História Body on Me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anne Hathaway, Cate Blanchett, Helena Bonham Carter, Rihanna, Sandra Bullock, Sarah Paulson
Personagens Cate Blanchett, Personagens Originais, Sandra Bullock
Tags Cate Blanchett, Originais, Sandra Bullock
Exibições 24
Palavras 1.588
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, vocês sabem que eu sou a louca da fanfic, né? Pois é, e eu decidi fazer uma da Cate com a Sandra.

Antes que vocês encham a porra do saco falando que eu sou louca por shippar elas porque a Sandra namora e a Cate é casada, lembrem-se que isso é só uma fic, e não a vida real, e se vocês não shippam é simples: Não leia.

Enfim, espero que gostem. Esse é só o primeiro capítulo então não tem muito delas juntas, mas enfim, vai ter muito delas juntas ainda. Eu vou basear a fanfic na narração da Sandra, dificilmente na narração da Cate.

BTW, comentem o que acharam!

Capítulo 1 - Capitulo 1.


10 de Junho, 2016. – Segunda feira.

Eram 13h da tarde. Eu estava atolada de coisas para fazer, e tinha uma reunião ás 15h. Nos últimos dias o stress me consumia completamente. Eu estava sempre na ativa, além de ter viajado demais nos últimos dias e ter trabalhado em intervalos pequenos.

Eu tentava passar a maior quantidade possível de tempo com as crianças enquanto eu podia, até porque o trabalho me consumiria muito a partir de hoje. Eu me mudaria por um tempo para New York e isso me deixará ainda mais longe da minha família, mas essas, infelizmente, eram algumas consequências do meu trabalho...

Desci depois de ter escolhido uma roupa para usar e me apressei o máximo possível para conseguir chegar a tempo. Fui até a cozinha em busca de um suco de caixinha ou qualquer outra coisa para forrar meu estomago no caminho, já estava mais do que atrasada.

- Não vai esperar o almoço? – Bryan falou comigo sem tirar os olhos do notebook enquanto trabalhava em algumas fotos.

- Não vai dar tempo. Não posso chegar atrasada nessa maldita reunião. – Peguei a bolsa, uma das mil pilhas de papel com os meus scripts e o meu suco. – Voltarei em breve, me espera para o jantar. – Beijei-o rapidamente.

- Ok. – Sorriu. – Você deveria parar de trabalhar tanto.

- Eu não consigo. – Peguei as chaves do carro. – Até depois, baby.

Eu não esperei Peter, já estava atrasada demais, e quando lembrei de tê-lo deixado para trás já era tarde.

A reunião seria em um estúdio em sabe-se lá deus onde, eu apenas coloquei no GPS, e dei a volta no planeta para chegar, o que acabou me atrasando e me estressando mil vezes mais.

Entrei correndo no maldito lugar e por sorte eu não era a única atrasada. Cate também estava atrasada, então decidiram esperar. Nem todos do cast poderiam estar presentes nessa reunião, o que não era bom, mas estava cada vez mais impossível de nos juntar em um dia exato.

- Eu não sabia onde isso ficava. – Sorri e fui em direção a Gary, cumprimenta-lo. – É muito longe, não julgo quem se atrasa.

- Não tem problema. – Me puxou uma cadeira e sentou-se ao meu lado. – Você e a Cate já se conhecem?

- Eu conversei com ela umas duas vezes em 2014, mas não somos amigas intimas.

- Entendo... Mas eu acho que é uma boa ideia colocar vocês juntas, vocês tem ótimos trabalhos e atuações de destaque, espero que se deem bem.

- Iremos tentar ao máximo! – Sorri e reparei que ela havia entrado na sala.

Ela cumprimentou a todos da sala, e por último, a mim.

Algo estava um pouco diferente de quando nos conhecemos em 2014, e eu também deveria estar. Não que isso seja importante, mas eu sempre reparo demais nas pessoas.

Quando nossa reunião começou, falamos sobre como seriam as nossas rotinas, locais de gravação e um pouco sobre os personagens. Eu cheguei a ler uns dois ou três scripts intercalados com o dela, mas não sabia exatamente como seria entre nós.

Eu começaria o filme, com uma pequena introdução, e ela viria logo em seguida.

A reunião durou umas duas horas de chatices e cafés, até que, enfim, finalizamos. Gary nos convidou para um jantar em um dos restaurantes ali próximos, mas eu não poderia ir. Estava com as crianças á minha espera e prometi para Bryan que jantaria com ele hoje.

- Você não vai? – Cate me perguntou, me dando um beijo na bochecha de despedida. – Precisamos nos conhecer melhor, eu não te vejo desde o Oscar! – Riu.

- Pois é, o maldito Oscar... – Rolei os olhos em tom de brincadeira; - Eu na verdade prometi para as crianças que jantaria com eles, e sabe como é quando não se cumpre promessas para crianças.

- Sei bem como é, também fiz essa promessa hoje, mas quero conhecer o elenco melhor. – Eu assenti e ela fez o mesmo, o que me fez pensar. – Bem, iremos ao Craigs. Você sabe bem onde fica, não é?

- Sim, sim. Eu sei. – Pensei duas vezes e mesmo com o coração doendo, resolvi quebrar minha promessa mais uma vez. – Bem, eu vou com vocês. Só preciso ligar para o meu namorado e avisa-lo, e enfim... encontro com vocês lá.

