História Boneca de Cera. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camren
Exibições 26
Palavras 2.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sempre tive essa ideia, porem era com outro ship, entao resolvi passar para Camren. Espero que gostem. E, claro, essa estória também está no Wattpad. ;D

Capítulo 1 - The Gift


 

Os barulho do seus saltos ecoavam nos corredores do lugar, fazendo com que as poucas pessoas que estavam la se disperçassem e voltassem ao trabalho. Seus olhos verdes fuzilavam todos que estavam no caminho, ninguém ao menos tinha coragem de olhar lhe nos olhos por mais de cinco segundos sem se sentir intimidado. A mulher seguiu com uma postura rígida ate sua sala, onde empurrou a grande porta de vidro e logo tratou de colocar sua bolsa sobre a mesa e sentar-se em sua poltrona de couro enquanto Allyson, sua tímida secretária, andava em sua direção, colocando algumas papeladas sobre sua mesa antes de falar:

- Aqui está toda a documentação do imóvel alugado da Sra. Morgan.

- Ate que em fim! - exclamou, passando seus dedos sobre a testa enquanto pegava os papeis, dedilhando-os, quando a voz da sua secretária se fez presente novamente.

- A senhorita pretende mesmo fazer isto? - engoliu em seco quando Lauren tirou a atençao dos papeis, olhando-a com uma sobrancelha arqueada. - D-digo.. a Sra. Morgan era uma conhecida de seu pai, ele a ajudava, pois sabia que muitas vezes ela pagava o aluguel atrasado e.. - pausou nervosamente quando Lauren soltou os papeis e apoiou seu rosto com uma das mãos, parecendo realmente prestar atenção no que a garota à sua frente lhe dizia.

- Continue. Ally engoliu em seco novamente enquanto enxugava suas mãos suadas em sua saia social. - Ela é uma senhora de idade, não poderia dar-lhe apenas mais alguns dias? - completou.

- Okay. Agora pode ir, obrigada por trazer a papelada, Brooke. - Lauren pareceu alheia ao que Allyson havia lhe dito, fazendo com que a secretária suspirasse derrotada antes de se retirar.

Lauren apenas se acomodou melhor sobre sua poltrona e cruzou suas pernas enquanto colocava seus oculos para leitura sobre o nariz. Qualquer um que a visse diria que ela odiava aquele trabalho com todas as suas forças, e não estariam errados. Lauren fora obrigada a tomar conta da agência imobiliária de seu pai após seu falecimento semanas atrás em um acidente de carro, Lauren nem ao menos estava no estado quando soube do ocorrido, tivera que deixar sua casa em California para cuidar da agência enquanto sua irmã mais nova não havia completado 18 anos, ja que sua mãe estava abalada demais para assumir o cargo. Lauren havia alugado um apartamento em um dos melhores hoteis de Nova Iorque para sua estadia no lugar - que não seria tão longa, ja que sua irmã Sofi iria completar 18 anos em 2 meses. E, fora o simples fato de odiar aquele trabalho, tinha que lidar com inquilinos que atrasavam seus alugueis. Morgan era uma delas. No entanto não seria mais um problema, a Açao de Despejo ja estava em encaminhamento. Lauren odiava ser contrariada, ou que as pessoas achassem que soubessem o que era melhor para si ou para a empresa do seu falecido pai. Não iria tolerar inquilinos irresponsáveis e, por ser advogada, sabia muito bem utilizar de seus conhecimentos para ferrar várias vidas por ai. O telefone tocou incessante ao seu lado, tirando-a de seus devaneios e trazendo-a de volta aquela realidade chata do seu ambiente de trabalho. Lauren o atendeu.

- Srta. Jauregui? - a voz da sua secretária parecia um tanto quanto nervosa.

- Temos um problema.

Suspirou.

- Que tipo de problema?

- A Sra. Morgan está aqui e quer falar com a senhorita.

Lauren bufou.

- Céus! O que essa velha quer? Eu não vou voltar com a Ação de Despejo. Diga a ela que tenho coisas mais importantes a fazer e não a deixe vir até aqui. - Desligou a chamada, colocando o telefone sobre a mesa.

Durante o resto do dia Lauren não teve mais ligações sobre a mulher, o que a fez acreditar que ela havia desistido do seu provável plano para que não fosse despejada. O que, na mente de Lauren, seria impossível. Porém, ao dar a hora de sua retirada do trabalho, quando estava pronta para sair do pequeno prédio, escutou alguém lhe chamar.

- Senhora Jauregui!

Lauren fechou os olhos fortemente, fazendo uma careta como quem não acreditava no que estava acontecendo, mas ao virar-se, mudou seu semblante para o mais sério possível. E la estava ela, Morgan, usava um vestido estranho de cor creme, chinelos e seu cabelo estava bagunçado, quase se assemelhava a um morador de rua.

- Sim? - respondeu impassiva, arqueando uma de suas sobrancelhas.

