História Boss - Capítulo 79


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Miley Cyrus, Selena Gomez
Personagens Demi Lovato, Miley Cyrus, Selena Gomez
Tags Camren, Fifth Harmony, Imagine Lovatic Hot, Masoquismo, Miley Cyrus, Romance, Sadomasoquismo
Exibições 386
Palavras 5.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Científica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Meu deus não sei nem como começar isso, eu já disse que vocês são demais? O último capítulo bateu o recorde de comentários e exibições em menos tempo que qualquer um, mais de 100 comentários e 1.000 exibições, as 1.000 exibições do primeiro capítulo demorei muito para conseguir e aposto que as do último capítulo foram por causa do título -_-, ainda assim amo vocês e ah, pra quem tá cansado da história sinto dizer que ela é longa e está longe da reta final.
Vou dar uma prévia hoje e tenho uma surpresa para vocês amanhã :3
Espero que gostem
Beijos
Repito, AMO VOCÊS <3

Capítulo 79 - O dia mais estranho de todos


“Baby tell me what to change”

Querida, me diga o que tenho que mudar

“Maybe I just gotta wait”

Talvez eu só tenha que esperar

“Maybe this is a mistake”

Talvez isso seja um erro

“I'm a fool yeah, baby I'm just a fool yeah”

Eu sou um tolo, é, baby, eu sou só um tolo

 

 

Querida, me diga o que tenho que mudar

Estou com medo que você fuja se eu disser

O que eu queria te dizer

Talvez eu só tenha que esperar

Talvez isso seja um erro

Eu sou um tolo, é, baby, eu sou só um tolo

Menina, o que você faria?

Você ficaria se eu dissesse

 

 

No meio da madrugada acordei com uma tremida, não diria ser um susto, até porque nunca me assusto com nada, ainda com os olhos meio cerrados olhei o horário no despertador que indicava 3:00 a.m, bufei sentindo um peso sobre meu braço estranhando tudo aquilo, desviei meu olhar para (seu nome) vendo que estava sem cobertor, os mesmos cobriam apenas seus pés, puxei o cobertor até a altura da cintura a observando dormir e foi o momento que tive certeza de duas coisas: A primeira é que eu estava ficando louca, e só agora havia lembrado que dormi ao seu lado, e a segunda é que... ela fica ainda mais bonita dormindo com a luz do luar refletindo em seu rosto.

 

Saia dai Demetria, anda logo sua frouxa! Você não pode estar me ignorando, faça o que mandei agora!

 

O que estou esperando para sair correndo daqui? Será que sou tão babaca a ponto de deixar de escutar minha consciência?

 

Sim, você é, e está me ignorando agora, não toca no rosto dela imbecil.

 

Tirei rapidamente minha mão de perto da bochecha de (seu nome), no fundo sabia que aquela voz na minha cabeça tinha razão, não poderia ficar mais um minuto aqui e não sei bem o por quê, tudo o que fiz essa noite me parece tão... errado, não errado pelos motivos óbvios, mas errado para os meus conceitos, não posso dormir com alguém e não posso fazer isso.

 

Acho que você acordou Demetriasinha... já saiu do seu conto de fadas ou vai ficar aí parada?

 

-Cala a boca, não estou em nenhum conto de fadas-repreendi minha consciência só então percebendo que falar sozinha não é algo que faço desde... desde os meus 18 anos, acordei desses pensamentos confusos quando (seu nome) segurou minha mão aconchegando-a perto de seu rosto, mas que droga... cautelosamente tentei tirar meu braço debaixo do seu pescoço falhando quase que por um tris,por um milésimo de tempo,segundo e espaço.

Sentei na cama pegando meus saltos jogados ao lado da mesma, coloquei o pé esquerdo já prestes a calçar o direito quando ouvi uma voz sonolenta.

-O que está fazendo? -Congelei totalmente por um momento, virando a cabeça para ela, sem responder voltei a postura firme tentando me concentrar com o outro salto-Aonde vai? -Persistiu baixinho, engoli em seco virando-me para ela.

-Para casa, não sei que horas sua mãe voltará e não quero estar aqui para vê-la entrar por aquela porta-tentei ser convincente e ao mesmo tempo dura.

