História Boys in Luv II: Wake Up and Love me - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jinhope, Taejin, Yoonseok
Exibições 190
Palavras 2.167
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Fluffy, Lemon, Lírica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 49 - Boys in Luv


Park Jimin

UM ANO SE PASSOU DESDE QUE FUI PARA A ESPANHA. Cheguei com a intenção de ficar algumas semanas até que tudo se acalmasse em Gwangju, mas, como o destino adora surpreender, acabei ficando por mais tempo, muito mais.

Eu não sabia falar muito bem o idioma espanhol por não praticar com ninguém, mas pelo menos ler e escrever eu sabia, por isso consegue viver bem. Meu melhor amigo, Hoseok, me ajudou com tudo isso. Além de comprar passagens, reservou um quarto em um maravilhoso com vista para a cidade de Madrid, a qual me deixou encantado e super apaixonado. Porém achei um exagero da parte dele por fazer isso, um hotel simples de uma estrela era o suficiente para mim.

As primeiras semanas foram estranhas. Eu estava feliz e me sentia livre, mas uma parte dentro de mim se sentia tão solitário quanto uma noite sem estrelas. Era inevitável não lembrar do passado, foi impossível não chorar e também foi difícil me relacionar com outras pessoas. Mesmo separado, eu me sentia como se traísse Jeon Jungkook, embora o colar que não saía mais do meu pescoço era meu antes de dar ao Jungkook, agora parecia que ainda pertencia a ele. Às vezes parecia que eu estava ficando louco, mas não passava de fantasmas do passado.

Foi em uma bela manhã de Sábado que sai para conhecer um pouco mais sobre a cidade onde eu estava, pois logo voltaria para a Coreia do Sul e não saberia como as coisas estavam por lá. Eu liguei para minha mãe umas duas vezes, uma para avisar aonde eu estava e outra para tentar descobrir algo sobre Jungkook. Só descobri que o pai dele continuava lá e parecia estar cada vez mais sério com a minha mãe. Ah, e que Suzy sempre ia visitá-los e perguntava por mim. Já JHope não parou de me ligar desde que pisei em Madrid, o bom de conversar com ele pelo telefone e era que eu não me sentia tão sozinho, e de vez em quando eu via meu irmão, já que Hoseok evitava ligar quando o outro estava presente. Entrei em um restaurante simples, porém confortável e elegante de alguma forma. Fiz o meu pedido e almocei algo tradicional, Paella. Não sei porquê me lembrei de casa quando comi, essa não era a intenção. Enquanto eu estava na minha, observei ao redor e vi que um grupo de pessoas com características coreana, homens, mulheres e crianças, entraram e se sentaram em um canto. A família fez o pedido, óbvio, mas quando os pedidos chegaram,  o mais velho chefe da família começou a reclamar, deixando a garçonete sem graça.

Continuei observando e então percebi que nenhum dos dois entendia muito bem a língua um do outro, sem pensar, resolvi me intrometer. Até pensei que levaria uma pratada de comida na cara, mas não. Ambos se sentiram aliviados por isso.

Foi por causa desse ato que o homem foi com a minha cara e me ofereceu um emprego. Fiquei receoso no começo, porém era apenas para traduzir documentos da empresa e isso me ajudou a ficar mais, e claro, pagar Hoseok por tudo.

Claro que tive certa dificuldade no começo por causa do medo, mas aos pouco fui me acostumando e posso dizer que sou o melhor.

Meu contrato era apenas de um ano, depois disso resolvi voltar para a coreia e fazer alguma coisa. Hoseok foi quem me buscou no aeroporto, ele ficou muito feliz ao me ver e eu também, porém surpreso. Hobbie não parecia mais aquele garoto de antes, agora que estava de maior, parecia mais másculo sem deixar seu jeito bobão de ser. Pensei que ele era a única coisa que havia mudado durante esse tempo, mas não, muita coisa mudou.

Hobbie morava sozinho em uma casa atrás da lanchonete do seus pais, enquanto seus pais resolveram se aposentar e viajar pelo mundo em lua de mel, foi o que Hoseok disse.  Agora que Fire Coffe era sua, o local estava reformado e muito diferente com uma aparência bem juvenil, com certeza estava melhor do que antes.

- Uau! Esse lugar ficou muito lindo. - Falei, admirando as cores e imagens de pessoas colado na parede. - Quem são? - Apontei com a cabeça em direção a um banner impresso, havia três mulheres jovens com cara de modelos, eram muito lindas.

