História Breath of death - Interativa. - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Mourqueen

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Exibições 142
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção Científica, Fluffy, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, tudo bem?
Espero que sim!

Aí, vai o prólogo, nos vemos nas notas finais.

>.<

Capítulo 1 - Death suits you... - Teaser.


Fanfic / Fanfiction Breath of death - Interativa. - Capítulo 1 - Death suits you... - Teaser.

- Vamos querida, acorde! - implorava, ajoelhada, a mulher de cabelos verdes brilhantes e olhos negros como a noite, cheios de lágrimas. A garota com quem a mulher falava, aparentava estar inconsciente, na verdade, mais parecia estar dormindo profundamente, como se nunca mais fosse acordar. A mulher, suspirou pesadamente antes de se levantar, ainda com lágrimas nos olhos, ela olhou para a garota na cama: Cheia de fios ligados ao corpo, com uma máscara de oxigénio em seu rosto, gases enroladas na cabeça com algumas gotas de sangue seco e um monitor polar indicando os baixos batimentos cardíacos da garota. 

 

- Sra. Yamanaka? - um homem com avental de médico entrou no quarto, com um prancheta nas mãos. A mulher de cabelos verdes, enxugou as lágrimas que caiam em seu rosto, rapidamente, em uma maneira de esconder que estava chorando e se levantou, ficando de costas para o médico. Ao se virar, ela sorriu para ele. O médico sorriu com pena para a Sra. Yamanaka.

 

 

- Sim, médico Thomas? - perguntou a esverdeada com a voz meio falha. O homem se aproximou da mulher e da cama do hospital, ainda com a prancheta nas mãos. Ele observou juntamente com a Sra. Yamanaka a garota que estava na cama. O médico suspirou e colocou a mão no ombro da senhora, numa maneira de conforta-la. - Ah, e por favor, me chame de Nami. 

 

 

- Eu sei que você gostaria de passar mais tempo com sua filha, já que é o aniversário de dezesseis anos dela, mas o horário de visita já acabou e preciso falar com você, Nami. - falou o homem olhando para a esverdeada, com um olhar compreensivo. Nami, a mãe da garota inconsciente, suspirou e olhou para sua pequena filhinha. “Ela está tão linda…” Os cabelos da garota eram castanhos, brilhantes e sedosos, iguais os de sua mãe, mas a diferença do cabelo de Nami para o de sua filha, era que o cabelo era curto e as pontas eram bem repicadas. Os olhos da garota estavam fechadas, mas sua mãe se lembrava de como seus olhos eram de cor violeta. A mulher assentiu, beijou a testa de sua filha e os dois saíram pela porta.

 

 

- Bom, Nami… - começou o médico, fazendo a mulher se preocupar. - A Hana, sua filha não tem risco de morte, por sorte, a batida na cabeça fraturou o crânio, mas não aponto de mata-la. - disse o homem, fazendo Nami suspirar aliviada, como se estivesse liberando um peso que estava em suas costas - Mas…

 

 

- “Mas” o que?- perguntou a mulher ficando exasperada novamente, com os olhos arregalados. O médico suspirou e virou a cara, colocando as mãos atrás do pescoço, fazendo a mulher ficar com um expressão raivosa e bater os pés. Ela podia muito bem força-lo a dizer a ela, afinal, ela era a mãe de Hana. - Diga logo!

 

 

- Ela talvez não acorde nunca mais… Sinto muito. - disse o homem, fazendo a mulher soltar um ofego surpreso, colocando as mãos na boca, sentindo mais lágrimas deslizarem em seu rosto.

 

 

 

 

 

—————Breath of death—————

 

 

 

- Senhor, poderia me ajudar…? - antes que ela pudesse falar mais alguma coisa, o homem atravessou seu corpo transparente e frio. A garota suspirou, era sempre assim, eles nunca a ouviam e nem mesmo, a viam. “Eu já devia me acostumar, é sempre assim, mesmo depois de dois anos…”  pensou a garota de cabelos verdes. Ela sempre tentava pedir ajuda, mas sempre que falava alguma coisa, ninguém lhe via ou lhe ouvia, além de sempre atravessarem por seu corpo, como se ela fosse invisível. Ela deveria desistir, mas ela precisava saber, quem era ela? Qual era seu nome? E quantos anos tinha? Ela não sabia de nada, nem mesmo de onde estava, e precisava de ajuda para saber, mas como sempre, ninguém lhe via. Ela deveria desistir, iria ficar assim para sempre e não tinha nada que ela pudesse fazer.

 

 

- Eu deveria desistir, afinal, nunca irão me ver mesmo… - disse a garota de cabelos castanhos brilhantes e sedosos, com várias madeixas soltas pelos fios, e com olhos roxos. Uma brisa gélida forte passou por ela, enquanto as pessoas na rua atravessavam seu corpo, fazendo a garota suspirar, se virar e começar a andar na ruas frias. Ela andava de um jeito devagar, de uma maneira meio perdida… - É inútil…


Notas Finais


Bom, o link da ficha está aqui em baixo. Nós vemos nos comentários.
https://spiritfanfics.com/perfil/na2003na/jornal/regras-fichas-e-explicacoes-7167944


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...