História Boyfriend Material - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias 1PUNCH, NU'EST, Wanna One
Personagens Baekho, Daehwi, Guanlin, Jaehwan, Jihoon, Jinyoung, Jisung, Jr, Kang Daniel, Minhyun, Minhyun, Punch (Samuel), Seongwoo, Sungwoon, Woojin
Tags Haknyeon, Jaewoon, Ongniel, Pd101, Produce 101, Produce 101 Season 2, Samhwi, Seonho, Texting, Wanna One, Winkdeep
Visualizações 266
Palavras 2.383
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Survival, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Haro evlyone, eu nem acredito que finalmente tô postando esse capítulo./chora internamente
E sim, esse é realmente o último. /chora externamente-q

Eu fiquei muito feliz por cada comentário que recebi, isso me fez continuar escrevendo. Cada favorito, (VIADO SÃO 190 E POUCOS FAVORITOS COMASSIM AAA) cada “continua”, e cada fantasminha que eu sei que tá lendo. (Stou te vendo-q) Eu agradeço a todos que acompanharam até aqui. Obrigada por ter lido Boyfriend Material. Sz Enfim, antes que eu comece a chorar, boa leitura chuchus. ♡

Capítulo 7 - Rolou no rolê


Fanfic / Fanfiction Boyfriend Material - Capítulo 7 - Rolou no rolê

Jihoon já havia usado todas as desculpas que havia em seu caderninho, até manipulou print com sua mãe falando que não poderia ir. – Mesmo dando totalmente errado já que sua mãe ao invés de falar “ele não pode ir” mandou um “só sai depois de lavar as cueca” – Decidiu não mandar aquilo pro grupo, por motivos de não querer ser zoado pelo resto da sua vida.


Não foi nem meia hora e a campainha já estava tocando. Esqueceu que sua mãe não estava em casa e demorou quase cinco minutos pra ir abrir. Daniel e Ong quase caíram pra trás ao ver o Park só de moletom e as perninhas – entre outros lugares do corpo  – desprovidos de vestes. Não, não era porque ele era sexy ou por causa das suas coxas salientes, mas sim a quantidade horrenda de hematomas nas canela dele.


— Meu deus, Jihoon. Tu anda batendo o joelho na parede é? Nunca vi um troço desse.


— Cala a boca, isso foi o Woojinzinho. – Jihoon bufou, colocando os dois pra dentro da casa. – A gente tava brincando de futebol e ele fez minha canela de bola.


— O poder de uma criança. Meu garoto.– Daniel disse rindo. Jihoon revirou os olhos, mal sabiam aqueles dois o que era ter um irmão mais novo.


Ongniel obrigaram Jihoon se vestir para sair, não tinha nada que prestasse naquele guarda-roupa. A quantidade de moletom rosa e calça colorida neon era de doer os olhos. Daniel escolheu uma jaqueta xadrez, disse que xadrez dava certo com qualquer coisa. E foi assim, que Jihoon saiu com uma camisa amarela estampada e uma jaqueta xadrez vermelha.


Jihoon, o terror dos estilistas.


[…]


— Você tem que me ajudar!  – Jinyoung quase deixava o pobre Daehwi surdo de tanto gritar no seu ouvido. Motivo? Tudo do seu guarda-roupa não parecia adequado para o famoso encontro do século com Park Jihoon.


É aqui que vocês me perguntam: Que encontro é esse? Bem, vou explicar como tudo começou.


Daehwi, muito ninja e cupido como todos sabem que ele é, falou pro Baejin que Jihoon estava disposto a ter uma conversa séria sobre o relacionamento deles, mas, como Daehwi não é bobo, inventou que Jinyoung teria que tratá-lo como o princeso que ele merecia. O pobre rapaz já estava com o coração na mão por estar gostando demais do namoro falso que estava rolando entre eles, teria que assumir que o beijo atrapalhado que aconteceu aquele dia havia mexido consigo. Não sabia o que era sentir o coração bater mais forte e lidar com esse sentimento, a última vez foi quando anunciaram o filme de animais fantásticos e onde habitam.


Se ele descobrisse que na verdade eles iam mesmo era para um rodízio e Jihoon nem sabia dessa história, Daehwi estava morto e com direito a um caixão de prego.


