História Boy Problem - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Heterossexual, Homossexual
Exibições 323
Palavras 6.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oeee amoreees <33 Vortey..

Então.. Esse capitulo era para ter saído sábado, só que, meu pai lindo e maravilhoso formatou o PC sem salvar documento algum! Conclusão? Me fudi..
Era para ser o capitulo da casa do Kook, mas achei que ia ficar muito grande e bagunçado, ja que eu quero dedicar um capitulo inteiro para esse momento.. Então divide esse cap em dois, como eu estou ja com o cap pronto, não vai demorar para sair o prox ^^
XENTY MT OBRIGADA PELOS 324 FAV EU TÔ CHORANU (T.T)
Vc estão no kokoro para sempre <33
Agr vão ler! Xoxo.. E comentem <3 Asdoro..

Sorry erros ortográficos ><

Capítulo 9 - Intrusive thoughts


Fanfic / Fanfiction Boy Problem - Capítulo 9 - Intrusive thoughts

Akira P.O.V

  -O que faz aqui?! -olho assustada para o homem a minha frente.

  -Akira precisamos conversar. -ele tenta me segurar pelo braço mas me esquivo.

  -Eu não tenho nada pra conversar com você! Vá embora! -o empurro saindo correndo pelo shopping já sentindo as lágrimas querendo sair.
 
    Corro até o banheiro, imagens nostálgicas começaram a rodear minha cabeça, elas estavam me assombrando. Entro no banheiro bagunçando meu cabelo em uma tentativa falha de afastar aqueles pensamentos, não consigo mas segurar as lágrimas fazendo elas saírem desesperadamente borrando toda minha maquiagem. Me encolho em um canto do banheiro que estava vazio. Por que? Por que ele voltou? O que esta fazendo aqui? Por que... As lágrimas saiam e as imagens me assombravam cada vez mais intensas, lembro dos meus gritos de socorro sem a voz sair, lembro de suas mãos me rodeando, mas eu sem força de  fugir, da sua língua tocando em minha pele..
 
  -Não! Não! Não! -grito com a voz falha me encolhendo mais no canto. -Eu quero fugir! -os seus olhos negros e frios me assombrava. Estava tremendo com a respiração ofegante.

  -Akira! -ouço a voz de Yoon ao longe e em seguida suas mãos tocando meu ombro. A olho querendo ter certeza de que ela realmente estava ali, e em um movimento impulsivo a abraço como uma criança pulando nos braços de sua mãe. As lágrimas descem mais intensas e a aperto forte.
 
  -Yoon ele.. Ele esta aqui... Aqui... -me encolho em seu peito prendendo uma enorme vontade de gritar e espernear no chão.
 
  -Calma... Akira, eu estou aqui. -ela sussurrou em meu ouvido me abraçando forte. Acho que ela ja deve saber do que estou falando, pois só a um motivo pra mim ficar tão assustada.
 
  -Eu... Ele me segurou e.. -tentei falar aos soluços.
 
  -Shh.. Não fale nada. -a mesma começou a alisar minhas madeixas me fazendo a apertar mais forte.

  -Estou com medo. -falo baixo apertando os olhos fortes.

  -Estou aqui, nada irá acontecer. -ela novamente sussurra me tranquilizando.

    Eu pareço uma criança fugindo do bicho-papão , mas esse bicho-papão é o pior de todos, e veio me assombrar novamente. Encarar aqueles olhos negros novamente fez retornar toda a angústia que um dia sentira, minha respiração estava ofegante e os soluços agora saiam aos poucos. Os braços de Yoon sempre foram aconchegantes para mim, e ela sabia do que eu estava falando, melhor do que ninguém. Mas eu não quero tocar no assunto com ela, se não as imagens retornaram, e só de pensar naquilo da uma vontade de me jogar em um precipício.

  -Esta mais calma? -ela pergunta, apenas concordo com a cabeça. -Saia desse chão sujo. -a mesma me levanta aos poucos, e em seguida coloca suas mãos em minha cintura me apoiando, com medo de ter outra recaída.

  -Sua maquiagem.. -me encaro no espelho vendo o borrão preto ao redor dos meus olhos.

  -Estou horrível. -falo me aproximando do espelho vendo meus olhos vermelhos e inchados pelas lágrimas.

  -Horrível é pouco. -ela sorri, porém não consegui retribuir pelo meu humor. -Anda, vou dar um jeito nisso. -Yoon coloca sua bolsa em cima da pia mexendo em alguns acessórios.

  -Como me encontrou? -perguntei quando ela ainda remexia em suas coisas.

  -Eu tinha acabado de fazer minhas compras e resolvi procura-la, não a vi na adoção então imaginei que tivesse ido ao banheiro, e bem...

  -Você se assustou com o que viu. -completo a frase e ela apenas concorda com a cabeça.

  -Vem. - puxa meu rosto para mais perto de si, passando uma base.

  -Eu...

  -Shh! Vai atrapalhar. -ela diz sem deixar eu terminar a frase. Possuía meu rosto passando todo tipo de produto que eu podia imaginar.

