História Brain Sick - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Exibições 20
Palavras 3.350
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Festa, Luta, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Minha primeira fanfict espero que gostem ...
E de minha autoria, plágio e crime e você poderá ser banido do site apenas pela tentativa do seu feito.
E me ajudem a divulgar a fanfict.. obrigada e tenham uma boa leitura 💞💋 Ass: Sisi

Capítulo 1 - Flash Back


Capitulo 1 : Flash Back                                                                                                

 

Era uma vez, numa pequena cidade às margens da floresta, uma menina de olhos negros e louros cabelos cacheados, tão graciosa quanto valiosa.Um dia, com um retalho de tecido vermelho, sua mãe costurou para ela uma curta capa com capuz; ficou uma belezinha, combinando muito bem com os cabelos louros e os olhos negros da menina. Daquele dia em diante, a menina não quis mais saber de vestir outra roupa, senão aquela e, com o tempo, os moradores da vila passaram a chamá-la de ''Chapelzinho Vermelho''.Brrr booom!   - Quando o leitor falo o nome da principal, um trovão se faz presente  no meu quarto, o que automaticamente me fez entrar de baixo de minhas cobertas, fazendo risadas se formarem do lado de forra da mesma.

- Não fique com medo minha pequena, enquanto nós estivemos aqui nada vai te fazer mal  - Mamãe segurou na mão do leitor, que no caso era meu pai, e disse com aquela voz doce e protetora que me fez fica um pouco tranquila, que acabei tirando a coberta somente dos meus olhos pois ainda estava um pouco receosa do trovão aparecer novamente, fazendo mais risadas se tornarem aparentes. 

- Tá tudo ótimo mais você pequena tem que ir dormi e eu tenho que trabalhar  - Disse fechando o livro e tirando um olhar subjetivo de mamãe.

- Ma mamais e a historia   - Apesar de ser minha historia favorita eu não estava ligando muita para a historia só não queria ficar sozinha no meu quarto, e acho que mamãe sabia disso o que era um dom dela, pois meu pai não entendia minhas reações  com as coisas que eu tinha medo por que eu não gostava de demonstrar muito e nem fala sobre isso mais minha mãe sempre entendia todas a reações que tinha por isso sempre me ajudava com esses medo.

- Seu pai quis dizer que ele tem que trabalhar, então eu termino de ler pra você  - Ela disse e abriu o livro onde tinha-mus parado.

- Hummm que bom, tchau papai   - De um beijo em papai e me despedi, e mamãe fez o mesmo e começou a ler, eu adorava o livro pois dormia rapidamente com ele não porque era chato mais me dava sonhos interessantes, e dormi tão rápido que nem me dei conta quando mamãe saiu, acordei com a minha babá pedindo para mim me vestir, o que era estranho pois ainda esta muito cedo e papai disse que hoje era dia de folga dela, mais nem perguntei nada apenas fiz o que ela mando e fui para baixo onde ela me carrego até o carro pois estava com sono e muita preguiça e acabei dormindo no carro.

Chegamos tão rápido que nem me dei conta só quando ela me tiro do carro me pois no chão e eu dei a mão para ela e entramos em um hospital, vimos  papai com a cabeça abaixada e chorando e o medico falando umas coisas para ele, quando cheguei perto o medico disse que minha mãe tinha morri e eu só vi tia Laurem e papai chorando, então sai correndo dali e chorando mas Karem minha babá foi atrás de mim e rapidamente me alcançou.

- Krist não fique triste sabe por quê?  - Fiz um gesto com a cabeça negando  - porque sua mãe esta em um lugar melhor ela esta com a sua avó lá no céu.

Ela esta se referindo a o falecimento de vovó pois ela tinha morrido a alguns anos e essa foi a única vez que vi tia Lurem pois quando ela caso com o velho rico que morreu ela só aparece nos enterros e o único que eu fui foi o de vovó não queria ir no de mamãe até porque eu era muita nova pra passar por enterros de entes queridos, e também ainda acreditava que aquilo poderia ser um sonho.

- É Krist você e a menina mais forte que eu conheço sabia, não igual aquele sua tia Laurem que fica fingindo lagrimas por sua mãe só para seu pai ficar com ela nas horas ruins da vida dele  - Ela era uma babá super espontânea, tipo me contava tudo da vida dela ela era tipo uma segunda mãe pra mim, e o namorado Don era como meu segundo pai pois tinha dias que ela me levava para casa dele pois eles tinham coisas para fazer ai eles saiam e me deixavam com Anna que também era super legal, não sei pra onde eles iam mais sempre voltavam com um saco de dinheiro e Pizza e Refrigerante, meu pai dizia que Don era um cara mal pois ele aparecia na televisão muitas vezes sendo preso mais ele não sabia que Karem namorava com ele,  Karem  dizia que se meu pai descobri-se ela ia me perde dizia também que meu pai não o conhecia Don por isso que dizia isso dele, eles me ensinaram como abrir cofres, portas essas coisas que eles diziam que algum dia ia ser bem útil é eu adorava aprender coisas novas porque também dava como eu pegar os doces que minha mãe escondia de mim.

