História Breakaway - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Personagens Cora (Mills), Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Sr. Gold (Rumplestiltskin), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Onceuponatime, Outlawqueen, Rainhamá, Regina, Robinhood, Romance, Series, Universoalternativo
Visualizações 171
Palavras 2.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sci-Fi, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha eu aqui de novo! Estranho nè.
mas cheguei a conclusão que não ia conseguir postar no sábado ( mais conhecido como amanhã) então resolvi postar hoje, já estava com ele pronto então... Porque não nè?
Obs: se os textos estiverem muito separados, a culpa é do spirit que estragou meu capítulo :(

Espero que gostem, e tem surpresinha no final do capítulo. 🌙

Capítulo 16 - Missão Roma: Parte 02


Fanfic / Fanfiction Breakaway - Capítulo 16 - Missão Roma: Parte 02

Quando estava a caminho do hospital que informaram que minha mãe estava internada, mil e uma coisas terríveis passaram em minha cabeça, a única coisa que pedi a Deus em uma oração silenciosa era para que minha mãe estivesse bem; dirigi como uma "barbeira" até a instituição e logo que adentrei a emergência, busquei saber onde ela estava e uma loira aguada afim de testar minha paciência mascava um chiclete lentamente, digitando na mesma velocidade - Juro que se não fosse tão educada, já teria arrancado aquela goma da boca dela - quando finalmente encontrou o registro de minha mãe, ela me informou e saí quase correndo para a área clínica do hospital, chegando lá ela estava sentada em uma poltrona tomando alguma medicação na veia, ela parecia péssima mas assim que me viu abriu um sorriso aliviado.

- Mamãe… - dei um abraço apertado nela. - Quer me matar do coração? - brinquei.

- É mais fácil eu morrer do que você, Regina. - falou e eu fiz uma careta. - É verdade, eu sou mais velha e com menos saúde, já você é bonita, jovem e saudável. - riu.

- Mas você ainda não me viu casar com Robin, não viu seus netos e, não vimos o julgamento do Daniel. - falei séria e ela concordou. - Vê, a senhora ainda tem muitas coisas para ver acontecer, então trate de cuidar da saúde.

- Minha pressão subiu um pouquinho demais, porque o filho do Victória Dolan quebrou todas as minhas rosas com aquela maldita bola. - bufou. - E você acredita que ela ainda colocou a culpa em mim? Cínica demais. - rolou os olhos.

- Mamãe! Você sabe que não pode se estressar demais. - a repreendi e ela fez um biquinho e rolou os olhos. - Não faça essa cara. Estou falando sério. - falei e ela riu. - Você é muito preciosa.

- Eu sei, você não vive sem mim. - zombou. - Mas entendo sua preocupação. - disse e pegou minha mão. - O seu cuidado é muito importante para mim. - apertou levemente. - Já disseram quando vou poder ir para casa?

- Daqui a pouco lhe dão alta. - respondi e meu telefone tocou. - Volto já.

Atendi o telefone e uma voz grossa falava baixo, tentei identificar o que a pessoa dizia mas não vi nenhuma coerência no que quem quer se seja estava falando. Indisposta a continuar com aquela palhaçada e voltar para minha mãe, finalizei a ligação e voltei para onde Cora estava.

Robin

Cheguei em casa com Roland e não vi um sinal de Regina no apartamento, liguei para ela mas não obtive resposta e ela simplesmente desligou. Mandei uma mensagem e deixei o celular na estante, levei meu filho para o quarto para dar um banho e depois colocar para dormir. Ainda tenho que comprar as passagens para Roma e escolher mil e uma coisas. Tomei uma ducha, peguei o notebook e coloquei as mãos na massa, Regina vai ter o melhor dia dos namorados e de quebra irei fazer um pedido importante.

Já era muito tarde quando ouvi o barulho da porta de entrada ser aberta, guardei tudo rápido e desci para a sala, era ela e estava com uma cara péssima; nem falei nada simplesmente lhe dei um abraço e a levei para o quarto, Regina tirou sua roupa e foi tomar banho, ainda em silêncio, só ouvi sua voz bem baixinho cantando uma música em português, não entendi muita coisa, mas resolvi esperar ela chegar direito para perguntar alguma coisa.

- Boa noite. - Mills se deitou ao meu lado. - Que cara é essa? - perguntei e ela respirou fundo.