Hobbie riu.

- Não reconhece uma das garotas?

- E eu deveria? - Continuei olhando, mas não me lembrava de nenhum rosto semelhante. - Nunca ouvi falar delas… TTS? é o nome do grupo?

- Sim. - Hobbie continuou rindo, enquanto arrumava uma mesa da lanchonete vazia para nós dois jantarmos. - TTS. - repetiu.

- O que Significa?

- TaeTiSeo. - Respondeu, em seguida parou ao meu lado e abraçou meu pescoço. - Amigo, você precisa de óculos, em…

- Já estou usando um.

- Então esses aí não valem nada. - Hobbie soltou um riso, mordiscou os lábios. - Quando resolveu desaparecer, você nem sequer manteve contato com a sua família?

Neguei com a cabeça, me sentindo péssimo por isso e também por não ir ver a minha mãe naquele momento.

Hobbie suspirou.

- Taeyeon, Tiffany e Seohyun - Disse ele olhando para elas. - É inacreditável, mas sua irmã é a do meio.

- QUÊ?

- É, sua irmã está ficando bastante conhecida por aqui. Graças ao ex-namorado dela.

- Como é? Me explica. - Olhei para a cara dele. Hobbie não parava de rir e parecia tudo mentira.

- Kim Namjoon agora é dono da produtora RM entertainment que debutou sua irmãzinha. Foi tão rápido, que parece ser algo clandestino e eu desconfio disso. - Ele riu. logo ficou sério.- Ele e eu fizemos um contrato, Elas se apresentam aqui nos finais de semana e quando ficarem famosas igual ao grupo Exo, ele irá oficializar a lanchonete como sendo do trio… sem deixar de ser minha… enfim… Acredito que fiz um bom negócio. Aliás, final de semana que vem elas farão um showzinho aqui para divulgar o CD, você é convidado vip. - Ele piscou, sorriu. - Está com fome?

Fiquei estático por um tempo, até parecia que eu tinha ficado mil anos fora e não um. Durante o jantar, não deixei de observá-lo. Jung Hoseok estava mais atraente do que antes, seus cabelos ruivos, sua pele estava mais bronzeada e isso o deixava tão diferente. Ele não parou de fazer perguntas, tocava em minha mão e não acreditava que eu estava ali.

- Você e o Jin… como estão? - Perguntei quando ele parou de falar para beber água.

- Terminamos há muito tempo.

Os olhos de Hoseok não transmitiam tristeza quando ele respondeu, aliás, ele falou tão abertamente que me perguntei se ele fingia não sofrer ou se realmente estava tranquilo.

- Como isso aconteceu? Por que não me contou pelo telefone?

- Não quis te preocupar nem nada. - Sorriu, mostrando seus dentes branco leite. - Acho que Jin não estava preparado para um relacionamento super sério.

- Super sério?

- Eu o chamei para morar comigo…

Meu queixo parou no chão. Me senti um alien que acaba de chegar no planeta terra e não sabe de nada sobre a humanidade.

- Ele não quis, é claro. Depois começou a dizer que o problema do relacionamento era ele e bla bla, até que decidiu terminar.

- Nossa… - Suspirei, passando a mão na cabeça. -  O que mais aconteceu? Me atualiza, mon amour.

Hobbie riu.

Hobbie me levou para conhecer a casa dele. Aliás, me hospedei lá. Fiquei em um quarto vago. Seu pequeno lar era tão organizado que parecia que uma mulher morava ali, tive receio em fazer bagunça, mesmo que fosse a mais simples possível. Passamos a noite jogando conversa fora e bebendo um pouco de cerveja, embora eu preferisse uísque, porém não neguei. Na manhã seguinte fui visitar minha mãe, ela estava diferente, estava um pouco acima do peso, seus cabelos cresceram e estavam cor de vinho. Ela agora estava em um relacionamento com aquele homem, o pai de Jungkook. Meu coração deu uma acelerada quando o vi, embora ele estivesse bem diferente, ele continuou me fazendo lembrar do meu passado.

- Filho. - Ela me abraçou com tanta força. - Senti tanta sua falta. Você está bem? Está tão diferente…

- Eu também. - respondi, retribuindo ao abraço.

Passamos algumas horas conversando. Ela pediu perdão, ainda doía um pouco, mas decidi perdoar e esquecer as mágoas para voltar a viver bem. Também conversei com ele, foi estranho.

- Jungkook ainda mora aqui? - Perguntei quando fiquei a sós com Hobbie em sua casa.