-Por que não fica? -Tirou o capuz da cabeça ficando semi sentada na cama.

-Não sei se devo...-respondi sem olhar em seus olhos, encarando meus sapatos com as mãos apoiadas no colchão, levantei antes que desistisse de fazer isso sem nenhum contato vestindo minha jaqueta, não havia dado dois passos e escutei sua voz novamente.

-Demetria-parei ao ser chamada, sentindo-a apertar meu pulso sobre a jaqueta de couro.-Não me importo se você for longe demais.

Demorei para processar essa frase e só após alguns segundos percebi que (seu nome) estava a todo custo querendo que eu ficasse, isso incluía fazer outras coisas e certamente pensava que estou fugindo no meio da noite porque não fiz nada além de trocar beijos com ela, porém o que a garotinha esqueceu é que em nenhum momento dessa noite exigi ou forcei algo muito além do que deveria ser ou que ela queria.

-Não precisa pensar assim-respondi vendo-a confusa.

-Não quero que vá, não quero ficar sozinha... dorme aqui.-Então estaria ali só para protege-la? Se fosse um outro dia que ela não tivesse assistido a um maldito filme de terror teria insistido tanto para que eu ficasse? Sinceramente são coisas que desejo saber a resposta.

-Hoje não garotinha.-Girei os calcanhares antes de falar, segurei em seu queixo depositando um beijo rápido em seus lábios determinada a ir embora.

Fechei a porta do quarto descendo as escadas tão rápido quanto uma lesma enquanto segurava no corrimão de madeira envernizado.

 

Mais rápido ou eu te empurro até lá em baixo!

 

Balancei a cabeça sussurrando um “Não conseguiria de qualquer forma”, na metade dos degraus com um pé decidindo se pisava no próximo ou não.

 

Não, não, anda logo, pare com essa indecisão é só pisar, um pé Demetria pisa logo e sai daí.

 

As vozes estavam me irritando demais e antes que desse conta dei meia volta percebendo que elas pararam, abri a porta lentamente vendo um corpo pequeno de costas para a porta abraçado com Buddy, tirei os saltos ali mesmo andando a passos leves, coloquei os saltos com cuidado onde estavam sentando sobre a cama, ela dorme rápido mas acorda também disso eu sei bem. Estiquei minha mão por sua cintura até alcançar aquela bola de pelos e tira-lo de seus braços.

-Não vai precisar disso hoje.-falei em seu ouvido com a mão apoiada em sua cintura-Estou aqui.-percebi seu sorriso vendo-a abrir os olhos, a mesma virou segurando em meus braços.

-Eu sei disso, também sei fingir que estou dormindo-riu, tirando o sorriso aos poucos do rosto-Senti que voltaria.

-E eu que deveria ficar.-Assenti apoiando a mão na cabeça deitando de lado, ela fez o mesmo, mas com o rosto apoiado no braço em cima do travesseiro.

-Você é muito contraditória-disse confusa.

-Eu sei disso-arqueei uma sobrancelha-Não fala nada, só esqueça isso tudo.-Se estava dizendo para ela ignorar meus estados bipolares? Claro que sim! -E não durma sem cobertor-Alertei seca, (seu nome) costuma ser muito desatenta quando quer.

-Ok, não dormirei bossy/mamãe.-brincou me puxando pelos ombros para que deitasse em meu peito novamente.

-Não quero precisar cobrir você e evitar que pegue um resfriado todas as vezes.

-Certo...-assentiu fazendo círculos imaginários na colcha da cama.

-Pode voltar a dormir, não irei fazer nada enquanto dorme.-Ressaltei já que ela parecia receosa se dormia ou não, ao mesmo tempo que bocejava, talvez eu não consiga mais dormir até dar 4:00 a.m mesmo.

E a noite se baseou em (seu nome) dormindo e eu a observando até que os olhos teimassem tentando a todo custa ficar contra mim, fazendo com que caísse no sono também. Parei para pensar que se a mãe dela está em outro lugar no dia dos namorados com um homem, não voltará tão cedo, o que me deixa bem menos preocupada em relação a horário para acordar.

(...)

