História Breakaway - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Personagens Cora (Mills), Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Onceuponatime, Outlawqueen, Rainhamá, Regina, Robinhood, Romance, Series, Universoalternativo
Visualizações 158
Palavras 2.774
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sci-Fi, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Meninas que ficaram se sentindo mal por deixar as leitoras tanto tempo sem att, add.
Olá meeus amores! Desculpem mesmo, mas os ultimos meses não tem sido fáceis para mim e muita coisa aconteceu comigo e isso afetou diretamente minha escrita, mas agora já passou e eu estou voltando aos poucos para esse mundo que eu tanto amo.

*Sobre as outras estórias, já estou escrevendo os capítulos! *

Espero que gostem do meu retorno, amo vocês, boa leitura 💚

Capítulo 15 - Missão Roma: Parte 01


Fanfic / Fanfiction Breakaway - Capítulo 15 - Missão Roma: Parte 01

Um tempo passou, e a comida finalmente chegou, Regina estava sentada no sofá toda desajeitada, com os pés apoiados na mesinha à frente mexendo no celular. Ela é impressionante, nunca me vi tão bem como me sinto quando ela esta por aqui, seja dormindo ou enchendo o meu saco para assistir novamente todas as temporadas de How I Met Your Mother; daqui à alguns dias é dia dos namorados e eu tenho exatamente 3 dias e 72 horas para organizar o que tenho em mente para o primeiro ano que comemoramos esse dia; paguei ao entregador, fechei a porta com o pé e fui direto para a cozinha, não levou um minuto e Regina já estava sentada na banqueta me olhando com um belo sorriso, ou para o prato em minhas mãos, tanto faz.

- Cheiro bom. - abriu a caixinha com a comida japonesa dentro. - Eu amo quando você acerta o pedido. - riu e tentou pegar um camarão. - Que maravilhoso, Deus abençoe a Ásia.

- Regina, já comprou meu presente? - perguntei brincalhão e ela arregalou os olhos. - Sabia! Você esqueceu. - fiz uma carranca.

- Èrr.. Claro que sim. - falou vacilando. - O que você acha, eu a pessoa mais romântica e presenteadora que o mundo já viu, não comprou o presente do namorado?. - zombou.

- Tudo bem. - mantive minha atuação e ela ficou em silêncio. - Vamos comer. - disse em meu tom mais frio e fui para a sala.

Que os jogos comecem!

Seguimos o resto da noite assim, me sentei um pouco longe dela e sempre que ela dizia alguma coisa me contive a esboçar um sorriso amarelo e sempre que Mills comentava algo, usei as palavras que ela mais odeia quando está conversando comigo: " Bacana", " Uhum", "Ok". Sei que no momento Regina me odiou, tanto que assim que acabou de comer, foi direto para o quarto e trancou a porta.

Aproveitei que consegui afetar Regina, mandei uma mensagem de texto e fui em meu apartamento, Marian havia voltado, ela estava arrumando os brinquedos que Roland sempre deixa jogado no caminho, em silêncio ela foi e voltou várias vezes, não entendi nada, porém quis continuar assim, deixei minha mochila no sofá e fui ver Roland; infelizmente ele estava dormindo, mas fiz questão de dar um beijo na testa do meu menino.

- Onde você estava? - Marian falou baixinho, quase sussurrando na porta do quarto.

- Isso lhe interessa? - falei um pouco rude. - Estava trabalhando. - respondi e passei ao seu lado.

- Robin, dá para sentir o cheiro dela de longe. - falou e se colocou em minha frente. - Por quê ainda me deixa ficar aqui se você não coloca os pés em casa?

- Marian, eu não te devo explicações, eu deixei você ficar aqui por causa do nosso filho, mas a casa é minha, entro e saio a hora que me der vontade, não preciso de hora para voltar ou sair de casa, pelo amor de Deus. - fui direto para a cozinha tentando me livrar da crise de ciúmes sem fundamentos da ex- mulher.

- Eu não quero discutir com você. - Ela se aproximou. - Vou embora hoje mesmo, só queria saber se fazia questão da minha presença aqui, mas percebo que não. - mordeu o canto interno de sua boca. - Eu amei você todos esses anos, e percebo que você agora pertence a outra, não quero mais atrapalhar isso. - confessou. - Encontrei uma pessoa no dia da festa do seu trabalho e sinto que pode ter um futuro. - sorriu levemente.

