História Boys Meet Evil (Jikook) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Taeny, Taetiseo, Vhope
Exibições 202
Palavras 4.324
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello!
Estão prontos para se aventurarem e mais uma deliciosa estória sobre JIKOOK?
Pois é, voltei muito rápido. Eu estava empolgada e por isso não aguentei esperar. Bom, espero que gostem dessa estória igual gostaram das outras duas.
Espero respostas positivas ^^
Beijos e obrigada.
Boa leitura!!! Conto com vocês para seguir escrevendo...
Qualquer coisa, me chamem @Toeizyen (pois não consigo responder pelo chat do Spirit) ☆

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction Boys Meet Evil (Jikook) - Capítulo 1 - Capítulo I

// Park Jimin// 

É incrível como o tempo passa rápido. Parece que tudo aconteceu ontem, lembro perfeitamente de tudo como se estivesse acabado de ler um livro sobre à nossa história. Nunca entendi o amor, talvez exista várias formas de amar alguém, mesmo que tenta entender, jamais será tão claro, ao menos que possa sentir toda a emoção da palavra amor. E eu senti, aliás, ainda sinto.

Foi um pouco diferente do que pensei que seria. É incrível como as coisas vão acontecendo na vida, sem explicação alguma, o universo faz com que tudo se encaixa, como se fosse um mero quebra cabeça, e eu encontrei a peça que faltava em mim, engraçado era que ele sempre esteve ao meu lado, mas bastou algo me despertar para meu coração olhar por ele, mas isso foi anos atrás.   

Pelo que convivo hoje, vida de casados não é tão ruim como dizem ser, claro que tem pequenos problemas, mas nada que abale nossa relação. Adoro essa minha vida de agora, chegar do trabalho e ele sempre estar lá me esperando, e eu à ele. Nossos dias livres são sempre diferentes, na verdade, tentamos não cair na rotina para não procurar em outras pessoas novas aventuras. 

Fico feliz, muito feliz por ter escolhido ele para fazer parte do meu mundo.

Jungkook, meu esposo, acordou bem cedo em seu dia de folga e propositadamente não me deixou dormir no meu. Às vezes isso me irritava, porém eu não reclamava, pois ele fazia isso por uma boa causa, para que juntos possamos aproveitar melhor o dia com a companhia um do outro e do nosso filhote – deixa ele me pegar chamando nosso bebê de filhote. Ele sempre me dá um tapa e diz que não somos animais.

Dava para ouvir barulhos de panelas caindo no chão, e isso me despertou completamente, logo olhei para o lado e vi que lugar aonde Jungkook dormia estava vazio, apenas seu cheiro permanecia por ali, fazendo meu corpo inteiro se arrepiar e instantaneamente a imagem de seu corpo que já não era mais de um adolescente, e sim de homem, me fez sentir uma vibração esquisita no meio de minhas pernas.

 Quando puxei o cobertor, descobrindo-me por completo, vi um volume nada discreto aparecer em minha samba canção de patinhos, que Jungkook me presenteou quando fui visitar meus pais em Gwangju, alegando que iria broxar qualquer um que me visse desnudo. Bem, isso não funcionava, ainda mais com ele por perto ou em pensamentos, como agora.

Eu não sabia se ria da minha situação ou se ia atrás do responsável por isso. Respirei fundo, sentando-me na cama para esperar o meu corpo relaxar, porém, pareceu que não ia voltar ao normal tão cedo. Entre as minhas dúvidas fugazes, optei ir ao banheiro e tomar um delicioso banho gelado, já que o verão havia começado com tudo, pois mal havia amanhecido e o calor estava insuportável.

 Antes que eu pudesse abrir o registro do chuveiro, a porta do banheiro se abriu de repente, embora já estávamos acostumado a não trancá-la , levei um susto. Jungkook franziu o cenho, rápidamente abriu um sorriso quando sua mente procrssou direito, ele não veio até mim me dar um beijo, pois o box estava fechado. Isso mantínhamos fechado para não molhar o resto do banheiro, Jungkook odiava secá-lo.