Essa claridade dos infernos mesmo com as cortinas fechadas indica que a manhã chegou, infelizmente, essas patas malditas arranhando minha perna pedindo por comida também, o despertador de (seu nome) começou a tocar uma música de dia dos namorados o que a fez acordar em um pulo.Tirei a mão de sua cintura antes que ela arrancasse meu braço com essa velocidade.

-Aconteceu alguma coisa para você acordar assim, assustada? -Perguntei séria estalando o pescoço.

-N-não, as vezes isso acontece mesmo, são pesadelos bobos.-Deu de ombros levantando, colocou ração para o Buddy coçando os olhos.-Vou me arrumar para ir à escola.-avisou tirando o pijama indo em direção ao banheiro, quando chegou na porta já estava apenas de roupas intimas, antes que ela fechasse a porta barrei com o braço impedindo-a.

-Sabe que tenho que ir agora, não é? Já que não tenho roupas aqui, bem que eu queria tomar banho com você...- (seu nome) corou pegando a escova de dentes.

-É, mas não tem nenhuma roupa, só a que nunca irei devolver-piscou-Até mais tarde na aula bossy.-Essa garota me chama de bipolar, mas não está longe de ser o mesmo.

-Você está me expulsando? -Perguntei brava.

-Não.-riu-Mas você disse que precisava ir, então até mais tarde-levantou um pouco os pés e beijou minha bochecha, em seguida colocando a escova na boca.

Tudo bem, isso foi estranho... esperava um pouco mais, até porque ela parece ter a semana do amor e não 1 dia só.Voltei para casa pelos fundos é claro, tendo cuidado para ninguém me ver por aqui apesar dos vizinhos serem calmos e imparciais..

(Seu nome) P.O.V

 

“Não quero precisar cobrir você e evitar que pegue um resfriado todas as vezes. ”

 

Significa que ela vai dormir mais vezes aqui.

 

“Não vai precisar disso hoje, estou aqui”

 

Temos duas opções: Demetria foi mordida por um animal totalmente raivoso e venenosos e isso acabou bagunçando seus sentidos de direção e ação, ou, ela bateu a cabeça com toda a força quando caiu da cama ontem de manhã e ainda assim teve uma leve amnésia esquecendo de quem ela é de verdade.

Noite passada foi um dos dias mais confusos de toda a minha vida, e acho que posso estar louca se acreditar que o cupido jogou algo nela, talvez seja a magia do dia dos namorados.Ainda assim tudo acaba hoje mesmo, ela voltará a me tratar como se fosse uma garota qualquer que ela pegou e continuarei minha vida sendo idiota por pensar que talvez um dia ela mude e... todos sabem o final da história.

Talvez eu esteja dando muito valor a quem não me ama e pouco a quem se importa de verdade comigo, se eu falo da Ariana? Sim, tudo o que sei é que... agora que ela demonstrou não ser apenas gelo, farei de tudo para que não mude tão cedo, porque meu coração bobo quer que seja assim, embora não dependa apenas de mim.

Depois de toda essa confusão, coloquei as ideias em ordem na cabeça tomando um banho quente e fazendo toda minha higiene matinal, vesti uma calça branca justa com alguns rasgos, um supra preto e uma blusa preta justa de manga normal com uma pizza desenhada na frente.

Hoje teria aula de química em laboratório com Demetria, nem preciso dizer que serei obrigada a usar luvas, óculos, jaleco e bla bla bla, fui para o colégio o mais rápido que pude porque estava afim de ficar um pouco com meus amigos antes da aula.

Na sala da professora Katy recebemos o comunicado daquele passeio ao qual falam mas nunca vejo agirem, finalmente sabemos a data e para onde vamos, depois dos jogos e campeonatos, se ganharmos faremos o passeio para um acampamento de 1 semana como comemoração, estava repensando sobre os times que estou e nunca fui a nenhum treino mesmo que fossem poucos, talvez não jogue em nenhum dos jogos nessa temporada, vou pedir para adiar isso.

-As aulas de hoje foram muito boas, dinâmica do dia dos namorados é a melhor coisa que eles podem fazer-Disse para Sam e Ariana.

-Confesso que amei as dinâmicas da aula de filosofia, simular casais e como seriam suas vidas foi genial-Sorriu boba para mim-Casais homossexuais foram os mais legais.

