História Boss - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation, Miss A, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Heechul, Kai, Kris Wu, Lay, Lee Donghae, Lu Han, Sehun, Sooyoung, Suho, Suzy, Tao, Xiumin
Tags Ação, Bigbang, Drama, Escritório, Exo, Girls'generation, Hentai, Kaisoo, Kyungsoo, Lemon, Missa, Romance, Sexo, Shinee, Superjunior, Taohun, Yaoi, Yuri
Exibições 99
Palavras 1.781
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, mil desculpas pelo enorme atraso, tive um bloqueio mental e não saía nada. Sei que muitos devem ter ficado "af Amanda, de novo essa palhaçada?" mas eu n faço de propósito aaaaa ><
Espero que gostem do cap, mais curtinho que de costume, mas não queria deixar vocês sem nada ;;
Deixem seus comentários tá? quero saber oq estão achando <3

Capítulo 9 - Borboleta


Kyungsoo abriu os olhos lentamente ao sentir algo quente tocar em seu rosto, uma mão o acariciava carinhosamente e o mesmo sentia-se confortado. Deparou-se com Kai lhe sorrindo da forma mais amorosa possível, seus dentes brancos e perfeitamente alinhados brilhavam juntamente a seus olhos castanhos e calorosos. Seu cabelo bagunçado caía gentilmente sobre a testa e formava ondas que moldavam seu rosto. 
D.O não conseguia lembrar-se de ter visto alguma imagem mais bonita que aquela em toda sua vida, estava no paraíso. Automaticamente sorriu junto.


– Você está acordado há muito tempo? – Perguntou sonolento.


– Acho que há uns 10 minutos – Kai respondeu.


– E por que não me acordou? – Bocejou e aninhou-se ainda mais ao peito do maior.


– Por isso, você parecia estar dormindo tão bem que seria maldade lhe acordar.


– Então você apenas ficou aí me observando dormir? – Riu.


– Não me arrependo de nada.


– Seu psicopata – D.O falou e ambos riram.


Era tão confortante estar ali nos braços de Kai, tão confortante poder sentir suas peles se chocando, poder sentir sua respiração tão perto e não ter medo de ser rejeitado. Muito pelo contrário, só conseguia sentir reciprocidade e um afeto que lhe tocava o mais profundo do coração. Era tão estranho sentir-se daquele jeito por causa de alguém que mal conhecia, não haviam trocado palavras ou experiências, não lembrava de ter sentado para conversar de verdade com o moreno. 


– Tá tudo bem? – Kai perguntou ao notar o menor tenso.


– Bem… Como falar isso agora? Depois de tudo… – D.O lembrou-se da noite anterior e corou violentamente.


– Oh meu deus, não me diga que você tem alguém! – O moreno deu um pulo.


– O quê? Claro que não, sente-se – Gargalhou ao ver o outro se assustar – Você não acha um tanto quanto estranho nós… Bem… Você sabe… E, no entanto nós nunca conversamos? 


Por um momento Kyungsoo achou ter cometido o pior erro de sua vida, pois Kai calou-se instantaneamente e seu rosto tornou-se sombrio. O jovem sentiu uma inquietação em seu estômago e temeu o pior, temeu que o outro se fechasse. Após alguns segundos em silêncio, o maior abriu a boca:


– O que você gostaria de saber?


Da mesma forma que seu rosto tornou-se tenebroso, mudou para uma expressão suave e descontraída. O jovem respirou aliviado, felizmente a situação não havia ido por água abaixo.


– Eu… Quero saber mais sobre o que você gosta, o que você faz, sobre sua vida… Essas coisas.


Kai soltou uma risada surpreendendo o menor, aquela risada gostosa de ouvir e que iluminava tudo ao redor. O coração de D.O começou a palpitar forte e sentiu todo seu corpo aquecer.


– Você é muito fofo, Kyungsoo.

