História Boku no Hero Academia - Fanfic Interativa ( Capítulo 4 ) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Bakugo Katsuki, Midoriya Izuku, Personagens Originais, Todoroki Shouto, Uraraka Ochako
Tags Boku No Hero, Zueir
Visualizações 40
Palavras 1.820
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Festa de Boas Vindas


Fanfic / Fanfiction Boku no Hero Academia - Fanfic Interativa ( Capítulo 4 ) - Capítulo 7 - Festa de Boas Vindas

Capitulo 7

Passou 1 semana, e já chegou o dia da festa. Seria ás 18:00, e meia hora antes Midoriya resolveu se arrumar para o evento. Ele tomou um banho, lavou o seu cabelo e tentou dar um jeito neles, passando gel e pente, mas as ondas naturais de seus fios voltavam a desafiar as leis da gravidade. Ele bufou, mas deu de ombros e resolveu pegar uma roupa. Ele vestiu uma camisa polo verde, uma calça jeans (não justa como a do menino arrogante do teste) e seus velhos tênis vermelhos. Ele nunca se separava daqueles calçados.

Ele resolveu levar um casaco para no caso de esfriar, se despediu de sua mãe e foi em direção ao carro de seu pai. Ele e seu pai não conversaram muito no caminho, que estava estranhamente rápido, já que a avenida que ficava a escola tinha bastante trânsito naquele horário. Quando chegaram ao local e Deku abriu a porta, seu pai finalmente falou, com um sorriso malicioso:

- Vê se pega aquela menina que você conheceu no teste, em? – os olhos verdes do homem estavam brilhando. Midoriya nunca foi do tipo que “pegava todas”, e nunca teve vontade. E não foi naquela noite que teria, então respondeu:

- Cala a boca! – ele revirou os olhos, e fechou a porta com certa força.

Ele não sabia exatamente onde ficava, mas então viu rostos conhecidos em uma fila enorme em direção a uma porta, que tinha um placa logo acima, onde podia – se ler em letras maiúsculas e grandes “ SALÃO DE EVENTOS”.

Ele foi em direção à fila, e vários murmúrios tomaram conta do lugar. Midoriya fica um pouco envergonhado. Quando chegou ao final dela, em sua frente estava um garoto que ele viu no teste duas semanas átras. Era alto, usava óculos em forma de retângulo, tinha olhos azuis – escuro e parecia muito adulto para um jovem entre 14 e 15 anos.

Quando o mesmo parece perceber a presença de Deku, vira e parece surpreso.

- Você é aquele garoto que salvou aquela menina de ser esmagada?- ele ergue uma sobrancelha e aponta o dedo indicador para Midoriya.

- S-sim – respondeu.

O jovem suspira e abaixa a cabeça. Parece estar com vergonha de admitir algo.

- Sério, o que você fez... Foi incrível, e muito heroico. Apesar de você não ter feito nenhum ponto, aquilo realmente mereceu ser levado em conta... E também confesso que você é bem melhor que eu.

- Que isso cara! Você tem uma individualidade até que bem legal... – disse Midoriya, com um sorriso tímido no rosto.

A conversa rendeu muito bem, até que, quando se deram conta, já era a vez de Tenya lida, o nome do mais novo amigo de Deku. Ele apresentou o convite para o segurança, um negão grande, que verificou o nome de lida em uma lista de convidados e liberou a saída do mesmo, que adentrou o local, e ficou parado esperando Midoriya, que também teve sua entrada liberada.

A festa estava muito animada, e tocava uma música dance bem alta. Muitas pessoas estavam dançando. Tinha luzes coloridas iluminando o local que estava escuro, e uma bola prateada e brilhante típica de balada.

Os meninos pareciam não estar muito no clima super alegre do evento, então eles se sentaram em uma mesa que ficava mais afastada do som e das pessoas se divertindo na pista de dança. Eles pareciam estar mais aliviados e a vontade com a atmosfera mais calma.

Os dois trocaram idéia sobre várias coisas, animes, mangas, games, polêmicas, garotas, e coisas do gênero. Eles estavam falando agora sobre Death Note.