Eu e Karem ficamos conversando por horas, até que finalmente ela me levou para casa, chegamos em casa e chamamos meu pai e quando ela acho mando eu ir para meu quarto e eles ficaram brigando ate que depois eles pararam de gritar  e ela chego em meu quarto e um cheiro horrível impregno em meu quarto, ela entrou e já abriu o meu amario.

 - Krist se arruma vamos dormi na casa da Anna hoje  - Disse e pego a bouça com algumas roupas minhas.

- Mais por quê?  - Eu sei que não tava um cheiro muito bom mais meu pai ia ficar sozinho em casa com aquele cheiro.

- Sabe meu amor tem pessoas que quando estão muito triste bebem ou usam coisas que não pode para esquecer de tudo que está acontecendo e é isso que esta acontecendo com seu pai e eu tenho medo com o que ele pode fazer com você, e só isso.

- Tá bom, mais ele vai ficar bem?  - Perguntei pois estava preocupada com papai mais só obtive um Hãram como resposta.

Chegamos na casa de Anna e lá ficamos acordados muito boa pare da noite pois estava-mus brincando de Uno e Don ficava roubando pro nosso time toda hora.

- Don para de roubar as cartas boa.  - Anna disse fazendo Karem cair em cima de Don e pegar todas as cartas roubadas.

- Todo bem parei de roubar  - Disse me jogando uma carta rapidamente mais Karem viu.

- Don Krist não precisa participar dos seus roubos.

- Ela já esta aprendendo o nosso ramo e uma garota esperta não e mesmo Krist?  - Don me entrego outra carta enquanto falava.

- Sim sou garota esperta  - Disse e as duas riram e eu escondi a carta, e foi a vez de Don de soltar quela gargalhada. 

 Acabo que dormimos todos na sala e de manhãzinha tive que ir para casa o que me fez ficar meio estranha no caso de meu pai no outro dia.

Chegamos em casa e meu pai estava no mesmo lugar de antes e enquanto Karem fazia a comida fui escondido ver papai.

- Papai ta tudo bem com você  - Os olhos dele estava vermelho, tinha um monte de pó esparramado por todo o chão um tipo de cigarro o que pra mim fedia de mais.

- Minha mulher esta morta, estou devendo dinheiro para uns caras e acho, não eu tenho certeza que estou viciado em drogas ou você e burra de mais para notar que seu papai esta ferrado.

- Tommy você esta louco, ela só e uma criança por que esta gritando com ela  - Karem chego e me tiro para longe de papai.

- O que eu fiz pro papai grita comigo eu fiz alguma coisa de errado ?

- Não meu amor você não fez nada seu pai esta confuso e só isso ta bom   - assenti com a cabeça sim e ela continuou a fala  - Olha hoje você vai fica no seu quarto com a porta trancada, porque hoje não vou poder ficar aqui tenho um servicinho com Don e dessa vez a Anna vai ter que ir junto então não vai dar pra ir dessa vez, e ai o que e pra você fazer ?

- Para eu ficar no quarto com a porta trancada, e por que papai ta loco ?

- Não e bem assim meu bem, mais pelo menos você sabe que e pra você tranca a porta, tá bem tchau meu bem tranca a porta ta bem beijo.

- Tá bem tchau.  - Dei um abraço de urso e ela foi embora de todas as vezes que ela foi embora aquela foi a mais deprimente.

Quando Karem saiu eu fui para o meu quarto e tranquei a porta como ela mando, fiquei comendo uns sanduíches que ela fez pra mim e lendo um livro diferente que não me dace sono, até que eu escutei um barulho estrondoso que vinha da sala curiosa abri a porta e meu pai passou por ela, com uma cara assustada e arfando.

- Entra no armário agora querida  - Eu entrei com medo, meu pai fez um sinal com a mão pondo um dedo na boca para que eu fica-se em  silencio, e fiz a mesma coisa que ele para mostra que eu entendi só que eu tampei a boca toda com a mão.

Quando ele fechou a porta do armário dois homens com armas e silenciadores entraram.

- Olá Tommy onde esta o dinheiro? o chefe já esta cheio de espera o dinheiro então mando a gente para acaba com essa historia.  - Fiquei com muito medo pois ate eu sabia que meu pai estava sem dinheiro.