[…]



Não era novidade que Ong sabia dirigir, mas nunca falaram se ele dirigia bem ou mal. Mas, para os curiosos de plantão, Jihoon tem muito o que dizer sobre como isso.


— Eu nunca mais vou andar de carro com o Ong. Eu pensei que ia morrer hoje mesmo! – Jihoon choramingava no colo de Woojin que pouco se importava com o que ele estava falando.  Metade do bonde já havia chegado, Lai e Woojin foram os primeiros a chegar, Minhyun, Jr e Dongho vinheram logo depois junto de seus respectivos pares, Haknyeon, Jisung e Seonho.


Todos ficaram chocados quando Jaehwan chegou de mãos dadas com Sungwoon. Sungwoon já havia sido o senpai do Minhyun e do Jisung, mas ele nunca deu bola pra eles.Falava que só iria namorar alguém santo enviado por deus. Contraditório não? Jaehwan de santo não tinha nada. No entanto, isso já não importava mais.


Quando Daniel, Ong e Jihoon chegaram, Lai convocou todos a começar a jogar os babados na mesa enquanto Samuel e Daehwi não chegavam.


— Gente, eu preciso falar o que o Minki fez pra mim no dia dos namorados. — Minhyun abriu o bico começando a falar mesmo sem ninguém ter perguntado.


— Eu e Ong fomos nos cinema. – Daniel falou.— Ong quase faliu a lojinha da pipoca.


— Eu e o Lai queríamos ter saído, mas, deu dor de barriga nele. –Woojin disse desanimado.—E você Jihoon?


— Fala sobre a sorveteria. – Daniel falou pra Jihoon. Quis dar um tapão nele ao ver que o outro estava com fone de ouvido já fazia umas duas horas. – Jihoon. – Ele chamava o mais novo, mas ele parecia ter ido para outro mundo.– PRAGA, TIRA O FONE DO OUVIDO.


— O QUÊ? O QUE EU PERDI? QUEM TINHA SE PERDIDO? – Daniel fez sinal pra ele tirar os fones.– Oi, o que foi?


— Fala sobre o seu namorado. – Woojin insistiu.


— Algo que a gente não saiba. – Todos estavam olhando pra ele esperando que falasse mais sobre ele. Engoliu em seco, sabia que aquilo era um teste pra comprovar se o boyfriend era real mesmo. No final, Jihoon falou e falou, mas estava na cara que era mentira.


— O namorado do Jihoon é tão real quanto a paixão do Seonho pelo o Minhyun.– Haknyeon estava pra cobra do rolê hoje.


— Tá duvidando do meu amor por ele, palhaço? Olha aqui! — Seonho levantou pronto pra virar a mesa. – Eu amo ele sim, peppa pig de Taubaté.


— SOCORRO. –Jaehwan riu escândalo deixando todo mundo do restaurante assustado.


— Aqui se faz, aqui se paga. – Jonghyun e Dongho falaram pro Minhyun zoando da cara dele.


— Demora da porra, vou ligar pro Daehwi. Vai que ele morreu no caminho. – Woojin falava já discando o número dele.


— Gente, que deus grego é aquele? – Haknyeon falou tirando um pedaço de palito de dente da boca. Pois é, ele tava comendo palito.


— Nossa, nem sou fã de I.O.I, mas Whatta Man. – Seonho falou limpando a baba do queixo. 


Parecia coisa do destino, assim que Daehwi e Samuel chegaram de mãozinhas dadas bem namoradinhos do fundamental. – que realmente são. – Baejin vinha logo atrás deles e a música do dorama – Round and Round buy on iTunes – começou a tocar. Só faltava o nevoeiro misterioso pra ser igual a goblin.

Jihoon seguiu o olhar de Daniel e quando virou seu rosto, deu de cara com Bae Jinyoung. O que ele estava fazendo ali? Que ousadia era aquela de aparecer assim ainda mais bonito e bem arrumado do já era? E porque todos estavam olhando pra ele? Isso tinha dedo do Daehwi.


— O que está fazendo aqui? – Jihoon perguntou pondo seu celular no bolso.


— O hwi… – Daehwi olhou com cara de quem ia matar ele se não fizesse o combinado. – Me desculpe por chegar atrasado amor. – Jinyoung falou e todos soltaram um “awn.” Jihoon não estava entendo nada. Amor? Desde de quando ele falava assim consigo? Aliás, porque estava falando consigo depois de dois dias e meio de vácuo.