- Sei que ele voltou para Seul depois de duas semanas que você se foi.

Assenti, pensativo.

- Quando o final de semana chegou, eu estava ansioso. Ansioso para rever minha irmã e ver o seu talento e claro, louco para ver o que NamJoon inventou fazer. Aos pouco o bar/lanchonete começou a se encher de gente, a maioria tudo adolescentes, várias meninas com faixas e camisas com os títulos de TTS. Fui contagiado pela animação do fã clube, por isso não tive problema em ajudar Hobbie.

Jin apareceu pouco tempo depois. Ele não acreditou quando me viu e fez a mesma coisa que Hobbie, tagarelou.

Fiquei feliz em vê-lo.

- Elas chegaram -  Hobbie sussurrou, embora era evidente, já que a turma estava gritando.

A porta se abriu. Vários seguranças acompanhava um homem de cabelos platinados, óculos escuros, embora estivesse de noite, mãos cheias de anéis dourado e um casaco de pele de algum animal.

- Namjoon. - Jin soltou uns gritinhos ao meu lado, ele pareceu muito agitado com a presença dele.

- Parece chefe de máfia. -brinquei. Jin não gostou da piadinha.

Logo atrás dele apareceu mais seguranças e três belas mulheres, sorrindo e acenando para o público. E então vi a minha irmã, Tiffany estava tão diferente e tão bonita.

- Boa noite GALERAAAA! - NamJoon disse ao pegar o microfone. O público, embora pequeno, respondeu com gritos. - Muito obrigado pela presença… RM entertainment tem o prazer de apresentar o mais novo fenômeno do mundo pop: TAETISEO!

Houve gritaria, palmas e bagunça quando o trio subiu no palco e a música começou.

Oh Oh Oh Oh Oh Apenas uma biblioteca

Oh Oh Oh Oh Oh, Você vai se abrir para mim?

Oh Oh Oh Oh Oh, Apenas um lugar

Com nada, exceto você

Oh Oh Oh Oh Oh, Apenas uma biblioteca

Oh Oh Oh Oh Oh, Você vai se ler para mim?

Oh Oh Oh Oh Oh, Enquanto eu te amar

Eu não quero ser incomodada e só quero pensar em você

Fiquei admirado pela voz que a minha irmã mais velha tinha. Nunca pensei que teria um talento desses na família. Jin cantarolava ao meu lado todo animado, percebi que Kim Namjoon não parava de olhar na nossa direção, me senti incomodado, porém fingi que não vi nada e continuei prestando atenção nas meninas. Os copos de uísque eu eu havia ingerido me deixou alegre, comecei a dançar quando cantaram uma música bem animada, ainda bem que não fui o único a dançar.

Senti um calor insuportável e também meu corpo suado. Corri para o banheiro, lavei o rosto e tirei a blusa de frio de moletom. Me senti bem aliviado. Ouvi algo cair no chão, dei de ombros. Amarrei a blusa na cintura e caminhei até a porta quando alguém me cutucou.

Virei-me para trás, na mesma hora tudo ao meu redor pareceu ter congelado e meu coração parou. Fiquei sem ação por longos segundos até eu voltar ao normal, ou melhor, tentar.

- Acho que isso é seu. - Olhei para a sua mão aberta e lá estava uma âncora. Passei a mão no pescoço e senti que meu colar não estava mais li.

Engoli seco.

- Jimin, não vai me cumprimentar? - Ele sorriu, foi nesse exato momento em que prestei atenção na música que tocava

Eu ainda não consigo aceitar que você virou as costas e disse para nos separarmos

Eu só quero ouvir você a verdade de você. Por que você está fazendo isso?

Eu te amo. Eu posso esperar por você eternamente, tudo bem

Eu estarei sorrindo quando você decidir voltar para mim, sempre, oh…

- Jungkook. - Foi a única coisa que consegui dizer quando formulei palavras na cabeça. Pois eu não consegui acreditar que ele estava bem ali, na minha frente depois de um ano.

Jungkook não disse nada, continuou me olhando, cujo os olhos estavam marejados e sua mão tremendo. Quando uma lágrima o denunciou, tratei de secá-la.

- Sinto sua falta. - Sussurrou ele, tocando em minha mão.

Embora seus cabelos estivessem castanho claro e sua pele mais pálido do que eu me lembrava, o Jungkook que eu amava continuava ali. Por um momento me perguntei se era alguma miragem, mas percebi que não era quando me peguei beijando em seus lábios, sem me importar com nada além dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...