-Queria ter feito casal com a (seu nome), você roubou minha dupla Ariana.-Resmungou Sam brincando-Fazer dupla com o Finn é castigo demais para mim.

-Por que não fez com a Santana? -Perguntei franzindo o cenho.-Brittany se recusou a ir hoje mesmo, perdeu muitas coisas boas.

-Entre Finnbobão e Satan realmente prefiro ela, mas tudo o que ela me disse foi “Boca de truta, você não me convence com esse jeitinho lindo de Justin Bieber, essa aula pode ser apenas uma simulação mas não quero ter que aguentar suas imitações por 50 minutos seguidos, não me leve a mal você é um gato”.-Explicou fazendo uma cara emburrada.

-Ah Sam, lamento-Fiz biquinho-E a propósito eu amo suas imitações.-O abracei de lado encostando minha cabeça em seu ombro.

-A próxima aula vai ser um saco-Ariana revirou os olhos-Não teria me inscrito em química se soubesse que Senhorita Lovato seria a professora de quase tudo nesse inferno.-resmungou.

-Verdade, teriam que colocar mais professores, não e porque ela é superinteligente e tem 300 diplomas que pode dar conta de tudo.-Sam concordou e fiquei apenas calada, já havia começado a gostar da ideia de vê-la várias vezes na semana.

-Parece que o sinal tocou, não é mesmo? -Mudei de assunto para não parecer estranho o fato de eu não estar reclamando dela ou ao menos concordando com eles.

-O que? Do que está falando (seu nome)?-Ariana franziu o cenho-Ainda faltam 2 minut...-A frase mal foi completada e ouvimos o som do sinal tocando.

-Agora tocou, andem, senhorita Lovato não gosta de atrasos.-Peguei meus livros indo até a sala prática o mais rápido que pude, sendo acompanhada por eles, peguei o jaleco, luvas e óculos colocando todos eles e indo para trás do segundo balcão na fileira esquerda perto da janela, sentei e Ariana veio até mim sorrindo, sentando-se a meu lado fazendo o mesmo com os equipamentos.

Os alunos foram chegando aos poucos e Demetria ainda não estava no laboratório, o que estranhei já que ela faz questão de chegar 20 minutos antes de todos, coloquei o fones de ouvido escutando as músicas do Ipod da Ariana, 3 ou 4 musicas depois vejo aquele ser escupido por deuses entrando na sala com um jaleco, camisa polo preta por baixo, calça colada e seus inseparáveis saltos, segurava algumas coisas contra o peito junto com as chaves do carro e tinha uma aparência cansada. Diferente de hoje de manhã ela tinha olheiras visíveis e estava mais séria do que o normal, não sei o que aconteceu mas coisa boa não era.

Demetria encarou um coração vermelho ao lado do quadro e o arrancou com tudo pisando e jogando no lixo em seguida.

-Peguem os livros desprovidos de inteligência, irei anotar as fórmulas no quadro e com a ajuda delas irão fazer todas as misturas.-Resmungou para que todos escutassem e de maneira nada delicada tirou um pincel de dentro da bolsa.-Inferno-Reclamava baixo enquanto balançava o pincel que aparentemente estava sem tinta, consegui escutar porque estava de certa forma perto, sempre tempo ficar perto.-Inferno-Repetiu exaltada, percebi que o pincel havia estourado em sua mão, era vermelho.-Fiquem ai, se alguém respirar irão se ver comigo.-Apontou para todos e saiu da sala.

Alguns olhavam para seus parceiros confusos já que a maioria pareceu não ver aquela tinta toda na mão dela, não demorou muito para que ela voltasse com um pano limpando o resto de tinta que havia sobrado, deu uma encarada horrível para mim limpando a mão com ainda mais força e desviou o olhar para Ariana.Escreveu tudo muito rápido no quadro e sentou-se atrás do balcão dos professores jogando o pincel em cima do mesmo.

-Quer começar?-Perguntou Ariana mexendo no cabelo, incomodada-Confesso que não sei de nada-Completou meio apreensiva.

