História Bond to You - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Grimmjow Jaegerjaquez, Orihime Inoue
Tags Grimmhime, Grimmjow, Grimmjow Jaegerjaquez, Orihime, Orihime Inoue
Exibições 77
Palavras 1.330
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello ~~

Como prometido aqui a segunda parte da nossa dobradinha ~ hehe

Espero que gostem!

Capítulo 47 - Bloody Hands


Fanfic / Fanfiction Bond to You - Capítulo 47 - Bloody Hands

Paralisado, os orbes safiras dele assistiram o soldado coberto por tatuagens entrar pela porta com pressa. Ele apertou os olhos identificando o símbolo na braçadeira dourada do soldado e fechou os as mãos em punho ao perceber que aquele forte homem de cabelos vermelhos era o tenente do sexto esquadrão do reino Soul Society.

O tenente o encarou, logo anunciando seu nome de guerra com raiva. Pantera. Maldito nome. Grimmjow mordeu o lábio inferior irritado, se achando um imbecil por não ter escutado seu maldito instinto. Agora se encontrava em xeque. Precisava pensar em uma alternativa, uma saída.

A forte figura do soldado de cabelos vermelhos caminhou até o azulado, apontando a sua grande e afiada espada repleta por dentes na direção de Grimmjow. Orihime assistiu o amigo apontar aquela lâmina para seu amante e imediatamente a jovem soltou-se dos braços de Rukia, correndo até Grimmjow, protegendo-o.

- O que está fazendo Renji?! – questionou a ruiva, colocando-se entre a espada e o rapaz de cabelos azuis.

Renji não a respondeu apenas a encarou assustado com aquela atitude inesperada, mas já suspeitava que a moça não fazia a mais remota ideia de quem era aquele homem.

- Orihime, fique longe dele! – pediu Rukia, atrás de Renji.

- Não! – exclamou a moça – O que está acontecendo? Por que estão atacando o Grimmjow?! – questionava Orihime confusa.

- Orihime. – chamou o rapaz atrás dela, ele tinha a voz séria – É melhor se afastar, não quero que se machuque. – falou o azulado.

- Eu não vou me afastar, Grimmjow! – bradou a moça, dando alguns pequenos passos, ficando ao lado dele – Não até me explicarem o que está acontecendo. – terminou a moça abraçando o rapaz de forma protetora.

- Orihime! – falou a grossa e firme voz do soldado tatuado – Ele é o Pantera!

Orihime juntou as sobrancelhas, franzindo o cenho, em uma expressão de duvida. Nunca havia ouvido falar aquele nome, e não sabia qual seria a relação desse estranho nome para com Grimmjow.

- Pantera? – repetiu a jovem confusa.

- Orihime! – chamou Rukia – Ele é um assassino!

- Um assassino?! – repetiu a moça de cabelos cor de caramelo – Do que estão falando?

Grimmjow assistia a tudo aquilo calado, sua mente trabalhava incansavelmente, buscando por uma rota de fuga. Aquela conversa tava ficando cada vez mais perigosa, mas ele não tinha para onde correr. Os olhos azuis do rapaz se arregalaram ao assistir uma terceira figura entrar pela porta. Um alto homem de cabelos negros, pele clara, dono de frios e orgulhosos olhos azuis escuros.

Assim como Renji, aquele homem utilizava a farda negra do exercito, sua diferença era capa branca que carregava o símbolo de seu esquadrão. Aquela figura silenciosa imediatamente fora identificada por Grimmjow, aquele sujeito era perigoso, forte, habilidoso. Ele era o poderoso capitão do sexto esquadrão Byakuya Kuchiki.

- Ele é um mercenário. – começou a grave voz do homem de cabelos negros.

- I-Irmão... – murmurou Rukia ao observar a elegante figura do capitão adentrando na modesta sala de estar.

- Esse homem trabalha como um assassino de aluguel, senhorita Inoue. – falou o moreno, direto – Ele já trabalhou para nós, em missões de espionagem e assassinato. Contudo ele vinha trabalhando para o reino de Hueco Mundo. Ele não possui honra ou lealdade para com ninguém.

- Ele é um monstro, Orihime! – falou Rukia, na esperança de fazer a amiga de cabelos cor de caramelo sair de perto do rapaz de cabelos azuis.

- Eu não me importo! – falou a ruiva – Ele não fez mal algum a mim, ou a vocês.

Uma quarta figura apareceu, um homem com o rosto coberto por tatuagens. Dono de cabelos e olhos negros. Vestido similarmente como Renji, sua diferença era o símbolo em sua braçadeira dourada. Tenente do nono esquadrão, Shuuhei Hisagi.

- Senhorita Inoue, ele foi o responsável pela morte de muitos de nossos companheiros. – falou o tenente de cabelos negros.

