História Bought - ABO - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens D.O, Jin, Kai, Rap Monster
Tags Abo, Alfa, Bangatan Boys, Bts, Do Kyungsoo, Exo, Jin, Kai, Kaisoo, Kim Jongin, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Namjin, Ômega, Rap Monster, Yaoi
Visualizações 865
Palavras 1.756
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, SEGURA O FORNINHO, SEGURA O TCHAN, SENTA, RELAXA E SE PREPAREEEEEEEEEEEEEM
Estão avisados auhauahuahaua

------------------ BOA LEITURA ------------------

Capítulo 19 - Dezenove


Dezenove

Por que você tem que ser assim tão bruto?

 

Kai chegou ao apartamento de Kyungsoo. Pegou seu chaveiro no bolso da calça e procurou por sua cópia da chave da casa do amigo. Destrancou a porta e entrou. Estava tudo escuro e silencioso. O que obviamente indicava que o lugar estava vazio.

 

O moreno suspirou aliviado.

De certa forma, estava satisfeito pelo outro não estar ali.

 

Na certa os dois brigariam de novo. Na certa ele acabaria com o outro olho roxo ou alguma parte do corpo quebrada. Então, qualquer pessoa esperta ou com um pingo de juízo na cabeça, estaria evitando ficar perto do alfa menor. Porém, Jongin estava se fazendo de burro naquele momento.

 

Apesar do risco contra sua vida.

E da grande possibilidade de precisar de uma cadeira de roda, ele ficaria.

 

Precisava falar com D.O. Principalmente porque descobrira que o de cabelos pretos também gostava de si. Do seu velho jeito bruto de sempre, mas gostava. E o mais novo tinha a necessidade de tirar aquela história a limpo.

 

Tudo acontecera tão rápido. Em um dia, as coisas estavam normais. No outro, de repente, Kyung estava alcoolizado e o beijara. O moreno tentou se esquecer desse fato. Aquilo ficou remoendo em sua mente. Despertou alguns sentimentos novos. Então, D.O o beijou novamente. Um beijo de dar de dez a zero em qualquer outro. E com isso deixou as coisas mais claras e ao mesmo tempo mais complicadas na mente do alfa maior.

 

Não era comum simplesmente se apaixonar por alguém tão apressado daquele jeito. O que significava duas coisas. Um: o sentimento era tão intenso que não respeitava as lógicas. Ou dois – e mais provável -: eles já se gostavam antes. Em algum momento que não se deram conta. Até que tudo veio a tona.

 

O homem acendeu a luz da sala.

Sentou-se no sofá.

 

Aquele móvel tinha o cheiro de Kyungsoo impregnando nele. Uma mistura de madeira molhada com laranja. Era bem diferente. Assim como o dono do cheiro. Kai estranhamente se sentiu mais calmo com aquilo.

 

Não era normal um alfa se apaixonar por outro alfa. Entretanto, também não era nada muito novo. Ele já tinha ouvido falar e tinha um conhecido que se envolvia com outros alfas. Mas querer um relacionamento sério com outro, talvez fosse uma novidade.

 

Olhou para o relógio em seu pulso.

Estava relativamente tarde.

 

Perguntou-se se o menor demoraria a voltar para seu apartamento e depois apareceria caindo de bêbado. Se isso ocorresse, seus planos viriam a baixo. E ele não estava no clima para lidar com o amigo alcoolizado. Se bem que poderia rolar outro beijo e... O moreno resmungou para si mesmo. Não era para isso que ele estava ali.

 

Era para esclarecer aquela confusão de vez.

Nada mais.

 

Kai já estava ficando muito irritado. Paciência estava longe de ser uma de suas virtudes. Detestava esperar. Principalmente quando o motivo de sua espera era um assunto importante. Quase que de vida ou morte. Exagerando obviamente. A menos que D.O resolvesse que uma surra não seria o suficiente.

 

Talvez fosse melhor ir embora.

Esquecer aquilo.

Mudar de país e de nome.

Tarde demais.

A porta da sala se abriu.

Kyung passou por ela.

 

- Você está aí. –a voz dele soara normal. Sem resquícios de raiva. – Fui até o seu apartamento, mas o porteiro disse que você ainda não tinha voltado. Então, decidi desistir e olha a minha surpresa. –debochou.

