- Raio de sol, porque você não canta?- perguntou Ryan, que tinha um uculele na mão.

- Não sei cantar, Ry.

- Ah vamos, Clara.- disse Spencer, ele estava com o saco de marshimallow nas mãos.

- Qual é. Harry pode te ajudar se quiser.- disse George, que segurava um violão.

Clara ficou em silêncio ouvindo todos os pedidos pra que ela cantasse. E então, um som lindo saiu de suas cordas vocais.


[ Dêem play em Can't blame a girl for trying da Sabrina Carpenter ]


Here I am again, the same old situation

Why does the guy thing have to be so complicated?

I should've played it cool, instead I've made a fool

Oh, the things I do

George começou a tocar e Ryan o acampanhou. Entre as chamas da fogueira, eu podia olhar nos olhos dela. Eles estavam brilhando de alegria.

Cause I'm young and I'm dumb

I do stupid things when it comes to love

And even if I always end up crying

Well, you can't blame a girl for trying

No, you can't blame a girl for trying

Spencer parecia conhecer a música porque ele começou a cantar junto com ela. A voz de Clara era linda aos meus ouvidos, soava como uma sinfonia que eu passaria a vida inteira ouvindo.

And just as I'm giving up, my heart is palpitating

Here comes another one, it's so intoxicating

And being where I've been I know that in the end

I'll do it all again

'Cause I'm young and I'm dumb

I do stupid things when it comes to love

And even if I always end up crying

Well, love will find me, there ain't no denying

That you can't blame a girl for trying


[ Podem tirar a música]


- Essa é a minha garota!- disse Ryan quando a música acabou. Os meninos bateram palma e as bochechas de Clara coraram.

- Você é incrível.- sussurrei em seu ouvido, a fazendo sorrir.

- "Nós somos iguais, você e eu."- não pudi deixar de sorrir.

- "Dois corações tristes."

-"Trancados em nossas mentes erradas."- falamos juntos.

Passamos a noite toda cantando músicas como "I would", "Dog day are over", "Perfect", "Repeating days"... Assamos os marshimallows na fogueira, e assistimos o sol nascer juntos. Noites assim nos fazem lembrar o porque insistimos na felicidade, não tem nada igual.

Voltamos para o hotel, mas não fomos para os nossos quartos. Corremos para o terraço, ainda era cedo quase ninguém tinha acordado. Spencer e George acenderam um baseado, eu abracei a minha rainha e ficamos ali olhando para a cidade.

O hotel era tão bom que não tinha café da manhã, então nós decidimos tomar café em uma lanchonete perto do píer.

Depois do café e de muita conversa e piadas ruins, nós fomos para o píer Santa Monica. Onde tinha um parque de diversões que os caras estavam ansiosos pra ir.

Não estava muito cheio já que ainda era cedo. Nós compramos os ingressos e fomos para os brinquedos. Se eu disser que George gritou e quase chorou na montanha russa vai parecer mentira, mas ele realmente fez isso. Eu e Ryan rimos tanto que Clara ficou um pouco emburrada.

Jogamos em algumas barraquinhas e eu ganhei um panda gigante pra ela, que logo ficou feliz de novo. O dia passou tão rápido que quando escureceu eu nem percebi.

Voltamos para o hotel, já que nós iriamos passar só duas noites aqui. Todos foram para os seus quartos, eu estava na cama terminando uma música que eu estava escrevendo.

- Harry, porque nós não vamos fazer alguma coisa?- perguntou Clara, sentando na minha frente.

- São duas da manhã.

- Por isso mesmo.- um sorriso malicioso surgiu em seus lábios.- O que você anda escrevendo?

- Ainda não está pronto.- ela tentou pegar as folhas com a letra da música, mas eu fui mais rápido.- Teimosa como sempre.

- Vamos.

Clara me puxou para fora do quarto e nós fomos correndo para a piscina do hotel, que era pequena mas limpa. Nos sentamos na beirada e colocamos nossos pés na água.

- Eu nunca te agradeci.- ela disse.

- Me agradecer pelo o quê?

- Eu estava perdida, Harry. Tudo o que poderia dar errado tinha dado, eu perdi a cabeça. Deixei meu coração ficar em pedaços por muito tempo, que parei de acreditei que um dia ele poderia estar inteiro de novo. Mas você o deixou inteiro, me fez achar meu caminho de volta. Você me faz mais feliz do que eu posso merecer, e eu te amo por isso. Eu amo você por você ser quem você, por sempre lutar por nós, e principalmente, por acreditar em mim.- meu coração se apertou naquele momento, mas meu sorriso não saia do rosto.- Eu prometi pra mim mesma que não deixaria você me completar, mas quando nós estamos juntos eu me sinto segura, salva. Me sinto em casa. Você é a minha casa, Harry.

Tudo o que parecia importante no mundo desapareceu, e só existia nós dois ali naquele hotel meia boca, com os pés na água e o coração na mão.

- Eu te amo, rainha. Eu te amo como ninguém nunca amou, eu juro que sempre vou estar aqui. Sempre.

Ela sorriu, e eu sorri também. Nossas mãos se entrelaçaram, e nossos lábios se selaram em um longo selinho. Clara se aninhou em mim e nós ficamos ali, juntos. Só eu e ela.


Notas Finais


IHYYYYYYY
Ja aviso que no próximo capítulo vamos ter um casamentooooooooooooooooooo
NÃO ESQUEÇAM DE COMENTAR PELO ANJO
esse casal ta muito fofo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...