História Breaking Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Paul, Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber, Kendall Jenner
Personagens Aaron Paul, Hailey Baldwin, Jeremy Bieber, Justin Bieber
Tags Aaron Paul, Hailey Baldwin, Justin Bieber
Visualizações 22
Palavras 2.909
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei!!

LEIAM AS NOTAS FINAIS, POR FAVOR!!

Sério, leiam as notas finais!

Capítulo 3 - The first command.



Fui andando pelo jardim de entrada séria. Passei pelos seguranças que abaixaram a cabeça ao me ver, creio que já devem saber. Abri as portas da enorme sala e me deparei com minha avó com o celular na mão chorando, e ao me ver cruzar a porta suspirou de alívio.
-Minha flor, onde esteve?- Minha avó veio correndo em minha direção e me abraçou com tanta força que estava prestes a me sufocar, mas era deste abraço que eu estava precisando e então, retribui da mesma forma.
-Eu sai de carro e fui para aquele Café, que eu sempre te levo que é bem calmo, lá eu pensei em tudo o que aconteceu, sobre o que iria acontecer e agora realmente somos só nós duas, não existe mais o papai pra nos proteger, não existe mais a  mamãe pra rir e me ajudar nas roupas, e agora não tem mais nenhum Baldwin, a não ser eu. -Disse sentando no sofá e colocando meus cotovelos no joelho sentindo as lágrimas voltarem- Agora, tudo é meu, eu vou ter que comandar o império. -Disse olhando para minha avó e percebi o quanto minhas palavras tinham chocado, fui realmente burra ao dizer aquilo naquela hora sem pensar em nada.
-Cale já esta boca Hailey! Nunca vou deixar que você se envolva com essas coisas, você é minha neta e não vai seguir os mesmos passos que seus pais, eu não vou aguentar viver sem você aqui em casa, não vou aguentar viver sabendo que você corre risco de vida e ainda mais longe de mim, sem poder te defender de absolutamente nada, eu nunca me perdoaria se alguma coisa acontecesse com você! -Eu já estava com meus olhos marejados, mas foi olhar para minha vó que eu desabei novamente, ela estava chorando, desesperada com toda aquela situação, a dor que ela sentia era clara. Eu não aguentava aquilo.- Eu nunca me perdoaria se eu simplesmente te perdesse como eu perdi minha filha! -Aquilo foi um "soco no estômago". Minha avó tinha sentado na poltrona chorando como nunca, levantei e abracei a perna da mesma como na minha infância quando sentia medo.
-Me desculpa, me desculpa por ser incapaz de tirar essa dor de você. Me desculpa por não conseguir defendê- la como sempre disse que iria. Me desculpa por dizer que vou cuidar do império sozinha e te colocar medo em relação a isso. Me desculpa por principalmente ser tão fraca e não ter palavras pra se quer tentar te confortar. Eu te prometo, hoje, aqui e agora, que por toda minha vida eu sempre estarei aqui indepedente do que me aconteça, você agora é minha prioridade! -Disse sem ao menos respirar de tantas lágrimas que escorriam sem controle, meu peito tinha voltado a arder, e mais uma vez eu estava sentada chorando, só que agora com quem eu mais amava nesse mundo, que era agora minha única esperança, minha avó. 
-Não se desculpe por nada, eu só te peço que seja forte comigo, eu preciso de você Hailey. -Minha avó passou as mãos no meu cabelo e se levantou da poltrona onde estava sentada.- Vá tomar um banho e relaxar, pense como nós iremos fazer a viagem para as Ilhas Whitsundays e cuide de quem você acha que deve ir conosco. -Ela finalizou antes de subir  as escadas e ir para o seu quarto.
  Permaneci sentada absorvendo tudo aquilo que ela havia falado e lembrei do que ela estava falando. "Ah, mas quando eu morrer eu quero ser cremado e que minhas cinzas sejam jogadas nas Ilhas Whitsundays" "Mas pai, você não vai morrer agora, você está lindão e novo!" "Eu sei que sou lindo, mas não precisa falar toda hora, não é?". Ri sozinha ao lembrar daquilo, esse era o desejo do meu pai, ser cremado e que suas cinzas fossem jogadas nesse lugar e eu creio que mamãe gostaria de acompanhar papai nessa também, então eu iria fazer tudo perfeito, como ele gostaria que fosse se estivesse aqui. Levantei e fui em direção as escadas e subi até meu quarto, onde entrei fechando a porta e deitando um pouco em minha cama e pensando em quem iria conosco.
