História Borderline Love - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diplo, Skrillex
Personagens Diplo, Martin Garrix, Sonny John Moore (Skrillex)
Tags Jack Ü, Major Lazer, Martin Garrix, Mija, Owsla
Exibições 42
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI AMORES ♡ gente desculpa pela demora! Essas duas ultimas semanas foram muito corridas pra mim :/ mas EU VOLTEI ♡
Espero que vocês gostem deste cap :3
Boa leitura!

Capítulo 67 - Adeus, sentirei saudades...


Fanfic / Fanfiction Borderline Love - Capítulo 67 - Adeus, sentirei saudades...

P.V Anthony 

Cheguei em casa por volta das 01:30 da manhã. Após assistir três filmes na casa da Maya nós acabamos dormindo no sofá até ela chutar meu rosto sem querer (espero que tenha sido sem querer mesmo, porque ela ainda me parecia chatiada quando acordamos).
Tomei um banho rápido com água gelada, fazendo com que minha pele ardesse por conta dos raios da Radiografia. "Pelo menos não preciso mais disso" pensei. Na verdade eu não preciso de mais nada do que tenho, apenas dos meus poucos amigos.
Já tive muitos amigos, já fui o "popular" da escola e merdas desse tipo, mas tive que me distanciar de todos.
Cheguei em meu quarto, olhei as estantes lotadas de medicamentos, inutéis que servem apenas para prolongar o que não está longe de acontecer.
Me deitei e senti todas as dores que meu corpo aguentou bravamente durante todo o dia.
A tristeza está me deixando destruído nesta cama, queria apenas uma dica de tornar este fim fazendo com que todos se sentissem bem.
Gostaria de poder vender qualquer coisa só para comprar que estou bem a qualquer custo.
Ouvi uma batida na minha porta esses dias, eu abri para dar de cara com a morte! A sensação de perseguição mortal repercurte, onde quer que eu vá, eu levo um caixão, só pra garantir. Ri deste pensamento.
Eu perdi minha maldita cabeça! Isso acontece o tempo todo, eu não acredito, eu realmente pretendia ficar aqui, lutando e tentando consumir a droga em mim, que sou eu mesmo.
Não vou sofrer, nem ser violado, nem ficar cansado ou acabado, nem me render a nada ou desistir do que eu comecei e parei. Um novo dia chama e finalmente sou livre! Vá mudar a si mesmo! Eu teria ficado com você pra sempre mas tivemos que nos distanciar, acabou pra nós dois mais rápido do que... Matei esse pensamento, está começando a tomar conta de mim.

Maya... Eu nunca me esquecerei de tudo que ela fez por mim, ela realmente tentou me salvar, não vai funcionar dessa vez, porque agora não há mais tempo. Até mais baixinha... Adeus.

Sabe, não quero viver uma mentira que eu acredito! Que irei melhorar e ter uma vida "normal" novamente. O que quer que você faça, não tema o escuro! Cubra os seus olhos, o mal está apenas por dentro.

Com a vida ferrada, todas as regras que quebrei, coisas que sacrifiquei... Este é o fim? Tipo, acabou? Eu desejo ardentemente a minha vida, e isto é o fim?
Envolverei minhas mãos em meu pescoço. Tão forte com amor.
Mil vezes tentei o destino, mil vezes joguei esse jogo e mil vezes que disseram que eu estaria bem no amanhã... Não tolero mais!
Ela realmente me quer vivo ou morto? Para me torturar pelos meus pecados. Você realmente me quer?


P.V Maya

Hoje, um Sábado frio, chuvoso e tediante. Ótimo, odeio isso!
Após acordar, tomei uma xícara de leite com cookies e me joguei no sofá no intuito de mofar ali neste final de semana.

Fiquei pensando em tudo o que Anthony me disse ontem, ainda estou chocada. Ele possui veneno em seu sangue novamente agora. Ele não percebe que isso o machuca? Não pensou em mim ou na sua família e amigos? Foi egoísmo? Não, embora isso continue doendo em mim, doí muito nele também, tenho certeza disso.
É triste em uma noite você rezar para continuar vivo, e em outra desejar que nunca mais acorde. Eu sei que ele se sente assim, já me disse isso com todas as letras. O pior de tudo isso, é que ele me disse que morreria infeliz.
Ele afundou, como eu costumo dizer, mas eu sinto que marés vão te trazer de volta para mim.
Não importa quantas vezes você me disse que queria ir, não importa quantas vezes você respirou, não importa quantas noites você mentiu! Eu quero você aqui, para sempre. Mas o destino está por vir, eu sei... Deixe-o ir, não quero que sofra mais.
Ao som da chuva ácida que cai lá fora eu reflito por dentro.
"Diga-me, você mataria para salvar uma vida?"
Em todos nós há um furacão que nos persegue em nosso interior, não importa quantas vezes eu morra, eu nunca esquecerei e não importa quantas vidas eu viva, eu nunca me arrependerei de tudo que fiz, por ele, pelos meus amigos, família e pelo amor da minha vida, Sonny.

Falando no baixinho, ele vem aqui em casa hoje, estou muito chatiada e preciso da companhia dele.
A campainha logo tocou e eu levantei do sofá feito um jato, abri a porta e corri para abraça-lo. Haviamos nos visto ontem, mas a saudade já estava grande e eu precisava daquele abraço mais do que nunca.
- Como você está baixinha? - me deu um selinho.
- Triste... Leu o que eu mandei no whats?
- Li sim, parece que a coisa ficou mesmo séria pro Anthony... Sinto muito por ele, deve estar sendo foda passar por tudo isso.
- Nem consigo imaginar estar na pele dele agora... Que merda! - choraminguei - Por que ele?
- May a vida é cínica apesar do seu coração de ouro, coisas ruins acontecem o tempo todo com todos - acariciou meu rosto - Você sabe disso, já passou por algo parecido também! Lembra quando você quebrou as costelas e teve que... - o interrompi.
- Ah, é diferente! Se eu tivesse ajudado mais ele não teria feito o que fez.
- Teria, claro que teria. May, a vida muda todos nós, não é sua culpa
- Não sei... Acha mesmo? Por que ele ainda teria feito o mesmo?
- Bom... Por que ele não quer mais passar por isso, ele não quer mais estar doente! Cansou de tomar remédios, cansou de ir a consultas médicas, cansou de levar agulhadas nas veias para se manter vivo. Consigo entende-lo, é totalmente compreensível.
- Não... - me joguei no sofá triste.
- Você não vê isso?
- Sim! Mas ele não precisa morrer pra que tudo isso passe - me escorei no braço do sofá.
- Infelizmente sim, meu amor - Sonny acariciou meus cabelos.
- O engraçado é que á um tempo atrás as palavras dele não passavam de um poço de mentiras! E sua honestidade era como as costas que escondem uma faca... E olha a gente agora - dei de ombros sorrindo fraco - Não vou conseguir ficar longe dele.
- Eu sei que é complicado - me abraçou - Eu estarei aqui quando precisar.
- Eu sei - sorri - Eu te amo muito.
- E eu te amo mais.

Notas Finais


Ah, eu fui bem na prova da Federal ^-^ acho que vou passar sim \o/
Gostaram do cap? Então comentem o que acharam :3 estou com saudades de vocês ♡
Ok, comentem e favoritem a fic!
Beijinhos de Nutella :* BYE.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...