  -Acabei! -ela fala após uns minutos. Me encaro novamente no espelho e bem, meu rosto esta muito melhor que antes. Porém, meus olhos ainda estavam vermelhos.

  -Isso não tem como esconder. -ela diz.

  -Se as meninas perguntarem, direi que tive um ataque de espirro na adoção.

  -É convincente. -concorda guardando seus pertences.

  -Pra que trazer esse tanto de maquiagem na bolsa?

  -Emergências. Tipo, essa! -ela me encara e reviro os olhos. -Temos que ir, as meninas devem estar preocupadas.

  -Yoon. -falo quando ela já estava dando as costas.

  -Hm?

  -Obrigada. -tentei em uma tentativa falha de sorrir. Ela volta novamente a minha frente.

  -Sou sua Unnie, e ainda mais sua amiga, tenho o dever de cuidar de você. -ela sorri e apenas concordo. -Vamos. -a mesma me puxa para fora do banheiro

    Andei pelo shopping olhando desesperadamente ao redor, tentando ver aquele homem novamente. Mas pela minha sorte, não encontrei ninguém. Yoon segurava minha mão percebendo que eu ainda estava um pouco assustada. Respirei fundo tentando fazer o coração desacelerar, até que deu certo. Porém quando encarei aquelas três garotas cheias de sacolas nas mãos o desespero voltou, mas esse era diferente, pois como uma bigorna me acertando tudo voltou a tona, nosso objetivo de ter vindo ao shopping.

  -Onde estavam?! -Yuna foi a primeira a correr em nossa direção jogando suas sacolas nas minhas mãos. -Sua roupa. E alguns presentes meus. -ela sorri, tento o máximo retribuir. Estou assustada para saber o que tem aqui dentro.

  -Acabamos de sair da loja, não exagere. -Jihee também andou até nós.

  -Yuna comprou roupas para trinta encontros. -Sun Hee falou com os braços cruzados.

  -Eu meio que... Me empolguei. -ela sorriu.

  -Vamos a sorveteria agora...

  -Bem... Eu estava querendo ir pra casa. -me pronunciei chamando a atenção para mim.

  -Mas já?! -Sun Hee.

  -Bem...

  -Eu acho uma boa ideia. -Yoon. -Que tal dormirmos hoje na casa da Akira? Assim podemos experimentar as roupas e planejarmos o que vamos fazer. -soltei um suspiro quando ouvi minha unnie, eu realmente não queria dormir hoje sozinha.

  -Não é tão ruim. -Jihee concorda.

  -Acho mesmo que temos muito trabalho pela frente. -a unnie maluca começou a rir.

  -Pode ser. -Yuna falou um pouco desanimada.

  -Vamos Yuna! Vai ser divertido. -Yoon colocou o braço em volta de seus ombros e ela sorriu.

  -Então vamos ué. -diz ja começando a andar até a escada rolante.

  -Obrigado. -falo novamente para Yoon quando as outras já começavam a andar.

  -Da pra parar de me agradecer? -ela sorri colocando seu braço em meus ombros andando em direção a escada rolante.

    A saída do shopping foi tranqüila, na entrada havia muitos táxis estacionados então pegamos um. No caminho as meninas falavam das compras, o quanto queria se ver naquelas peças de roupas e se exibirem. Enquanto isso eu encarava a janela, pensando se deveria contar esse incidente para a minha mãe, mas também procurava respostas para minhas dúvidas. Se bem que, eu deveria ter suspeitado da aparição desse ser, já que o mesmo trabalha na área de adoção de animais, mas sou muito apaixonada por cachorro, para sequer pensar algo assim.

    Respirei fundo quando o táxi parou em frente a minha casa, nós descemos e as meninas pagaram. Todas estavam com sorrisos enormes no rosto, por um lado me sentia bem por ter elas essa noite comigo, mas por outro me sentia mal por não retribuir a animação com elas.

    Abri a porta ouvindo um som alto tocando Infinite . No meio da sala minha mãe ajeitava as coisas cantando alto e dançando terrivelmente. Abaixei a cabeça por vergonha após ver as meninas fixando aquela linda cena.

  -Não sabia que sua mãe gostava desse tipo de música. -Sun Hee fala adentrando com as sacolas nas mãos.

  -Nem eu. -fecho a porta após todas entrarem.

  -Vamos dona Aoki. -Yoon se juntou a minha mãe dançando algo que nem eu sei descrever.

  -Oh. Eu não tinha visto vocês. -ela diz espanando a longa saia que vestia, em seguida desligando o som.

  -Não se importe com a gente. -Jihee fala. -Nunca pensou em ser idol? Você se daria bem na parte da dança. -a mesma ri.

  -E se eu disser que ser idol era um dos meus sonhos? -as meninas a olharam espantada. Revirei os olhos, ela já havia me contado essa historia milhares de vezes, e não passa apenas de um relato sonolento que eu não estava afim de fazer as minhas amigas ouvirem.

  -Sério? -Yuna falou.

  -Sim.. Bem.. Tudo começou quando eu...

  -É uma longa história que seria melhor ser contada outra hora. -começo a empurrar as meninas para subirem as escadas.