-Tudo bem, dou meu jeito aqui.-Sorri, mas no fundo eu também não sabia muito o que fazer já que nas últimas aulas tudo que fiz foi fantasiar o dia em que Demetria sorriria. Havia colocado um dos lados dos fones e Panic! At The Disco-Miss Jackson soou no fone, acho que é uma das músicas que resume Demetria, não percebi que a encarei por muitos segundos no refrão e ela olhou de volta desviando novamente para o que fazia.-Odeio essa aula.-resmunguei, bufando entediada.

-Eu sei, queria sair daqui-Disse emburrada com o rosto apoiado na mão.

-Não fico mais 1 minuto aqui, olha o que farei.-Avisei tirando as luvas.

-Você não pode tirar as luvas (seu nome)-Lembrou preocupada.

-Presta atenção-pedi, pegando um pote cheio na metade de cloreto de sódio.

Acabei misturando cloreto de sódio com alguma outra coisa que imagino ser mais água, coloquei demais e caiu tudo na minha mão, vi a chance perfeita, era realmente água, mas quem disse que na minha imaginação isso não pode queimar?

-Ai.-disse alto o suficiente para que Demetria escutasse segurando em minha própria mão e Ariana arregalou os olhos com as mãos na boca.-Está ardendo Ariana.-Mostrei-a minha mão onde por baixo da mesa apertei até que ficasse vermelho, Demetria levantou da cadeira e veio com passos rápidos até mim.

-O que aconteceu aqui?-Pode parecer estranho mas sei chorar sem mesmo querer, aprendi a fazer isso no orfanato já que nem sempre conseguia o que queria porque ninguém de fato gostava de mim, quando Demetria viu meus olhos marejados engoliu em seco provavelmente calculando o que fazer.

-Derramei alguma coisa na minha mão, está ardendo.-Estiquei para ela ver, ainda estava vermelho.

-Todos calmos, ninguém sai daqui enquanto a levo até a enfermaria-Avisou a todos com expressões horrorizadas-E prestem atenção no que farão, coloquem as malditas luvas ou eu arranco a mão de todos-Disse furiosa.-Será que ninguém sabe as regras de proteção?-resmungou ao abrir a porta, colocou a mão em minhas costas saindo da sala.

Já no corredor vazio ela alisou as costas da minha mão, andando a passos rápidos.

-Por que tirou as luvas (seu nome)? Você sabe que aqueles elementos são químicos, o nome já diz.-Na metade do caminho a puxei para dentro de um dos armários parando com o teatro e aquela atuação toda, o que a fez ficar com mais raiva e confusa.-O que pensa que está fazendo? Seja lá o que for isso não pode ficar na sua pele.-Segurou na mesma ao dizer.

-Era só cloreto de sódio com mais água bobinha-sorri segurando em seu jaleco beijando sua bochecha.

-E por que me fez passar por isso?-Perguntou baixo mas ainda com raiva, olhando em meus olhos.

-Não aguentava mais aquela “aula”, e queria ficar a sós com você um pouquinho.-Fiz manha puxando a mesma.

-Por que colocou entre aspas?-Perguntou mais “calma” acho que gostando da ideia.

-Porque você não explicou nada, apenas passou as fórmulas então para mim não foi uma aula, com eu dizia...-Sentei em cima de uma pequena mesa que havia ali e ela se encaixou entre minhas pernas, alisando meu cabelo, segurei em sua cintura indo até a lombar.-me desculpe ter expulsado você hoje de manhã bossy.

-Não tem problema, a noite compensou esse episódio.-Desviou o olhar para meus lábios por um momento-Enfim.

-Quer me dizer alguma coisa?-Vai que né, haha.

-Não, não abusa muito (seu nome).-falou baixo.

-Geralmente você que me abusa.-ri-E me persegue.-Coloquei as mãos por dentro de sua blusa, não me perguntem porque amo fazer isso ok? A pele dela é macia.

-E você não reclama porque no fundo gosta... sua mão está gelada, por acaso tem pressão baixa?-perguntou analisando minha outra mão.- E como fez para que essa aqui ficasse vermelha?

-E você está quentinha-fiz uma carinha me sentindo confortável- Foi fácil, só precisei apertar.-sorri fraco.-Acho que sim, nunca fiz realmente um exame.-Completei dando de ombros.

-Deveria procurar saber...

-Você vai me beijar ou não?-Perguntei brincando.