- Minha mãe, estava com ela na emergência. Estou mortinha. - ela respondeu. - Mas não foi nada para se preocupar muito, minha mãe é teimosa, sua pressão subiu muito, e ela desmaiou. - se aconchegou em mim colocando suas pernas por dentro das minhas e fez carinho em meu peitoral.

- Quando foi isso? - perguntei e ela fez uma careta. - Não sou médium.

- Enquanto você e os meninos estavam na farra. - disse chateada. - Mas eu não quero discutir por isso, você tem o direito de se divertir e eu também.

- É… Nem eu quero discutir, vamos dormir, estou cansado e você também.

Dois dias depois…

Ja estava na hora do almoço e faltavam algumas horas para a viagem e Regina estava no trabalho, conversando com suas amigas, o plano de Robin de irritar a namorada não deu certo pois parece que os ultimos dias nada conseguia tirar a moça do sério, então ele ainda contava com uma ultima cartada; ele foi ate o banheiro com um batom de Alex e pediu para a colega passar nos lábios e deixar um beijo no colarinho dele, e mandou uma mensagem para a namorada vir até a cafeteria, Robin pegou o elevador com a moça e lá ele bagunçou a roupa deixando alguns amassados e a morena borrou um pouco o batom, e tirou algusn fios do coque que havia feito no cabelo, quando chegaram ao andar, saíram os dois do elevador e ele entrou em cena arrumando a camisa; Alex saiu se arrumando toda também e todos ficaram olhando os dois, principalmente Regina, que fuzilou os dois e saiu batendo os pés.

- Amor. - ele chamou e a morena parou. - Espere aí.

- Acho bom você ter uma explicação muito boa para eu não arrancar teus olhos fora. - falou se controlando. - Estou esperando.

- Primeiro ponto: Alex não fez nada, eu a beijei. - Regina começou a balançar a perna indicando seu nervoso. - Segundo ponto: Acho que estou gostando dela. - disse e a morena riu alto, mas logo uma lágrima escorreu.

- Certo, bem no dia dos namorados você faz isso. - Regina levantou. - Muito obrigada,  e feliz dia dos namorados. - Falou e entregou uma caixinha de veludo para ele e saiu andando.

Regina passou por Alex e a olhou de cima para baixo e seguiu seu caminho; todos sabiam o que estava acontecendo e o pessoal se preocupou, alguns riram da situação, não demorou muito e os amigos do casal apareceram na cafeteria e se sentaram numa mesa, arrastando Robin consigo.

- Ela está péssima, o que você fez? - Emma perguntou ansiosa e Robin virou o pescoço. - Oh… Você está na merda, Zelena ficou lá encima a consolando. - continuou.

- Eu sabia que só isso a deixaria furiosa. - falou segurando a caixinha que Regina havia lhe dado. - Mas agora estou com pena. Foi muito pesado. - o loiro disse e abriu a caixinha, encontrando um chaveiro prateado com três bonequinhos: um bebê, um homem e uma mulher. - Pessoal, eu estou muito arrependido, olhem só o que ela fez para mim. - tirou o chaveiro e mostrou para os amigos.

- Que fofinho! - Mary falou quando sentou ao lado de David. - Isso não se vende em qualquer lugar, provavelmente ela mandou fazer pra você, e ai nós aprontamos isso com a pobrezinha. - a morena riu fraco. - Ela está se acabando de chorar com a Zel.

- Eu preciso aguentar mais algumas horinhas, já conversei com Gold e pedi para liberar ela mais cedo, para dar tudo certo. - Robin baixou a cabeça e os amigos riram da situação.

- Não se preocupe, cara. - Killian falou. - Vai valer a pena.

- Só cuide para não precisar incluir outro bebê neste cheveiro. - Emma brincou e todos gargalharam.

Algumas poucas horas depois dali Robin viu a namorada sentada dentro da sala de Gold e foi ate ela, assim que saiu Mills olhou o loiro de cima a baixo e passou ao seu lado.

- Espere. - segurou o braço da moça. - Quero te contar uma coisa. Mas precisa ser lá embaixo. Já esta indo embora?

- Para quê quer saber? - perguntou ríspida. - Mas sim estou indo para casa. - disse e ele soltou seu braço e os dois seguiram andando.