- Você vai embora, assim do nada? - falei desconfiando. - E Roland, fica comigo não é? - perguntei e ela assentiu.

- Eu sei que você vai cuidar bem dele. - confessou. - Felicidades para você e Regina. - falou e só agora me dei conta que haviam duas malas ao lado da porta. - Até mais. - deu um beijo em minha bochecha e saiu andando.

- Até mais. - falei enquanto ela fechava a porta atrás de si.

Regina


Não sei o que Robin pretende com aquelas respostas bobas, mas me irritou, e muito. Ainda foi embora, acabamos de reconciliar e ele vai pra casa, não gostei, e quando ele voltar vou fazer o mesmo, ele que se prepare. Ainda tenho muito tempo para comprar o presente dele, não entendi porque ele ficou tão chateado. Aproveitei que ele tinha saído e voltei para a sala e dei play no episódio que íamos começar a assistir e me enrolei em meu edredom que já estava ali desde cedo e coloquei pela milésima vez a melhor série que o mundo já viu.

Não demorou muito e Robin retornou ao meu apartamento com Roland no colo e algumas coisas do menino em uma bolsa. Olhei para ele e percebi que algo estava errado, mas como ele não falou comigo ainda, vou brincar com meu neném; estou morrendo de saudades.

- Quem é o bebê mais lindo? - levantei e Roland se animou. - Que saudades! - o carreguei num piscar de olhos e voltei para o sofá. - Sentiu minha falta? - perguntei como se ele fosse responder alguma coisa mas o sorriso dele foi o suficiente.

- Regina, mais tarde podemos conversar? - Robin soltou do nada e minha espinha gelou.

Não consegui mover um músculo, mas espero que não seja nenhum problema, pois já temos isso demasiadamente, e agora é um momento para retornar a nossa bolha e cuidar do nosso bebê, e mesmo que haja algo errado, vamos superar, não há nada que me separe de Robin novamente, é com ele que pretendo passar o resto da minha vida; me esforcei para não perguntar, mas concordei e ele foi direto para o nosso quarto.

- Ok Roland, o que a louca da sua mãe fez pro papai ficar com essa cara? - falei novamente para o menino e ele franziu a testa como se também não soubesse do que eu estava falando. - Eu amo você sabia? e o seu pai também, mais do que a mim. - segredei bem baixinho para o garotinho. - Vamos assistir? - perguntei e ele bateu palmas. - Mas eu não quero aqueles desenhos feios, vou colocar um muito legal.

Coloquei Roland sentado no sofá e fui colocar um dos inúmeros desenhos infantis que ele costuma assistir quando está aqui em casa. Assim que a música iniciou o menino se animou e alguns minutos depois esqueceu que eu existo, mas tudo bem.

Até que desenhos infantis não são tão ruins, quando terminou a ultima música Roland já dormia em meu colo, e o relógio marcava 22:30 da noite, levantei com todo cuidado do mundo inteiro e fui para o quarto dele ao lado do escritório que antes era de Daniel e hoje está trancado e eu não me atrevo a entrar ali, as lembranças não são boas. Assim que fechei o mosqueteiro, liguei a babá eletronica ao lado do bercinho e deixei a porta entre-aberta e fui para o quarto.

O que raios é sério o suficiente para Robin não ter dito de uma vez?

Robin


Estava no banheiro me preparando para deitar quando senti as mãos quentes de Regina em meu abdômen, prontamente tirei as mãos dela dali e saí do banheiro.

- O que você tem? - ela perguntou chateada. Coitada deve estar pensando mil e uma besteiras. - Poxa, vai continuar me evitando? - cruzou os braços.

- Não tenho nada, sente aqui, quero te contar uma coisa. E também pedir sua opinião. - falei segurando suas mãos.

- Fale de uma vez. - pediu se jogando na cama e abraçou o travesseiro.

- Marian saiu do apartamento, e por incrível que aparente, encontrou uma pessoa e não quer nos atrapalhar, palavras dela. - contei e os olhos dela brilharam mas sua feição era de desconfiança. - Sim, eu também estou surpreso.

