História Brave - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Hades, Robin Hood, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Baby Robin, Outlaw Queen, Outlaw Wicked, Wicked Queen, Zades
Exibições 34
Palavras 1.773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - O coração do povo


            ― Eu sabia que a reação causada por ela na mesa significava algo, só não imaginava que se tratasse disso ― disse Dorothy para si mesma enquanto observava Zelena à beira da fonte mágica, a bruxa parecia em choque, mas a jovem não saberia dizer se era pela morte de sua amiga, ou pela descoberta. O fato é que Zelena permanecia imóvel, fitando a coroa na água.

            ― Mas o que barulheira é essa? ― Ozma bradou furiosa, levantando-se de sua cama, olhou pela janela do castelo. As ruas antes desertas, agora estavam cheias de vida e celebrando.

            ― A coroa, minha senhora. A coroa de Oz despertou ― a face da mulher foi da raiva ao espanto em segundos. Em seu intimo torcia para que a incômoda bruxa do oeste não tivesse nada com aquilo, pois, se assim fosse, seus problemas estavam apenas no começo.

            ― Faça ser conhecido em toda a terra de Oz este aviso: todos os que forem pegos em manifestações de apoio à esta conspiração para tirar-me do trono será lançado na fogueira, para queimar seus pecados, pois eu Ozma sou a única e verdadeira rainha e não aceitarei traidores sob o mesmo solo que eu. Quanto à esta suposta rainha, faça-a saber que a desafio a aparecer diante de mim, ou matarei um aldeão por dia ― a mulher apertou uma chave que sempre carregava nas mãos, ela não iria cair pelas mãos desta novata.

 

            O pulso de magia ultrapassou o limite de Oz, viajou o deserto da morte e se estendeu por muitas terras ao seu redor, levando ao conhecimento de todos o retorno da escolhida ― A rainha está de volta ― disse uma mulher já de idade com um largo sorriso nos lábios. Era Madame Morrible, uma das feiticeiras mais poderosas do reino, ficando atrás apenas das bruxas guardiãs. ― é hora de retornar e servir mais uma vez à minha rainha ― ela pôs a mão no bolso de seu vestido e retirou de lá um cristal mágico, fechou os olhos e sussurrou um antigo encantamento, apenas ela, entre todas ás pessoas, poderia ter a revelação de quem era a nova governante de Oz. Uma imagem se formou, mostrando à ela Zelena. Ela sorriu e seus olhos tornaram-se brancos. Nem todos sabem, mas assim como o livro de histórias, o livro dos registros possui um autor, este era a Madame Morrible, mas sua pena era diferente, pois não narrava só o que aconteceu, ou o que estava acontecendo, mas principalmente o que ainda estava para acontecer. O livro dos registros possuía também outro nome: O livro do destino ― Jovem Zelena... Marcada pelos fatos da vida, em seu coração há magoas e desejo de ser amada. Estranho você ser a única a não perceber isso quando todos à sua volta notam. Há um caminho árduo e difícil, querida Zelena, há lições, eu prometo que aprendera a amar e aprendera a não afastar quem tenta se aproximar. Sim, sua jornada até aqui foi difícil e irá piorar, mas tenha em mente que no fim, isso vai te deixar mais forte. Ouça esse sussurro suave aos seus ouvidos, pois é o Destino quem sussurra. Preparei-te altos e baixos, coisas boas e ruins. Tudo ao seu tempo, apenas abrace minhas palavras e abrace o que te preparei.

           

            O castelo das guardiãs permaneceu em silêncio por longos minutos. Zelena ainda estava no jardim quando ouvira o burburinho vindo da parte externa. ― A magia em Oz foi restaurada, contudo, ainda é impossível deixar o reino. ― informou a jovem Dorothy assim que Zelena adentrou a sala onde seus amigos, Dorothy e um grupo de homens estavam reunidos.

            ― Minha rainha ― um deles saudou-a, provavelmente o líder deles. Zelena acenou de volta.

            ― Quem é você? ― perguntou a mais nova rainha, recebendo sua resposta de Dorothy – que parecia ter assumido a posição de estrategista. Zelena não se importava muito.

            ― Ele é um dos cidadãos que integram a resistência contra o governo tirano de Ozma, depois que ela os caçou, encontraram abrigo aqui. Esperando que a coroa de Oz finalmente escolhesse a nova governante, para que voltassem a lutar, estavam sem esperanças, mas ai você retornou.

            ― Decidimos lutar ao seu lado majestade ― o líder da resistência ajoelhou-se diante de Zelena, entregou-lhe sua espada em sinal de que poderia contar com seus serviços ― daremos nossa vida com prazer se assim se fazer necessário para devolver os dias bons ao nosso reino. ― o ato fora copiado pelos demais ali presentes, até mesmo por Dorothy que há algum tempo pensava que a ex-bruxa má do oeste era uma ameaça.

            ― Meus queridos cidadãos, resistência sobrevivente. A batalha que temos pela frente é árdua e, provavelmente, muitos de vocês não chegarão a desfrutar do dia de nossa vitória, mas eu lhes prometo que estarão lá. Que vocês serão parte dos heróis honrados que deram sua vida para que nosso tão amado reino voltasse a ser o que era. Não. Para que ele fosse ainda melhor. Peço que me aceitem como sua rainha, como sua comandante e que me perdoem pelo passado que lhes causei dor. Eu era uma pessoa diferente naquela época. Deixem-me ser sua rainha e eu os guiarei para vitória, marcharemos juntos para Esmerald City e derrotaremos Ozma. Avante! Vamos recuperar o sorriso de nossa gente ― um brado de alegria inundou a sala, antes que as grandes portas do palácio fossem abertas. Zelena entrou em posição de batalha.

