História Body And Soul - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Infinite
Personagens Myungsoo (L), Sungyeol
Tags Angst, Infinite, Myungsoo, Myungyeol, Paradise, Sungyeol
Exibições 31
Palavras 1.675
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


onen
nãoadianta vcs quererem me matar pq eu tbm quero ta
tava aqui eu em hiatus mas ai fiquei louca virei inspirit
e tive que fz os ship tudo angst e conceitual
dedicar esse pra Xucesso pra ela sentir como faz as angst kkkkkk

Vão ler meus anjos <3

Capítulo 1 - Paradise


Fanfic / Fanfiction Body And Soul - Capítulo 1 - Paradise


Body And Soul 


Capítulo Um - Paradise


Myungsoo tinha uma visão privilegiada da sala, fitando o garoto sentado no sofá de camurça bege, enquanto estava em pé no meio da cozinha e o outro não dava atenção a sua presença, olhando o que quer que fosse que passava na televisão. Decorava cada traço de seu rosto, os olhos puxados porém bonitos, os lábios rosados e cheios, o nariz fino e esbelto, mesmo que já os tivesse gravados em sua mente. O moreno suspirou, inaudível, lágrimas se formando em seus olhos, as palmas de suas mãos formigavam de vontade de tocar o mais velho, mas ele não podia.

Subiu as escadas, parando no patamar e se sentando ali, dali ainda podia ter a visão do castanho, que mantinha seu rosto sem nenhuma expressão. Abraçou as pernas, descansando o queixo sobre os joelhos fitando o maior. Logo, a tarde se tornou noite e o outro preparou sua janta, comeu e lavou o que havia sujado, desligando tudo o que estivesse ligado. Suspirou, subindo a escada, ignorando o menor que ainda estava ali e indo para o quarto dormir. Myungsoo, que não tinha forças para se levantar continuou ali, uma lágrima correndo por sua bochecha.

Sungyeol saiu para trabalhar e voltou de tarde, após o almoço. Ele fitava o móvel encostado na parede cheio de fotos suas e de Myungsoo, sentindo seu peito se apertar de forma a se tornar desconfortável. Ouviu um farfalhar vindo da janela, seu olhar se fixando ao do moreno que o fitava de volta, sentindo um arrepio passar pelo seu corpo, mas logo o olhar foi desviado e ele suspirou seguindo os passos do mais velho para o quarto. Se encostou a parede ao lado da janela onde uma brisa agradável envolvia o corpo na cama que chorava até que acabasse por adormecer.

No dia seguinte, mesmo não tendo trabalho, Sungyeol saiu. Ele voltou mais cedo que o de costume, uma rosa em suas mãos. A flor era cor de rosa e tão cheirosa que o moreno fechou os olhos e respirou fundo. A cor preferida do Kim era preta mas ao ver a flor não pode deixar de sorrir, pois essa cor era a favorita de seu namorado. Se é que ainda poderia chamar o mais velho assim. Então ficou triste e seu sorriso murchou diante de seus pensamentos. Mas logo um meio sorriso brotou em seu rosto. Por mais que ficasse triste por não estarem mais juntos, ele sempre ficaria feliz por ter lembranças boas de tê-lo ao seu lado.

Ambos se conheceram ainda na faculdade, embora nunca tivessem falado um com o outro. O mais novo o achava arrogante, andando com sua aura superior que esmagava a sua completamente tímida e humilde. Era comum que se encontrassem em lugares públicos como o restaurante, a biblioteca ou algum dos corredores e seus olhos se encontrassem para em seguida se desviar, principalmente os de Myungsoo, não só por conta da timidez, mas por não conseguir sustentar a intensidade dos olhos alheios. Porém, próximo ao fim do curso, escolheram uma matéria optativa que por coincidência pagariam juntos. O Lee fazia Administração e o Kim fazia Artes, mas haviam todos os tipos de alunos na aula de fotografia. 

Sungyeol foi o primeiro a falar com ele, perguntando se ele não queria ser sua dupla, prestando atenção em seu nome quando o professor fez a chamada. O moreno afirmou timidamente, fazendo o mais velho sorrir para si e seu coração retumbar em seu peito pela cena linda a sua frente. No final de semana ambos estavam de câmera a postos num parque tirando diversas fotos. Myungsoo que adorava fotografia e comprara com esforço uma câmera profissional ajudou o maior que tirava fotos com o celular, fazendo-o se admirar com seus conhecimentos de como enquadrar e trocar o ângulo, focar e mudar algumas coisas podiam mudar uma imagem de forma tão significativa.

O mais velho observava tudo ao seu redor e prestava atenção nos ensinamentos do garoto, que tentava não gaguejar ou sair correndo. Myungsoo se descobriu um bom professor e Sungyeol um bom aluno, ambos terminando o trabalho com excelência. Decidiram então almoçar juntos, conversando sobre seus cursos, gostos, embora não tivessem tanto em comum, e trocaram de contato. Não demoraram muito para ficarem amigos e ir evoluindo a cada dia para algo mais e mais próximo, passando a dormir na casa um do outro, sendo apresentado a seus respectivos pais, passando a fazer parte da intimidade alheia. 

