História Borbulhas no Vácuo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 0
Palavras 2.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olha, espero que gostem de verdade.. Estou escrevendo essa historia a um tempinho já e assim tem muito de mim nessa historia espero que vcs gostem mesmo FIOEWUHF

Deixem comentários se tiverem alguma duvida se quiserem me dar alguma dica to aceitando JOIDVJSDJ BEIJINHOS

Capítulo 1 - The Girl


Fanfic / Fanfiction Borbulhas no Vácuo - Capítulo 1 - The Girl

Hoje está calor, parece até que a Terra está nos preparando pra o Inferno só pode. É bem contraditório afinal, pois estamos no inverno não era para o clima estar desse jeito. 17 de Agosto para ser mais exato.

Faço 16 anos, acho que vou cortar o cabelo, mas com esse calor não quero sair de jeito nenhum, levanto-me da cama quase me rastejando abro a porta sacada do meu quarto e o bafo quente do ar invade meu quarto.

– Merda, como queria que a senhora do tempo estivesse errada – murmuro fechando a porta novamente.

– Sinto muito filho, mas eu nunca erro nas previsões do tempo – ela fala entrando no quarto.

– Ah... Mãe que droga que susto do... – ela me corta já sabendo que provavelmente falaria um palavrão.

– Repense sobre suas futuras palavras... Não é por que hoje é seu aniversário que vou amolecer para você! Agora continue.

– Que baita susto você me deu mãe... É assim que você acorda seu filho amado? Ainda mais quando foi o dia em que você deu-lhe a vida? – Falo abraçando-a pelas costas ela tenta se soltar, mas não deixo.

 – Sai Leonardo você ta com um bafo de onça! Credo, não escovou os dentes ontem a noite não é mesmo?- aperto um pouco mais meus braços em volta dela. - Está machucando minhas costas – ela fala aos risos – que tal irmos ao shopping agora?

–A senhora vai fazer compras? – ela assente positivamente – Deixa-me ir ao cinema enquanto você vai às compras?

– Pode ser, arrume-se logo! – ela manda e sai do quarto. Pego uma bermuda jeans de lavagem clara juntamente com uma blusa preta com uma caveira na frente, um tênis preto também.

Dirijo-me ao banheiro, tiro a cueca Box, escovo meus dentes, tomo um banho consideravelmente rápido. Saio do meu quarto e desço as escadas correndo, a sala principal está uma bagunça que só. Quando entro na cozinha encontro-me com minhas três irmãs e minha segunda mãe Luciane que no caso é a Governanta da casa. Espera está faltando duas no caso minha mãe e Arabela

– Bom dia. – falo sentando-me em umas das cadeiras vagas do lado oposto onde minhas irmãs estão. – Bom dia Luci.

– O que tem de bom no dia Leonardo? – Rebecca pergunta, ela espera por minha resposta, mas já sei o que ela vai fazer – Nada, isso mesmo!  – Ela responde a própria pergunta, está de mau humor pelo visto.

– Leo o que você vai fazer hoje à tarde? Poderia me levar à casa da Anna hoje? – Raquel a caçula da família me pergunta.  

– Leonardo meu irmãozinho querido... Você não quer me apresentar aquele seu amigo que anda de skate não? – Isabela/ Izzy fala, Ela quer me irritar logo de manhã.

Todas falam praticamente ao mesmo tempo e isso me deixa meio louco.

– Cadê Arabela?  E não Izzy nem sonhando vou te apresentar ao Luke! Levo-te sim Raquel. E Rebecca já acordaste de mau humor!

– Então ele se chama Luke? Bom saber. – Reviro os olhos e descido não falar mais nada a respeito.

 – Arabela saiu hoje cedo. – Luci fala enquanto bate bolo.

– Como assim saiu? Sozinha? Porque ela não me falou nada ontem a noite!

– Ela saiu com uma amiga chamada Alice se não me engano! 