  -Deixa de ser chata Akira. Eu quero ouvir! -Jihee fugiu de meus braços se jogando no sofá a frente de minha mãe.

  -Vai ser legal. -as outras fizeram o mesmo. Arfei ao ver que estavam formando uma roda em frente a minha mãe como crianças no primário quando a professora iria contar uma história. Me senti vencida e me vi obrigada a me sentar com o grupo, com a cara mas emburrada que podia fazer, a questão é que eu não gosto dessa história.

  -Então... Tudo começou na minha adolescência. -ela se sentou em uma poltrona a nossa frente. -Eu era uma garota cheia de sonhos, e um deles era cantar. Lembro que tinha um caderno onde escrevia minhas letras, a maioria era romântica. -ela sorriu após dizer isso. -Como era uma garota sonhadora, tudo que queria era um amor perfeito.

  -Isso não existe. -falei baixo porém todos ouviram.

  -Esta errada. -ela rebateu. -Você só não consegue identifica -lo, e acaba vacilando na linha amorosa. -revirei os olhos, não vou discutir por isso. -Continuando... A maioria das minhas letras eram assim, e eu carregava tal caderno para todo canto! -as meninas sorriram. -Mas bem, nem tudo é feito de sonhos. -minha mãe logo baixou o olhar. -Minha mãe adoeceu, com o câncer. -as meninas sentiram o impacto da dor em si, e  manterem mais atentas a história. -Meu pai recebia um salário mínimo e não tinha como pagar o tratamento, meus irmão eram novos demais para trabalharem. -as meninas se inclinaram, como se já soubessem o que vinha a seguir.

  -Você é a mais velha Sra. Aoki? -Sun perguntou, bem interessada na história.

  -Sim e não. O primeiro filho da minha mãe nasceu prematuro e acabou morrendo. -ela disse e as meninas se comoveram, revirei os olhos.

  -Enfim... Tinha que arrumar um emprego, nem que fosse o menor, pensei em vender minhas músicas, mas ninguém queria compra-las. Os restaurantes e bares da época não estavam contratando, nem em casa de família arrumei algo. O que me fez recorrer a ultima opção.

  -Que seria... -Jihee se aproximou.

  -Trabalhar em casa de prostituição. -as meninas arregalaram os olhos espantadas com essa declaração.

  -Sério?! -Sun Hee falou surpresa.

  -Infelizmente sim. Mas a minha sorte foi que entrei para cantar. -ouvi o suspiro de alivio das outras, mas ainda era em uma casa de prostituição. -De vez em quando me faziam dançar no pole dance, mas eu não podia fazer.. É...

  -Sexo. -falei e minha mãe arregalou os olhos.

  -Menina! -ela soltou um grito fraco e agudo.

  -Não se preocupa. Nós já somos crescidas o suficiente. -Yoon falou rindo.

  -Depois iremos conversar sobre isso Akira. -revirei os olhos com aquela declaração, o que adianta saber tudo sobre sexo, sem nunca ter praticado?

  -Continue. -falou Yuna.

  -Então.. Eu não podia fazer amor com os clientes.  -levando em conta que era uma casa de prostituição, amor não seria a palavra correta, será que ela não sabe disso? -Até eu... Bem... Me apaixonar. -encaro o chão, essa é a parte que não gosto.

  -Imagino que tenha sido pelo...

  -Meu "pai". -fiz aspas com os dedos interrompendo a fala de Sun Hee.

  -Foi. -minha mãe afirma. -Mesmo sabendo que era um erro me envolver com um homem que frequenta tais lugares. Mas quando se gosta de verdade, é difícil conter.

  -Concordo com isso. -Yuna disse.

  -Conta outra, você não passa mais de uma semana com alguém. -Sun Hee falou debochando.

  -Não encontrei alguém que me agrade. -ela responde dando de ombros.

  -Acredite, aquele que mais pode te fazer feliz, pode ser o que você mais despreza. -minha mãe fala e pela milésima vez reviro os olhos, não sei como elas conseguem acreditar nessas baboseiras, amor é uma palavra que no século XXI não existe mais.

  -Então.. Acabei me apaixonando e engravidei da Akira. Até que chegamos a morar juntos mas nos separamos um tempo depois. -ela finalizou rindo.

  -Você não o amava mais?! -Jihee.

  -Bem...

  -Acho que temos muitas roupas para experimentar! -falo levantando-me.

  -Como você ta chata em. -Sun Hee resmunga.

  -Akira tem razão. Estou tomando o tempo de vocês. -minha mãe diz rindo.

  -Lógico que não. Foi super divertido ouvir sua história Sra.Aoki. -Yuna sorriu e minha mãe retribuiu.

  -Talvez em outra ocasião eu amostre minhas músicas para vocês.

  -Mas o que aconteceu com sua mãe? Conseguiu pagar o tratamento? -Yuna se virou.

  -Não, ja estava avançado de mais  , e ela acabou falecendo. -minha mãe responde com o olhar baixo.

  -Sinto muito. -Sun Hee fala.

  -Não se preocupe. Tinha que acontecer, ninguém muda o destino. -ela sorriu. Minha mãe esta tão filosófica hoje, até estranho.