- Você vem morar aqui, não vem? - se antecipou. - Porque se não vier, eu vou ficar muito chateada.

- Você quer? - perguntei debochando e ela riu. - Isso é um sim? Vamos Regina, seja mais clara.

- Claro que quero! Eu não perguntei em vão. - rolou os olhos. - Mas você vem mesmo? Não é uma pegadinha, porque se for… - coloquei o indicador em seus labios e me aproximei.

- Você fala demais. - tirei o dedo e dei um selinho rápido. - Se é isso que você quer, eu venho morar com você. - confessei e ela me abraçou, muito forte inclusive. - Gina, ta doendo. - alertei e ela gargalhou.

- Eu te amo tanto! - começou a distribuir vários beijos em todo o meu rosto. - Eu sou a mulher mais feliz da América. - continuou.

- E o meu presente? - toquei novamente no assunto e ela rolou os olhos. - Eu acho que mereço, não?

- Merece sim, mas no momento espero que se contente com um beijinho. - falou manhosa e encostou seus lábios devagar.

- Só um beijinho? - falei e ela puxou a alça da regata que usava para baixo. - Hum, a gatinha tem garras. - brinquei e ela sentou em meu colo.

- A gatinha tem várias coisas. - segurou meu rosto e senti a ponta de sua língua em meus lábios pedindo passagem.


Na manhã seguinte, eles acordaram deitados em conchinha, Regina abriu os olhos e se virou para o namorado, sua felicidade era palpável, ela acariciou seu rosto até que Robin abriu os olhos e a puxou para um beijo e, antes de se separarem completamente, Regina sorriu para ele e o abraçou.

- Dormiu bem? - o loiro perguntou.

- Muito bem. - ela respondeu e buscou sua regata que estava pendurada no abajur. - Só alguns pesadelos mas agora estou bem.

- O de sempre? - Robin sentou na cama de frente para ela, e Regina confirmou. - Mesmo não estando aqui, Daniel lhe atormenta.

- O que acha de começar a terapia que o médico recomendou um tempo atrás? - Mills perguntou receosa. - Eu não quero mais sonhar ou ter ele em meus pensamentos.

- Eu acho que já passou da hora. - disse sincero. - Eu não quero precisar me preocupar com isso nunca mais, nem quero que você se preocupe, e se agora se sente confortável para começar, eu lhe apoio com certeza.

- Então está decidido, vou marcar para uma consulta amanhã, só preciso conversar com o Gold. - comentou. - Falando em trabalho, precisamos levantar, já são quase 7:00 horas da manhã e tenho mil coisas para fazer, tenho certeza.

- Não esqueça de marcar o médico para ver se está tudo bem com você. - alertou e ela assentiu. - Vamos tomar banho? - propôs e os dois se levantaram.


Deixaram Roland na creche e o casal seguiu para o trabalho, chegando lá os dois foram recebidos com muitos sorrisos e os comentários dos outros colegas, Zelena foi a primeira a abordar o casal assim que eles chegaram em seu departamento.

- Foi eu quem pediu o casal juntos e felizes sim! - brincou enquanto os cumprimentava. - Que bicho te mordeu, Regina? Porque não veio trabalhar ontem?

- Longa história. - Robin falou e a ruiva franziu o cenho.

- Agora ele é quem fica sabendo da sua vida antes do resto das pessoas? - fez manha. - Obrigada, amiga. - reclamou e saiu batento os saltos pelo corredor.

- Sis! Depois eu conto. - falou mas a ruiva não parou de andar para longe. - Te amo! - tentou e Zelena mostrou o dedo do meio e foi para sua sala.

- Ela nem sente ciumes. - Robin brincou. - Bom trabalho. - se despediu da namorada com um selinho e voltou para o elevador.

Não demorou muito e Zelena retornou a sala de Regina e jogou uma pilha de planilhas na mesa da amiga e Mills tirou os óculos massageando o lugar onde o mesmo fica apoiado em seu nariz.

- As planilhas que você precisa passar para o arquivo até mais tarde. - explicou e sentou na cadeira a frente da morena. - Já pode falar agora. - disse praticamente ordenando.

- Sis, agora não dá, podemos falar no almoço? - pediu e Zelena fez uma careta. - Por favor, estou atolada aqui. - continuou e a moça levantou sem soltar uma palavra. - Até mais.