            ― Eu não esperaria menos de você, minha querida. Apesar de sua escolha ter me surpreendido muito, eu estou feliz ― Madame Morrible adentrou o local recebendo um olhar inquisitivo de Zelena ― Oh... Você ainda não me conhece. Sou a Madame Morrible. Estou a seu dispor majestade, mas preciso conversar a sós com você. ― Zelena acenou positivamente, pedindo para que a mulher a seguisse até um cômodo mais afastado no castelo.

            ― Digo o que deseja ― a ruiva apoiou-se em um móvel de madeira atrás de si.

            ― Majestade, se quer mesmo retomar seu reino, precisa estar aqui de corpo, mente e coração. Confie nos seus! Manterão seu maior tesouro a salvo das trevas até que possa retornar para junto dela. ― A mais velha advertiu, recebendo um suspiro triste da Mills. A ex-bruxa má do oeste inclinou a cabeça para frente, fazendo com que seus cabelos vermelhos cobrissem seu rosto a fim de esconder as lágrimas ― Juro que guiarei meu povo para a vitória, apenas gostaria de poder ver minha filha, pois sei que Robin daria a própria vida para salvar seus filhos, mesmo que a minha princesa não estivesse nos planos dele, mesmo que ele me odeie...

            ― As coisas não são como pensa jovem Rainha. ― a mulher sorriu para ela, estendendo-lha a mão direita e alcançando uma pedra roxa ― Pense na sua garotinha. ― e assim Zelena o fez, olhando através do cristal, pode ver Belle com sua filha nos braços enquanto dava-lhe de mamar em uma mamadeira verdinha. Zelena sorriu.

            ― Amor da minha vida... Logo estarei com você. Comporte-se bem, okay? O papai e a ratinha cuidarão bem de você até que eu ajude a salvar esse povo tão sofrido. ― Zelena chorava alto e as lágrimas maculavam seu belo rosto em uma explosão de saudade ― Prometo que terá orgulho de mim, filha. ― a visão se desfez e Zelena enxugou as lágrimas. ― Morrible, meus poderes ainda não voltaram.

            ― E nem voltarão até que cumpra o seu destino.

            ― Ótimo, então tenho que vencer uma bruxa superpoderosa sem poderes?

            ― Você não precisa de seus poderes para vencer Ozma, você tem algo muito melhor.

            ― Que seria?

            ― O coração do povo de Oz. Por você e por nosso reino todos ali fora morreriam e será assim com todos aqueles que forem capazes de ver em você o mesmo que eu vejo: O potencial de uma grande rainha.

            ― Engraçado, pois há alguns anos todos no reino me odiavam e agora eles simplesmente morreriam por mim? Ainda sou a mesma Zelena, o que difere é que agora meu reinado é legítimo.

            ― Ai que se engana majestade. Você mudou muito de um tempo pra cá, não é mais aquela bruxa amargurada e tristonha, em busca de um lugar onde possa ser aceita. Agora você tem uma família e também conhece o amor. Você é forte porque você conhece o bem e o mal, porque já tirou muitas vidas e com a maternidade aprendeu o valor dela.

            ― Gostaria de poder acreditar nisso, mas mesmo assim seguirei. Derrotarei Ozma e retomarei meu reino.

            ― É claro que sim minha rainha.

 

 

            No submundo Hades já havia aprisionado as almas dos heróis de Storybrooke, o que tornava a saída dali extremamente dificultosa ― Mãe, a Phoebe não parece ter gostado de nos receber, de conversar conosco ― sem obter uma resposta a rainha fitou o rosto da mais velha. Cora possuía um olhar perdido, vagava em suas lembranças sem conseguir encontrar uma saída de sua própria mente.

            ― Regina... Eu tive a oportunidade de salvá-la e não o fiz ― Cora tinha a voz embargada, como se lutasse contra o choro.

            ― Salvar quem?

            ― Zelena de seu pai abusivo ― Regina assustou-se com revelação. Como a mãe não havia lhe contado nunca, nada, sobre a irmã?

            ― Ótimo, então eu realmente era a única idiota desavisada sobre a existência de Zelena. Obrigada mesmo, mamãe.

            ― Não é por isso! Zelena salvou sua vida quando vocês ainda eram crianças, você havia se machucado com a mágica da minha varinha e eu a busquei em Oz, já que ela era a única capaz de te salvar, pois ainda não havia sido tocada pelas trevas. Tudo correu bem e, para a minha surpresa, ela era muito boa com os poderes dela, mas... Vocês descobriram que eram irmãs e eu... Eu separei vocês. ― Lágrimas de dor banharam o rosto daquela dita não ter coração. ― Eu fui cruel, tenho consciência disso ― Regina apenas a observava tentando assimilar toda aquela informação. ― Vocês se lembrarão, um dia, quando se acertarem. Espero que quando esse dia chegar me perdoem.

            ― Não quero ser amiga da mulher que engravidou do meu amor verdadeiro com o único intuito de me fazer sofrer.

            ― Um dia pode ser tarde, Regina. Um dia pode ser tarde.

            ― Do que está falando?

            ― Sua irmã é a amada de Hades, quer dizer que a escuridão a seguirá onde quer que ela vá. Zelena deverá ser forte pra suportar o peso desse amor.

 

 


Notas Finais


Conte-me o que achou do capítulo, sim?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...