História Borusumi-Alguem por quem lutar - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Borusumi, Denkiserena, Inosara, Metalchou, Naruhina, Naruto
Visualizações 104
Palavras 1.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Super Power
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, esse capitulo é mais uma transiçao entao nao esperem muito. Se acharam que a capa ficou meio ruim é pq eu que fiz no photoshop.

Capítulo 6 - Acampamento na floresta parte 2: Adeus ao orfanato.


Fanfic / Fanfiction Borusumi-Alguem por quem lutar - Capítulo 6 - Acampamento na floresta parte 2: Adeus ao orfanato.

 Sumirê ON

E lá estava eu: beijando o garoto que eu amo e o mesmo ficou sem ação até que me interrompeu:

-Olha Sumi, eu sei como se sente, essa duvida de saber se vamos nos ver outra vez, eu também me sinto assim…

-Boruto – Eu o interrompi. – Não é sou é isso que eu tô sentindo…

-Sumi eu…

-Boruto eu…

-Te amo! – Falamos juntos.

Fiquei meio espantada com o que o Boruto disse, como assim? Ele me ama? Ai meu Deus, o que eu faço?

-Sumi, eu não sabia, mas aos poucos eu fui me aproximando de você, me apegando cada vez mais e mais até que eu percebi que me apaixonei por você.

-Eu também, depois do que aconteceu, você foi a única pessoa que me apoiou e fui me aproximando de você e agora percebo que não sei viver longe de você.

-Eu sei Sumi, eu também me sinto assim, mas nós temos que esperar até que esse lance da sua adoção, vamos só… aproveitar esse nosso momento juntos e resolvemos de vez isso quando chegarmos em Konoha, ok?

-Tá bem – Respondi. – Vai ser bom ficarmos juntos um pouco.

Eu olhei no fundo dos olhos dele e ele olhou fixamente nos meus olhos: nós nos beijamos. Senti algo tocar minha cabeça, achei que fosse a mão dele mas ele interrompeu o beijo por que tinha alguma coisa na cabeça dele também, era uma flor de cerejeira, automaticamente lembramos da história que Konohamaru-sensei nos contou:

-Essa é a prova que vamos ficar juntos pra sempre! – Ele falou me puxando pra me beijar.

Os beijos foram de simples “selinhos” para beijos de língua mais intensos. Comecei a ficar com calor, sentia meu corpo quente e meu coração acelerar, acho que essa era a sensação que as garotas chamavam de “se sentir nas nuvens”. Tivemos que interromper o beijo pois nos faltou ar e percebemos que já era bem tarde.Fomos pro acampamento e nos despedimos com um beijo. MEU DEUS! Eu não acredito que isso acabou de acontecer.

Sumirê OFF

Todos acordaram bem cedo e foram tomar café, se prepararam e foram treinar. Konohamaru posicionou seis alvos em frente a seis arvores e comandou:

-Alunos, o exercício é relativamente simples: vocês vão correr subir um pouco nas arvores, pular e acertar no alvo. Parece simples, mas necessita de uma mira muito precisa.

Todos começaram mas era difícil ter que virar e ter o centro do alvo travado na mira, até Sarada teve dificuldade com esse treino:

-Não tá pegando pesado demais? – Perguntou Mirai à Konohamaru.

-Olha Mirai, por mais que seja difícil pra eles no começo, eu sei que eles conseguem.

Todos foram tentando e começaram a conseguir acertar o alvo, por mais que não fosse no centro, já era um começo.

Enquanto isso no prédio do Hokage…

-Então essa é a missão de vocês – Falava o Hokage. - Vocês vão escoltar a princesa Karina até a Vila da grama.

-Então é só isso? – Perguntava Shikadai com uma cara de tédio.

-Preciso que vocês demonstrem empenho. – Falou Naruto.

-Certo, quando nós partimos? – Perguntou Metal Lee.

-Dentro de duas horas, vocês encontrarão a caravana no portão da aldeia, se arrumem e tenham cuidado.

-Vamos dar o nosso melhor, né galera? – Falou Chou Chou entusiasmada.

-Sim! – Todos responderam.

Os três estavam saindo quando Shikamaru chamou seu filho:

-Então filho, é sua primeira missão né?

-Sim. – Respondeu Shikadai.

-Ansioso?

-Um pouco.

-Dê o seu melhor, tá?

-Sim. – Respondeu Shikadai saindo do corredor em que estavam.

ENQUANTO ISSO NA FLORESTA LOVERY…

Todos continuavam o treinamento e iam melhorando cada vez mais até que Sarada conseguiu acertar o que motivou todos a darem o seu melhor:

-Sarada – Falou Konohamaru. – Vá se arrumar, assim que todos terminarem, partiremos.

A Uchiha assentiu e foi arrumar sua mochila, depois de várias tentativas e mais ou menos duas horas tentando: todos conseguiram. Arrumaram suas mochilas e por volta das nove e meia, eles partiram. No caminho, eles foram cantando algumas canções e conversando. Sarada percebeu que Boruto e Sumirê estavam muito próximos, o loiro estava com a mão na cintura dela, e como a Uchiha era uma chata  ótima amiga, foi ver o que estava acontecendo:  

-Oi gente! – Falou a Uchiha separando os dois. – Tão de segredinho, é? Estão andando tão juntinhos.