  -Se divirtam! -ela acenou saindo do nosso campo de visão.

    O resto da noite foi agitada, as meninas estavam animadas com o encontro amanhã. Yuna ainda estava indecisa com o que vestir, de acordo com ela todas roupas eram lindas em seu corpo, minha unnie não é nem um pouco convencida. Yoon não tocou no assunto do shopping, e eu me senti aliviada por isso, mas sei que uma hora ou outra ela irá me perguntar sobre isso, mas enquanto esse momento não chegar, estarei bem em não tocar no assunto.

    Eu devo ter agido muito friamente com a historia de minha mãe, mas diferente de mim ela acredita muito nessas baboseiras de "amor", mesmo tendo o marido que teve. A admiro por tudo que passou, principalmente com a doença de minha vó, e me sinto angustiada em pensar que sua ultima opção foi trabalhar em um lugar sujo, e lá conhecer aquele homem que iria fazê -la sofrer tanto. Por esse motivo digo que paixão é a pior coisa que acontece na vida de alguém, nunca parei pra pensar nesse assunto, e muito menos conversei isso com alguém. As meninas não me perguntam se estou gostando de alguém ou essas coisas, acho que elas sabem que "amor" não esta nos meus planos de vida. Mesmo tendo uma forte atração por Seokjin, nunca imaginei nós dois como um casal, ele é bonito e gentil, e isso faz eu ter breves reações quando o vejo, mas isso não quer dizer que eu o amo, ainda não.

    O resto da noite jogamos conversa fora, cada uma falou algo atraente em sua "vítima". Yoon disse que gostava do jeito de Yoongi, ele é calado e ignorante e isso ela despreza, mas ao mesmo tempo consegue ser sexy e misterioso, e disso minha unnie gostava, acho que o título "a única que arrancou um segredo de Yoongi" a satisfazia muito. Jihee disse que só o fato de que Taehyung gosta de animes ja o fazia atraente, mas acrescentou falando que ele sabe seduzir, é carinhoso ao mesmo tempo, pois eles nem se conheciam direito e ele logo a abraçou, dizendo a mesma que, apesar de apertado seu abraço é confortante, e transmitia uma aura divertida, e ela adora isso.

    Sun Hee disse que o jeito de Jungkook a atraia muito,  ele é inteligente e sociável, sabia ser tímido e fofo mas, quando o assunto era fazer você ficar toda molhada, o maknae se dava melhor, e apesar de uns anos mais novo que ela, o mesmo era muito maior e bem mais maduro. Yuna com seu jeito pervertido argumentou que o melhor de Hoseok era ele na cama, dizendo ela que o mesmo conseguia manter um controle impressionante, a fazendo  ter vibrações inexplicáveis, ele sabe como possuir uma mulher. Já em relação a Namjoon, bem, caras do jeito a ele não a atrai, pois são totalmente o oposto, foi a única coisa que falou.

    Já eu falei que Jin é educado e gentil, e esses são caráter que admiro em uma pessoa e sinto uma forte atração. Mas não era em Jin que elas estavam interessadas em saber, e sim em Park Jimin. Na verdade pensei muito antes de responder essa pergunta, o que me atrai em Jimin? Essa é uma pergunta que nunca me fiz. Mas, ele consegue ter controle sobre mim, em simples palavras e toques consegue me fazer ceder a qualquer coisa. Lembrei de mais cedo quando nossos lábios se aproximaram, naquela hora ele me provocou, tive reações com aquela aproximação e o mesmo sabe disso, não quero ser invulnerável a ele, quero poder lutar contra ele, mesmo sendo isso algo muito difícil. Mas essa não foi a resposta que dei a elas óbvio, falei apenas que ele era bonito e tinha o corpo bastante alinhado, e nisso eu estava corretíssima.

    Fixava o teto quando todas já estávamos prontas para dormir, minha cama é espaçosa mas só cabem três pessoas, mas tenho um colchão da antiga cama de casal dos meus pais, então juntamos os dois no chão do quarto e assim ficou bastante espaçoso para todas. As meninas ja haviam apagado a luz, e o único objeto brilhante era o celular de Yuna refletindo seu rosto. Estava coberta com o edredom de veludo que nunca usei, mas a noite estava fria e eu ainda estava no chão, senti necessidade em usa-lo. Me remexi para o lado sentindo os cabelos pretos de Jihee no meu rosto, tinha um aroma bom e era até aconchegante, até que me peguei brincando com alguns fios.

  -Sabe.. Eu estava pensando. -falei ainda brincando com os cabelos de Jihee.

  -Pensou em que? -ouvi a voz de Yoon sem ver seu rosto.

  -Em tudo. Quer dizer, sobre os meninos. -pausei engolindo em seco. -Vocês pretendem... Ir pra cama com eles?
 
  -É UQ?! -o grito de Sun Hee fez com que todas nós nos espantássemos. A unnie maluca levantou em um pulo e correndo foi ligar a tomada do lado da porta. A luz fez meus olhos pesarem acostumados com a escuridão, ela estava totalmente descabelada e sua expressão estava surpresa.