-Mas antes um banho, né senhorita Hailey? -Disse em um tom alto e levantei da minha cama indo em direção ao banheiro e ligando a banheira. Voltei ao meu quarto ligando a TV e deixando em um canal de desenhos que eu amava, em um tom baixo deixei a mesma ligada sem ao menos estar prestando atenção. Voltei ao banheiro e prendi meu cabelo em coque, joguei sais na banheira e me despi entrando na mesma ficando com água até a altura do meu ombro, encostei minha nuca na banheira e senti meu corpo relaxar. Respirei fundo e pela primeira vez na minha vida eu não sabia exatamente nada do que aconteceria dali pra frente. Escutei a porta do meu quarto ser aberta e passos vindo em direção ao banheiro, três batidas na porta e uma doce voz invadiu meu banheiro.
-Minha flor? -Minha avó adentrou o banheiro e sentou na beirada da banheira me olhando.- Você não tomou café né? Se quiser tem lá em baixo... Jeremy me ligou pedindo pra que eu me arrumasse pra que ele pudesse vir me pegar para eu ir acompanhar a cremagem, você vem? -Minha avó já havia voltado a chorar e eu também.
-Não vó, eu não aguentaria ver isso, você precisa ir por mim! -Segurei sua mão que estava apoiada na banheira.- E vó, eu gosto do Jeremy, mas deixe ele de fora, quero que só você entre ok? -Disse olhando nos olhos de minha avó.
-Tudo bem... Eu vou me despedir deles por você! -Minha avó sorriu e se levantou indo até a porta.- Tem visita lá em baixo! -Ela fechou a porta e em seguida pude ouvir seus passos pra fora do quarto.
  Ri sozinha da minha avó que me deixou curiosa pra saber quem estava lá em baixo, mas meu corpo precisava daquele banho então fiquei mais vinte minutos na banheira e só sai porque a aguá começou a esfriar e meus dedos já estavam ficando enrrugados. Sai da banheira colocando meu roupão e indo em direção ao closet, onde peguei uma calça legging preta, um moletom cor creme que mostrava um pouco minha barriga e uma jaqueta um tom mais escuro que meu moletom, coloquei um tênis preto e coloquei meu óculos escuro voltando pro quarto e pegando meu celular, havia várias mensagens no mesmo, mas não olhei nenhuma, não estava no clima pra nada. Sai do meu quarto fechando o mesmo e fui em direção as escadas, ao chegar nos ultimos degraus escutei vozes femininas vindo da cozinha, ao chegar a sala principal reconheci a voz.
-Kendall! -Disse indo em direção a cozinha já segurando minhas lágrimas e ao entrar na cozinha lá estava Kendall conversando com minha avó. Kendall se virou ao ouvir meus passos e pulou da cadeira e me abraçou forte, muito forte.
-Eu sinto muito, muito mesmo. -Kendall já chorava. Ela amava meus pais como eles amavam ela também. Eles consideravam Kendall como uma segunda filha, pois cresci com elal, única amiga que eu confio de verdade, daria minha vida pela vida de Kendall, ela era realmente importante.- Eu vou sempre estar aqui pra você Hailey.
-Eu vou tentar superar isso e você vai me ajudar, certo? -Me afastei de Kendall pra que pudesse olhar em seus olhos.- Você irá comigo na mansão hoje, agora!
-Sim, eu irei! -Kendall sorriu e se sentou novamente onde estava voltando a me olhar.- Fazer o que lá? -Kendall havia dito o que minha avó queria saber, que já me olhava preocupada. 
-Eu vou te explicar no caminho, e vó, fique tranquila, ok? -Fui até minha avó beijando a testa da mesma. Antes que ela pudesse se manifestar, Jeremy adentrou a cozinha com seu óculos escuros.
-Bom dia, meninas, desculpe entrar sem avisar, mas, ninguém estava na sala e então... -Jeremy tirou seus óculos escuros e fitou minha avó e logo em seguida eu.- Eu sinto muito, Hailey e Christa por essa perda terrível, eu estou muito abalado por ter perdido meu grande amigo e não consigo acreditar desde que soube do que havia ocorrido. -Aquilo estava me matando, todas as pessoas que entrariam aqui me faziam lembrar o que meus pais estavam deixando pra trás. Jeremy sempre foi amigo do meu pai, trabalhou com meu pai desde o começo no tráfico da metanfetamina, digamos que Jeremy foi o braço esquerdo do meu pai sempre e eu gostava de Jeremy, sempre foi divertido e engraçado.