-Eu, ham... não tinha pensado nisso.-Travou a mandíbula.

-Estou brincando com você.-continuei sorrindo fraco e encostei a cabeça em seu ombro-Não preciso disso agora, só queria estar mais perto de você.

-É, acho que eu também...-Levantei a cabeça observando sua expressão que parecia ter mudado um pouco por alguns segundos, mas de repente voltou a ser aquela fria e calculista.-Talvez devêssemos voltar, ou eu devo, estamos demorando demais.-Assenti.

-Vou para a enfermaria, só para constar que estive lá.-Agora foi a vez de ela assentir, fiquei em pé ao seu lado e antes que saíssemos ela segurou em meu braço.

-Foi bom ter tido esse momento (seu nome), mesmo que tenha sido curto.-Apenas fitei seus olhos como resposta-E não se empolgue demais com a Jennifer, não quero que aconteça nada além do necessário.-Avisou meio grossa.

-Tudo bem bossy, não farei nada que não queira.-Respondi, e pode parecer estranho, mas não fui irônica.-Até mais tarde.

-Até mais...-respondeu e percebi que a mesma me esperou ir até o final do corredor para entrar novamente na sala.

Bati na porta algumas vezes vendo que Jennifer mexia em remédios e seringas nas partes inferiores do armário, ela colocou o resto das seringas na prateleira virando-se e ao me ver sorriu.

-Olha só quem voltou, vem cá garota.

Demi P.O.V

(Seu nome) é uma garota esperta até demais as vezes, não pensei que faria algo assim só para ter minha atenção e eu gostei disso, de dar atenção a ela... O que é estranho, ajudou as duas partes.

Quando entrei na sala todos congelaram de medo, Ariana veio até mim apreensiva e a lancei o meu pior olhar assassino quando chegou perto do balcão onde eu estava.

-E-ela está bem Senhorita Lovato? Foi alguma coisa séria?-Perguntou nervosa, não acredito que essa tapada estava do lado e não viu a farsa da Hill's.

-Não sei ruiva azeda vá se sentar, não cuido da vida de ninguém aqui.-A garota pareceu pensar um pouco encarando o canto da mesa.

-Posso ir ao banheiro?-Pediu fazendo cara de quem teve uma ideia.

-Para ir vê-la? Não! Agora volte ao seu lugar ou saíra daqui para um lugar bem pior do que o que a (Seu nome) foi.-ordenei apontando para sua mesa.

-Mas a enfermaria não é ruim.

-Isso porque nunca foi lá com a minha presença, ande logo não tenho o dia todo.-a expulsei e a garota saiu de cabeça baixa.

Figgins disse que seria uma das professoras responsáveis pela supervisão dos alunos no passeio após as finais dos jogos, a outra professora ou professor ele não quis dizer, mas desde que não seja Wilmerda para mim está bom, e desde que eu veja (seu nome) por mais tempo também está ótimo.Normalmente as escolas levam os alunos para terem uma folga, mas nesse acampamento vai ser igual a um acampamento de férias, com tarefas e jogos, Figgins gosta da ideia de estimular a mente desses retardados.

O bom é que é logo após a semana de dia dos namorados, então não está longe, e a ideia de ter (seu nome) sentada um banco a frente de mim é agradável, se é que essa palavra existe no meu vocabulário, se eu queria que ela fosse ao meu lado e não em minha frente? Sim, eu queria, mas não posso fazer isso ou os retardados se mostrarão não tão retardados assim.

(...)

Depois desse dia cansativo queria mesmo era me jogar na cama, precisei tirar o lixo para fora e por ironia do anticristo (seu nome) estava caminhando por ali na hora, não sei aonde iria, mas quando a mesma sorriu e acenou percebi que não havia tirado aquele anel de plástico do dedo.Olhei para o lado em que estava sua casa e a chamei com a cabeça, ela franziu o cenho sorrindo fraco mas veio.

-Aonde vai garotinha?-Peguntei sem saber o que dizer de verdade.

-Mamãe pediu para que eu comprasse leite no mercado.-respondeu acompanhando meus movimentos.

-E vai a pé?-assentiu.

-Não é tão longe assim...

-Ah não, só a 500 quadras daqui acrescentando 1 quilometro.