 

 

 

O sol começava a tingir o céu em tons de violeta quando Kai se espreguiçava no sofá surrado da sala. Usava uma calça de pijama emprestada e nada mais, deixando Kyungsoo completamente sem ar. Seu abdômen definido estava exposto para o deleite de qualquer um, principalmente para o jovem que o encarava descaradamente. O moreno era uma obra de arte pintada pelo mais talentoso dos pintores. As linhas de seus músculos esculpiam um corpo atlético, o cabelo castanho bagunçado lhe conferia uma aparência relaxada, os olhos amendoados e ferozes seduziam. E como esquecer aquela boca carnuda tão precisamente desenhada? Os lábios rosados que sempre se curvavam em um sorriso quando os olhares dos dois se encontravam fazia com que D.O perdesse a noção de tempo.

Kai não vivera uma vida de grandes aventuras, nada de extraordinário em seu currículo. Crescera numa boa casa, rodeado dos mais vaidosos luxos, tivera a educação de um nobre e frequentado as melhores camadas da sociedade sul coreana. Sua mãe havia morrido de trombose cerebral quando ele tinha 4 anos de idade, por isso lembrava muito pouco de seu rosto ou de momentos em que estiveram juntos. Seu pai era um homem depressivo, nunca havia aceitado de fato a morte de sua amada, por isso tonara-se uma pessoa ausente em sua vida, deixando sua criação para as empregadas e governanta.
Ele nunca havia tido consciência das dificuldades que pessoas como Kyungsoo passam, nunca havia se preocupado com as contas no final do mês, com a pressão para entrar em uma boa universidade e correr atrás de um emprego que o pagasse bem. Havia se tornado diretor da corporação com o mínimo de esforço possível, tudo em sua vida vinha muito fácil.

– É uma vida de merda! – Esbravejou.

– Eu queria poder viajar 5 vezes ao ano para onde quiser – Kyungsoo retrucou emburrado.

– Depois que você conheceu o mundo inteiro, não é tão legal assim.

– Você conheceu o mundo inteiro? – Falou boquiaberto.

– Hum... Diria que 95% dele.

– Eu nunca sequer andei de avião!

– Se você quiser a gente vai para qualquer lugar que você queira agorinha – Riu e afagou a bochecha alheia.

D.O negou rapidamente com a cabeça, não gostava de receber presentes tão caros como aquele. Kai riu de tamanha humildade, era a primeira vez que alguém recusava um convite tão tentador.

– Sabe Kyungsoo – O moreno falou olhando para o nada – Você é a primeira pessoa que me desafiou.

– Eu? – Riu desconcertado.

– Sim, você, quando chegou no meio de uma reunião importante e parou tudo para poder gritar comigo e extravasar toda sua raiva.

Como era de se esperar, Kyungsoo corou tão forte que parecia um tomate, suas bochechas arderam com tamanha vergonha por causa da lembrança. Em sua cabeça parecia ter acontecido há eras atrás, e, no entanto Kai lembrava perfeitamente de tudo. Mas como esquecer aquele fatídico dia onde as duas bocas haviam se encontrado pela primeira vez? Quase haviam transado ali naquela enorme mesa, em meio à papéis e copos de vidro.

– Você estava tão feroz e determinado, gritando descontroladamente sobre todas as coisas que se passavam aí dentro sem ter medo – Kai falou o encarando com uma intensidade assustadora.

D.O não tinha palavras para retrucar, jamais esperaria conquistar o moreno com aquela sua explosão, muito pelo contrário, esperava ser demitido no mesmo instante. Desviou o olhar tímido, porém fora impedido pela mão do outro segurando seu queixo o forçando a olhar para si.
Kai era uma explosão de coisas que deixavam o menor ansioso, sua intensidade fazia seu corpo inteiro tremular. A boca carnuda estava entreaberta, como se estivesse se preparando para um beijo e os olhos castanhos lhe fitavam atentos.

Kyungsoo encontrou-se mais uma vez completamente vulnerável ao efeito que o mais velho tinha sobre si. Bastava apenas um olhar para que perdesse as estribeiras, estava tão absorto em si que mal resistia seus encantos. Sabia que estava pisando em terreno perigoso, nunca era boa coisa estar tão imerso em alguém, ainda mais quando se conheciam à tão pouco tempo, mas não podia evitar a respiração pesada quando os dois interagiam. Era tudo muito perfeito em Kai, como se ele carregasse um imã que atraía o menor com força descomunal.