-Você veio buscar minha avó, certo? Meu pai não vai gostar nada da minha atitude, mas eu acho que só minha avó deveria entrar na sala na hora, você entende, não é? -Disse olhando para Jeremy que me fitava com um olhar triste, que ao escutar minhas palavras concordou e abaixou sua cabeça. Fui até minha avó e abracei a mesma o mais forte que pude. - Vai com Deus, minha loira. -Sorri e olhei para o Jeremy que ainda estava de cabeça baixa, fui até o mesmo dando um soco leve em seu ombro.- Estou indo a mansão, os meninos estão lá? -Parei ao lado do mesmo que me olhou.
-Estão sim gatinha, vai lá! -Jeremy deu uma piscadela para mim. Sai logo em seguida da cozinha.
-Hailey, o que houve, por que iremos na mansão? -Kendall tentava me acompanhar andando rápido.
-Você vai ver, confie em mim, é especial. -Disse parada olhando Kendall que me olhava sem entender nada, peguei minha bolsa no sofá e a chave do meu carro.- Deixa seu carro ai, vamos no meu! -Disse advinhando que Kendall já estaria tirando suas chaves do bolso. Abri as grandes portas e fui em direção a garagem e em seguida fui para meu carro, um Audi RS7 preto, adentrei o mesmo colocando o cinto e esperando Kendall entrar.
-Adorei seu carro, mas podia ser mais feminino né, Hay? Quem sabe uns detalhes roxos  nas rodas, ou nas lanternas, até nas portas, hein? -Kendall dizia empolgada. Eu amava isso nela, sabia que ela não estava nada bem quanto eu, mas tentava esquecer e me fazer rir.
-Não gosto de roxo, bobona! E eu escolhi preto para ser discreta, meus pais são os maiores traficantes desse país e eu filha deles ficar chamando atenção por aí, não cola né? -Ri olhando pra Kendall que desanimou ao me ouvir. -Mas então, vou te explicar o porque disso... Meu pai dizia que quando ele morresse ele queria ser cremado e que suas cinzas fossem jogadas em uma ilha na Austrália, como minha mãe sempre acompanhou meu pai nas suas escolhas os dois vão ser cremados e suas cinzas vão ser jogadas em um ponto da Ilha Whitsundays que tem um "coração" em pedras, lá é lindo, e como minha avó já cuidou da pior parte que são os corpos, porque nem a polícia nem a justiça pode saber, até porque eles fabricavam e vendiam cristal, eu quis cuidar dessa parte e para isso acontecer sem problemas eu preciso conversar com Justin, Chris e Ryan! -Disse enquanto dirigia e intercalava meu olhar entre Kendall e a rua.
-Ah, agora eu entendi! -Kendall sorriu animada e me olhou.- Será que eu posso ir? Quero te fazer companhia nessa hora! -Ri ao ouvir Kendall e olhei para mesma.
- Você é a primeira da lista de quem vai! 
  Fui dirigindo em direção a enorme mansão dos meus pais, seria meio óbvio que o quarteirão iria estar protegido por dezenas dos seguranças dos meus pais, que mesmo conhecendo o meu carro, me pararam para ter a garantia de que não havia ninguém querendo matar todo mundo. Parei o carro com três seguranças na frente do mesmo, e um do lado da minha janela, dando toquinhos no meu vidro. 
-Abaixei o vidro junto com meus óculos escuros e uma cara de tédio- Não conhece o meu carro? -Disse impaciente olhando para o segurança alto e moreno do outro lado do vidro.- 
-Desculpe, senhorita Hailey, são ordens do Sr. Jeremy, ele que está cuidando das coisas por aqui desde que... -Ele me olhou e abaixou a cabeça antes de terminar sua frase.- Me desculpe, senhorita. -O mesmo ergueu o olhar e deu um sinal com a cabeça para que os três seguranças na frente do meu carro saíssem do caminho.
-Tudo bem, permaneçam assim, quero a segurança de todos dentro dessa casa enquanto tudo se encaixa. -Subi o meu vidro e acelerei meu carro indo em direção ao enorme portão que eu tinha o controle, abrindo o mesmo e entrando logo em seguida na mansão, que como era esperado, lotado de seguranças.
-Uau, senhorita Hailey? E essa sua atitude de chefe? Amei! -Kendall disse enquanto ria e desprendia seu cinto.
-Eu sou a nova dona, tenho que começar agir como tal! -Desprendi o meu cinto e desci do carro pegando minha bolsa e andando pelo enorme jardim até a porta principal. Era nítido a tristeza naquele lugar, um clima totalmente pesado, com todos os seguranças sérios, mais sério do que o normal e eu não ouvia as risadas da minha mãe correndo para me abraçar, como sempre.