Às vezes, Jungkook agia como uma mãe; sempre impondo regras, isso era um saco, mas ele já se explicou que era devido ao estresse do dia a dia. Embora ele não tenha que lidar com mais de quarenta adolescentes com os hormônios a flor da pele todos os dias, não julgo o seu trabalho, não sei se lidar com pacientes constantemente é fácil. Hospital tem uma limpeza muito severa e como ele já se acostumou, ele detesta qualquer pingo de sujeira, talvez seja isso também, né? 

– Já está de pé? – Jungkook perguntou se aproximando da pia e pegando sua escova de dentes. 

– Alguém não me deixou dormir. 

– Eu não te acordei, você merece descanso. – Jungkook disse com um pouco de dificuldade, pois a escova estava em sua boca. – Sensei.– Piscou ele.

– Claro, claro, panelas caíram de propósito? – Perguntei desconfiado, enquanto sentia a água caindo sobre o meu corpo e principalmente no meu parceiro. Respirei fundo, sentindo aquelas gotas me torturando ou poderia ser minha mente que estava muito ocupada imaginando aquele homem dos jeitos que sempre o tenho em meus braços. E sua presença não estava ajudando muito, ou estava? Bem, ele podia, afinal, ele é meu esposo.

– Oh, foi culpa do Jack – Não consegui entender sua expressão, aliás nem prestei tanta atenção assim, minha respiração estava ficando cada vez mais acelerada.– Sabe que agora ele está na fase de explorar a casa...– Ele riu.

– Kook..– o chamei, quase sem fôlego.– Venha aqui, emergência! 

Jungkook terminou sua higiene bucal e abriu o box com certa preocupação, mas relaxou ao ver o meu estado físico. 

– Ah, não. – Resmungou. – Logo agora, Jimin!? 

– Culpa sua...– minha voz falhou e eu estava evitando um contato físico comigo mesmo, se eu tenho ele para que vou brincar vou me aliviar com a minha própria mão? – Anda. Vem logo... 

– Amor, eu deixei o Jack sozin...– Ele parou, pareceu pensar ao respeito e cedeu. Em questão de segundos, o puxei com certa brutalidade e o beijei, como se fosse a última vez. Jungkook correspondia quase da mesma forma, mas percebi que ele não estava tão afim. 

Enquanto eu o atacava a todo fervor; Jungkook apenas usou suas mãos para me satisfazer logo. Seu jeito começou a me irritar, na verdade, eu odiava quando ele agia dessa maneira quando eu estava louco para tê-lo. Aos poucos minha vontade foi passando, até que retirei sua mão de mim e revirei os olhos.

– O que foi? – Ele perguntou, olhando–me incrédulo, enquanto eu voltava a tomar banho.

– Acho que você deixou o garoto sozinho. – O lembrei. Seus olhos quase saltaram para fora, antes que Jungkook saísse completamente do banheiro, a campainha tocou.

Jungkook saiu quase voando.

Fechei os olhos tentando relaxar e pensando sem querer na minha frustração sexual que, aliás, não era à primeira vez que isso acontecia. Passei as mãos pelo cabelo, fazendo com que o resto do resíduo de shampoo saísse logo, terminei de ensaboar o meu corpo para poder sair. Enrolei a toalha na cintura, assim que pisei no quarto, ouvi vozes abafadas vindo do andar de baixo, e sim, eu conhecia aquelas vozes.

Minha sogra e minha cunhada.

Suspirei. Sentei-me na cama, em seguida deixei mibhas costas caírem na mesma a maldicoando sem pensar direito a visita delas. Não me levem a mal, mas eu não estava no clima para isso, minha intenção era ter uma conversinha com o meu esposo e esclarecer as coisas. Preciso dizer que não estamos igualando nossa situação, sempre que ele quer, estou disponível de corpo e alma, mas quando sou eu, a coisa muda. 

/Flashback/

– Você nunca termina isso? – Resmungou Jungkook, mudando sem parar os canais de TV, procurando alguma coisa que lhe chamasse à atenção já que fazia tempo que não assistia algum programa, ou seja, falta de tempo por causa do trabalho. E eu, em nenhum momento reclamei, mesmo estando sentado no chão da sala corrigindo provas que, aliás, eram mais de quarenta.– Que saco!