  -O que foi? -Jihee falou levantando e tirando seus cabelos de minhas mãos.

  -Ouviram o que a Akira perguntou?! -ela disse sentando no colchão.

  -Sim.. E pra que esse desespero? -Yoon a olhou seria.

  -Não esperava tal pergunta. -a unnie cruzou os braços.

  -Não sou mais criança. -falo emburrada e a mesma rir.

  -Me olhando desse jeito você parece minha sobrinha de cinco anos. -reviro os olhos antes que ela pulasse em cima de mim me abraçando.

  -Sai! -falei em vão pois ela persistia em minhas costas.

  -A criança aqui é você. -Yoon falou com os braços cruzados.

  -Own esta com ciúmes? -Sun falou. -Ah também tem abraço pra você. -ela estendeu os braços no rumo de Yoon. Mas ela esquivou se jogando no chão fazendo a unnie maluca abraçar apenas o ar.

  -Parem com isso! -falei um pouco mais alto. -Vocês não responderam minha pergunta. -falei autoritária.

  -Então... -Jihee cruzou as pernas e me encarou. -Será necessário?

  -Seria uma aventura. -Yoon falou sorrindo.

  -Eu pensei que você fosse virgem! -falei um pouco espantada com a reação dela.

  -Só você. -ela sorriu. -Não sou, e imagina o Yoongi na cama. -me estremeci ao ser forçada a imaginar aquilo.

    Realmente pensava que Yoon era virgem, ela nunca me falou sobre essas coisas, como poderia adivinhar?

  -O sexo com Taehyung deve ser divertido. -Jihee comentou. -Literalmente uma viagem a outro mundo! -as meninas riram com o trocadilho da unnie.

  -Será que Jungkook é virgem? -Sun Hee perguntou.

  -Lógico que não né unnie?! -Yoon falou. -Aquele menino de virgem não tem nada, uma colega ja ficou com ele, e falou que ele a toda hora pegava nas suas partes íntimas com segundas intenções.

  -"Maknae" não é o termo que dizemos a virgens. -Yuna se pronunciou.

  -A nossa maknae é virgem. -Jihee falou e todas olharam para mim. Meu rosto ficou corado com aqueles olhares pesando sobre mim, o fato de ser a única virgem do grupo me fez sentir como a ovelha negra daquele quarto.

  -E por isso, é a única que esta proibida de ir pra cama com algum deles!

    Meu rosto esquentou quando as palavras de Sun Hee ecoaram em minha mente. Eu? Ir pra cama com alguém? Imagens perturbadoras surgiram em minha mente, imagens de Jimin nu, tocando em minha pele e me beijando loucamente. O imaginei me tratando como faz com qualquer outra garota, sendo rígido e selvagem, como um predador com fome. Balancei a cabeça afastando tais pensamentos.

  -Se Akira não quer. Não tem problema, dessa parte cuido eu. -Yuna comentou me fazendo a olhar mortal.

  -Da pra você parar de ser puta uma vez na vida?! -Yoon gritou.

  -Olha... Deveríamos ter pensado nisso antes, Jimin é aquele cara que em tudo vai querer envolver sexo. -Jihee falou.

  -Tenho raiva em admitir que esta certa. -Yoon.

  -Ei! Eu sei muito bem o que faço, okay? -falei fazendo todas voltarem amim.

  -Quer dizer que esta disposta a transar com Jimin? -Yuna se inclinou com os  arregalados.

  -Não! Jamais! -gritei a fazendo rir. -Bem... Acho que vai ser um desafio fazer ele se envolver comigo sem sexo, mas... Estou disposta a aceitar.

  -Fala sério Akira?! Ja reparou no Jimin? -Yuna se enclinou a mim. -No primeiro toque você ja irá querer estar em sua cama.

  -Não sou tão puta quanto você! -gritei e ela virou o rosto, talvez seja pelo fato de que nunca fui tão fria e ignorante com a mesma antes, mas ela precisava ouvir aquilo.

  -Nossa. -foi a única palavra que saiu pela sua boca.

  -Só não se entregue de cara. -Jihee falou.

  -Ei! Não irei transar com Jimin, é a mesma coisa de me condenar a morte. -falei levantando e olhando cada uma delas.

  -O corpo é seu. -Yuna cruzou os braços. -Só não quero que se decepcione. Primeira vez é a coisa mais importante para uma mulher, que ficará para sempre na memória, e essa lembrança tem que ser mágica. -a unnie continuou fazendo com que todas a olhassem surpresas.

  -Nunca a vi falar tão bonito. -Yoon admitiu.

  -Obrigada unnie. -sorri de canto indo abraça-la. Ela apenas retribuiu o sorriso.

  -Cara, minha primeira vez não foi essas fantasias. -Sun Hee disse cruzando as pernas. -Ele só falou, "quero te foder", e pronto.

  -Nossa! Pelo menos foi em um ambiente digno? -Jihee indagou, logo a unnie maluca começou a rir, seus olhos ja lacrimejavam das risadas altas que soltava.

  -E se eu disser que... -ela se recuperou. -Foi no banheiro da escola?!

