História Born To Die - Capítulo 1


Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 59
Palavras 977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá, pessoinhas! Bom, essa fanfic foi inspirada no Jornalzinho da Cookie. Eu e o Lucas tivemos essa ideia e resolvemos criar uma fanfic. Ou seja, seríamos "nós" nela. Apenas quem nos interpreta que são famosos. Ai a Bia e a Cookie resolveram entrar também e aqui estamos nós!
Primeiro capítulo e imagem feita pelo Lucas! Enjoy ♡

Personagens principais:
Ariana Grande - Bruna Muler (Smitt)
Lily Collins - Valentina Castro (Cookie)
Danielle Campbell - Sophia Nogueira (Eu)
Nathan Triska - Samuel "Sam" Nunes (Lucas)
Katherine McNamara - Nina Mendes (sxturn)
Vanessa Hudgens - Bianca "Bia" Neves (Bia)
Alisha Wainwright - Talia Costa (Pizza)
Bea Miller - Melissa Montenegro (Miih)
Zara Larsson - Luana Azevedo (Ana)
Emma Stones - Cristina Tavares (Nat)
Ash Stymest - Max Ferreira (Miguel)

Capítulo 1 - Primeiro Encontro


Fanfic / Fanfiction Born To Die - Capítulo 1 - Primeiro Encontro



POV's Valentina


*Grupo do WhatsApp ON*


Valentina: Sério, Max?! Você disse isso pra sua própria namorada?!


Sophia: Nem sei como essa garota aguenta você. Fico me perguntando por que ela ainda não te largou.


Max: Talvez porque eu seja lindo e irresistível.


Cristina: Nem um pouco convencido e narcisista.


Max: AH, POR FAVOR! Vocês todas sabem que eu sou, parem de Mimimi.


Valentina: Aham, claro.


*Grupo do WhatsApp OFF*


   Desliguei o celular antes que ele caísse por conta do solavanco que aconteceu depois do trem parar.

   Eu estava em pé, como quase sempre, esperando um pouco o povo completamente maluco e com presa sair; depois os que tem menos pressa saem. Assim que saí do trem, andei até as escadas rolantes.

   Era bom ir para a Paulista. Relaxar um pouco, desestressar de tudo: meus pais, a escola, meu irmão... tudo! Lá era bem simples não pensar em nada. Ir para a Livraria Cultura e me perder no lugar, esse era meu plano.

   Peguei meu celular e abri no grupo. Como sempre, Max estava adorando se exibir.


*Grupo do WhatsApp ON*


Max: É inveja por nenhuma de vocês estar namorando?


Cristina: Da licença, Kirido! Eu estou! 


Talita: Me diz: por que ainda tentamos discutir com o iludido do Max?


Luana: Também quero saber!


Max: Ah, cadê o Sam? Ele não estaria bancando o ridículo.


Valentina: O único aqui bancando o ridículo é você!


Max: Ninguém te chamou na conversa.


Valentina: Desculpa, que horas eu te perguntei alguma coisa?


*Grupo do WhatsApp OFF*


   Porém, antes de poder ir até a consolação pra subir até a paulista digitando, esbarrei em outras três pessoas no meio da conexão entre as estações.

   – Desculpa. – murmurei, ainda olhando pro celular.


*Grupo do WhatsApp ON*


Sophia: Max, por acaso jáexperimentou ser uma pessoa educada? Pode ser bem legal se você tentar!


Max: Já e não foi tão legal assim.


Laura: Galera, onde vocês estão?


Valentina: Eu estou no Metrô. Digamos que de frente para duas garotas e um garoto. Eles são tão familiares.


*Grupo do WhatsApp OFF*


  Enviei a mensagem e foi quando meu celular e os das três pessoas apitaram. Eu e eles começamos a nos encarar. Estranho, eu reconhecia todos de algum lugar. Os cabelos negros do único menino, o cabelo crespo de uma das garotas, os olhos azuis esverdeados da outra. Eram todos muito familiares. Eles também começaram a encarar um ao outro. Daí, o garoto finalmente falou:

   – Ah, ótimo Valentina! Não basta você ficar falando besteira no grupo e agora vai falar pessoalmente!

   – "Ótimo" foi ter encontrado uma pessoa que foi educada por lobos pro meu trabalho da escola! – exclamei.