– Tenta só dar aulas em mais de uma classe...– Falei quase sem pensar direito, algumas letras estavam difíceis de entender e havia respostas toscas, que me deixava desesperado. – Não é fácil, amor.

– Jackson está dormindo. – comentou depois de um tempo em silêncio. – Sabe, Jimin...

Então, de repente senti sua respiração bater em meu pescoço e suas mão descer dos meus ombos para abdômen, até encontrar o laço da minha calça de moletom. Me arrepiei, mas decici manter o foco na correção. 

– Podemos...– Sussurrou, depositando vários beijos em meu pescoço. – Você sabe...

Fechei os olhos automáticamente.

– Não posso...– Minha voz falhou, quando percebi, minha respiração estava acelerada. – Tenho...

Meus lábios foram dominados pelo seus, pensei em interromper, mas suas mãos adentraram em minha calça e com todo o atrevimento do mundo, agarrou meu membro que, antes estava quietinho na dele, agora havia sido despertado e não queria dormir tão cedo. Jungkook massageou de uma forma que me deixou a mercê dos seus desejos, acabei largando a pilha de prova para satisfazê-lo, já que sempre chegava super cansado do hospital e precisava relaxar. 

Minha mente estava preocupada com os meus deveres de professor de espanhol, mas meu corpo estava pouco se lixando para isso. Ao ouvir meu nome saindo de seus lábios, senti mais motivação para continuar, não importava se estávamos em cima do tapete no meio da sala, pois ninguém poderia nos atrapalhar, bom, apenas Jackson, nosso filho, que pode acordar a qualquer momento. 

Mas nesse dia, ele não atrapalhou, até pudemos tomar banho juntos depois de tanto tempo. 

/Flashback off/

Batidas na porta do quarto interrompeu meus pensamentos, rápidamente me levantei, pois Jungkook nem iria bater na porta do próprio quarto, entretanto uma vozinha feminina me deixou desnorteado sem saber o que fazer primeiro. Na dúvida entre me vestir e responder à pessoa, acabei abrindo a porta, o que me deixou um pouco constrangido, já que eu estava "quase" nu e a garotinha sorria um pouco envergonhada.

– Suzy! – Falei ao vê-la parada com o meu filho em seus braços. Aproximei e dei um forte abraço, e claro, um beijo em seu rosto. 

– Desculpe, Chim Chim. – pediu ela, baixando a cabeça rápida. – E-e-eu não sabia que...

– Ah, tudo bem. – Dei leves batidinhas em sua cabeça, na verdade, baguncei seu cabelo. – Eu que tenho que pedir desculpas, acabei de sair do banho...

– Er... vou deixá-lo se vestir agora, até mais.

 Jungkook não me avisou que receberíamos visitas, isso me deixou mais bravo ainda, porém não expressei já que eu estava desfrutando da companhia. Fazia tempo que não nos víamos, quase cinco anos, pois depois que tivemos o nosso filho, não viajávamos com tanta frequência que nem antes, mas a culpa não é do bebê, já que nossas férias não eram no mesmo tempo. Elas se mudaram para Busan desde a separação dos meus sogros, eu também evitava vê-la porquê minha mãe foi o motivo para ela pedir o divórcio e se sempre que eu olhava para ela, me sentia culpado. Isso não era legal.

– Filho, você precisa de férias. – Minha sogra disse indignada, enfiando um pedaço de lasanha na boca. – Desse jeito vai acabar ficando doente... 

Jungkook soltou um riso, pegou na mão da sua mãe e deu um beijo.

– Não se preocupe com isso, eu tenho o Jimin para cuidar de mim. 

Soltei um riso forçado, passei à mão pelo meus cabelos ruivos alaranjado e dei uma olhada rápida nela. Minha sogra, era um amor, até eu me envolver com o seu filho, parece que depois que minha mãe decidiu também tirar mais um homem de sua vida, ela passou a me encarar com outros olhos.

Isso eu percebi, Jungkook não. 

 – Se não cuidar, eu mato! – brincou ela, entrei na onda e ri junto.