-Está exagerando também.-riu ainda observando eu fechar a tampa da lixeira, não sei o que há de interessante nisso.

-Será que eu posso... te acompanhar?

O que? Está ficando louca? Fumou alguma Demetria?

-Claro, eu acho...-Disse achando aquilo tudo muito estranho.-As pessoas não irão ver não?

-Ninguém nos conhece por aqueles lados, e não seria uma má ideia voltar ao local em que a provoquei pela primeira vez, todos ali pensam que sou sua tia esqueceu? E se me lembro bem tem um atalho onde não tem tanto movimento, quase ninguém para ser mais exata-Falei parecendo ter feito um plano todo agora, e é verdade-É pelo parque, a essa hora as pessoas não andam por ali por ser perigoso.

-E por que estando com você seria menos assustador e perigoso?-sorriu fraco mostrando os dentes.

-Por que eu sou mais alta, mais forte e também fria, você de fria só tem essas mãos, agora vamos logo.-Apontei com a cabeça para o outro lado, colocando as mãos dentro do casaco.

-Tudo bem então, psicopata friamente calculista-Deu um leve sorriso.

-Você parece aquelas adolescentes de filme que procuram o perigo e se apaixonam por ele, meio Violet se apaixonando por aquele psicopata do Tate, crepúsculo não conta, aquele vampirinho de merda não é nada perigoso.-citei American Horror Story como exemplo.

-Amo essa série inclusive, e sempre preferi o lobo Jacob Black-deu de ombros.-Ele era mais gato.-revirei os olhos.

-Como se você já não fosse fútil suficiente.

-Ei, não sou fútil ok? Só uma garota normal que gosta dessas coisas como qualquer outra da maioria... ou não tanto, inclusive nossa cidade parece com forks, sempre faz frio aqui.

-Se quiser sentir menos frio me avisa-respondi a fazendo corar e desviar o olhar para o chão, arregalei os olhos percebendo o que havia acabado de dizer.-Então... você está ansiosa por ter o primeiro passeio escolar do ano?-Perguntei mudando de assunto quando nos aproximávamos do parque, onde acertei em cheio, não haviam pessoas ali.

-Acho que sim, soube que teremos dormitórios, vai ser muito legal dormir com minhas amigas e fazer noites de pijama.-começou empolgada.

-Noites de pijama para garotas da idade de vocês com gosto por dois gêneros, ou nem todas, nunca dá certo-Falei visivelmente incomodada com sua resposta.

-O máximo que faremos é trocar de roupas na frente uma da outra, você sabe, nenhuma delas liga e acho que eu também não, mas a melhor parte será o lago e o ar fresco, posso acampar com Sam nos últimos dias ou algo assim...

-É, está ansiosa ou não vai querer participar dos jogos e atividades do local de acampamento?-continuei para ver até onde ela iria, ou se tinha algum plano comigo nessa viagem.

-Gosto dessas coisas então sim...-Ela pareceu pensar por um minuto, desconfortável apertou os lábios em uma linha fina.-E você?

-Ham, eu? Eu o que?-Se controla, porra Demetria.

-Vai querer fazer algo diferente?

-Sou professora, não tem nada para mim a não ser vigiar aquele bando de idiotas.

-Você tem a mim.-corou ao dizer pela terceira vez só hoje, por parecer duplo sentido.

-Acho que sim... poderíamos fazer algo diferente lá, não sei.-Todos sabem o que eu faria, mas dessa vez tem que ser algo diferente.

Você está fazendo planos com ela? É isso mesmo? Será que não aprendeu o suficiente com Selena e seu pai?

-É, podemos... então é isso.-Disse colocando uma mecha da franja atrás da orelha.

-Chegamos.-avisei-Entra você primeiro-a garota obedeceu entrando sendo seguida por mim, dei uma encarada fria para aquele mesmo caixa que continuava trabalhando aqui e ele arregalou os olhos desviando rapidamente para a caixa registradora, gosto assim.-Então, sua mãe queria apenas o leite? Porque se for isso poderia ter ido a uma loja de conveniência não acha?