      - Olha eu não tenho agora me da mais umas semanas e juro que vocês vão ter o dinheiro. Bang - Quando meu pai disse isso um dos caras atiro na perna de papai, rapidamente eu gritei mais antes que eu fizesse isso meu pai grito mais alto para abafa meu grito, e depois de alguns gritos de dor eles atiraram na cabeça dele fazendo os gritos do mesmo sessar, nem vi eles saindo somente sai do armário rapidamente para ver como ele tava.  

- Papai fala comigo, não me deixe aqui sozinha papai não.  - Abaixei a cabeça a pondo no peito de papai foi quando me deparei com a arma de um dos homens no chão perto da mão de papai.

Fiquei lá chorando sozinha até que os policiais chegaram e me tiraram de cima de papai, me pondo em cima de um dos carros de pronto socorro me embrulhando com um pequeno coberto, até que chego uma moça e fico me fazendo mais perguntas do que já respondi em minha vida , respondi todas com forme ela perguntava e depois entrei em uma viatura e me levaram para um lugar onde comi e voltei a dormi com pesadelos de montes pois ainda não estava acreditando que aquilo tinha acontecido com papai e que isso estava acontecendo com a minha vida, quando fui acordada no meio de meu pesadelo era a mesma moça só que dessa vez vestida de policial, e me levou para um lugar cheio de gente de terno serio ou chorando, até que nós viramos para uma sala onde vi um homem gordo de terno sorridente e minha tia Laurem com uma mulher de terno seria.

- Olá Kristen, eu sou Vitor eu e sua tia estávamos conversando sobre sua ida para casa dela.

- Como assim senhor ?

- Você vai morra comigo minha querida.  - Olhei com uma cara de nojo pois eu não gostava dela, não dava para acreditar como minha vida estava tão horrível e eu estava com medo de não ter ninguém comigo ao meu lado nesse momento de minha vida.

- Eu não quero ficar com a mulher que tento arruinar o casamento dos meus pais   - Disse e sai correndo antes que eles começa-sem a fala que eu era nova demais para tomar qualquer decisão sobre minha vida. 

 

Sai de lá sem aquela policial me impedir, corri para o mais longe daquela sala sem me importa quem estava na minha frente pois também tinha lagrimas que não ajudavam a minha visão, sem ver o que estava a minha frente acabei batendo de frente com outra pessoa que também estava correndo só com muito mais pressa do que eu. 

- Aí desculpa ai, foi sem querer.  - Olhei para cima e vi um garoto com mais ou menos minha idade dos cabelos e olhos castanhos e pele morena .

- Não tem nada não.  - Disse o encarando.

- Por que esta chorando Kriss  - Nessa hora me assustei, como ele sabia meu nome nem eu sabia  o dele.

- Como você sabe meu nome?

- Karem , Don e Anna são amigos de meus pais e eles tem muitas fotos com você e vivem mostrando pra mim.

- E qual e o seu nome? pois você sabe muito sobre mim e eu não sei nada de você.

- Meu nome e Zayn, olha Kriss pode me dizer onde sua tia morra?

- Para que você quer saber Zayn?

- Eu tenho que ir agora, mais queria saber onde ela morra para te ver de novo.  - Definitivamente ele me convenceu com essa.

Eu disse para ele onde ela morra e depois ele saiu correndo disparado como antes, e eu voltei para onde estava, depois que entrei no carro de minha tia nos fomos para casa dela e sem trocar uma palavra, quando entramos na casa era uma casa enorme cheia de gente limpando e ela me mostrou onde eu iria dormi e mando eu não sair do quarto, e foi o que eu fiz ate o dia seguinte.

Sai para explorar aquela casa enorme onde minha tia morava  e acabei vendo ela com aquele homem gordo de terno ontem conversando e rapidamente me escondi para não me verem e escultar a conversa.

- Olha eu não quero ficar com essa garota no meu pé eu só a peguei para cuidar dela para manter as aparência mais eu não quero ficar enfurnada nesse lugar sem poder gastar meu dinheiro por culpa dela.

- E o que você quer que eu faça, Sr Evans.

- Bem eu tenho uma irmã que e dona de um Sanatório lá em Nova Iorque e você poderia pegar essa garota e leva-la para bem longe de mim discretamente.  - Ela disse entregando um envelope amarelo e ele pego o envelope se levantou e se despediu.

- Eu acabo de chegar e já quer me levar para outro lugar porque não me pois logo em um  orfanato sua loca.  - Sai de onde eu estava me escondendo e fui tirar satisfação.

- Para manter as aparência garota ou você acha que eu tava ligando pra você por mim você ia para um orfanato para nunca ser adotada mais eu ia ser como a titia malvada, agora que você sabe de tudo vamos para o seu quarto, abrigada pela visita excelência.  - O homem agradeceu e foi embora e ela me puxou pelo braço com força para o quarto onde ela deixou duas tarantulas enormes e me trancou lá.

