História Boate Babilônia - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Babilônia
Tags Gloria Pires, Policial, Romance, Thiago Martins
Exibições 80
Palavras 1.352
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 40 - 40


Fanfic / Fanfiction Boate Babilônia - Capítulo 40 - 40

- não, vc não! pq???

a policial dá um passo pra trás e leva as maos a boca em puro choque.

- beatriz? o que vc tá fazendo aqui?

diogo a olha, tao surpreso quanto ela, tendo o corpo molhado pois acabou de sair do chuveiro para atender a porta e se cobriu apenas com uma toalha.

- pq vc fez isso comigo, diogo? pq???

- fiz o que?

beatriz tenta se recompor mas é dificil. ver o homem que ama sem roupa na casa da inimiga é mais do que ela pode suportar.

- precisava ser ela? justo aquela...bruxa!

diogo respira fundo, revira os olhos e a encara.

- olha, se vc tá falando da ines pode parar agora. ela foi a unica que me deu abrigo quando ninguem mais deu...se vc quer saber.

- eu vou embora! - a tenente anuncia, um pouco cambaleante. diogo a segura antes que ela caia e a traz pro sofá. 

- vc tomou café da manhã? tá tremendo toda...

- não, não quero ficar aqui. me deixa ir! - beatriz reluta mas ele a aperta em seus braços até ela se acalmar.

- o que vc veio fazer aqui?

- beatriz se acalma um pouco.

- o que vc acha? vim comprovar o que meu coração se recusava a acreditar!

diogo ri.

- ai, quanto drama... 

- drama??? entao ver o homem que a gente ama com outra agora é drama? olha, me solta! vou embora e é agora!

beatriz se esforça a levantar do sofá mas ele a puxa de volta.

- me ama? mesmo? - ele pergunta, incrédulo. - vc me expulsou da sua casa e pior, da sua vida!

ela seca uma lagrima antes de responder.

- eu ia morrer! 

ele a olha assustado?

- morrer? como?

beatriz morde o lábio.

- a concussão virou um coágulo que podia explodir a qualquer momento. fiquei meses fazendo tratamento...

diogo aperta os lábios, magoado.

- pq não me contou? vc sabe que eu ficaria do seu lado.

- não era certo te manter comigo. 

o jovem pensa um pouco.

- entao pq vc ficou brava por me ver com a ines? 

- pq ela quer tudo o que tenho, tudo o que eu tinha ela sempre quis. destruiu meu casamento, minha juventude, levou vc...

- eu??? to aqui pq quero! o processo da justiça militar pode levar até um ano. o ivan resolveu morar com o namorado e minha mãe nao tem condições de cuidar de mais um com a minha irmã e a filha lá na casa. e não é só isso, eu e a paula vamos abrir um escritório de direito. precisava levantar uma grana, a ines apareceu e me ofereceu um quarto e um trabalho...

- em troca do que? seu corpo, sua alma?

diogo a encara.

- em troca de nada! trabalho no bar e limpo a casa. é o minimo que posso fazer. 

beatriz se vira sem conseguir olha-lo.

- sai daqui. volta pra mim, por favor. eu te dou tudo que vc quiser, vc sabe que eu posso.

ele nao responde o que a leva as lagrimas. 

ele passa a mão carinhosa pelas costas dela.

- já tenho o que mais quero...

ela levanta o rosto e o olha.

- o que?

diogo sorri.

- vc aqui comigo!

- meu amor...

um largo sorriso se abre no rosto de beatriz. ela se inclina pra frente e os dois se beijam apaixonados, tentando recuperar o tempo perdido.

beatriz se mexe um pouco e quando ele abre os olhos se surpreende ao ve-la com a calcinha já nos tornozelos. ela termina de tirar a peça e abre a toalha, encontrando-o no ponto perfeito. 

- beatriz...aqui...assim...?

- assim que é bom! - ela murmura insinuante, antes de monta-lo.

::::::::::::

a noticia pega todos de surpresa.  ivan, paula e diogo estão reunidos no apartamento de beatriz, ainda chocados com o fato.

- ela era tão jovem, tão linda...