Depois da universidade, eles acabaram por comprar um apartamento, que dividiram de forma harmônica, finalmente saindo da casa de seus pais, não que os mesmos reclamassem, mas mesmo que o fizessem não queriam ter os filhos longe. O Lee arranjou um emprego que lhe pagava bem e era apenas o turno da manhã enquanto que Myungsoo passava o dia em casa fazendo seus trabalhos, saindo esporadicamente para comprar mais material quando esse acabava. No início, era fácil a relação entre os dois, até que L, como o mais velho o apelidou, não conseguisse mais esconder a paixão que havia criado pelo outro.

Como reação instintiva e inicial ele se afastou do outro, que por outro lado passou a se aproximar e abraçar o mais novo que ele achava tão bonito quando ficara corado e tímido. Por mais que adorasse o mais velho e aquela atenção extra que ele lhe dava, sempre o afastava, implorando que o outro parasse apenas para vê-lo sorrir travesso e o abraçar por trás. Myungsoo se sentia frustrado porque para ele, o mais velho nunca lhe veria de outra forma que não como um amigo e toda aquela afetividade minava seu coração de forma dolorosa.

Mas ele não podia estar mais enganado, quando uma noite Sungyeol o encostou contra a parede e selou seus lábios, sussurrando que o amava por entre eles e Myungsoo correspondeu-o, fazendo-o perder completamente os sentidos. O mais velho havia percebido, mas ele queria ter certeza, levando até o ponto mais extremo, fazendo L dominar o beijo e implorar por ele. Como bom hyung, Yeol iria fazer o que o mais novo quisesse e naquela noite eles trocaram beijos e carícias até que o Kim adormecesse.

Mesmo que tivesse começado a namorar, eles começaram com cuidado, como se ainda fossem apenas amigos, mas amigos que viviam nos braços um do outro e entre beijos. Mesmo que aquilo provocasse uma ereção dolorosa em Sungyeol o mesmo nunca forçava nada que Myungsoo não quisesse. O maior esperou que o mais novo estivesse pronto para poder amá-lo com todo o cuidado que lhe era necessário, fazendo não só o moreno se apaixonar ainda mais por ele como que a sua primeira vez fosse perfeita.

Se Sungyeol parecia frio e arrogante antes que de fato eles se conhecessem, aquele era um conceito errado sobre ele que era uma pessoa boa, inocente e tão amável que o Kim quase se sentiu culpado por pensar assim dele. O mais novo achava que o outro também era inocente e tão fofo principalmente quando ele ficava tímido o que ocorria praticamente o tempo inteiro, mas com o tempo Myungsoo se mostrou um pervertido, sedento pelo outro que não reclamava por isso. Adorava quando ele ia todo carente atrás de si, mesmo que sujo de tinta, suas covinhas aparecendo, pedindo que o outro lhe desse banho, sabendo que não era só aquilo que eles iam fazer.

No fim do dia, ambos se deitavam e depois de se amarem o moreno repousava sobre o peito do Lee, que lhe fazia cafuné e conversava com ele até que dormisse. No dia seguinte, Sungyeol acordava com a visão mais bonita do mundo do namorado usando suas roupas e fazendo o café da manhã para ele, sorrindo largamente para si. Eles se amavam e se completavam de uma forma que era inacreditável de tão perfeita que era. Tinham uma conexão de corpo e alma. Até o dia que foram bruscamente separados.

Myungsoo andava a passos lentos pelo corredor, parando na janela para fitar o mais novo no jardim do lado de fora. Se ele pudesse mudar o passado… 

Sungyeol sentia os raios de sol contra a sua pele, mas tinha também a sensação de que estava sendo observado, olhando para trás, fitando a janela. O sol entrava pela mesma e refletia na parede iluminando o local vazio. O castanho suspirou, pensando que não poderia ter alguém lhe olhando se estava sozinho em casa. Um brilho lhe chamou a atenção então ele se abaixou pegando uma moeda que apareceu no chão.

Seus olhos se encheram de lágrimas e ele voltou a olhar para a janela, vazia. O mesmo se lembrava de uma história que sua avó havia contado que ao se encontrar uma moeda significava que seu anjo da guarda estava próximo. Ele não acreditava em nada assim, mas uma faísca de esperança nascia em seu peito.

- Myungsoo-ah – ele sussurrou – Eu te amo – então beijou a moeda, a guardando no bolso em seguida. O moreno sorriu, fazendo uma lágrima cair pelo seu rosto. Nada poderia prever a morte precoce dele por conta de um câncer avançado. O sofrimento foi tanto para um quanto para o outro até que terminou com a vida de um deles, levando também a do castanho. Sungyeol manteve a casa como sempre, enchendo com fotos deles juntos ou de Myungsoo sozinho.

Seus quadros, muitos deles onde seu amor era representado ficava no atelier que era muito visitado por Sungyeol. Se ninguém soubesse que a casa só tinha um morador, iria imaginar que Myungsoo ainda existia ali. E não poderia estar mais certo. O moreno ia viver ali, alimentado pelas memórias e pelo amor que o mais novo tinha por ele, esse que existiria para sempre até que se encontrassem em uma outra vida para que pudessem compartilhar dele.



Você precisa estar aqui para ser o paraíso
É nesse paraíso que vou te trancar mesmo que você não queira
Um triste paraíso de onde você não poderá sair mesmo estando acordada
Um paraíso onde poderemos ficar juntos para sempre

 


Notas Finais


aaaaaaaaaa /foge da morte
e ain gnt que vcs acharam? comentem plx
que dó do myungsoo ne nom/apanha
a unniecornio ama vcs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...