Eu liguei para o Bryan umas cinquenta vezes e ele não atendeu. Mandei uma mensagem que chegaria tarde novamente e que ele não precisava me esperar. Ultimamente isso vem gerando algumas discussões entre nós dois por eu trabalhar demais e esquecer de outras coisas importantes pra nós, mas era necessário e ele tinha de entender.

Eu cheguei no Craigs pouco mais de 10 minutos depois de todos e me acomodei na mesa. Sentei-me ao lado de Cate para podermos conversar um pouco mais, precisávamos nos conhecer ao mínimo.

Falamos sobre trabalho, família e crianças. Ela se espantou quando falei sobre Bryan e rimos ao relembrar de todos os boatos sobre mim e o George Clooney estarmos juntos. Sempre queriam arranjar alguém pra mim.

Brincamos sobre o Oscar de 2014, e perguntei a ela se ela conseguiu realmente assistir "Gravity" mais de mil vezes como disse no discurso.

- O que mais elogiaram nesse filme foram as minhas pernas. Minha atuação ficou ofuscada em comparação a crítica do meu corpo. – Ri e bebi a quarta taça de vinho. – Meu deus, eu não sei como vou dirigir hoje.

- Suas pernas realmente estão bonitas no filme, não tem como não reparar. Aliás, eu queria saber qual é o seu segredo para manter esse corpo, porque eu não consigo! – Falou e bebeu de seu vinho.

- Eu faço muita academia, mas não deixo de comer doce porque com duas crianças em casa é impossível.

- Eu entendo perfeitamente! Ter quatro filhos as vezes te impede de ser magra.

- Sim... mas é muito bom ter uma família...

Ficamos conversando até tarde com todos do cast, e eu e Cate trocamos números de telefone. Eu não deveria estar indo embora dirigindo por ter bebido mais ou menos uma garrafa de vinho, mas não teria outro jeito.

Não iria mandar Bryan me pegar porque ele provavelmente estava uma fera, ainda mais porque eu não atendi o telefone. Isso renderia uma briga, provavelmente.

Quando cheguei em casa, tudo estava apagado. Eu tirei o sapato e subi as escadas sem fazer barulho, fui até o quarto das crianças e os observei dormir, indo para o meu quarto em seguida. Bryan estava me esperando acordado, mexendo no controle da televisão.

Eu não falei nada, apenas tirei o casaco e a blusa, indo em direção ao banheiro. Ele não falou absolutamente nada, e me irritou um pouco, mas eu não iria discutir, pelo menos não hoje.

Depois de sair do banho, coloquei a camisola e me deitei ao lado dele, pronta para apagar o abajur, mas ele me interrompeu antes.

- A Laila chorou. – Fechei meus olhos e respirei fundo antes de virar de frente pra ele. – Mais uma vez, ela chorou, porque você não cumpriu a sua promessa.

- Eu não pude evitar, Bryan. Eu precisava conhecer as pessoas com quem eu vou trabalhar.

- Você foi beber, Sandra. – Aquilo me irritou profundamente. – Sua boca está cheirando a vinho. Deveria tentar mentir novamente.

- Vá se foder, Bryan. Eu fui conversar com a Cate antes do teste de química, ela vai trabalhar comigo por dois anos. Você está com ciúmes ou alguma outra coisa insuportável e fica com esse inferno de sempre achar alguma coisa para me criticar. – Apaguei o abajur.

- A sua filha chorou pela sua ausência, Sandra. O problema não sou eu, é ela e o Louis. Você está trabalhando demais, isso prejudica não só a você, como também a eles. É só você tentar olhar o meu lado, também. – Ele desligou a televisão.

- Bryan, eu sei estar presente para os meus filhos, e eu sei o que eu estou fazendo. Se não está bem pra você, infelizmente eu não posso fazer nada. Eu sei que eu errei ao não vir embora, mas não vai acontecer de novo.

- Tudo bem, Sandra. Eu não vou mais insistir porque você não escuta o que eu falo.

- Bryan, eu vim pra casa rezando todas as orações existentes nesse mundo para não brigar com você, mas você é mais criança do que os meus filhos. Você diz que eu trabalho demais, mas você também trabalha, e todas as vezes que eu quero ficar com você, você está ocupado. Eu não sei o que é sexo há quase um mês, e você acha mesmo que é só você quem está cansado e estressado? Não é! Mas você prefere brigar comigo o tempo todo ao invés de aproveitar o nosso tempo juntos. – Ele permaneceu em silencio. – Eu me diverti muito mais "bebendo" com a Cate do que vindo pra casa brigar com você!

- Boa noite, Sandra. – Se deitou de costas para mim e apagou o abajur.

- Você vai para NY comigo? – Perguntei e não obtive resposta. – Bryan, eu te fiz uma pergunta. – Ele continuou em silencio. – Bryan!

- Vou, até porque iremos levar as crianças. Que inferno, aonde você está com a cabeça, Sandra!? 

Merda.

- Eu me esqueci. – Virei de frente para ele e abracei suas costas. – Eu estou com saudades... – Ele abraçou as minhas mãos mas soltou logo em seguida.

- Eu também estou. – Virou de frente pra mim e me encarou, pareceu pensar sobre algo, mas não disse absolutamente nada. – Boa noite, Sandy.

- Boa noite.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...