    Todas fizemos as mesmas expressões, a cada dia que passa, percebo o quanto Sun Hee era louca. Mas logo no banheiro? Quem em sã consciência iria cometer tal ato na escola? E pior, sendo sua primeira vez!

  -Você é louca?! -gritei.

  -Eu estava desesperada! Ja tinha 18 anos e nunca havia fodido. Na primeira oportunidade aproveitei, aff. -ela arfou, mas aquilo não era desculpa que justificaria o cometido.

  -Não conseguirei mais entrar naquele banheiro. -Yuna disse baixando a cabeça.

  -Não duvido mais de nada vindo de você. -eu ri.

  -Já a minha. Foi em um motel, ano passado. -Yoon começou. -Bem... Até que foi bem romântico.

  -Com quem foi?! -indaguei interessada no assunto.

  -Meu vizinho. -ela começou a rir.

  -Ta falando do Kim Kwan?! -a olho espantada.

  -Dele mesmo. -ela ri.

     Kim Kawan tinha chegado a um ano em Seul, no começo ele veio por uma competição de jogos, mas ocorreram outras coisas que o obrigou a ficar. Sempre soube que Yoon tinha uma breve atração com ele, mas a mesma nunca havia me contado que ficou com ele. Kwan não é feio, nem um pouco até, e seu jeito é parecido com Yoon, pois os dois passavam horas conversando sobre filmes e séries. Apesar dessa aproximação, nunca imaginei os dois juntos, ou pior, que ele iria tirar sua virgindade! Mesmo ele tendo um jeito carinhoso, não sei como conseguiu fazer Yoon concordar com aquele ato, e eles nem se conhecem a tanto tempo assim! Na minha cabeça estava uma confusão, imaginava os dois na cama, eles juntos, eca!

  -Kwan?! -Sun Hee gritou. -Eu conheço ele!

  -Como? Não lembro de ter apresentado-o pra vocês. -Yoon parecia pensativa.

  -Não. Encontrei com ele no evento que fui com Jungkook.

  -Ah sim. Ele realmente gosta de jogos e essas coisas. -Yoon colocou um travesseiro entre suas pernas abraçando o mesmo, ergui uma sobrancelha pensando se ela estaria imaginando Kwan ali. -Ele foi carinhoso comigo, na verdade, pediu até para namorarmos, mas... -ela pausou engolindo em seco.

  -Mas...? -falei.

  -Não aceitei.

  -Se ele for amigo dos meninos, pode atrapalhar tudo! -Jihee falou com as mãos na cabeça.

  -Por que? -Yuna perguntou.

  -Yoongi não iria mais querer a Yoon. -Jihee.

  -Claro que queria! -Yoon levantou. -Kwan não é próximo dos outros.

  -E mesmo se fosse, não seria motivo para acabarmos com o plano. -Yuna.

  -O jogo vai rolar de qualquer jeito. -Sun Hee.

  -Acho que por hoje chega de papo, estou com sono. -falei querendo fugir daquele assunto, ja estava ficando tediante.

  -É mehor mesmo, o que menos quero amanha são olheiras. -Yuna falou deitando-se novamente.

  -Então vamos. -Sun Hee levantou até a tomada. Todos nos deitamos em seus devidos lugares esperando a unnie apagar a luz. -Boa Noite minhas crianças. -ela falou rindo e logo em seguida recebendo uma travesseirada de Jihee.

  -Desliga logo essa porra. -a mesma falou e a unnie o fez.

    Com as luzes apagadas novamente voltei a brincar com os cabelos negros de Jihee, não é a toa que ela foi a primeira a dormir com o cafuné que estava fazendo. Algo estranho aconteceu comigo enquanto estava fazendo cafuné, com todo esse papo de sexo e virgindade vi a imagem de Jimin em vez de Jihee, os cabelos negros dele, e eu estava tocando. Suas costas alinhadas e sua nuca me causava arrepios, abracei Jihee como se fosse as costas de Jimin. Não que eu esteja loucamente apaixonada por ele, claro que não! Mas me perguntei se essa era a sensação de dividirmos a mesma cama com alguém, era aconchegante e delicioso. Logo soltei Jihee quando percebi o que estava pensando, imaginar essas coisas com Jimin é apenas uma fantasia, pelo que percebi até agora, ele nunca iria ser carinhoso na cama como Kwan, seria um pesadelo tirar minha virgindade com ele, não queria me ver igual a Yang Mi, chorando aos seus pés implorando para termos um caso, e ele gritando comigo. Olhei novamente para Jihee querendo ver Jin, mas não consegui, forçava a mente mas nada surgia.

  Por quê o proibido me atrai?

    Respirei fundo olhando o teto. De tanto fitar o vazio o sono acabou me consumindo e aos poucos fui fechando os olhos, até ser totalmente tomada pelos sonhos.

(...)

    O despertador tocava produzindo um som desconfortável, me remexi para o outro lado do colchão cobrindo meu rosto com um travesseiro, após alguns segundos o som havia se cessado. Relaxei o corpo voltando a meu estado de transe, ou pelo menos tentei.