- Me tira daqui sua loca, Meeemm tira agora ahhhhh  - Mesmo tendo um monte de gente na casa limpando ninguém para me ajudar , mesmo eu chorando nada de alguém aparecer, até que eu ouvi um barulho na janela e sai correndo disparado para ela.

- Kriss e o Zayn.  - Eu nunca fiquei tão feliz de ouvir um nome na minha vida ele me viu e fez uma cara de preocupado rapidamente ele subiu a sacada e pegol as tarantulas e as jogou pela janela.

- Obrigada por ter vinda, eu pensei que você só ia vir amanhã.  - Disse mais calma.

- E que Karem apareceu lá em casa e eu disse que eu te conheci e ela mando eu vim aqui fala com você ver como você tá mais eu já ía fazer isso mesmo, e amanhã posso vim aqui te ver novamente ?

-  Não vai dar acho que ela vai me manda para Nova Iorque amanhã para um Sanatório coisa assim, mais qualquer lugar e melhor que aqui e eu preciso sair desse lugar.  

- O que e sanatório?  - Ele fez uma cara engraçada mais que era mesmo assim de preocupação.

- Acho que um tipo de internato coisa assim sabe, e acho que não volto tão cedo, mais como eu disse melhor lá do que aqui.  - Ele me olhou como se tivesse a ideia mais genial do mundo.

 - Então vamos fazer assim  - ele tiro uma faca do bolso o que me fez ficar assustada.

- O que você vai fazer com isso?  - Disse com os olhos esbugalhados de medo, e ele sorriu.

- Não vou te matar se e isso que esta pensando, vou fazer uma marca para quando eu te ver de novo ter certeza que é você, e também para você não se esquecer de mim. - Me acalmei um pouco depois disso.

- Isso vai doer, tipo qualquer coisa se eu ficar maior e só perguntar meu nome ou coisa assim.  - Ele deu mais uma risada só que essa foi sarcástico. 

- Eu quero fazer isso do meu jeito ,te prometo que não vou te machucar, confia em mim?

- Confio.  - quando eu terminei de fala ele pegou me pulso e fez um Z no mesmo e ele fez um K  no dele.  -  Fico ótimo Zayn.

Depois de um tempo ele foi embora e eu peguei no sono, no dia seguinte como eu suspeitava aquele homem gordo voltou com uma mala e as passagens para Nova Iorque nem sabia direito o que falar por isso não disse nada apenas entrei no carro e chegamos a o aeroporto esperamos um pouco e pegamos o avião sempre calados sem dar nem um pio nem parecia que era aquele homem sorridente daquele dia, quando chegamos no lugar saímos e encontramos um carro preto na porta nos esperando ele me empurrou para frente e quando olhei para trás não  o vi mais, quando virei novamente vi uma velha me encarando ela nem disse nada apenas pego meu braço com força e me jogo para dentro do carro.

- Kristen que bom conhece-la, pensei que você nunca ía vir me ver.

- Quem é você?

- Sou sua tia Duda, você vai ficar comigo agora.

Quando o carro deu partida ela começou a fala como ia funcionar tudo de hoje em diante e eu concordei em tudo pois não dei a minima atenção a ela somente a rua e as pessoas que estavam andando por ela, quando o carro parrou nem me deu conta só quando ela saiu e abriu a porta do meu lado, entramos dentro do prédio com dois homens vigiando do lado de forra e dois a porta de entrada do lado de dentro, quando entrei muitas pessoas dançando como loucos, batendo na teve brigando, com o som que tocava musica, chorando nos cantos da parede essas coisas e fiquei muito assustada pois não sabia o que era um sanatório ate entra em um .

- Tia me tira da qui por favor.  - Disse chorando em seus braços e ela começou a alisar minha cabeça, até pucha-lá para traz segurando meus cabelos e olhar pra mim com um olhar sombrio que me deu mais medo do que ver todas aquelas pessoas loucas.

- Esse e o seu novo lar então se acostume.  - Ela me jogo no chão e eu fiquei no meio naquelas pessoas dançando The singing nun-  Dominique ao meu redor e eu no chão chorando.

 

 

É foi isso que aconteceu comigo antes de eu vim para Willard asylum.  

Continuação ...


Notas Finais


Ehhh leram até o final gostaram? Bem antes de tudo queria pedi para vocês comentarem pois preciso de ajuda para continuar a fanfict tipo se ela fico boa ou ruim essas coisas então vamos comentar ai o que vocês acharam ok... bjjss e até o próximo capítulo💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...