Enquanto Jungkook perguntava sobre o trabalho de sua mãe, virei-me para o meu lado esquerdo e dei mais uma colherzinha de papinha de cenoura e batata, para o bebê que riu, ele era uma graça, sempre estava sorrindo, mesmo sem dentes. 

– Eu já terminei. – Suzy disse.– Quer que eu dê para ele? – Ela perguntou, nem esperou minha resposta e já se aproximou de nós. Neguei com a cabeça, mas ela pareceu não se importar. – Termine o seu almoço, Chim Chim. – Piscou, pulei para a cadeira ao lado para que Suzy se sentasse no meu lugar e alimentasse o Jack, pois o outro lado estava ocupado por Jungkook. 

– Obrigado. – Quase sussurrei. Observei-a, enquanto terminava de comer a gordurosa lasanha de Jungkook. 

– Aí, Jackson! – Exclamou ela, logo vi o motivo. Jackson já não queria mais comer, então cuspiu tudo e gotas de batata com cenoura voaram na direção dela.– Precisava fazer isso com a titia? Uhu? Meninhho bad! 

Jackson caiu na gargalhada, o que a fez se derreter de imediato.

Jungkook e sua mãe riram comentando alguma coisa boba. Sussurrei 'Com licença' e peguei um guardanapo e limpei seu rosto.

Durante esse curto tempo, pude olhar perfeitamente para o seu rostinho de menina inocente, era o mesmo de quando criança, porém algumas coisas mudaram, é óbvio. Suzy Jeon não tinha mais cinco anos de idade, nem corria pela casa e agarrava minha perna como antes, muito menos se sentava em meu colo para assistir desenhos animados e eu adorava fazer companhia à ela. Aquela garotinha que chorou para casar comigo, já estava se tornando uma mulher, seu corpo deixava isso bem visível, seu colo era preenchido por um par de seios fartos que parecia estar prestes a rasgar o uniforme escolar. 

Achei exagerado aquilo tudo, parecia silicone, pois Jungkook é cirurgião plástico chefe do hospital em que trabalha e pôde ter feito mágica para sua irmãzinha ou a camisa era minúscula de mais.

Desviei a atenção dela quando percebi que já tinha limpado-a e estava tirando sua maquiagen. Suzy tocou em minha mão, afastando-me de seu rostinho e murmurei um pedido de desculpas. 

Suzy abriu um enorme sorriso, revelando um piercing jewellery, achei até bonitinho, pois combinou com ela. Quando abri a boca para comentar, ela desfez o sorriso imediatamente, levou o indicador até seus lábios e fez um sinal para que eu ficasse em silêncio. 

Assenti, entendendo seu pedido.

Depois do almoço, Suzy se esparramou no chão da sala para brinca com o sobrinho. O jeito como ela estava jogada, me incomodou um pouco, pois ela estava usando saia – parte do uniforme – e foi uma escolha errada, quase deitar de bruços. Sentei-me no sofá, prestando atenção no jogo de basquete que passava na televisão ao mesmo tempo que tentava não olhar para suas pernas brancas e finas.

Meu esposo estava no quarto de hóspedes com a sua mãe. Com certeza, ela devia estar enchendo a cabeça dele, como sempre faz, ainda mais quando o assunto sou eu. Já escutei umas vezes ela falando sobre mim e claro, sobre tudo o que aconteceu no passado como se a culpa fosse minha, mas Ignorei, pois meu amor pelo seu filho era maior do que fofocas inúteis. 

Dahyun parecia adorar passar alguns dias em casa, para me infernizar de propósito, eu sei que não era coisa da minha cabeça, dá pra sentir quando uma pessoa não gosta de você. Bastava ela ligar e contar que estava vindo que Jungkook mudava seu jeito, ficava todo "filhinho da mamãe". Isso era péssimo! 

Suzy brincava com Jack de um jeito que ele nem se importou com a minha presença, sempre que o pequeno está nos braços de alguém que não seja Jungkook e eu, ele acaba chorando sentindo nossa falta e se nos ver, ele estende os bracinhos para um de nós. E hoje foi diferente, Jackson se sentia bem ao lado dela, isso me deixou feliz. 