A moça virou o rosto para o peito do azulado, se negando a ouvir a todas aquelas coisas, que na cabeça da jovem eram absurdas. Ela não se importava com o que Grimmjow havia feito no passado. Para ela, ele era gentil, carinhoso, brincalhão. Não um assassino.

- Isso está no passado. Ele não é assim. – falou a moça ainda abraçando o rapaz de cabelos azuis.

- Mas Orihime...! – começou Rukia, tentando convencer a teimosa amiga.

Um rugido pôde ser ouvido ao lado de fora, em instantes a imagem de Cero apareceu, o forte jaguar avançou, pulando, contra o tenente de cabelos negros, afundando as grandes e afiadas garras no peito do rapaz, enquanto seus perigosos dentes rasgavam a pele do ombro direito do moreno. Este gemia de dor, imobilizado. Sentindo aqueles enormes dentes em sua carne. Havia sido pego desprevenido, não esperava encontrar aquele enorme animal ali.

Em um reflexo, Byakuya imediatamente retirou sua elegante espada da bainha, apontando-a para o poderoso jaguar, este apenas rosnava ferozmente, enquanto apertava a mordida no ombro de Shuuhei, obrigando o tenente a gritar com aquela agonizante dor. Uma simples dica, que o jaguar poderia facilmente matar aquele jovem rapaz de espetados cabelos negros.

- Cero. – falou a grave voz de Grimmjow, chamando a atenção do felino. O azulado observou os brilhantes e sedentos olhos dourados do gato gigante lhe encararem, rosnando e mordendo o ombro de sua presa mais uma vez – Não. – ordenou o mestre do jaguar, firmemente.

Cero desviou seus olhos amarelos para sua presa, ainda rosnando ameaçadoramente. Todavia obedeceu ao seu mestre, saindo de cima do rapaz de cabelos negros, correndo até Grimmjow e posicionando-se ao lado do azulado. Mantendo-se em posição de ataque, mostrando os dentes. Cero não hesitaria atacar qualquer um que se aproximasse de seu senhor.

Renji assistia aquela cena com atenção, toda e qualquer dúvida que ele poderia ter sobre aquele suspeito homem, haviam desaparecido. Sem dúvidas aquele misterioso rapaz de cabelos azuis era o tal Pantera.

- Orihime! – chamou Rukia mais uma vez – Saia daí!

- Não saio! Eu o amo! – declarou a ruiva, finalmente.

A declaração da moça surpreendeu a todos ali, Grimmjow não podia negar a garra, a lealdade e a teimosia da jovem ao seu lado. Ele se permitiu abraça-la pela cintura, de forma protetora. Uma forma silenciosa de mostrar a moça que ela não estava sozinha ali, uma forma muda de dizer que ele a protegeria, e ficaria com ela.

Renji e Rukia observavam aquela cena incrédulos, surpresos, mudos. A morena de olhos violetas não conseguia entender como a amiga de cabelos cor de caramelo conseguia ser tão ingênua e explodiu, dizendo:

- Orihime abra os olhos! Ele está te fazendo de idiota! Ele te enganou! – bradou Rukia, tentando apelar para o bom-senso da amiga.

- Não fale isso dele, Rukia! – retrucou Orihime, corajosa.

- Orihime. – falou a firme voz de Renji – Ele matou o Ishida, o Chad... – o soldado parou por alguns segundos observando a jovem de cabelos cor de caramelo ainda teimar em não escutá-lo, e assumindo uma postura mais fria continuou – Orihime, ele matou o Ichigo. – terminou o rapaz de cabelos vermelhos.

Grimmjow sentiu a moça estremecer em seus braços, após ouvir aqueles três nomes. Lentamente ela o encarou com os olhos arregalados, assustada com aquele fato até então desconhecido por ela. Aqueles grandes olhos castanhos claros o encaravam, ele podia ver naqueles grandes olhos – agora marejados – dizerem que ela se sentia traída.

Traída. Essa era exatamente como ela se sentia, sentindo o corpo arrepiar, estremecendo, ela se afastou dele. A moça sentia que havia caído em um precipício escuro. A ideia de estar nos braços do homem que havia matado seu noivo a assombrava. Ela deu alguns passos para longe dele, abraçando seu corpo, tentando segurar-se, temia que pudesse perder o controle de seu corpo a qualquer momento.

Ele entreabriu os lábios, mas não sabia o que dizer à ela. Atreveu-se levantar a mão direita na direção da jovem, uma pequena tentativa de alcança-la, de não perdê-la. Contudo aquela mão que pedia por algum contato fez a ruiva se distanciar ainda mais, assustada.


Notas Finais


Então o que acharam?
Espero que tenham gostado :3
Todo e qualquer comentário é mais do que bem vindo!

Nos vemos mês que vem ~
Byebye ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...