  -ACORDEEEEEMM!!! -o grito agudo de Yoon fez com que meus olhos abrissem bruscamente. O colchão se movia e as meninas ja se levantavam.

  -Pra que isso?! -Yuna falou levantando. Tiro o travesseiro do meu rosto, mas só conseguia abrir um pela claridade presente no quarto.

  -Já esta tarde, deveríamos ter acordado a uma hora atrás. -Yoon falou olhando para a tela do celular.

  -Mas esta cedo unnie. -Jihee coçava seus olhos tentando se manter acordada, algo em vão pois ela acabou se jogando no colchão novamente.

  -Não é mais hora de dormir! -Yoon a levantou bruscamente.

  -Que saco! -Sun Hee se botou de pé em um pulo, seu pijama estava amassado e o rosto inchado, os cabelos assanhados e seus olhos quase não se mantiam abertos.

  -Lavem o rosto pelo amor de Deus. -Yoon falou rindo pelo estado de cada uma. As meninas foram até o banheiro em uma fila de zumbi, as acompanhei sonhando acordada, Yoon tirou os colchões do chão escorando os mesmo na parede, em seguida abriu as cortinas fazendo o sol refletir nas paredes.

    Tentei alcançar minha escova estirando meu braço entre Jihee e Yuna, que se mantinham em frente ao espelho. Depois de algumas tentativa consegui, meu banheiro não era grande e ainda havia quatro pessoas ali, ficava impossível mover um passo. Após colocar a pasta na escova saí do banheiro voltando ao quarto, comecei escovar os dentes ali mesmo vendo Yoon mexer no celular. Queria perguntar algo mas o meu a fazer impedia isso, mas Yoon olhou minha cara e logo decifrou minha pergunta.

  -Estou mandando uma mensagem para o Kwan, pois nenhuma tem o número do Jungkook. -ergui as duas sombrancelhas concordando, Yoon ainda irá me explicar seu rolo com Kwan.

    As meninas saiam do banheiro com a cara melhor de quando entraram, Yuna estava com um sorriso de orelha a orelha, os cabelos  loiros amarrados em um coque a deixava até de manhã radiante. Adentrei o banheiro onde só estava Jihee lavando o rosto, cuspi a espuma de pasta e lavei a boca em seguida o rosto. Jihee saiu com sua escova em mãos finalmente me deixando sozinha no meu espaço apertado, meu rosto estava marcado com as linhas costuradas do colchão e meus olhos inchados, foi uma noite mal dormida com aquele tanto de gente dividindo o mesmo espaço.

    Após completar minha higiene matinal as outras ja esperavam na mesa, ainda usava meu pijama listrado com as pantufas rosas, meu cabelo preso em um rabo de cavalo prático para esconder o ninho que estava formado ali.

  -Você fica tão fofa quando acorda! -Jihee comentou com um sorriso, apenas revirei os olhos indo a geladeira. Da mesma tirei uma caixa de leite desnatado dando alguns goles.

  -Sun Hee parecia a bruxa de Blair quando acordou. -Yuna falou enquanto eu caminhava para o armário. A unnie maluca jogou um pão    em seu rosto fazendo todas da mesa rirem.

  -Onde esta minha mãe? -indaguei tirando uma caixa de cereal.

  -Ela disse que foi fazer umas compras no mercado. -Yoon respondeu e apenas concordei. Peguei uma tijela vermelha na borda e branca no fundo, despejei o cereal e em seguida o leite, levei meu simples café-da-manhã até a mesa me sentando.

  -O que será que nos aguarda na casa do Jungkook em? -perguntei colocando uma colher de cereal na boca.

  -Sexo. -Yoon falou mordiscando um pedaço de bolo.

  -Ah se fosse isso. -Sun Hee ri.

  -Taradas. -falo revirando os olhos.

  -O máximo que iremos ver, são sete garotos na puberdade implorando por nossos corpos. -Jihee falou me fazendo corar.

  -Isso poderia ser verdade, se, atraíssemos eles. -Yuna comentou bebendo um gole de café.

  -Vai começar? -Yoon . -Claro que atraímos!

  -Nem que seja apenas seus pênis, mas atraímos. -Sun Hee falou rindo.

  -Vocês ficaram tão safadas do nada. -falei saboreando minha comida.

  -Ninguém mandou a maknae falar de "sexo", despertou o fogo das unnies. -Jihee ria enquanto comia seu prato de legumes, meu estômago embrulhou ao ver aquilo.

  -Você não come carne unnie?! -perguntei encarando aquilo que ela chamava de comida.

  -Claro que sim, ta doida? Mas modero. -falou e apenas concordei.

    O resto do café seguiu normalmente, claro que as vezes minhas unnies jogavam piadas para mim ou planejavam algo para os meninos. Não sei como elas conseguiam se fantasiar tanto, falou a menina que imaginou o Jimin em vez de Jihee ontem a noite. Sorrio bobo pensando naquilo, esse garoto me enlouquece, mesmo em nosso ultimo encontro ele ter cido tão frio e estranho, talvez hoje ele me dê uma explicação, pois não vi motivos para ter me tratado daquele jeito. Na verdade, ontem aconteceu tanta coisa, parece que se passaram meses, mas na verdade só um dia, Jimin foi frio comigo e ainda esbarrei com aquele ogro. Acho que tenho que admitir que manter minha cabeça concentrada em Jimin, me faz esquecer do meu pior pesadelo.