Ela o fez rir tanto que fiquei preocupado, mas suas gargalhadas eram tão gostosas de serem ouvidas que agradeci mentalmente por esse momento. Então, percebi que nem estava mais à prestando atenção no jogo, e sim neles.

Passei à mão na testa, sentindo o suor que grudava alguns cabelos meus. Me abanei com a mão, mas não adiantou nada, o calor estava insuportável. 

– Chim Chim, aqui não tem ar condicionado? – Suzy virou-se para mim, deu para ver um botão solto da camisa branca social do seu uniforme, limpei a garganta quando percebi que eu estava olhando. – Chim Chim? 

– Ah, tem, mas está quebrado. – Fiz um bico e novamente dei mais uma olhada, Suzy deu as costas para mim e deu atenção à Jack.

Com o ar condicionado quebrado, lembrei que Jungkook havia me pedido para concertar há uns dias atrás, infelizmente eu acabei ficando ocupado com o colégio, pois antes das férias de verão, os professores tem que trabalhar mais um pouco para passar provas, corrigir, fechar o bimestre e fazer reunião de pais. E não para por ai, ainda temos que dar aulas de reforço nas férias e sempre quem fica são os alunos que dão mais trabalho. Ou seja, nada de descanso para o professor aqui.

Jackson fez menção de choro, jogando um dos brinquedos longe. Dei a chupeta à ele, pois estava sentindo falta, em seguida estendeu os bracos para Suzy ao invés de mim, e ela o pegou. 

– Olha só! Trocou o papai é? – Fiquei indignado com ele, porém comecei a rir. Jackson coçou os olhos e encostou a cabeça no peito de Suzy.

– Não há nada melhor do que o colinho da titia, não é mesmo? - Disse ela beijando a cabeça dele.

– Convencida. – Ri.

Suzy piscou, sentou-se ao meu lado no sofá. 

– Chim, você ainda dá aulas? 

– Ainda. – Suspire, lembrando que amanhã teria que enfrentar mais um dia de trabalho. – Vai demorar para eu me aposentar. – Ri, sentindo uma dorzinha no peito ao pensar nisso.

– Nem deixou de ser adolescente e já está pensando na aposentadoria? – Ela riu, ajeitando o bebê em seus braços para dormir. – Ah, então. Aproveitando minhas férias, você pode me ajudar?

– Claro, quer ajuda em quê? 

– Em Espanhol! – Respondeu baixo. – Não sou tão inteligente igual ao meu irmão.– ela fez bico.

– Não diga uma coisas dessas, Su. – Me ajeitei no sofá, troquei de canal. – Todos nós temos capacidades para aprender o que quiser. Nunca se esqueça. 

Ela me olhou pensativa, balançou à cabeça concordando com as minhas palavras, sua boca se abriu para dizer alguma coisa, porém nada saiu. Jungkook apareceu na sala com a sua mãe, ela me fuzilou com o olhar, logo sua expressão mudou ao ver seu neto dormindo nos braços da filha. Não duvido nada que ela agradeceu por ele não esta em meu colo.

 – Jimin, por que o ar condicionado esta desligado? – Jungkook perguntou olhando para o aparelho, tentando ligá-lo. – Ué... Você não mandou arrumá-lo?

Jungkook me encarou sério. Afirmei com a cabeça, um pouco aliviado porquê ele não iria brigar por isso na frente das nossas visitas, ele evitava fazer uma coisa dessas, mas dessa vez, Jungkook explodiu, me deixando irritadiço. 

– Porra, Jimin! Eu falei pra você levar pro conserto! – Sua voz estava mais alta que o normal. – Inacreditável! Agora vamos assar feito um frango.

Não me controlei e ri da última frase. Jungkook odiava quando eu ria na hora da discussão, por isso ele ficou furioso.

– Não exagera, Kook.

– Acha que eu estou exagerando? Você não pensa no nosso filho? Acha que ele gosta de passar calor? Huh?

Respirei fundo discretamente. 

– Eu não tive tempo! Por que você mesmo não levou? – Disse eu, mantendo a calma.

– Se eu tivesse tempo teria levado!

