História Bond to You - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Grimmjow Jaegerjaquez, Orihime Inoue
Tags Grimmhime, Grimmjow, Grimmjow Jaegerjaquez, Orihime, Orihime Inoue
Exibições 135
Palavras 1.484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello Everyone <333

Não, isso não é um sonho ou uma ilusão @_@
Sim, isso é um capítulo x-x

Sei que estou MUITO sumida. Mas... Vocês já sabem a minha desculpa né? :x

Espero que gostem

rawr ~

Capítulo 44 - Company


Fanfic / Fanfiction Bond to You - Capítulo 44 - Company

Já havia passado a hora do almoço quando Orihime estendia algumas roupas em um varal não muito distante de sua casa. A tarde ensolarada, o céu azul carente de nuvens não indicava qualquer sinal de chuva. Uma ótima oportunidade para secar as roupas molhadas, que haviam se acumulado no cesto de roupa suja.

Junto da jovem estava Cero, este parecia querer brincar com os tecidos úmidos que se remexiam lentamente com o gentil vento da tarde, fazendo a moça rir da atitude do gato gigante. Longe deles estava Grimmjow, o azulado tinha um leve sorriso nos lábios observando Orihime com os braços cruzados, encostado a uma das pilastras de sustentação presentes na varanda da simples residência da jovem.

Os orbes safiras do rapaz se estreitaram ao ver seu leal felino parar de brincar e encaram alguma coisa em meio às árvores escuras e depois desviar a sua atenção para o seu mestre, um silencioso alerta do feroz jaguar.

Grimmjow imediatamente franziu o cenho enquanto direcionava o olhar para o local indicado por Cero, seus olhos treinados vasculhavam as inúmeras árvores e vegetações até conseguir ver uma certa figura encapuzada esconder-se entre os galhos dos arbustos cobertos por folhas.

O azulado calculou a distância entre ele e tal figura suspeita, percebendo que quem estivesse ali, não conseguiria vê-lo. Porém tinha completa visão de Orihime e Cero. O rapaz de cabelos azuis desencostou-se da pilastra e fez um simples sinal com uma de suas mãos para seu leal jaguar, indicando que deveria ficar próximo de Orihime.

O forte azulado discretamente entrou na residência de sua amante e buscou sua espada, saindo pela porta dos fundos e contornando a casa de forma que aquele maldito que se demonstrava uma ameaça não conseguisse vê-lo.

Em pequenos minutos Grimmjow já estava próximo daquele ser encapuzado que parecia ligeiramente interessado em Orihime e em Cero. Sem cerimônia alguma, o azulado chutou aquele indivíduo e direcionou a espada para o pescoço dele, prestes a dar o golpe final.

- G-Grimmjow! Senhor! – gritou a voz grave do homem, este mantinha as mãos levantadas indicando rendição e surpresa para com a presença de Grimmjow.

Apertando os olhos, o azulado imediatamente reconheceu aquela voz e rasgou aquele capuz que escondia o rosto daquele indivíduo e arregalou os seus orbes safiras ao ver aqueles longos cabelos loiros e os olhos castanhos daquele homem.

- Mas que merda Yylfordt! – exclamou o azulado irritado – Eu podia ter te matado! – falou o azulado ainda mantendo a espada próxima ao pescoço do loiro.

Yylfordt piscou perante as palavras de seu senhor, encarando a afiada e gelada lâmina que roçava em sua pele clara.

- Primeiramente, será que o senhor não poderia tirar essa espada da minha garganta? – perguntou o loiro no chão, engolindo em seco.

Grimmjow bufou alto enquanto embainhava e guardava sua espada, oferecendo a mão para o amigo se levantar. Yylfordt aceitou a ajuda do rapaz de cabelos azuis, levantando-se daquele chão úmido e coberto por folhas.

Grimmjow assistiu o loiro levantar-se e tentar limpar parte da sujeira que havia impregnado em suas roupas. O azulado embainhou a afiada espada, prendendo-a na cintura e cruzando os braços, perguntou:

- O que tu tá fazendo aqui, Yylfordt?

- Não é óbvio? – ironizou o loiro ainda limpando suas roupas – Procurando o senhor. – ele parou quando percebeu que toda aquela terra não sairia de suas roupas e imitando o irritado azulado, cruzou os braços e desviou sua atenção para seu líder de cabelos azuis – Nós estávamos preocupados, chegamos a pensar que o senhor tinha morrido. – Yylfordt assistiu Grimmjow arquear uma de suas zangadas sobrancelhas, indicando que continuasse – Estranhamos o Cero não ter voltado então o Shawlong decidiu nos dividir em algumas direções. E aqui estou eu.

- Entendi. – falou o azulado, processando toda aquela informação – De quem foi a ideia de usar o Cero? – questionou Grimmjow curioso.

- Minha senhor.

O azulado assentiu lentamente não pareceu surpreso com a resposta do companheiro de longos cabelos loiros, Yylfordt além de um companheiro de batalha confiável, possuía certa criatividade para com situações complicadas.

- Todos estão bem? – perguntou Grimmjow de forma séria.

- Alguns morreram, mas boa parte sobreviveu.

- Ótimo. Vocês estão aonde?

- No esconderijo Adjucha, senhor. A oeste daqui, mais ou menos quatro dias de viagem. – respondeu Yylfordt prontamente.

