História Boulevard Of Broken Dreams - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bts, Jungkook
Exibições 6
Palavras 1.087
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Cross-dresser
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Estrada Á Aceitação


Fanfic / Fanfiction Boulevard Of Broken Dreams - Capítulo 7 - Estrada Á Aceitação

Tenho que admitir que a maior parte de meu tempo eu passava pensando, então agora havia chegado a hora de esquecer ou apenas deixar tudo isso de lado.. eu estava novamente de frente com Matta, eu havia faltado durante todas as consultas da semana toda.

- Jeon, você tem que parar com isso, eu não sei por onde você andou durante a semana toda, a escola me ligou e disse que você simplesmente sumiu do colégio, desse jeito vou ter que te encaminhar para alguma instituição de menores, e também o agente Rafael me disse que você o colocou para fora de sua residência.. eu quero que você se explique.

É, vamos dizer que ela queria uma explicação que eu não podia dar, não neste momento.

- Bom, eu estava em casa. Peguei um resfriado e fique repousando todos esses dias.

- Jeon, eu sei que você só quer fazer o  que gosta, mas a vida não é assim…nao da pra fazer tudo o que quer.

- Eu nunca vou fazer tudo o que eu quero.

Foi essa a minha resposta e também foi essa frase que fez o silêncio percorrer a sala.

- Jeon. • disse ela quebrando o silêncio •

- O que foi ?.

- Você não precisa agradar todo mundo, mas tem que perceber que pra ser aceito diante a sociedade você vai ter que abrir mão de algumas coisas.

- Você sente o mesmo ?. • perguntei esperando uma resposta sair daqueles lábios vermelhos •

- Jeon, a adolescência não faz sentido, logo você será um homem e tudo se tornará mais fácil pra você.

Claro, ela era uma psicóloga. O papel dela era tentar amenizar o problema que eu tinha..

- Se você olhar em volta e perceber nos pequenos detalhes você verá que tudo isso que você está vivendo agora é o sonho de outra pessoa e não exatamente o seu, senhora Matta.

- Onde quer chegar Jeon? .

- Eu quero chegar na parte em que você não é capaz de me entender, a parte em que eu sempre fui assim, talvez leve um pouco pra parte de ganancioso só que todos vocês querem um dia se juntar com suas famílias.. e fazem sacrifícios pra que isso ocorra… agora eu… • digo me levantando e caminhando até a porta e a observando •

- Eu quero mais.

Dito isso eu me retirei daquela sala e segui pelo corredor até o elevador e quem eu menos esperava estava parada bem ali diante do elevador.

Tentei ignorar a presença dela mais não deu muito certo já que quando entramos no elevador ela se virou pra mim e estava me encarando.

- Porque você me deu block?. • perguntou ela meio alterada •

- Porque não estava afim de falar com você. • respondi indiferente •

- E agora está? Precisamos conversar. • disse ela •

- Não, não estou. • respondi ceco. •

- O que eu fiz pra você Jeon?.

- Na verdade nada que você faça faria alguma diferença pra mim, então porque não cala a boca e me deixa em paz?.

Cara essa garota me dava nos nervos, se eu estivesse em um beco qualquer eu arrancava a cabeça dela sem recentimentos.

- Acontece que não é assim Kookie, eu te amo caramba porque não pode ficar comigo?.

- Simples, porque eu não te amo.

É ela ficou calada e eu saí do elevador a deixando ali pensando. Não é que eu não a amava é que na verdade eu não podia me apegar a alguém nesse sentido e também eu não estava afim de enfrentar Alvarez só por causa de um relacionamento de merda.. não muito obrigado eu já tinha problemas de mais não queria ficar me preocupando com essa menina doida.

Bom, eu fui ver Tony no consultório dele naquela tarde e eu me lembro como se fosse hoje… quando eu coloquei os pés naquele depósito nojento havia muito sangue esparramado pelo chão, e quando eu o enxerguei ele estava abrindo um cara.

- Olá Jeon meu parsa eu até te abraçaria mais eu estou todo sujo. • disse ele ao me ver. •

- Poha Tony, porque merda tá abrindo esse cara no chão? Coloca o cara em uma maca tenha mais respeito. • falei me aproximando dele e observando o cara que estava aberto sobre o chão. •

- Achei que nunca viria.. • disse ele enquanto retirava o intestino do cara e colocava em uma sacola. •

- É eu não iria vir, mas já que não tem outra saída..

- Ei Jeon lembra de quando você tinha 12 anos ? Que o Álvarez te trancou em uma funerária por 6 meses e você não saiu de lá enquanto não perdeu o medo de mortos e de abrir-los ?

Porcaria porque ele tinha dito isso, esse período foi o pior da minha vida inteira, mas fazer o que enquanto eu não destruí todos os cadáveres da funerária eu não pude sair.. ha ha ha cara até que foram bons tempos.

- É eu me lembro sim. • respondi indiferente •

- Bom, se você está aqui quer dizer que você aceitou o que é, e vai voltar pra nós?. • perguntou ele enquanto quebrava a clavícula do cadáver. •

- É, só que minhas paranóias estão me deixando louco preciso de algum remédio forte.

- Você é alérgico a remédios garoto, mas eu vou arranjar algo pra você.. mas antes me dá uma ajuda aqui e aí quando terminamos eu vou te examinar.

Eu o ajudei com o cadáver e logo eu estava sentando em uma maca e Tony estava atualizando minha velha ficha.

- Já faz 1 ano que você não vem aqui não é mesmo? • perguntou ele se aproximando de mim e retirando minha camisa e tirando meu nível de respiração em um papel. •

- Acho que sim. • respondi observando ele cortar um de meus pulsos e senti meu sangue escorrer e e pingar em um balde •

- Jeon, eu não quero te perder de novo então se concentra, eu vou deixar você aqui sozinho e eu quero que você mantenha o foco no balde de sangue ok ?. • disse ele dando um tapa de leve em meu rosto e se retirando •

É eu nunca entendi o sentido disso mas, pouco a pouco eu me sentia mais fraco, de repente aquele barulho de criança chorando surgiu em minha mente, eu não sabia de onde vinha a única coisa que eu sabia era que a estrada começava agora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...