Robin estava morrendo de medo da reação dela, mas tinha que mostrar que nada havia acontecido e não passou de um brincadeira. Então ao sair do elevador, todos os amigos que participaram da brincadeira estavam no saguão segurando alguns balões em formato de coração e então a morena o olhou confusa. Robin segurou sua mão e foram para mais perto; o loiro pegou uma caixinha discretamente nas mãos de Mary e voltou para perto da namorada.

- Robin o que esta acontecendo aqui? - ela perguntou com ar de riso.

- Bom, Alex foi uma cobaia, eu só pedi para que ela marcasse meu pescoço para poder te irritar de uma vez, afinal a senhorita tem a paciência de Jó, e para que você não desconfiasse do que eu planejei, todos eles ali são cúmplices, menos a Zelena; mas o propósito disso tudo é simples: eu queria saber se você quer casar comigo. - soltou e a morena arregalou os olhos. - Não vai responder? Vou facilitar sua resposta. Foi aqui que tudo começou, nesse saguão quando você esbarrou em mim à quase um ano, e dali eu percebi algo em você, que não havia em nenhuma outra mulher que já esteve comigo, e não foi o seu físico que modéstia parte também é maravilhoso, mas sim o seu interior, a sua forma única de lidar com as coisas, sua força para passar de cabeça erguida por tudo que aconteceu, seu amor por crianças e a forma que você cuida do nosso filho, claro que você tem seus defeitos, assim como eu, ninguém é perfeito, mas suas qualidades ssobrepuseram os defeitos, e em poucos tempo eu senti uma vontade incontrolável de lhe proteger de tudo e todos, de lá para cá foram muitos desafios, muitas felicidades, e claro algumas tristezas, porém, eu sei que você é o que eu estava esperando para completar minha vida; por isso eu pergunto mais uma vez, Regina Audrey Mills, quer casar comigo? - o loiro falou e a morena estava mais que emocionada o beijou respondendo a sua pergunta.

Todos que estavam ali apaludiram de felicidade menos uma pessoa, ele estava escondido ao lado de fora do prédio, vestido com um capuz e com roupas surradas, Daniel ficou mais um tempo olhando o casal comemorar o noivado e depois saiu andando furioso.

- Você é louco. - Regina falou enquanto Robin colocava o anel de compromisso novamente em seu dedo anelar. - Mas eu te amo assim mesmo.

- Ainda bem. - disse aliviado. - Mas ainda não acabou. - Mills olhou desconfiada mas o sorriso não saia de sei rosto. - Um passarinho vermelho me disse uma vez que você amava um lugar específico na Europa, e depois você mesma me contou que Roma era seu lugar favorito no planeta e que precisa ir lá antes de morrer. Que tipo de noivo eu sou se não realizar o sonho da minha Hepburn? - falou e a morena bateu palmas. - Então Regina, vamos passear ali rapidinho?

- Nem acredito. Meu Deus, claro que vamos Hood. - a morena falou distribuindo inumeros beijos no rosto do noivo.

- Então precisamos correr, falta uma hora para o voo. - ele alertou e Mills arregalou os olhos. - Vamos? - perguntou e a morena assentiu.

O casal se despediu dos amigos e foram direto para o carro, ao chegar em casa, Robin pegou as malas deles que já estavam prontas e foram direto para o aeroporto, Regina olhou para o noivo e seus olhos brilhavam de felicidade, enquanto aguardavam a chamada do voo, eles aproveitaram para conversar direito; Robin comprou um chá calmante para a morena, afinal Regina tem medo de altura e de aviões, e só conseguiria concluir a viagem ser ter uma crise de pânico, eles eram o típico "casal pombinhos" que não se soltaram um minuto, não demorou muito e eles ouviram a chamada para o voo.

- Roma que me aguarde. - Regina disse animada e os dois seguiram para o avião.

Daniel assistiu o avião do casal decolar e mandou uma mensagem para seus conhecidos.

" Os gatos saíram, hora dos ratinhos fazerem a festa."

- Eu disse que você é minha, e é isso que vai ser até o seu último suspiro. - falou baixo e saiu andando.


Notas Finais


He is baaaaaaaaaack para tristeza de muitos e alegria dos loucos!
Como estou sem nenhum meio de comunicação direta com vocês, me deixem saber o que vocês estão achando, pelo amor de Gaga.

🌙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...