- Sinto muito por Mike, ele era um bom ho..- Lauren a interrompeu.

- Céus, apenas fale. - Cruzou seus braços contra seu peito enquanto olhava ao redor, percebendo que algumas pessoas as observavam curiosas. A idosa comprimiu seus lábios e segurou suas próprias mãos, nervosa.

- Eu sei que atrasei o aluguel, peço desculpas por isso..- ela abaixou a cabeça. - Apenas lhe peço que me dê mais um tempo, as vendas estão escassas, e eu realmente preciso daquela casa a qual fiz minha loja..

Lauren suspirou impaciente.

- Há outras pessoas que querem o imóvel, não irei nega-las para que uma mulher, que nem ao menos paga seu aluguel, fique lá. - Descruzou os braços, colocando novamente as mãos sobre a porta de vidro. - Se era pra isso que veio aqui, sinto lhe dizer que não mudarei de ideia quanto à Ação de Despejo, Sra. Morgan. - Voltou a empurrar a porta de vidro, mas antes, lhe disse. - Irei mandar um caminhão para pegar suas coisas amanhã, então peço que facilite as coisas e comece a desmontar aquele chiqueiro hoje. Você está perdendo tempo aqui. Passar bem.

Lauren saiu do prédio e foi em direção ao seu carro no estacionamento com passos longos, rapidamente entrando no mesmo e dando a partida. Ela estava olhando para o retrovisor antes de dar a ré, porém, quando o espelho mostrou o reflexo da velha senhora em frente a grande porta de vidro, ele quebrou. Lauren se assustou quando os pedaços de vidro caíram sobre seu colo, ela apenas pegou um pequeno espanador do porta-luvas e tirou os cacos do seu colo, os derrubando no chão do carro enquanto xingava. Quando olhou novamente para a direção onde a idosa estava, percebeu que ela permanecia parada no lugar, seus olhos não saiam um segundo sequer de onde estava e Lauren sentiu um calafrio na sua espinha. Ela manobrou seu carro para fora da vaga e foi embora.

Ao chegar em seu apartamento Lauren tirou seus sapatos e os colocou ao lado da porta, colocou seu casaco no cabide e jogou sua bolsa no sofá e então sentou-se no mesmo, suspirando. Seus ombros estavam doloridos e havia um calo no seu pé que estava a matando. Após alguns minutos de silencio ela ligou a TV e deixou em um canal qualquer enquanto ia até a cozinha beber algo, quando abriu a geladeira não encontrou nada além de cervejas, whisky, energéticos e comidas enlatadas. Ela não sabia cozinhar, nem ousava tentar, sabia que seria um desastre. Então sempre pedia comida pelo telefone ou ia a restaurantes por perto. Pegou uma garrafa de cerveja e voltou ao sofá enquanto a bebia, não havia nada de legal passando na TV naquele horário, apenas alguns Talk Shows e novelas, o que Lauren não dava a minima.

Lauren morava sozinha desde que saiu da casa de seus pais, as vezes o vazio do seu lar a incomodava, porém Lauren não gostava de visitas. Talvez pudesse arranjar um animal de estimação? Não. Lauren também não gostava de animais.

Ela tinha apenas uma amiga, Dinah, que era sua amiga de infância. Apenas ela era acostumada com seu temperamento e humor de um velho de 70 anos. Lauren ja teve namorados, sim, muitos, mas não passavam de 3 meses. Muitas vezes Lauren mesma quem terminava, outras, eles eram quem terminavam sempre pelo mesmo argumento de: "Você é muito fria". Mas ela não levava isso como uma ofensa, e nem mesmo aceitava que isso atrapalhava seus relacionamentos amorosos e até pessoais. Mas ela não se importava.

Quando Lauren desistiu de desperdiçar algum tempo vendo TV a sua campainha tocou uma, duas, tres, quatro vezes. Não poderia ser outra pessoa a não ser sua amiga Dinah, ninguém ousaria tocar tantas vezes assim.

Ela andou até a porta e olhou pelo olho mágico, vendo sua amiga um pouco inquieta do outro lado. Lauren abriu a porta e, antes que a comprimentasse, Dinah entrou como um furacão em sua casa.

- Isso é serio?! - sua amiga andou até o meio da sala, colocando suas mãos em seus quadris.

Lauren não entendeu.

- O quê? - fechou a porta e andou ate ficar de frente com a loira irritada a sua frente.

- Lauren, você expulsou uma idosa de sua casa!

- Tecnicamente, a é dos Jaureguis, ela havia apenas alugado. - Viu o semblante de sua amiga se tornar mais furioso.

- Não tente ser engraçadinha. - Ela respirou fundo. - Você não está na empresa ha pelo menos um mês e faz uma coisa dessas? Aquela mulher era amiga de seu pai! E é uma idosa, onde ela vai morar?!

