História Borboleta Arco-Íris - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Arco-íris, Borboleta, Choro, Crença, Deathfic, Dicção, Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Reencarnação, Tragedia
Visualizações 30
Palavras 638
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Misticismo, Poesias, Shonen-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Só postei porque algumas pessoas me convenceram, segundo elas, isso tá bom kkkkkkk
Eu não ia postar, porque iria deixar apenas guardado!
De qualquer forma, obrigada @HaryuKat por sempre me apoiar. E muito obrigada @Kpoperatroxa, por me fazer postar kkkkk
Espero que gostem!

Capítulo 1 - Asas de Arco-Íris


Uma coisa que eu nunca acreditei fora em reencarnações. Nunca achei que uma alma habitasse outro corpo após o seu antigo ir embora, morrer. Entretanto, meu melhor amigo, Jimin, sempre me disse o contrário. Ele acreditava tanto, mas tanto, que quando via qualquer ser, costumava pensar em qual corpo aquela alma habitava e qual era sua história. 

O meu amigo costumava me dizer uma história que sua avó lhe falava quando ele era menor. Para mim, era um conto bem bizarro e que eu jamais acreditaria, pelo principal fato de eu ser extremamente incrédulo nessas coisas, todavia, o que ele me falava, parecia demasiadamente louco e história para criança dormir. 

Segundo a crença dele e as histórias que a Sra. Park falava, as borboletas eram almas puras que reencarnaram da forma mais bonita, e que teriam uma pequena passagem no nosso mundo para se despedir, por ser uma alma pura e merecer isso. Ele dizia que a borboleta sempre estaria perto da pessoa a qual ela amava, sempre estaria perto dela, como um anjo da guarda, afim de se despedir e cuidar por alguns dias.

É claro que eu nunca acreditei, mas Jimin era tão crente naquilo, que as vezes eu achava bonito sua forma de ver o mundo. E sempre que ele encontrava um ser daquele, a primeira coisa que fazia era observar a cor das asas, para ele, a cor representava a cor da áurea daquela pessoa, e falava muitas coisas sobre sua vida aqui na terra. Eu ria e as vezes debochava; de qualquer forma, achava fofo. 

Jimin uma vez me perguntou que cor eu daria para ele, que cor a áurea dele deveria ser. Eu lhe respondi que ele seria um arco-íris, pois sua personalidade tinha todas as cores do mundo. Ele rira e me agradecera. Naquele dia ele me abraçou de uma maneira tão forte, e disse que me amava. Meu coração bateu forte, e eu não sabia dizer porquê. O garoto se separou e me sorrira da maneira mais bonita que já vi na vida. 

No dia seguinte, eu recebi uma ligação do irmão do Jimin, dizendo que ele estava no hospital, muito doente. Eu nunca me desesperei tanto. Achei que fosse ficar louco. Meu coração doía de uma forma gigante, eu chorava e chorava após descobrir que ele, meu melhor amigo de anos estava com Tuberculose e a beira da morte.

Ainda me lembro como se fosse ontem, quando eu estava em seu quarto no hospital, apertando sua mão e chorando. Apenas senti sua pequena e gordinha mão tocar no meu rosto e fazer-me olhar para ele. Ele sorria, sorria tão lindamente que aqueceu meu coração dolorido por sentir que meu melhor amigo iria partir, mesmo eu tentando me enganar sobre isso.

— Kookie, não chore dessa forma. Eu estarei bem assim que me for, eu estarei feliz e alegre, onde quer que eu esteja. E, estarei te olhando, e te amando mais do que já amo. — e com isso eu chorei mais. Vi uma lágrima descer dos seus olhos, mas ele continuava sorrindo — Eu serei seu arco-íris. Eu estarei te protegendo. Eu estarei ao seu lado. — e assim, seus olhos se fecharam para sempre, ele deu seu último suspiro. Eu chorei, eu chorei muito. Gritei por não poder dizer adeus àquela pessoa que eu tanto amei, que eu não tive coragem de me declarar.

No dia do seu funeral, eu estava muito mal. Não falava com ninguém. Olhava aquele caixão e sua face pálida e minhas lágrimas caíram. Mirei o céu, querendo achar o motivo de merecer aquilo. E ao fazer isso, eu via um belo arco-íris, tão bonito e nítido. Transparecendo seu brilho e cores. Logo depois, uma borboleta de asas coloridas pousou no meu ombro. 

Era ele. Eu sentia.

Ele realmente estaria ali para me proteger. Onde quer que estivesse.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Caso goste da minha escrita, me siga aqui no spirit!
Me digam o que acharam s2
PS: postarei Falso Cupido logo. Prometo!
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...