– Não me culpe se eu também não tive tempo. – Levantei-me e joguei o controle remoto no sofá. Senti o olhar de Dahyun me queimar, enquanto Jungkook suspirou murmurando algum palavrão, não me dei ao trabalho de saber qual era. Subi as escadas correndo para o andar de cima, entrei em nosso quarto, troquei de roupa, coloquei meus óculos de grau – para poder enxergar de longe –, peguei as chaves do carro e arrastei o ar condicionado portátil até a garagem.

– Aproveita e traz leite. – Jungkook disse seco, pensei em reclamar, mas quando olhei para trás, ele havia entrado dentro de casa. 

Ao chegar no local onde concerta coisas quebradas, tive uma bela surpresa, além de ter que deixar o aparelho por alguns dias lá, o valor era bem mais caro do que eu pensava, mesmo assim o deixei e fui para o supermercado comprar leite.

Peguei um carrinho e enchi de coisas, a maioria era guloseimas, tudo para Suzy, é claro. Jungkook era muito controlador em relação a comida, porém nunca deixei de comprar doces para ela, faço isso desde que ela era criança e esse era um dos motivos para ela adorar vir nos visitar.

O leite não estava muito barato, entretanto comprei umas duas caixas para durar vários meses. Além disso, comprei chocolates para Jungkook, quem sabe seu coração melhore o humor enquanto sua mãe estiver por perto. O valor não foi tão gostoso e Jungkook não ia sorrir ao ver a fatura do cartão no final do mês. 

Eu não entendi o motivo para reclamar de tudo, conta de luz, água, compras e afins. Se ele ganhava muito mais do que eu e muito bem, pois cirurgião plástico não ganha pouco. 

Cheguei em casa e o calor pareceu ter piorado. Dahyun me ajudou a retirar as compras do porta malas, durante esse percurso entre garagem e cozinha, ela não abriu a boca para falar nada comigo, ela evitava ao máximo. Jungkook começou a guardar as coisas, ainda de cara fechada, mas quando viu que comprei seus chocolates favoritos, seu rosto se iluminou e ele sorriu.

– O que deu em você? – Sussurrou ao me abraçar. – Trouxe chocolates... Você está querendo... 

Jungkook me deu um selinho rápido. 

– Um marido não pode agradar seu esposo? – Sorri, passando a mão em seu rosto.

– Sempre pode. – Jungkook mordeu os lábios antes de se afastar e se juntar a sua mãe na cozinha. – Jimin, que tantos doces são esses? Vai vender no farol por acaso?

– Não, eles são pra Su.

– Suzy não pode comer tantos doces assim. – Resmungou Dahyun. Revirei os olhos e retirei algumas coisas na sacola, depositando tudo no balcão, enquanto Jungkook guardava.

– O que tem eu? – Suzy apareceu na cozinha, penteando seus cabelos molhados com as mãos e colocando ele todo no lado esquerdo do corpo. – Eu ouvi meu nome...

A princípio, eu não consegui responder. Havia gotículas de água por todo o seu corpo que, aliás, estava quase nu, me fez perder a respiração por alguns instantes, não entendi bem porque fiquei nesse estado. Suzy usava um biquíni rosa com azul, era simples, porém sexy de alguma forma. E como eu havia dito antes, seus seios eram bem fartos, deixava o traje de banho bem minúsculo. Minha garganta secou de repente, talvez fosse por falta de água, eu realmente precisava beber.

 – Jimin trouxe a fábrica de chocolate pra você. – Jungkook respondeu fazendo careta, como se eu estivesse feito algo muito errado. 

– Como assim? 

– Muitos doces. – Dahyun respondeu meio sem paciência. – Não sei pra que tanto mimo. Aff.

– Doces? Sério? – A garota deu um pulo e caiu em meus braços, dando-me um abraço bem apertado, só pude sentir meu corpo se arrepiar por causa do seu e, ainda mais, sentir seus enormes seios roçar em meu peito. – Obrigada. Obrigada. Obrigada, Chim Chim. 

 – Aah, Suzy! – Jungkook gritou, fazendo com que ela se afastar de mim, me deixando sem reação e também minhas roupas molhadas. – Você está molhando a cozinha! 

– Ai, Koko. – Ela fez uma vozinha de criança. – Eu vim beber água, mas mudei de ideia, tem cerveja? 