-Que isso Sa-Sarada. – Falou Sumirê um pouco envergonhada. – Nós só estávamos conversando.

-E precisam ficar tão grudados para conversarem? –Perguntou a Uchiha já com um tom bravo.

-Sarada! – Interrompeu o loiro com uma cara meio zangada. – Para, ela tá ficando com constrangida.

-Tá bom, ela é tão sensível. – Falou a garota com um tom de desdém.

Todos foram seguindo viagem até que chegaram às mesmas pedras que bloquearam o caminho deles na primeira vez. Eram por volta das onze horas, todos passaram pelas pedras e pararam para beber água. Caminharam por uma hora até que chegaram aos portões da Vila da Folha:

-Chegamos! – Falou Mirai. -  Vão para suas casas, estão dispensados!

Sumi! – Chamou o loiro. – Me espera, eu vou com você saber quem é a pessoa que vai te adotar.

-Certo. – Assentiu a garota.

Eles foram andando até que pararam não muito longe do orfanato.

-Boruto-kun, eu tô com medo. E se forem nos separar?

-Não se preocupa, sumi – Falou Boruto colocando seu braço por trás do pescoço da garota e dando um beijo em sua boca. – Vai dar tudo certo.

Os dois caminharam até o portão, olharam um para o outro e entraram:

-Sumirê, tem alguém te esperando no seu quarto. – Falou a recepcionista.

BORUTO ON

Nós fomos a uma porta branca, ela hesitou um pouco mas entrou. Percebi que os papeis de parede eram roxo, um pouco mais claro que o roxo dos cabelos dela, havia também um guarda roupa branco com alguns desenhos de flores e quando eu olhei a cama…

-Tia Sakura?

-Boruto? – Ela me pergunta.

-O que você tá fazendo aqui? – Falamos ao mesmo tempo.

-Eu estou aqui acompanhando a Sumi pra sabermos quem vai adotá-la… E a senhora?

-Bem… eu… Sou eu quem vai adotar a Sumirê.

-O QUÊ? – Eu e a sumi perguntamos ao mesmo tempo.

-Qual a surpresa? Eu a observei e percebi que ela é muito solitária, então eu falei com o Sasuke, pedi uma carta de recomendação ao Naruto e ao Kakaxe e consegui adotar ela rápido. – Tia Sakura explicou.

-Então…é a senhora que vai me adotar? –A sumi perguntou.

-Sim, mas não me chame de “senhora”, isso me faz me sentir velha.

Ficamos em silencio por uns cinco minutos até que eu resolvi quebrar o clima e me pronunciei:

-E agora?

-Acho que agora nós vamos fazer a mudança, né? – Perguntou Tia Sakura.

-A-acho que sim. – Sumi falou meio estranha.

Boruto OFF

Sumirê ON

Saí para beber um pouco d’água e digerir tudo que tava acontecendo, tipo, eu beijei o Boruto-kun (não sei se estamos namorando), aí eu chego ao orfanato e descubro que a Senhorita Sakura vai me adotar, só eu acho que isso é muita coisa em pouco tempo? Cheguei ao quarto e o Boruto e a senhorita Sakura estavam arrumando minhas coisas:

-O que tem nessa gaveta? – Perguntou Boruto.

Desesperei-me e disse para ele se afastar dela e pedi pra ele esperar lá fora e que ele iria nos ajudar a levar as malas, não queria que ele mexesse naquela gaveta:

-Escuta Sumirê – Senhorita Sakura começou a falar comigo – Eu sei que é muita coisa para assimilar ao mesmo tempo e sei que vai ser difícil se adaptar logo de cara, você vai ter a Sarada e vamos ser nós três lá em casa, três mulheres, hahahah.

-Tá bom, acho que vou conseguir me acostumar com o tempo. – Respondi tentando parecer menos confusa.

Arrumamos as coisas e chamamos o Boruto para nos ajudar a levar as malas:

-De jeito nenhum, não vou deixar vocês duas levarem essas malas pesadas. – Ele falou fazendo alguns clones para carregarem as malas.

-Você não acha isso um pouco machista? – Senhorita Sakura perguntou.

-Isso se chama cavalheirismo – O loiro falou – E não tem como vocês discordarem.

Depois de um tempo de discussão resolvemos o deixar levar as malas, o que foi meio inútil já que pegamos um taxi na frente do orfanato. Sentei-me e fechei a porta, quando todos entraram eu dei a ultima olhada no lugar que havia sido minha casa por tanto tempo. O que seria de mim no futuro agora parecia muito mais incerto do que antes, mas umas coisas boas eu tirei de tudo isso: não vou me afastar do Boruto-kun e agora por mais estranho que possa parecer,eu tenho uma nova família.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, dei o meu melhor mais nao tive muito tempo pra escrever pq minha professora de portugues passou um trabalho imenso. Obrigado por terem lido, um abraço.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...