História Borboletas, as pequenas sensações. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drayta, Originais, Original, Perca, Poemas, Romance
Visualizações 9
Palavras 334
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Poesias, Shoujo (Romântico), Yaoi

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Borboletas, as pequenas sensações. - Capítulo 1 - Capítulo Único.

E todas as manhãs me permitiam o mesmo sentimento, a mesma sanção.

Sabe aquele frio na barriga que chega de mansinho se instala mostrando que o momento é especial e não terá igual?

É quando a pessoa especial chega, ela vem silenciosa, as vezes com face de amiga, aquela arteira que não dá bobeira, pula esperneia e sapateia.

 É algo louco e talvez sem razão, só quem sabe é o coração.

 Aquele que faz tum tum a cada momento, que acelera como se não houvesse amanhã, corre para teus braços em busca de aconchego, sente o teu cheiro.

Mas ao final do dia em meio a noite voa. É o frio mais quente, é a sanção mais ardente, talvez por ser de um amor carente?
Ou por simplesmente amar aquele homem decentemente.

São borboletas como essa que me trazem você em cada dia, cada acaso, sonhos e até mesmo laços.

Me perguntei muitas vezes o significado disso até que um sábio me disse, falou sobre o mais puro amor, sobre os mais tropeços, sobre suas superações, sobre as sensações, e por fim me mandou mostrar.


"O amor não é o mal que tantos falam, nuca serás,  dele deves desfrutar"

Talvez me identificará com aquilo, com os sintomas, mas não com a palavras que antes considerei tolas.

A princípio correria para o hospital, em busca da cura daquele "mal". Mas desse mal eu queria mais, das borboletas eu tinha mais. Porém do teu aconchego, ah esse ao qual cheguei tarde.
As minha palavras tortas tomaram desvios, e em momento de encontro colidiram. Outro lhe mostrava as mesmas sensações que naquele tempo se chamavam emoções.

E se o sábio eu tivesse ouvido o amor não teria perdido, este sentimento incrédulo do certo ou errado me mostrou o pior lado; o lado no qual me desmanchei e por fim deixei.

Antes verá  em seu sorriso, o mesmo paraíso do que não sofrer desse mal amigo.

Desse frío eu abdico e das sensações só lhe tenho como amigo.








 


Notas Finais


Obrigada se leu até aqui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...