História Breaking Time - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Luta, Super Poderes
Exibições 2
Palavras 804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Super Power, Terror e Horror, Violência
Avisos: Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá... Boa leitura.<3

Capítulo 3 - Emboscada...


Eu acordo com uma luz forte e branca no meu rosto. Não conseguia ver quem era o maldito que fazia isso logo de manhã. Eu tentava tampar a luz com a minha mão... Mas no final era em vão. A pessoa tinha a intenção de me acordar. Eu tento me levantar mas novamente é em vão. 

-Você é mais duro do que pensava! Agora me fala! Quem te ajudou com esse plano- disse a pessoa que me mantia em um possível cárcere. 

-Eu já disse que não sei de nenhum plano!- Digo lembrando do que havia acontecido.

Era o pessoal da Guardians me torturando mais uma vez.

-Eu vou te torturar só mais uma vez... Não porque você não me diz... E sim porque eu quero.- disse o guarda.

Ele abre a minha boca e coloca minha língua pra fora. Eu não reajo... Já passei por isso uma vez. Então eu sinto, a energia passando pelo meu corpo. Queimando minha língua e torrando meus órgãos por dentro.

-Já chega!-escuto uma voz grossa e com um tom de seriedade.

O canalha retira o cabo da minha língua e me desamarra. Eu me levanto e faço continência sabia que era o General. 

- Vocês não se sentem envergonhados de fazer isso? Mais uma vez,criando planos falsos?-diz o general aumentando o seu tom de voz- soldado Ryan

O soldado que me torturava bate continência e diz:

-Sim senhor.

-Sente-se na cadeira-diz o General.

Ele se senta na cadeira. Olha para o General e começa a chorar. O General olha para mim e pede para me retirarem daquele lugar. Enquanto saía daquele lugar escuro e gélido escuto um barulho de tiro vindo atrás de mim. Eu sorrio. 

-Você tem sorte... O General nunca salvou alguém de uma tortura. Você deve ser especial.-diz o soldado à minha direita.

-Ou talvez ele tenha cansado de ver as pessoas sofrerem.-digo num tom confiante

- O General?-fala o soldado em meio à uma risada- o General tem fama de sem coração... Dizem que ele obrigou um homem matar seu próprio filho que tinha entregado segredos do nosso país para um país rival. Nunca foi confirmado...

Eu dou uma risada e acompanho os soldados até uma sala. A sala do detetive... De novo.

Eu entro na sala e lá está ele. Com aquele olhar bobo e aquele sorriso feio e frio de sempre. Eu me sento na cadeira e respiro fundo. Ele apóia os cutuvelos na mesa e fala:

-Tudo bem?-diz sorrindo

-Ah... Fora o fato de ser torturado. Tudo ótimo.- digo num tom sarcástico

-Pronta pra outra dose?-diz curioso

-Lá vamos nós mais uma vez... Aonde paramos mesmo?-Digo cansado.

-Você gastou muita energia... E dormiu na mão do Alan. -Disse ele

-Ah sim... Então... Eu acordei...

Dois meses antes

Acordei um pouco zonzo. Minha cabeça girava e eu não entedia o porquê daquilo acontecer. Eu me sento do lugar que estava e vejo o Alan.

-Ah! Você acordou! Fico feliz em te ver bem. -Diz ele num tom otimista

- O que aconteceu mesmo?-Pergunto confuso

Ele me explica a situação e as lembranças começam a voltar conforme ele me dizia. Eu olho para os meus braços pasmo.

-Quer dizer então... Que eu tenho poderes?-Grito confuso

-Não diria poderes... E sim habilidades mas... Chame do que quiser.-diz ele

Eu me levanto e vejo o buraco do tiro na minha perna. Mas sumiu. UE? Como assim? Ta bom né? Deve ser uma das minhas "habilidades".

-Aonde estão os meninos?-Pergunto

-Se comendo por aí...-Ele responde

-Vou procura-los- resmungo

Enquanto procuro os meninos vejo uma menina em cima do telhado de uma casa. Ela percebe meu olhar e começa a fugir. Eu corro em meio as vielas a seguindo. Por fim depois de muita correria ela desce de uma casa. 

-Por que está me seguindo?-Pergunta

-Por que me observava?-Retrucou

-Curiosidade...-Responde.

Ela começa a andar em direção a uma porta,eu tento a seguir quando escuto:

-Parado!

Eu olho em volta e vejo vários soldados com armas apontadas para mim. Eu levanto as mãos e me ajoelho. Um soldado chega do meu lado tentando me algemar. É quando eu lhe dou um soco e o seguro fazendo-o de escudo humano. Eles nem sequer pensam e logo atiram. Eu fecho os olhos e os tiros não me alcançam. Eu abro os olhos e vejo tudo em câmera lenta. As balas vinham em minha direção muito lentamente mas eu me movia normalmente. Eu me abaixo e p tempo volta ao normal atravessando umas as outras acertando outros soldados. Alguns restaram. Eles apontam as armas e atiram novamente. Mas o tempo não parou ou ficou em câmera lenta. As balas me acertaram. Só não faziam ferimentos. Eu rio.

-Eu sou um super humano! Eu sou um super...-Falo até sentir algo batendo na minha cabeça me fazendo desmaiar.

Dias atuais

-Posso sair agora?-Pergunto

O detetive assenti.

Eu saio da sala e vou para a minha cela. Aquilo me deixava com dor de cabeça... Antes que eu pudesse chegar a minha cela,sou jogado para trás. Caio do chão batendo a cabeça. Desmaiando... De novo.



Notas Finais


Obrigado por ler... ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...