- Cara, eu tenho aquele caderno! Eu comprei num evento de anime que aconteceu um dia antes do teste de admissão! – comentou Tenya lida.

- Eu ia, só que... Eu tinha que resolver algumas coisas – com ”algumas coisas”, Midoriya quis dizer treinar para conseguir sua individualidade.

- Você estava treinando, não é? – perguntou – Eu ia treinar também, mas meus pais disseram que eu havia treinado até demais, e que eu deveria me distrair um pouco.

- Sim, bastante. – o que realmente era verdade.

- Mas... Como é que você se machucou tanto com a sua própria individualidade? – Tenya fez uma pergunta bem complicada de Deku responder.

Deku olhou pra baixo, suspirou, e tentou inventar alguma coisa. All Might disse que ele não podia contar para ninguém, por que isso iria poderia causar muita explanação e muitas pessoas iriam cobiçar o One For All... Quando ia responder, ele sentiu uma pessoa se aproximar da mesa deles.

- Oi, Izuku! – ele reconheceu aquela voz animada e fina. Ele virou a cabeça. Era Uraraka!

- O-oi, Uraraka! Como vai? – gaguejou. Não virá ela desde que foram a enfermaria.

- Vou muito bem! E você?

- T-também

 Lida estava prestando bastante atenção na conversa dos dois. Uraraka pareceu finalmente ter percebido a presença do mesmo.

- A, oi, não te vi até agora. Eu sou a Ochaca Uraraka, prazer – ela estendeu educadamente sua mão para o garoto, que retribuiu.

- O prazer é todo meu. Eu me chamo Tenya lida. – ele deu um grande sorriso. Até que ele pareceu finalmente reconhecer ela – Pera, você não foi a garota salva pelo Midoriya?

- F-fui sim – respondeu timidamente.

-Você deve estar muito agradecida por ele. Ele salvou a sua vida. – ele agora tinha um olhar e um sorriso malicioso.

- S-sim, estou – ela corou e abaixou a cabeça, e começou a bater seu dedo indicador um no outro, um gesto bem familiar para Midoriya, que estava muito corado assim com a garota naquele momento.

Uraraka resolveu mudar um pouco de assunto. Sem cerimônia, se sentou na mesa.

- Não é incrível passar nesta escola? Sempre foi meu sonho, e nunca pensei que realmente fosse acontecer isso.

- Com certeza! Isso foi uma honra a minha família, e claro, a mim! – exclamou Tenya.

Bom – começou Midoriya – pra mim isso realmente era impossível.

“Merda!”, Deku se deu conta que acabará de falar besteira.

- Porque realmente impossível? – perguntou em uníssono lida e Uraraka. Eles se olharam, surpresos.

Deku tentou achar uma resposta rápida. Então, respondeu:

- B-bom, e-eu não tenho muita habilidade de controlar o meu poder.  Como vocês puderam ver no teste, me machuquei pra caralho, e fui parar na enfermaria. E, tipo, saber que eu mesmo assim passei, ainda parece um sonho. E agora, eu tô muito feliz.

Os dois deram dois leves sorrisos compreensivos. Uraraka abriu sua bolsa, e pegou uma garrafa de bolso. Os meninos olharam surpresos para Uraraka.

- Ei, porque você tá com isso na sua bolsa? Você sabe que adolescentes não devem beber, não é? – advertiu lida. Não era a toa que ele dava uma impressão de ser um adulto.

- Qual é o problema, cara? É uma festa, ficar um pouco mais animada não vai fazer mal algum. Álias, eu não sou nenhum tipo de alcóolatra, pra sua informação. – ela deu um grande gole da bebida, e então fez uma careta e botou a língua pra fora.

- Que bebida é essa? – perguntou Deku, apesar de não estar interessado, já que queria apenas puxar assunto

- Tequila! Sério, experimenta pra ficar mais no clima!

Midoriya deu uma olhada ao redor. Apesar de não estarem servindo álcool, viu Bakugo, Kirishima e outros adolescentes cambaleando e falando alto e de maneira arrastada. Eles pareciam estar se divertindo bastante. Porém, a maioria dos convidados da festa estavam com uma garrafa de bolso ou um copo que parecia conter bebida alcóolica e bebiam, e mesmo não estando realmente bêbados, pareciam animados e bem sociáveis.