– Ok. – falo para parecer calmo, mas a verdade é que não estou nada calmo e sim bravo por ela não ter me falado aonde ia... Arabela é minha irmã gêmea só que somos extremamente diferentes ela possui olhos verdes, cabelos louros, pele branca e bochechas rosadas. Ela certamente é a copia fiel que doou esperma a minha mãe, por que eu minhas outras irmãs somos parecidos com nossa mãe. – Alguém viu minha mãe?   

– NOSSA mãe! – Rebecca fala me corrigindo e reviro meus olhos – Ela está na garagem se não me engano – ela fala mordendo um pedaço de pão caseiro.

– Ok... Vou sair com a mamãe acho que antes do almoço eu volto – falo me levantando e dando um beijo na bochecha de Luci – Vou ao shopping – falo/grito depois de ter saído da cozinha, e elas começam a dizer coisas que não escuto direito por estar longe, provavelmente que eu pago a elas por não terem avisado por que provavelmente queriam vir junto.

Chego na garagem e minha mãe esta recostada no carro falando com alguém, ela faz sinal para que eu entre no carro e eu entro, em seguida ela entra no automóvel e o liga e então saímos em direção ao shopping.

Pego meu celular, coloco os fones de ouvido e começo a murmurar a letra da minha música favorita, ligo meu 4G e meu celular não para de receber notificações de meus aplicativos. Abro minha conta no Facebook e vejo que há vários “felizes aniversários” não esperava tantos... Há uma solicitação de amizade também, é uma garota, contém efeito na foto, mas nota-se facilmente que ela tem cabelos azuis e uma pele branca, não tão pálida quanto na foto, mas tem, gostei dela vou adiciona-lá.

Bloqueio meu celular e presto atenção na estrada. Até que Mogi das Cruzes está movimentada hoje. Há pessoas caminhando para lá e para cá, há um casal de idosos tomando sorvete do outro lado da rua... Sei lá admiro estes tipos de relacionamento, espero que o meu seja assim. Duradouro.  

‘Pode ser coisa de astral
Ou posição da lua
Sabe quando o santo bate
E você pensa: "É sua"’

A letra da musica sussurram em meus ouvidos e começo a pensar, eu sou um garoto de quinze anos  e bom, não tenho namorada, eu não pego quase ninguém, tudo bem eu não sou aqueles moleques bonitos e como as meninas dizem ‘gostosos’ mas eu também não sou tão feio assim não... Eu me encaixo naquelas pessoas que tem beleza natural sabe, ponha natural nisso... Ok! Eu sou um garoto sem graça por isso estou sozinho. Entendi universo que ama me trolar, EU ESTOU SOZINHO POR QUE EU SOU FEIO! Admito minha sina!!                                            

Falando em pessoas feias... lembrei-me de Vinicius. Desbloqueio meu celular e ligo para ele.

TELEFONE ON

– E ai veado! Acorda – eu falo assim que ele atende, quando olho para minha mãe ela está me olhando com um olhar fulminante mas a ignoro, bom pelo menos até eu desligar o celular e ela também. 

– A cara vai se ferrar são só 10:44. E você sabe que dia é hoje? Hoje é SÁBADO. SÁBADO – ele praticamente grita do outro lado.

– Pois é sábado e é aniversário de quem mesmo? – falo na intenção de que ele se lembre que hoje é meu aniversário.

– De uma das suas irmãs? – Permaneço em silêncio. – Espera, espera é aniversário da Rebecca? – outra tentativa fútil.

– Não, não é aniversário da Rebecca Vinicius! É o meu seu retardado – Falo revirando os olhos – o que faremos para comemorar? Minha mãe não planejou nada pelo visto...

 Observo que já chegamos ao shopping, tiro o cinto de segurança e desço do carro. Minha progenitora já havia desligado o celular, entramos no shopping... Vinicius estava pensando então resolvi não atrapalhar sua linha de raciocínio.

– A cara... Nos podíamos chamar a turma toda e podíamos ir a pizzaria o que acha? – Até que não é uma má ideia.

– Vou falar com minha mãe e depois mando mensagem...

– Falou... Até mais.