- pois é, beatriz. até eu que já investiguei tudo quanto é história me surpreendi. a alice tinha um caso com o vinicius, quem diria! - ivan comenta. - pelo que apurei, o conheceu numa das visitas a mãe na boate babilonia.

- e o evandrinho na verdade não tem nada de junior! o menino é filho do vinicius! - diogo se junta a discussão.

- a coitada nao aguentou quando descobriu que o amado havia morrido, entrou num forte quadro de depressão, disfarçado a base de remédios mas chegou uma hora que ela não aguentou mais, contou toda a verdade para o evandro e logo em seguida se trancou no quarto e se suicidou com a arma dele! - paula explica.

- mas e o evandrinho, gente? o pobrezinho nas mãos daquela louca da ines já que o evandro não quer nem olhar pro menino. precisamos fazer alguma coisa! - beatriz se desespera.

diogo a abraça.

- eu sei, meu amor. mas infelizmente a lei determina que...

- ela não presta pra ser mãe! podemos provar e dar um jeito. - beatriz interrompe.

todos a olham com pesar. por mais que beatriz queira ficar com o pequeno evandro, ele jamais sairá dos cuidados de ines, que tem a posse por direito.

:::::::::::

o interfone toca e beatriz pergunta duas vezes ao porteiro quem é a visita pois não consegue acreditar.

a policia está pronta pra abrir a porta só pra bate-la na cara da inimiga quando se surpreende. ines nao veio só. trouxe o evandrinho no colo.

beatriz se esforça mas não consegue fechar a porta depois de olhar para o garotinho simpático.

- seja breve, estou indisposta! - a tenente disfarça.

- ah pode deixar, serei brevissima! to me mudando pra europa. to sem tempo pra vc. mas fiz um esforço!

- foi pra isso que vc veio? avisar que vou me livrar de vc pra todo sempre?

a loira revira os olhos.

- na verdade, nao. só me diz uma coisa, vc ainda tá interessada em ser mãe? 

beatriz se surpreende com a pergunta.

- o que?

ines resmunga antes de responder.

- perguntei se vc quer o evandrinho pra vc? to me mudando pra começar uma nova vida, e nada a ver levar um bebe comigo.

a policial a encara horrorizada.

- vc tá me oferecendo o evandrinho??? sua maldita! isso é crime! vou chamar a polícia e é agora!!!!!

ines respira fundo.

- não é nada disso, sua louca! falei com a dra. tereza. assinei um documento abrindo mão do remelentinho hoje. por acaso, a sua mãe tava lá. ela me disse que vc sempre comentava dele. então pensei, não seria ótimo ver vc toda acabada cuidando de um bastardinho enquanto eu passo a vida me divertindo na europa?

beatriz não consegue acreditar no que está ouvindo.

- sua...sua monstra! ele é filho da alice, a sua filha!!!!!!

- filha? aquela suicida??? como se não bastasse a quantidade de escandalos que fui obrigada a enfrentar, aquela infeliz ainda se mata me trazendo mais um escandalo e um fardo pra cuidar! ai, chega de perder tempo aqui. vai pegar o melequento ou nao?

sem pensar beatriz toma o menino dos braços da loira que imediatamente enfia as mãozinhas no seu cabelo pra brincar.

- desaparece daqui! 

ines joga a bolsa do bebe no chão e solta uma risada alta.

- não precisa nem pedir duas vezes. eu ia dizer pro evandrinho ser bem infeliz, mas tendo vc como mãe...só lamento que o diogo não quis ir comigo. eu faria dele um rei! fui!

a tenente bate a porte e corre com o menino para o sofá. ela liga para diogo sem se importar em secar as lágrimas.

quando ele chega toma um susto daqueles.

- é o evandrinho?

- não! é meu filho agora. pode ser nosso, se vc quiser muito, mas meu com toda certeza ele já é! - beatriz fala, orgulhosa.

- claro que quero! eu te amo! e amo tudo que vem de vc...

beatriz sorri abraçada ao homem que ama e seu novo filho.

- te amo, meu amor! e vc também, meu amorzinho...

 

 

FIM

 

 


Notas Finais


obrigada a quem leu :)

espero que tenham gostado!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...