 

- O que queria comigo?

 

- O mesmo que você eu suponho. –se sentou no sofá da frente.

 

- Eu não quero fazer picadinho e nem beber o sangue de ninguém. –disse Jongin.

 

- Eca! Credo Kai. –resmungou. – O que você acha que eu sou? Um vampiro?

 

- Branco desse jeito, só usa preto, é agressivo para caralho. Não ficaria surpreso se fosse. –deu de ombros.

 

- Eu só evito o sol. Como qualquer pessoa com uma boa sanidade mental faria e... –franziu o cenho. – Chega de conversas aleatórias.

 

- Concordo.

 

Ambos suspiraram.

Depois trocaram alguns olhares.

 

- Desculpa. –o de cabelos negros quase sussurrara.

 

- Como é?

 

- Desculpa Kai. –falou baixinho mais uma vez.

 

- Não entendi.

 

O moreno tinha entendido sim, no entanto, queria ouvir de novo. Porque não era todo os dias que se tinha o privilégio de ouvir Do Kyungsoo se desculpando por alguma coisa que fez.

 

- Eu estou te pedindo desculpas, porra. –berrou. – Ouviu agora ou quer que eu vá até aí e berre em seus ouvidos de zebra surda?

 

- Não precisa. –retrucou. – Já ouvi. Acho que o condomínio todo ouviu esse seu escândalo.

 

O mais velho revirou os olhos.

Em seguida relaxou os ombros um pouco.

 

- Você só sabe me irritar. –bufou e fez bico.

 

O moreno achou aquilo tão fofinho.

Contudo, precisava manter sua pose.

 

- E você só reclamar.

 

Revirou os olhos.

Ambos ficaram em silêncio por um tempo.

 

- Reagi mal. Não deveria ter te dado um soco. É que você me pegou de surpresa. –Jongin nunca tinha visto D.O tão vulnerável daquele jeito. Estava tão fofinho. Tão abraçável. – Eu me senti um pouco...

 

- Acuado?

 

- Se eu soubesse o que isso significa, eu diria que sim.

 

- Quer dizer que você ficou com medo. Que não soube o que fazer com o que eu disse. –explicou. Kai sempre fazia isso quando o outro não entendia algo. – Se bem que na hora de me socar, você soube muito bem o que fazer.

 

- Eu já pedi desculpas. O que você quer? Um beijinho para melhorar? –brincou.

 

Então, os dois se lembraram de algumas coisas.

Ambos coraram e desviaram os olhares.

 

- Mas agora, sem enrolação. Kyung olha para mim. –pediu e o de cabelos pretos obedeceu. – Me diz com sinceridade. Você também gosta de mim? Como mais que apenas seu melhor amigo?

 

O alfa engoliu em seco.

Sentiu-se estranho.

Quis abrir a porta da sala e ir embora correndo.

Mas como estava em sua casa, desistiu da ideia.

 

- Kai, não é tão...

 

- Chega. –o alfa maior berrou. Ficou de pé deu alguns passos na direção do outro sentando. – Chega D.O. –repetiu. – Eu estou pirando com isso tudo. Você me beija, eu te falo o que sinto, levo um soco. Acho que mereço uma resposta direta.

 

- Sim. Eu gosto de você. Seu imbecil. –bufou furioso e ficou de pé. – Está satisfeito agora?

 

Os dois ficaram cara a cara.

Perigosamente perto.

 

Jongin puxou o outro para mais perto. Agarrou sua cintura e pressionou seus corpos com força. Um contra o outro. Kyung agarrou suas costas. Seus olhares se fitavam. Tão intensamente que era quase possível ver uma faísca entre eles.

 

O moreno sentiu algo tomar conta de si. Não queria saber de mais nada. Simplesmente juntou sua boca com a do amigo. Beijaram-se. Mas dessa vez, ele tinha certeza que o outro se lembraria de tudo. Que estava sóbrio e ciente do que estava fazendo.

 

Seus lábios se moviam apressados. Quase que irritados por não terem se juntado mais vezes. Suas línguas se enroscavam. Passavam uma na outra e depois ficavam mais calmas. Aproveitando cada toque.

 

Era um selar meio bruto. Mas o que se podia esperar de dois alfas? E sendo um deles Kyungsoo?