Assim que o relógio marcou o horário do almoço, Robin passou na sala dos amigos e os convidou para o café no outro lado da rua, para enfim contar o plano que ele tinha em mente, e precisaria da ajuda das pessoas mais próximas e íntimas de sua namorada.

- Acho bom ser uma coisa importante demais para me fazer abandonar meu almoço pra tomar um café. - Zelena disse mau-humorada.

- Então pessoal, eu pretendo viajar com a amiga de vocês no dia dos namorados, e por isso convoquei vocês aqui para me ajudar a enganar Regina e fazer uma surpresa para ela.

- Vai para onde? Espero que não seja Paris, é muito clichê. - Mary disparou e todos concordaram. - Um lugar perfeito seria Roma, ela sempre diz que a Italia é seu lugar favorito no mundo.

- Ela me contou isso, e sim Mary, você acertou, vou levar Regina para Roma. - Robin confirmou e todos aplaudiram.

- Está com dinheiro mesmo! - Killian brincou. - Mas onde a gente entre nessa história?

- Vocês vão cuidar para que ela não desconfie de nada, e sim precisam deixar ela o mais longe de mim possível. - Robin disse. - Emma e Mary preciso que vocês vão para algum lugar todos os dias depois do trabalho e deixem ela de fora. Killian e David, vocês vão cuidar de fazer Regina me odiar, ou ate mesmo vocês. - os rapazes deram risada, mas logo se calaram quando Robin mencionou que a amiga talvez os odiasse também. - Sim, vocês precisam cuidar de arrumar alguma coisa para deixar ela muito, muito brava comigo e com vocês, deixo a critério de vocês o que irão fazer, e Zel você cuida do Roland enquanto nós viajamos?

- Ainda bem que a minha amiga não vai me odiar. - a ruiva brincou. - Acho que isso é um pedido de desculpas por me manter de fora das novidades.

- Não foi, é que de todos aqui, o Roland só lhe conhece. - Robin brincou e Zelena jogou um biscoito no rapaz. - Não aguenta uma piadinha. - continuou e todos gargalharam.

- Então é isso. Vamos a obra. - Mary falou animada.

- Que obra? - Regina apareceu atrás de Zelena. - O que vocês estão aprontando? Robin. - Mills olhou para o namorado e ele deu de ombros. - Bom saber que agora vocês tem segredos. Zel, vamos conversar? - pegou a mão da amiga e as duas saíram dali.

- Ate mais tarde. - Robin falou e ela soltou um beijo no ar para o rapaz.

- Robin, ela já está te odiando. - Emma comentou rindo. - Mas é normal, ela é muito curiosa e isso com certeza irritou.


No final do dia Regina já desligava o computador quando avistou Robin saindo de sua sala com Killian e David, a morena olhou curiosa e o loiro nem olhou para o lado, Mills terminou de guardar suas coisas e seu telefone vibrou.

" Vou sair com os rapazes. Te amo."

Regina bufou e dessa vez o celular vibrou mais uma vez, a mulher olhou para o visor e o número era desconhecido, sem pensar duas vezes, a morena recusou a chamada e saiu da sala, trancando a porta atrás de si. Ela avistou Mary e Emma dentro do elevador com as portas quase completamente cerradas, Zelena já havia saído, Regina mordeu o canto interno da bochecha e apertou o botão do elevador; o mesmo numero ligou novamente e Regina bloqueou o número, porém, o telefone de sua sala começou a tocar incansavelmente, então ela decidiu voltar para ver quem diabos estava ligando.

- Regina Mills? - uma voz feminina falava.

- Sou eu. Quem fala? - a morena perguntou e ouviu o barulho de algumas sirenes, como se fosse de um hospital.

- Eu sou do Hospital Mercy, e estou ligando para informar que Cora Mills, acabou de dar entrada no nosso hospital. - aquela informação desistabilizou a moça imediatamente.

- Como assim? Já estou indo para aí agora mesmo! - falou preocupada. - Obrigada. - disse e colocou o telefone de volta no gancho e saiu disparada para o elevador.


Notas Finais


Me deixem saber o que vocês acharam do capítulo, por favor!
Minhas redes sociais: @merparrilla/ porqueanoite.

até a próxima 🌙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...