O rapaz de cabelos azuis levou a mão direita até o queixo quadrado, pensativo. Os orbes safiras dele estavam baixos, fitando o chão, enquanto ele parecia calcular a distâncias entre os locais, ao chegar a uma conclusão, disse:

- Então seriam quase seis dias até o Arrancar... – comentou Grimmjow.

- Ao Sul daqui, mais ou menos isso, sim. – falou o loiro de olhos castanhos.

- Certo, eu quero que todo mundo vá para o Arrancar, lá podemos nos defender de qualquer ataque que aqueles merdinhas inventarem de fazer.

- Sim, senhor. Avisarei o Shawlong. – Yylfordt parou por um segundo ou dois, refletindo as palavras de seu superior e continuou – Por acaso o senhor não virá comigo?

Os orbes safiras de Grimmjow encararam o loiro ao ouvir tal simples pergunta. Logo os desviando para uma outra direção.

- Não, eu tenho que resolver algumas coisas aqui antes de partir. – respondeu Grimmjow de forma evasiva.

Yylfordt juntou as sobrancelhas, estranhando as palavras de Grimmjow, o loiro se perguntava o que poderiam ser tais “coisas” que o seu superior de cabelos azuis teria que resolver.

- Hm... Entendo. – respondeu o loiro desconfiado – Então irei partir imediatamente, e avisar a todos. – falou o rapaz de longos cabelos dourados, fazendo uma breve reverência ao azulado, prestes a se retirar.

- Espera, Yylfordt. – falou a grave voz de Grimmjow – Tenho algumas exigências.

Os olhos castanhos de Yylfordt imediatamente encararam a séria figura de seu líder, este mantinha uma postura ereta, com os braços ainda cruzados acima do peito e parecia observar alguma coisa ao longe.

- Senhor? – falou o loiro esperando pelas ordens de Grimmjow com certa curiosidade.

- Quando vocês chegarem ao Arrancar, quero que preparem o meu quarto e que limpem tudo.

Yylfordt se permitiu levantar uma de suas sobrancelhas loiras, estranhando aquele pedido que era no mínimo óbvio.

- Claro senhor. – falou o rapaz desconfiado.

- E mais uma coisa. – o azulado parou por alguns segundos, refletindo as palavras que estava prestes a falar – Livrem-se de todas as mulheres.

O loiro juntou as sobrancelhas enquanto arregalava os olhos em completa surpresa, Yylfordt estava completamente confuso estranhando as palavras do azulado.

- De quais mulheres estamos falando? Sobre as servas ou as... – o loiro não conseguiu completar a frase diante de sua descrença. Para Yylfordt aquilo era simplesmente impossível de acontecer.

- Essas mesmas. – respondeu Grimmjow de forma direta, já estava perdendo a paciência com os questionamentos de seu companheiro de guerra.

- O senhor vai se livrar do seu harém?! – exclamou o loiro em extrema surpresa e descrença.

- Não me faça perguntas, Yylfordt, apenas faça o que eu mandei! – ordenou o azulado visualmente irritado.

- M-Mas senhor! – insistia o loiro ainda tentando acreditar no que havia escutado momentos atrás. Yylfordt parou por alguns instantes. Resolvendo seguir o olhar de seu superior até encarar a imagem longínqua de Orihime brincar com Cero no meio do jardim. Piscando, incrédulo continuou – Espera um pouco, o senhor planeja levar essa camponesa para o nosso palácio?

Grimmjow fechou os olhos com força, desejava dar uns bons socos em Yylfordt para fazê-lo calar-se de uma vez e fazer o havia ordenado, o silêncio do azulado e a carranca irritada foram interpretadas pelo loiro como uma afirmação e ainda mais surpreso, comentou:

- E-Eu devo ter batido a cabeça, isso não está acontecendo... – murmurou o loiro levando a mão até os longos fios dourados, massageando o couro cabeludo.

- Ela salvou a droga da minha vida tá legal?! – exclamou Grimmjow irritado, tentando se justificar e dar por encerrada aquela discursão dispensável.

- Mas isso é um motivo para deixa-la em paz e não a envolver ainda mais! – retrucou o loiro fazendo jus a sua inteligência - Tem certeza que quer fazer isso?!

- Yylfordt chega de perguntas, tá?! Apenas faça o que eu mandei! – falou o azulado sem paciência.

O loiro encarou seu superior de cabelos azuis ainda confuso com tudo aquilo, mas relaxando os ombros e tomando uma postura ereta e séria, Yylfordt disse:

- Sim, senhor. Irei partir imediatamente. – falou o rapaz de cabelos longos com uma breve reverência.

- Certo, eu devo aparecer por lá em alguns dias. – disse o azulado caminhando em direção à casa de Orihime.

Yylfordt assistiu seu superior afastar-se, observando-o com uma expressão séria e ligeiramente preocupada. Não fazia ideia de quais eram as intensões de Grimmjow para com aquela simples camponesa, pensava que poderia ser apenas mais um capricho carnal do azulado, ou quem sabe ele só queria proteger aquela que o salvou a vida. E com a mente bombardeada de dúvidas, a alta figura do loiro adentrou na mata fechada.


Notas Finais


O que acharam? Espero que tenham gostado ><
Eu sei que há muito tempo não posto um capítulo, mas prometo que assim que todo esse processo de TCC acabar, voltarei a postar semanalmente ><
Só tenham um pouco de paciência comigo ><

Qualquer comentário é mais do que bem vindo <3
Sejam críticas, elogios, teorias. Eu adorarei ler e respondê-los assim que possível <3

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...