- Ok, me dá aqui. – Ochaca passou o recipiente para o menino, que deu grande gole. O líquido caiu em sua garganta rasgando, e ele deu uma careta bem engraçada, e depois botou a língua pra fora, e tossiu – Que troço amargo pra porra!

Uraraka deu uma risadinha: - É tequila, parça! É lógico que é amargo!

Tenya balançou a cabeça negativamente: - Vocês, dois...

- Para de tratar a gente como se fosse nosso pai! A gente tá numa festa, vamos curtir pelo menos um pouco! – ela se levantou da cadeira, um pouco desajeitada, e tentou abrir a boca de lida, e quando conseguiu, botou um pouco da bebida dentro de sua boca, e sem querer o garoto engoliu. Tenya pareceu ter ficado bem bravo.

- PUTA MERDA, URARAKA, PORQUE VOCÊ FEZ ISSO?! – ele ficou bem puto, realmente.

A adolescente deu uma risada bem gostosa. Ela achou engraçado aquele garoto, tão “certinho”, ter falado tantos palavrões: - Vou dizer pela terceira vez: CALMA! RELAXA! ISSO É SÓ A MERDA DE UMA FESTA! – ela balançou a cabeça. – Vamos pra pista de dança se divertir, afinal. Lá deve tá sendo bem foda.

Então, o trio foi até o local, e realmente estava bem foda por ali: Tava tocando Mc Lan, todo mundo estava dançando, todo mundo estava bêbado, todo mundo se pegando.. Enfim, o clima estava bem animado!

Midoriya conversou com várias garotas e garotos, entre elas, as irmãs gêmeas Matsumoto (ela gostou mais de conversar com a Sakura, apesar de ser mais fechada e com opiniões vagas e sinceras até demais, já que Mari estava tão lokona que mal conseguia falar), Shiemi, a garota com quem Bakugo conversará e inclusive dançou naquela festa (gostou de verdade dela e já se tornaram grandes amigos. Deku nunca imaginou que seu circulo de amizades fosse aumentar tanto!), e percebeu que a garota estava de olho em um garoto que tinha um cabelo meio branco, meio vermelho, que se chamava Todoroki Shouto, Asui, ou Tsuyu como prefere ser chamada, Denki Kaminari, Jirou, entre outras pessoas, a maioria interessada na individualidade dele e no que fez no final do teste de admissão.

Uraraka e tenya também socializaram bem na festa, e ambos os três dançaram muito. Até que Mari Matsumoto, quase sem forças para ficar em pé ( a sua irmã que ajudava ela a se manter firme no chão) se levantou em cima de uma cadeira, então falou, com a voz bem embargada:

- OIIIIII PESSOAAAAAAAAAALLLL, AGORA EU VIM DAR UM AVISO PRA VOCÊS!!!!!!!!!!!!!!!! NO FINAL DESSA FESTA, QUEM QUISER IR A UMA AINDA MAIS ANIMADA, PODEM ME ACOMPANHAR PARA A MINHA MANSÃO SUPER FODA, QUE FICA AQUI PERTINHO.... QUEM QUER IR COMIGO?????

Um monte de gente se animou, e disseram sim em coro, inclusive Midoriya, Uraraka e Tenya lida (sim, Tenya lida). Então, a irmã de Mari, Sakura, tirou Mari da cadeira e pareceu conversar sério com a irmã, provavelmente por causa da festa. Mas, depois de uns 10 minutos, Sakura revirou os olhos e pareceu finalmente concordar com aquilo.

Depois de umas 2 horas, a festa havia acabado, e como prometido, Mari guiou o pessoal para sua casa. Nunca se viu naquela avenida tamanho grupo de adolescentes. Quando chegaram aquela enorme casa, todo mundo ficou impressionado: aquilo realmente era uma mansão!

- VENHAM PESSOAAAAAAAL, ENTR... – mas ai, a gêmea Matsumoto desmaiou.

 


Notas Finais


O capitulo 8 vai ser MUITO LOKO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...