    Após o café as meninas começaram a se arrumar. Jihee havia escolhido uma blusa com mangas curtas caída nos ombros branca, junto com uma saia pala alta preta,usava uma pulseira com uns pingentes de guitarra e  notas musicais, na cabeça usava uma touca preta e nos pés um tênis branco com alguns poucos detalhes em preto. Yuna já era mais um pouco casual, ela vestia uma blusa de manga longa toda em cinza, uma saia detalhada em renda no final com a cor branca, usava um colar banhado em ouro com uma pimenta de pingente, nos pés optou por uma sapatilha bege bem neutra.

    Yoon escolheu um jeans escuro com um toque em dourado nos bolsos, com um moletom verde piscina com a frase "I love me" escrito em preto com as letras "me" destacado em branco, nos pés um tênis preto com as bordas alinhadas em branco, no dedo um anel prateado com uma nota musical. Sun Hee ja usava um vestido colado na cintura mas rodado em baixo, que pegava acima do joelhos, ela parecia uma garota do fundamental com aquela vestimenta, sua cintura fina se destacou bem, a cor era preto que passava um ar sensual, nos pés um all-star vermelho e um boné preto com alguns detalhes em dourado. Realmente gostei da mistura de estilo que ela produziu.

    Já em mim, vesti a blusa de manga longa que comprara, vesti o top cinza claro e em seguida a blusa, um dos meus ombros estava a amostra e se notava um pouco da minha barriga pelo tecido fino, o short desfiado em uma cor não muito clara, ele era um pouco curto, mas não ao ponto de mostrar a polpa da bunda, de acessório usava um colar com uma caveira como pingente, nos pés um tênis vermelho com os cadarços branco.

    Como penteado escolhi deixar meus cabelos ondulados soltos destacando a pequena franja que tenho. Yoon também deixou seus cabelos castanhos soltos, apenas com uma fivela atrás prendendo alguns fios deixando um volume atraente. Yuna pôs seus cabelos loiros em rabo-de-cavalo que destacava com o que vestia, ela estava bem natural. Sun Hee e Jihee deixaram soltos para poder colocar a touca e boné.

  -Estou sentindo o cheiro do lacre. -falou Jihee com um sorrio confiante.

  -O que disse Yuna? Não atraímos? -Yoon falou olhando para a loira que se maquiava.

  -Admito, nós somos sexy! -todas rimos com aquele comentário.

  -Esta tarde vamos!!!! -Sun Hee.

  -A casa de Jungkook é aqui perto, calma. -falei passando um gloss.

  -Mesmo assim. -ela disse.

    Um nervosismo começou a me consumir, estava ficando arrepiada só de imagina-los. Os sete garotos mais desejados da escola, e nós estamos indo direto para os braços dele, como vítimas caindo em uma armadilha. O que nos fazem diferente das milhares que passaram por suas mãos? Acho que o fato...

   De não sermos tão fácil.

    Acabei com a maquiagem simples me olhando novamente no espelho, perfeito, pelo menos para mim. As meninas ja guardavam os pertences, ou só jogavam em cima de algo.

    Começamos a andar com sorrisos no rosto, as meninas comentavam e planejavam o que iriam fazer. A confiança delas estava tão notória que até eles podem confiar de alguma coisa, e se os mesmos descobrirem algo sobre esse plano estamos literalmente ferradas.

    Descemos as escadas em direção a porta, minha mãe já havia chegado e estava descansando em seu quarto, apenas entrei e depositei um beijo em sua testa, deixei um bilhete em cima da mesa falando para onde íamos. E em seguida saímos de casa andando mesmo. A casa de Jeon não era tão longe, então alguns passos e estaremos lá, por onde passávamos sentia meu rosto queimando pelos olhares, alguns até impuros. Diferente de mim, as meninas se divertiam com aquilo, elas não estavam nem um pouco envergonhadas ou nervosas, só eu que estou sentindo isso? Ou elas só querem disfarçar uma das outras?

    Após um tempo caminhando finalmente chegamos a casa de Jungkook, a porta estava trancada, mas as risadas e gritos já eram altos. A cada passo minha respiração ficava mais ofegante, o que nos espera lá dentro? Será que Jimin ira me tratar como antes? Ser frio? Ou será que os outros irão querer segundas intenções ja que bem... Não é muito comum um grupo de garotas se encontrar com um grupo de garotos.

    Sun Hee se aproximou da porta tocando a campainha. As pulsações cada vez mas aumentavam. Mas meu peito apertou ao abrirem a porta, lá estavam eles, sete predadores, famintos pra nos ter. Os olhos pegando fogo, mas com uns sorrisos exuberante de prazer.

  E foi aí, que não sentia mais pulsação.

   


Notas Finais


Entooooon??? Gostaram? Ficou fraquinho eu sei, mas o prox promete *--*
Kissus >3<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...