   Como se nunca tivéssemos discutido antes, nos cumprimentamos. Me surpreendi por ele ter me cumprimentado. Por ele ser alguém que faz isso.

   – Não pensei que fosse educado a ponto de me cumprimentar.

   – Não sou educado e isso nunca aconteceu! – disse ele, se afastando de mim.

   Quando nos separamos, olhei para as outras duas garotas.

   – Max e Valentina? – perguntou a que tinha cabelo crespo. – Estão meio formais demais, não acham? Aliás, sou eu...!

   – Talita! – exclamei outra vez.

   – Só pra deixar claro, eu sou a Luana – interviu a loira de olhos azuis esverdeados.

   Nós três nos abraçamos.

   Não acredito que encontrei os três ali. De cara, de repente. Três pessoas com quais eu falava sobre tudo e nem conhecia estavam bem ali, na minha frente.

   – Só pra deixar claro, não vou abraçar vocês duas! – disse Max. – Já vacilei demais cumprimentando a Valentina.

   – Como se fossemos querer te abraçar. – respondeu Talita, irritada e rindo ao mesmo tempo.

   – Eu sei que querem.

   – Legal, é bem melhor ver você sendo um babaca ao vivo do que pessoalmente – comentei e ele me fuzilou com os olhos. – Mas enfim, nem acredito que nós encontramos desse jeito! Quem diria…

   – Quem diria mesmo! – disse Luana. – Quais as chances de não encontrarmos assim, do nada?

   – Sabem que não acredito em coincidências – respondi, rindo.

   – Roubando o lugar de filósofo do grupo do Sam? – perguntou Max, com cara de desaprovação. – Que coisa feia.

   – Ele não está aqui, está? – perguntei de volta.

   Todos rimos, como se nos conhecêssemos há anos.

   – O que vieram fazer aqui? – perguntou Talita.

   – Estou indo pra Paulista – respondi. – Quero comprar alguns livros na Livraria Cultura. E vocês?

   – Vim comprar algumas HQ's – respondeu Max, tirando um pouco do cabelo da testa.

   – Só andando por aí, tirar algumas coisas da cabeça – disse Luana.

   – E você, Talita? – perguntei afinal.

   – O mesmo que você – respondeu ela, sorrindo.

   Começamos a andar juntos. Foi quase automático, simplesmente começamos a andar um do lado do outro, como se fizéssemos isso desde sempre.

   – Sabem o que seria louco? – perguntou Max, andando com os braços cruzados atrás das costas. – Se encontrássemos o Sam por aqui. Ele não disse que adora caminhar pela Paulista nos fins de semana?

   – Ele sempre diz que é a coisa que ele mais gosta de fazer por aqui – respondi. – Mas nunca disse por quê.

   Subimos as escadas rolantes e em menos de um minuto estávamos admirando a enorme Avenida Paulista.

   Respirei fundo e senti o ar do ambiente. Embora tivesse o gosto de poluição típica de São Paulo, algo ali me deixava incrivelmente relaxada. Mesmo com o fluxo enorme de pessoas, aquele lugar simplesmente me fazia esquecer dos meus problemas.

   – Nossa, sempre quis vir aqui de novo. – comentou Talita, sorrindo.

   – Ah, é! O que está fazendo aqui no Brasil? – perguntou Max. – Cansada dos memes de Portugal?

   – Muito engraçado, Max – respondeu ela, fazendo careta. – Estou aqui de férias.

   – Então temos que aproveitar o máximo possível! – exclamou Luana, abraçando Talita, e começamos a andar pela rua.

   Como era domingo, não havia nenhum carro na avenida, então as pessoas estavam aproveitando para andar de skate, de bicicleta, casais andavam de mãos dadas e haviam muitos, mas muitos, garotos sem camisa. Tipo, muitos mesmo. E tenho que admitir que não reclamaria da maioria deles.

   – Agora sabemos porque o Sam vive aqui. – disse Max, rindo.

   Continuamos andando até a Cultura. Depois de encontrar aqueles três ali do nada, o que mais poderia acontecer?




Notas Finais


Troleeei!! Azar de quem achou que seria um encontro romântico kkkkkk.
Enfim, gente. Espero, assim, de coração que tenham gostado. Essa ideia veio muito de repente na minha cabeça e do Lucas e queríamos muito fazer essa fanfic. Estávamos ansiosos.
Comentem o que acharam e favoritem! Ajuda bastante! ♥
Beijos e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...