Daehwi pigarreou chamando atenção de todos. Jihoon puxou Baejin pela a camisa para sentar ao seu lado. Os meninos olhavam desconfiados, ambos pareciam tão distantes. Daehwi tinha que pelo menos ajudar parecer que aquele namoro era real oficial.


— Gente, esse é o Baejin, isso mesmo, em carne osso pele e pescoço. – Daehwi falou animado.


— Eu já tava indo pegar a vela pra ele, pô. – Daniel zoou.


— Precisamos comemorar esse acontecimento tão marcante. – RODA ÀS PIZZA AE, PARÇA.


O rodízio começou e Dongho agradeceu aos céus por finalmente ter começado. Já não tinha mais dinheiro pra pagar a carne que estavam comendo enquanto fofocavam. Naquele noite, Seonho não iria deixar nenhuma pizza passar. Todos pegavam um ou dois pedaços de todos os estilos de pizza que ofereciam. Ongniel, casal da nação, faziam questão de dar comida um na boquinha do outro e dando um beijinho no final, bem clichê. Samhwi também não ficava pra trás, Samuel cortava os pedacinhos pra Daehwi comer pra não machucar seus dentinhos. Jisung, Jaehwan e Sungwoon falavam mais do que comiam – O mesmo de sempre – Minhyun estava ficando com sono e não era nem dez da noite, e estava enchendo o saco de Jonghyun pra ir deixá-lo em casa.

Hanknyeon se atrapalhava com queijo sujando a camisa e rindo enquanto Jihoon devorava uma Margherita sozinho deixando Jinyoung assustado de se perguntando como aquele pingo de gente conseguia comer tanta coisa em minutos. Vez ou outra,  Baejin passava o braço ao redor do corpo do outro, ameaçava roubar as tomates e também a dar beijinho em sua bochecha tentando ser todo romântico e Jihoon já tava ficando puto com aquele mela-mela sem deixar ele comer em paz.


— Então, Jinyoung, como vocês começaram a namorar? – Lai após cansar de mastigar massas, já que ele só comia massa porquê Woojin roubava todas as suas calabresas.Perguntou.


— Olha, foi uma coisa mágica. Quando eu olhei nos olhos deles e ele sorriu pra mim, eu pensei “é ele.” – O coração de Jihoon quase caiu pra fora, mesmo sabendo que aquilo era mentira. – Acho que encontrei o amor da minha vida.


— Isso ai é mó idéia errada. – Woojin disse rindo. – Se o amor da sua vida for ele, sinto muito por você.


— Cala a boca Woojin. – Jihoon tacou pizza na boca dele. – Engole tudinho tá.


Depois de se empanturrar de pizza, os meninos resolveram dar uma volta pelo o local. Era em uma montanha, tudo em um jardim bem bonito, coisa de gente rica mesmo.


— Isso sim foi um encontro real official. – Jinyoung falou ao lado de Jihoon enquanto caminhava pelo o jardim do local.


— Não me faça rir. Aquilo que você falou pro Lai pareceu até copiado do google. – Jihoon ainda está bravo por não deixá-lo comer mais e obrigá-lo a andar consigo. – Não que não tenha sido, foi mais fake que as notícias do allkpop.


— Também não é pra tanto. – Riu. – Sabe, eu queria falar sobre o beijo que tivemos. – aparentemente Baejin estava nervoso.


— Ah, pode falar. – Engoliu em seco. Calma, Jihoon.


— Eu sei que ele não foi Fake. – Riu mais uma de novo, dessa vez de nervoso. – E, eu acho que ele meio que mexeu comigo. Então, eu queria que, mesmo que tivesse sido fake pra você, vamos tentar de novo?


— Não.


— Não?


— Quer dizer, Sim.– Jihoon estava nervoso demais. Quase deu um tapa na própria cara. – É, não foi fake pra mim, eu realmente quis te beijar. – As bochechas coraram violentamente. – Merda, não foi isso que eu quis dizer. Mas eu queria mesmo ter beijado, sabe, eu ainda quero.


Baejin olhava sem entender um por cento do que aquele menino tava falando. Na verdade, não prestava atenção no que ele falava, somente nos seus lábios se movendo sem parar. Jihoon falava demais, só havia um de calar ele.