O maior puxou-o mais para perto com força, segurou seu queixo firmemente e sem cerimônias o beijou. Sua língua irrompia dentro da boca alheia, uma surpresa que deixava o menor sem ação. Fechou os olhos e se deixou mergulhar no que quer que Kai estivesse pretendendo fazer consigo. Seus lábios eram tão macios e a forma como as bocas se encaixavam deixava tudo mais prazeroso. Á cada toque Kyungsoo sentia fogos explodirem dentro de si, um misto de sentimentos lhe tomavam o tato e o corpo inteiro se esquentava.

Ele não soube dizer quando e nem como foram parar na cama, mas ali estavam os dois amantes aos beijos sob os lençóis bagunçados. Kai traçava beijos que ardiam a pele de seu pescoço, sua boca faminta chupava e mordia para que deixasse uma marca de que ele estivera ali, ele havia tocado seu corpo. Kyungsoo não fazia mais que gemer baixo e chamar seu nome. “Kai...Kai...” e fechava os olhos com tamanha força que suas órbitas reviravam debaixo das pálpebras. As mãos pequenas e trêmulas seguravam o cabelo com força enquanto ele jogava a cabeça para trás e gemia mais uma vez.

D.O estava sentado em seu colo de frente para si, as pernas entrelaçadas em sua cintura e somente não pendia para trás por que o maior o segurava com força, o apertava tanto que pareciam se fundir. Não tardou para que as roupas voassem em direção ao chão, as peles sentiam necessidade de se tocar e deixar que o fogo os consumisse.
Era uma cena um tanto quanto animalesca, dos grunhidos de Kai até as unhas de D.O cravadas em suas costas. Os dois se puxavam, mordiam, chupavam e arranhavam desesperadamente.

Quando finalmente sentiu Kai dentro de si, o corpo inteiro de D.O estremeceu e o mesmo soltou um gemido que talvez o prédio inteiro tivesse ouvido. Sua boca abriu tanto que quase achou que fosse rasgar, os olhos fecharam abruptamente e as mãos apertaram o lençol com força. Era um prazer indescritível que o preenchia, a sensação de estar no paraíso nunca fora tão palpável quanto como era quando estava se entregando à Kai.
Seu cheiro, sua pele, seus toques, tudo era tão desnorteante que o levava a se perguntar se era real e não mais um de seus devaneios. Quantas e quantas vezes se pegavam imaginando como seria sentir o outro lhe tocar de maneira indecente?

Não levava muito tempo para que os dois entrassem em sintonia, mesmo sendo a segunda vez que faziam aquilo, se encaixavam com tanta facilidade que pareciam conhecer o corpo um do outro há anos. As respirações pesadas, os corações acelerados, os beijos apressados, tudo aquilo era muito mais que sexo, era arte. Por que Kai era uma obra perfeita e quando fazia amor era quase sacro. Seus gemidos, suas expressões de prazer, sua pele brilhante por causa do suor quente compunham o atrativo perfeito para Kyungsoo encontrar-se tão perdidamente envolvido.

Quando estava perto do orgasmo, Kyungsoo gemeu ainda mais alto tentando indicar que não aguentaria por muito tempo. Entendendo a linguagem corporal do outro, Kai apressou os movimentos para que ambos atingissem juntos ao ápice. Segurou com força a cintura do menor e enterrou a cabeça em seu ombro, D.O o envolveu em seus braços e o apertou contra si. Com uma estocada final, os dois atingiram o orgasmo e sentiram a onda de prazer dominar o mais profundo dos pensamentos.

Relaxou o corpo sentindo pequenos espasmos tomarem conta de seus membros, estava nas nuvens. O cheiro de suor e esperma impregnava as paredes do quarto e ele sabia que não iria sair tão cedo, que a cada segundo, cada minuto que passasse ali, iria lembrar-se de Kai. Estava tão perdido em delírios que a única certeza de que tinha no momento era que estava atado à sua teia, tal como uma borboleta.


Notas Finais


se puderem dar uma olhadinha na minha outra fanfic, eu agradeceria <3 (que inclusive vai sair atualização essa semana <3)
https://spiritfanfics.com/historia/enchanted-6708982


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...