 TELEFONE OFF

 

 Minha mãe entra em uma loja de roupas femininas e eu a acompanho. Minha mãe é digamos bem vaidosa, se eu não for logo para o cinema acabarei indo com ela para loja de cosméticos...

– Mãe então, quero lhe perguntar uma coisinha... – Falo abraçando-a

– Você quer sair hoje à noite com seus amigos não é mesmo? Por mim pode ir, e não vou lhe dar dinheiro, que fique bem claro. – ela diz seria. – fico sem resposta –  Ou cinema ou essa pizzaria ai! Decida-se.

– Ok, mãe você venceu... Que horas a gente vai embora mesmo? Isso aqui ta um saco!

– Acabamos de chegar... Vamos almoçar aqui que fique claro... Lembra-te da Carmem?

 – Tia Carmem? Faz tempos que você não fala com ela... O que aconteceu com ela afinal? Você nunca mais comentou dela...

 – Sim, ela melhorou 100% do câncer, e você sabe que as condições financeiras dela não são das melhores. Tem o filho dela o Benjamin, ela tem tantos problemas e você sabe como as condições estão lá fora do país...

– Mãe aonde você quer chegar com tudo isso?

– Olha filho, vou ser bem direta eu a convidei para vir morar conosco! Ela e Benjamin virão para cá em alguns meses...  – Ela fala cautelosamente observando minha reação.

 – Isto vai ser ótimo, Finalmente você vai conhecê-la mãe! Fora que terá Benjamin, nos temos a mesma idade não é mesmo? – Ela sorri abertamente quando percebe que estou animado com a ideia e realmente estou!

Carmem é a melhor amiga da minha mãe e ela é virtual – tanto na vida real quanto na virtual – ela mora na Inglaterra, elas começaram a conversar por que o curso de inglês que minha mãe fazia na época – 4 anos atrás – exigia que os alunos conversassem com pessoas de outros países e foi o caso até hoje elas são amigas, ela acabou ajudando minha mãe em muitas coisas na vida dela e vice versa... Mas não sei como minhas irmãs irão reagir diante tudo isso.

 – Não, Benjamin é dois anos mais velho você... Mas tenho certeza que se entenderão... Fico feliz que tenha gostado da noticia! Você terá que me ajudar a contar as meninas... Tenho medo que elas sejam contra... Elas não chegaram a conhecer a Carmem como você conheceu, não é mesmo?

– Eu acho que está não vai ser uma tarefa muito difícil, se elas não gostarem é fácil. Dá uma surra em todo mundo!

Minha mãe rir e entra em um vestuário, enquanto conversávamos mudamos de loja, agora estamos em uma loja de roupas femininas. Pego meus fones de ouvido novamente e então a voz de um dos meus cantores favoritos soam Hozier, cara as letras da musica dele é pura poesia e emoção.

Observo atentamente as atendentes, todas bonitas e é claro com a cara cheia de maquiagem, uma delas sorri de lado para mim e então vem andando em minha direção, abaixo o som dos meus fones de ouvido e então escuto uma foz doce falar, credo doce até demais.

– Precisa de ajuda senhor?

– A não, não valeu... Só to esperando minha mãe. – Falo apontando para o vestuário, a garota assente positivamente com um pequeno sorriso e então volta para seu local de origem – ao lado do caixa.

Descido mandar uma mensagem para Vinicius.

MENSAGENS ON

“Espero que esteja pronto para hoje à noite... Já ligou para as gatinhas?”

“ Hahahaha, sabia que tua mãe ia deixar... E não eu não liguei e nem vou ligar para as gatinhas... se Rebecca pega meu celular com ligação ou mensagem para qualquer garota que não seja ela, eu  sou um cara morto” 

“É por isso que fujo de relacionamentos. Estou aqui no shopping com minha mãe, vem pra cá a gente vai almoçar aqui... E bom ta um saco aqui! Depois vamos lá para casa para acertarmos os detalhes do meu aniversário e você já fica lá ate de noite. O que acha?”