– 'Tá doida? – Gritou a mãe. – Quieta esse rabo! 

Suzy caiu na gargalhada, Jungkook acompanhou. 

A garota bebeu água, pegou alguns doces e saiu novamente, indo para a piscina no fundo da casa. Sai do meu transe quando Jungkook gritou comigo, perguntando sobre o Ar condicionado, ele não gostou muito da notícia, mas não havia nada que fazer.

Corri até o quarto, troquei de roupa, colocando uma bermuda e deixando a camisa para trás. Antes de descer as escadas, Jackson chorou, entrei em seu quarto e o peguei dentro do berço. O garoto sorriu ao me ver, mesmo com a chupeta dentro da boca, ele encostou a cabeça em meu ombro.

– Meu bebê acordou... – Jungkook fez um bico. Jackson fez um barulho como quem quer chorar, logo tirei sua blusa e camiseta. Deixando-o igual a mim; com o corpinho de fora.

Jack sorriu como forma de agradecimento e alivio. 

– Tadinho. Estava morrendo de calor. – Falei, fazendo carinho em sua barriguinha. – Vamos pra piscina?

– Jimin, ele pegará um resfriado. 

– Para de ser chato, 'tá muito calor. – revirei os olhos e fui para o jardim, aonde Suzy estava. Ela estava deitada na espreguiçadeira tomando um pouco de sol, assim que sentiu nossa presença, ela tirou o óculos escuro e sorriu para nós. 

– Se Jungkook te ver tomando banho de sol, ele vai te dar um sermão. – avisei. Ela riu. – Usou protetor?

– Na verdade... não. 

– É melhor usar um pouquinho. Falando nisso você pode pegar o protetor do Jack?

– Claro, Chim. – Ela saltou da cadeira, entrou dentro de casa, meus olhos a seguiu até ela sumir e retornar a minha vista. – Aqui está. 

Suzy começou a passar o creme pelo corpinho de Jack, ele apenas a olhava e chupava a chupeta com gosto. Depois ela passou um pouco em meu rosto, o que me fez rir, já que não pedi.

Entreguei o bebê à ela, enquanto buscava a piscina para crianças e uma mamadeia com água. Depois de encher com água, coloquei Jackson dentro junto com alguns brinquedos, ele adorou! Não parava de gargalhar, bater as mãozinhas na água e falar uma língua completamente desconhecida. Enquanto isso, sentei ao lado bebendo uma garrafa gelada de cerveja, observando Suzy nadar e tirar fotos. Meus óculos ficaram embaçados por causa da água que Jackson jogava, pensei em tirá-los, mas ficaria impossível enxergar o mundo ao redor.

– Chim Chim, você não vai entrar?

Neguei com a cabeça, bebi mais um gole da cerveja. 

– Está uma delícia! – Disso eu não duvido! Pode apostar, Su. – Não quero sair mais!

– Não posso, tenho que cuidar do Jack. – Lembrei, ele poderia se afogar com água, mesmo sendo raza, e poderia cair e bater a cabeça. Por isso não podia deixá-lo sozinho. 

– Ué, vem com ele. – Sugeriu ela. Pensei um pouco, acabei cedendo. 

Peguei Jackson e entrei na piscina com ele. 

– Que delícia! – Falei sentindo a água geladinha me refrescar. – Bendito seja quem inventou a piscina. 

Suzy riu.

– Jack também adorou a ideia. – Suzy se aproximou, começou a brincar com ele e ele riu. – Não é amor?

Ele a respondeu, falando uma língua que só os bebês entendem.

– Chim Chim, seu óculos... – Ela retirou o mesmo. – Você enxerga sem?

– Só de perto.

Ela colocou o óculos em seu rosto e fez um bico.

– Como fiquei? – Sinceramente, ela era linda de qualquer forma. Não era só porque é irmã de Jungkook, sua beleza era única. – Parecendo uma professora? Huh?

– Você fica bem de óculos. – Respondi, sorri. 

– Vou entender como um elogio. 

– E é. 


Notas Finais


Preciso saber o que acharam desse capítulo para ter certeza se continuo ou paro por aqui...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...