- Dinah, trabalho e amizade são coisas bem diferentes, se meu pai não sabia separar as coisas o problema não é meu, mas aquela mulher estava ha tres meses sem pagar seu aluguel e aquilo afeta a empresa que, sejamos sinceras, está falida! - pausou.- E ela é velha, vai encontrar um asilo da prefeitura por ai, todo mundo ajuda velhos mesmo. Não tem com o que se preocupar. - Concluiu enquanto colocava a garrafa fazia na mesa de centro.

- Não é questão de trabalho. É questão de ter piedade, de ter sentimentos! - ela se aproximou perigosamente, Lauren quase achou que iria levar um soco. - Todo esse tempo, Lauren, eu tentei te mudar, mas parece que você não tem jeito! Desde que foi para California só piorou! Você não ligava para os seus pais, nem para sua irmã, nem para mim! E agora simplesmente volta achando que pode fazer o que bem entende?! - Cuspiu as palavras em sua cara.

- Você acha que eu não estou sofrendo por meu pai ter morrido?! - se exaltou, sentindo suas veias soltarem em seu pescoço.

- Eu me surpreenderia se você ao menos tivesse sentimentos! - sua amiga gritou de volta.

- Não, eu não tenho. - Lauren controlou sua voz, tentando demonstrar ser o mais impassiva possivel, mas por dentro estava queimando de raiva por sua amiga lhe contrariar e não entender seu ponto de vista. - Saia! - Disse por fim e então Dinah passou pelo seu lado esbarrando em seu ombro com força e, do mesmo modo, fechou a porta.

Lauren rosnou alto e, num momento de raiva, pegou a garrafa sobre a mesa e a jogou contra a parede, xingando Deus e o mundo.

Aliás, como Dinah havia ao menos descoberto sobre aquilo?

Allyson.

Sentiu seu sangue ferver.

Iria demiti-la amanhã mesmo.

Passou sua mão pelo rosto e fechou os olhos fortemente, não acreditando no que havia acontecido minutos atrás.

Quando se deu conta da burrada que havia feito, no caso, de jogar uma garrafa de vidro na parede, Lauren foi ate a dispensa e pegou uma vassoura e uma pá, mas, quando estava prestes a utiliza-las para tirar os cacos espalhados pelo canto da parede, escutou a campainha tocar. Resolveu ignorar e voltou a fazer o que estava fazendo, varrendo o vidro para a pá e os despejando no lixo.

Escutou a campainha tocar novamente.

Iria ignorar novamente, não queria visitas e muito menos conversar com alguém, porém pensou que talvez fosse Dinah.

Pensou que talvez ela tivesse percebido a burrada que fez e tivesse voltado para pedir desculpas. Lauren deixou a vassoura e a pá na dispensa e foi ate a porta, abrindo-a com força e sem checar pelo olho mágico. E o que viu foi, no minimo, estranho.

Havia uma grande caixa de papelão em frente a sua porta.

Lauren desfez sua expressão raivosa e franziu o cenho, confusa. Não se lembrava de ter comprado algo e, mesmo se tivesse, morava em um apartamento e iriam lhe ligar para que descesse e recebesse. Pensou que talvez fosse uma brincadeira de algum de seus vizinhos, mas mesmo assim resolveu examinar a grande caixa a sua frente. Ela era grande, mas ainda sim um pouco menor que si. Viu que havia um adesivo na caixa, a qual estava escrito seu endereço e seu nome, mas não quem havia lhe enviado. Tentou balançar a caixa e percebeu que havia algo pesado e não tão grande dentro dela, por fim resolveu empurra-la para dentro de casa.

Ao deixa-la em sua sala, Lauren foi ate a cozinha e pegou uma faca para cortar a caixa e ver o que havia dentro. Ela começou cortando a lateral do papelão, porém num descuido a faca entrou mais do que deveria e atingiu algo duro dentro da caixa.

Lauren estava cada vez mais curiosa.

Ao cortar sua lateral, Lauren puxou a caixa como se estivesse desembrulhando e, quando seus olhos exergaram o que havia dentro, Lauren sentiu seu coração ir até sua garganta. Deu rapidos passos para trás, apenas parou quando sentiu o sofá em sua coxa e então quase caiu sentada.

Havia uma menina la dentro.

No entanto, depois de alguns segundos a observando, Lauren percebeu que aquela não era uma pessoa de verdade. Mas a semelhança e a perfeição com que havia sido feita era assustadora.

Ela tinha longos cabelos ondulados e castanhos, labios rosados e cheios, pele levemente bronzeada e olhos castanhos que transbordavam inocencia. Vestia um vestido branco com mangas que iam ate seu pulso e sapatilhas também brancas. E era linda.

Céus, parecia tão real.

Lauren se desencostou do sofá e andou ate ela, tocando-lhe a face, sentindo o quanto era dura e como sua textura era lisa. Desceu sua mãos até seu braço, tateando-o, encantada com a perfeição com que havia sido feito. Era uma boneca humana de cera.

Mas quem diabos havia lhe enviado aquilo?


Notas Finais


comentem o que acharam, assim eu posso saber se poderei continuar
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...