 

Kai levou as duas mãos em direção ao rosto do de cabelos negros. Ouviu o menor rosnar. Porém, era de excitação. Ele estava claramente adorando aquilo. O mais novo chupou a língua alheia. E como resposta, D.O mordeu seu lábio inferior. Com um pouco de mais força que deveria.

 

- Aí Kyung. –resmungou o outro afastando a face.

 

- Eu estou só começando. –sorriu malicioso.

 

Ele puxou o rosto alheio para mais perto, mas não foi para beija-lo. Kyungsoo desviou para o pescoço do moreno. Lambeu o local. Aquilo deixou Jongin arrepiado. Fez círculos com a língua. O sorriso malicioso ainda estava em si.

 

- Ah, é assim Kyungsoo? –retrucou o maior.

 

Ele desceu suas mãos até o traseiro do mais velho. E com facilidade o puxou para o seu colo. O de cabelos pretos entrelaçou sua cintura com as pernas. Kim aproximou os lábios do pescoço alheio e deixou longos chupões aonde pode. Os rosnados do menor apenas fazia o homem querer mais.

 

Então, eles pararam.

D.O voltou para o chão.

Eles se afastaram.

 

- E então? –soltou Kai.

 

- Então o que?

 

- Acho que mereço uma explicação. –o menor franziu o cenho.

 

- Eu dizer que também estou apaixonado, não está bom para você? –o “apaixonado” saíra mais baixo.

 

- Você não tinha dito que estava apaixonado. –sorriu abertamente e fez o menor corar. – Mas respondendo a sua pergunta, não. Não é o suficiente.

 

O outro alfa rosnou irritado.

Sentou-se no sofá e cruzou os braços.

 

- Mas que merda. –bufou. – O que você quer saber?

 

- Por que não disse que gostava de mim também? –começou. – Por que só fez alguma coisa quando estava bêbado?

 

- Porque eu não sabia se você sentia o mesmo. E porque eu fiquei incomodado com o fato de gostar de você. Porra Kai, você é um dos meus melhores amigos. Tem noção de como isso é esquisito?

 

- É claro que eu tenho. Mas continue.

 

- E bem... –deu de ombros. – Eu só bebo por sua culpa.

 

- Como é que é?

 

- Foi o que você ouviu. Ou agora além de imbecil também é surdo. –retrucou. – De vez em quando, me vinham pensamentos nada puros em relação a você. E a bebida me fazia ignorar as minhas fantasias com meu melhor amigo. –corou violentamente. E aquilo pegou o moreno em total surpresa.

 

O alfa maior sorriu.

Achou aquilo tão fofo.

 

- Mas espera um minuto. –fez careta. – Já faz alguns anos que você bebe desse jeito... –arregalou os olhos. – Você gosta de mim há tanto tempo assim?

 

- Para você ver como eu tenho péssimo gosto. –se afundou no sofá.

 

- Isso quase compensa pelo fato de você ter me dado um soco ao invés de ter me dito que sentia o mesmo. –cruzou os braços.

 

- Ah é. –o de cabelos pretos ficou de pé. Parecia incrivelmente malicioso. – E o que mais terei que fazer para compensar isso. –mordeu o lábio inferior.

 

Jongin rosnou.

Eles estavam prestes a mexer com fogo.

E ambos queriam, definitivamente, se queimar.

 

- Posso em pensar em muitas coisas. –respondeu sorrindo.

 

- Então me fale.

 

- Prefiro mostrar.

 

Ele puxou o outro para o seu colo novamente.

Seus lábios se encontraram.

Foram tomados pelo desejo.

Iniciaram um beijo.

Quente.

E cheio de paixão.

 

- CONTINUA -


Notas Finais


Não vou dizer nada auhauahuaha quero vcs me digam. O QUE ACHARAM DESSE CAPÍTULO? ME CONTEM PELO AMOOOOOOR auhauhauahuahaa
espero que tenham gostado e sim, joguei o bombardeio sai correndo auahuahauhauaha
sexta tem mais meus fubás lindos, e até terça para os leitores de NBI :D

Pergunta: Vcs também tem problemas com nervosismo?
eu tenho muito quando vou fazer alguma coisa importante. Aff é triste. Fico com os nervos a flor da pele e é muito difícil de controlar. Felizmente não é com tudo na vida auhauahuahaua.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...