-Na verdade, ela disse que poderia comprar alguma coisa para mim, e também queria algumas comidas congeladas caso precisasse ficar até tarde no trabalho e não tivesse jantar para mim-disse se dirigindo a parte dos frios, ao tentar pegar algumas caixas de pizza notei que a mesma tirou o anel o colocando dentro do bolso.

-O que está fazendo?-perguntei séria.

-Pegando pizzas congeladas?!-respondeu confusa, encarei seu dedo e ela logo entendeu-Ah, é de plástico... logo irá manchar meu dedo.-sorriu inocente.

-Mas enquanto está bonitinho você usa.-mas o que...

Demetria, não pode obriga-la a nada, por que quer que ela use essa coisa mesmo?

-Ham...-procurou as palavras envergonhada, cai na real por um momento.

-Quer saber, não precisa usar isso, não é necessário.-ela assentiu colocando as caixas de volta no lugar.

-Não irei mais levar isso, prefiro doces-riu nervosa.

Por um momento olhei para o lado, até aquele babaca do Steven estava aqui, e eu que pensei que nunca mais veria esse desprovido de massa cinzenta na minha vida, o garoto olhou para mim com os olhos arregalados e saiu da parte dos frios tão rápido que derrubou a cesta de uma senhora.

-Mas o que foi isso?-(seu nome) perguntou finalmente deixando de dar atenção para os frios como se parecesse pensar melhor e olhando para a mesma direção que eu, muito provável que ela conseguiu ver apenas um vulto correndo-Mas que garoto idiota-Disse se aproximando da senhora e a ajudando.-Aqui está senhora.

-Obrigada, minha jovem-respondeu a velha andando para outro corredor, as vezes tendo entender como ela consegue ser assim, tão perfeitinha além da conta.

(Seu nome) fez o mesmo e a segui até a sessão de doces, aonde a garotinha correu diretamente para os marshmallow’s, em uma tentativa de pegar um pacote da prateleira percebo que ao meu lado haviam alguns da marca que ela me recomendou quando nos conhecemos.

-Esses aqui são melhores-estendi um pacote para ela que parou de tentar inutilmente se esticar e pegar a outra marca, (seu nome) parecia não saber o que dizer então apenas ficou me olhando e pegou logo em seguida.

-Obrigada.-sorriu.

-Agora vamos, esse lugar me traz lembranças desagradáveis-Disse cerrando os punhos ao lembrar daquele garoto metido a super man e ela me olhou como se dissesse "Mas você que quis vir...".

-Pode pegar o leite para mim?-Pediu vendo que eu estava mais perto, após ter entregado ela se dirigiu ao caixa, minha expressão superior aquele garoto não tinha preço, ele me observava com certo medo enquanto eu arqueava uma sobrancelha o desafiando, tentando torturar aquele menino com o olhar que fazia tudo muito rápido para que acabasse com isso logo.

-Prontinho Demetria, vamos-Hill’s me despertou de meus pensamentos.

-Vamos sim.-segurei uma das sacolas de papel saindo daquele lugar.-Estava pensando aqui...-comecei.

-Você pensando e expressando... isso é um milagre.-brincou.

-Engraçadinha.-a olhei séria-Como dizia, não acha muita coincidência mesmo que eu não queira te encontrar, sempre acabado a achando?

-A-acho que sim, por que a conclusão?

-Não sei... talvez tenha reparado nisso tarde demais, contudo, já aconteceu antes.-continuei minha reflexão-Como hoje mesmo, fui levar o lixo para fora e você estava a poucos metros de mim.

-O destino me briga a conviver com você, não sei o que ele quer.

-Eu sei, mas não tenho tanta certeza se estou pronta para isso.

-O que está querendo dizer?-engoli em seco novamente, isso andou acontecendo bastante, parece que as palavras ficam presas em minha garganta e descem de volta rasgando.

-Nada, nada que seja importante.

Não, não posso cogitar essa teoria... é estúpido.

-Boa noite então.-disse ao chegarmos depois de um longo caminho em silêncio, a garota tentou me abraçar mas segurei em seus ombros antes que pudesse fazer isso.

-Não chega tão perto (Seu nome)... tenha uma boa noite-desejei abrindo a porta de casa, sem ao menos ver sua última expressão.


Notas Finais


Enjoy kittys e paciência.
Comentem, favoritem e divulguem se puderem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...