  Passei pelo jardim em passos rápidos, cheguei na porta principal e abri a mesma não encontrando nenhum dos garotos lá, resolvi subir direto para a sala de reunião, era onde eles costumavam se encontrar sempre. Fui subindo as escadas colocando meu óculos escuros no topo da minha cabeça, e quando fui chegando ao segundo andar pude ouvir vozes altas vindo da sala de reunião, acertei! Cheguei na porta da sala de reunião e respirei fundo antes de abrir a mesma, Kendall sorriu para mim e colocou a mão em meu ombro e então eu abri a porta e lá estavam todos eles: Tyga, Ryan, Chaz, Chris e Justin, que foi o primeiro a levantar ao me ver.
-Bom dia, garotos. -Disse adentrando a sala e colocando a minha bolsa no enorme sofá preto que ocupava a sala.- Vocês devem estar se perguntando o porque eu estou aqui sendo que eu deveria estar vendo meus pais serem cremados... Bom, é exatamente disso que eu vim tratar.. Porém eu gostaria de saber o que você está fazendo aqui, sendo que você só aparece quando precisamos de armamento? - Disse olhando para Brown, que me olhava através dos seus óculos escuros.
-Bom dia... Hailey, é, ele está aqui porque nós... Bem... - Chaz tentava me explicar totalmente nervoso, porém Justin ignorante como sempre o cortou. 
-Ele está aqui, porque nós vamos nos vingar dos filhos da puta que mataram seus pais hoje, na calada da noite, como eles fizeram. - Justin terminou sua frase e passou a língua entre os lábios umedecendo o mesmo. 
-Primeiro que vocês não irão fazer nada, até porque vocês não tem a mínima idéia de quem foi! -Disse me aproximando ainda mais da mesa em que Justin estava em pé logo atrás, ficando frente à frente com ele, com a mesa nos separando.- Você não dita as regras aqui Bieber, você tem que respeitar à mim e a minha avó nesse momento, não quero ninguém se ferindo ou morrendo, porque vocês podem ser as piores pessoas do mundo, mas agora são a minha família. -Disse olhando nos fundos dos olhos castanho de Justin.- São a MINHA equipe, e eu preciso de vocês e foi por isso que eu vim. -Justin me olhou sério e pude ver em seus olhos a vontade dele de me expulsar dali, mas ele continou sério e decidiu me ouvir-
-Respeito sua decisão. O que você precisa? -Justin havia cruzado os braços e travado o seu maxilar e me olhava sério, tão sério que me dava medo. 
-Sei que todas as viagens que vocês faziam a trabalho era você e Ryan que cuidavam. -Disse entercalando meu olhar entre Justin e Ryan, que me ouviam atentos.- E o desejo do meu pai ao morrer era ser cremado e que suas cinzas fossem jogadas em uma ilha na Austrália, Ilha Whitsundays para ser mais específica, e como eu sei que vocês podem cuidar de hotel, jatinho, segurança e tudo mais em minutos, venho pedir pra que vocês organizem essa viagem para amanhã. -Conclui minha frase e olhei para todos dentro da sala.
-Gata, você não pode ir mandando aqui só porque você quer ou porque seu pai... -Cortei Justin com uma risada e olhei séria para ele.
-Eu posso sim, porque quem comanda aqui agora não é você e nem o Jeremy, sou eu. -Andei até o sofá que estava minha bolsa e peguei a mesma colocando de volta meus óculos escuros.- Eu venho aqui novamente amanhã ás 9:00 em ponto, para podermos ir  para a Austrália. -Abri a porta e esperei Kendall, que me olhava com a boca aberta andando em minha direção, ao passar por mim olhei novamente para dentro da sala em que todos permaneciam me olhando.- Tenham um bom dia e nada de planos de vingança enquanto eu não permitir. -Fechei a porta atrás de mim e olhei para Kendall que continuava com a boca aberta. Suspirei cansada sentindo as lágrimas voltarem.-
-Você é demais! -Kendall disse em um tom baixo e me abraçando. Ela sabia que eu não estava nada bem com aquela situação toda, ter que me fingir de forte sem meus pais estava sendo uma tortura. E Isso só fazia horas.


Notas Finais


Boooom, aqui está mais um cap. e eu já queria pedir desculpas por essa demora... Estou tendo aulas e meus planos de postar depois que eu chegasse da escola, não deram certo, então vou tentar mudar a rotina de atualização... Obrigada por lerem e espero que gostem desssa nova fase Hailey, que mal começou e eu já gosto pakas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...