“Já estou arrumando minha mochila... Daqui a 20 minutos apareço ai, te encontro na praça de alimentação, em frente ao Burger King.”

MENSAGENS OFF

 Não respondo, bloqueio meu celular e então minha mãe sai do provador... Cara essa não é minha mãe... Ela está usando um vestido preto, tomara que caia a peça vem ate um pouco abaixo da metade de suas coxas, seus cabelos castanhos e ondulados estão soltos, e ela está olhando para mim a espera de um comentário, mas acho que minha boca aberta já disse muita coisa.

– Ok! Já entendi está curto de mais não é mesmo? – ela diz e entra novamente no vestuário.

 – Ohh não mãe... Este ficou muito bom em você... Você vai levá-lo não é mesmo?  - pergunto alto o suficiente para que ela conseguisse ouvir de dentro da cabine.

– Você acha que eu deveria? Ficou bom mesmo? – ela pergunta saindo já vestida com seus jeans escuros e sua regata preta. Bem melhor assim, pelo menos não chama atenção dos solteirões deste shopping.

– Achei sim...  E vamos logo, temos que ir a praça de alimentação.

 – Ok... Por que temos?

– Combinei de encontrar com o seu genro lá. – Aumento o volume do meus fones e continua a tocar  Take me church – Hozier começo a cantar alguns versos enquanto minha mãe paga o vestido.

I was born sick, but I love it
Command me to be well

Amen. Amen. Amen

Take me to church
I'll worship like a dog at the shrine of your lies
I'll tell you my sins
So you can sharpen your knife
Offer me that deathless death
Good God, let me give you my life


Minha mãe me cutuca e então tiro meus fones de ouvidos.

– Que? Vamos logo... Estou com fome mãe!

– Eu vou comer comida se você não se importa, suponho que vá comer besteiras não é mesmo?  - ela pergunta enquanto caminhávamos em direção à praça de alimentação. Assinto e continuamos o nosso percurso em silencio. –

Coloco novamente meus fones de ouvido e então cruzamos com uma garota de cabelos azuis, espera já vi aquela fisionomia antes, não é aquela garota do Facebook? Ela passa totalmente distraída por mim, acho que não me notou. Seus cabelos azuis estão desbotando, mas mesmo assim não deixa de ser bonito, sua pele é branca, mas como disse antes não tão branca, sua pele está queimada pelo sol.

Enquanto minha mãe ia ate o restaurante, eu fui até o BK para fazer meu pedido. Peguei no meu BigTasty, e já fui trincando até chegar na mesa. Vinicius já me esperava na mesma mesa onde minha mãe havia deixado às coisas.

– Cara... Tem uma garota aqui no shopping... A gente tem que ir atrás dela, ela é muito atrativa digamos assim. – Falo me sentando à mesa.

– Dá um pedaço ai cara? Olha, não seja burro, hoje é sábado e o shopping está cheio você realmente espera achar ela assim do nada de novo? –ele fala arrancando o hambúrguer das minhas mãos.

– Eu a adicionei no Facebook hoje mais cedo, acho que vou mandar uma mensagem para ela. – falo e pego meu lanche de volta. – E sim, nos vamos procurá-la. 

– Oi sogrinha!

– Olá Vinicius. – ela diz sentando-se à mesa.

– Ô mãe... É a gente pode ficar aqui no shopping? É que o Vini tem que resolver umas coisas ai... E depois a gente pega ônibus para ir para casa.

– Por mim tudo bem, mas lembre-se que você tem que levar a Raquel na casa da amiga dela, ela já me ligou perguntando o por quê de nos estarmos demorando tanto. – ela diz calmamente enquanto comia.

– Ok, não se preocupe estarei em casa por volta das 14:00. – falo me levantando, Vinicius faz o mesmo e então despeço-me da minha mãe com um beijo na testa e saio pra qualquer lugar a procura da menina de cabelos azuis.

– Você sabe que são mínimas as chances de encontra-la de novo ne?  

 


Notas Finais


Eaí como que tá esse projeto de história? O que acharam até agora?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...