Delicadamente, Jinyoung cola seus lábios nos do Jihoon, este que fica surpreso, mantendo a única reação que era capaz de fazer no momento, nenhuma. Aos poucos, foi enlaçando seus braços ao redor do pescoço do mesmo. Procurava calma para retribuir o selar, foi movendo seus lábios lentamente. A sensação, aquela sensação de sua barriga revirando em mil e uma voltas estava voltando. Aquilo somente acontecia quando estava com Jinyoung, era tão gostoso e ao mesmo tempo, tão estranho. Fechou os olhos esperando aproveitar do beijo, focando somente naquilo que estava acontecendo. E quando se deu conta, o beijo já estava mais intenso do que o esperado.



– Mano, que porra é aquilo ali? – Daehwi que vinha passando junto com Seonho viu somente duas pessoas se atracando no meio do canteiro de flores. – Vamos embora, vai que é doença.


O fôlego veio a fazer falta, então separou-se os lábios do mesmo e deitou seu rosto entre o pescoço de Baejin. Seu perfume era tão gostoso, sua boca era tão macia. Como poderia prosseguir sabendo que um “homão da porra” feito Bae Jinyoung estava gostando mesmo de si. Levou suas mãos até a boca, procurando palavras para prosseguir o que estava dizendo antes do mesmo lhe calar. – Então, acha que daríamos um relationships goals?


– Se eu disser que sim, você me beija novamente? – Perguntou de volta.


— Talvez.


— Uh, então eu acho que seríamos mais que isso. Estamos mais pra ser o otp de alguém. – Sorriu e Jihoon sorriu de volta, dessa vez, deu a iniciativa de beijá-lo. Só um selinho muchoco que Jinyoung mal sentiu. – Só isso?


— Por enquanto, só. – Depositou outro selinho.


Ficariam abraçados e dando vários selinhos um no outro se não fosse por a galera toda aparecer jogando folha e gritando.


— Eu não posso acreditar no que eu tô vendo. – Senho disse sorrindo. – Que lindos.


— Jihoon desencalhou mesmo, as mandingas deram certo. – Woojin jogou folha na cabeça dos dois.– Quando vai sair o casamento?


— Mais um pra competir pelo o casal da nação. – Samuel disse levando um tapa de Daehwi. – O que foi?


— Você sabe que esse título é nosso. – Mordeu a bochecha do namorado. – Não acreditaram porque não quis, Winkdeep é realíssimo. Né?


Os dois trocaram olhares. – É Real.


[…]


Naquele dia, eles acabaram oficializando o namoro que já era namoro antes mesmo de ser. Começaram apenas com encontros, mensagens e cinema, como todo clichê de começo de namoro. Ambos pensavam que não iria durar muito mais que uma semana, mas fazia quase um ano que estavam os dois juntinhos sem se largarem por um minuto. Fazendo mimos e carícias, que deixavam todo mundo com diabete só de ver.



— Bae Jinyoung, o que você fez com o meu caderno? – Jihoon disse gritando fazendo o pessoal da quadra todo ouvir. Estavam nas arquibancadas comendo seus lanches como de costume.


— Eu só queria pintar um coração pra você, amor. – Falou sorrindo, segurando o caderno todo sujo de tinta vermelha. – Já disse que você fica fofo assim?


— Assim como? – Perguntou e no mesmo instante, Baejin fez duas bolinhas vermelhas com a tinta nas bochechas do namorado. – Assim.


— Tão nojentinhos.– Daniel que os via de longe fez sinal de vômito. – Ainda sinto falta da nossa vela oficial.


— Não fala isso que a gente era do mesmo jeito quando começou a namorar. – Ong falou.– Olha, Lai acabou de mandar uma mensagem no grupo.


[…]


 Lai: Galera, ouvi que vai ter um rodízio especial de frango naquele mesma pizzaria

Vai ter frango apimentado

Eu sei que vocês gostam de frango e eu quero

Mas tem um problema…

Não entra casalzinho.


            Woojin: E por que avisou, peste? 


Notas Finais


AMÉM WINKDEEP
Não esqueçam de dar view em energetic e lembrem-se, nunca mande foto de garotos bonitos para seus amigos fingindo ser o namorado de vocês
Vai que né -q
Xoxo. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...