História Breathe - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 51
Palavras 1.026
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Glory Days!



Oi, olá

Capítulo 47 - Capítulo 46: Vai ser um desastre.


Sophie PDV


Eu com certeza odiava ser acordada daquela forma. Para piorar, nem foi por uma boa razão.

Dormia tranquilamente com metade do corpo para fora da cama quando Jayden me desperta dizendo que minha mãe estava ao telefone, querendo falar comigo. Obviamente, digo a ele para a mulher ligar mais tarde.

Poxa, era sábado!

— Sophie, vamos, sua mãe quer conversar. — Ele diz gentilmente, me balançando.

— Que saco! — Jogo os lençóis pro lado e pego o telefone da sua mão. — Diga, mãe. — Falo no tom mais irritado e impaciente que consigo.

Nossa, bom dia pra você também querida. — Olho para Jayden, bufando.

— Eu estava dormindo — Reviro os olhos. — e, você me acordou. O que quer? — Debbie ri e aquilo me irrita ainda mais, quase fazendo-me jogar o telefone em Jayden.

Enfim, irei ignorar seu tom bravinho — Diz Debbie. — Seu pai e eu convidamos os Carter para passar a tarde conosco, eles irão almoçar com a gente e depois nos fazer companhia. Seu pai sugeriu que você e Jay viessem ficar com a gente, vai ser divertido.

Parei de raciocinar quando a mulher disse Carter.

— Ahm — Olho para Jayden. Meu noivo percebe que minha expressão tinha se suavizado de repente, por isso me olhava com curiosidade. —, Jayden e eu tínhamos combinado de passar o dia juntos, no parque, com Sam e...

Oh, traga Sam junto! Os gêmeos vão adorá-lo.

Debbie realmente não sabia a hora de parar, percebo, trincando os dentes e me controlando para não ser mais tão rude com minha mãe.

— Mamãe, olhe, nós realmente precisamos disso, O.k.? Nós não passamos um final de semana juntos e sozinhos tem quase um mês, será que você pode respeitar isso? — Jayden se senta na cama, como se compreendesse do que se tratava.

Então você acha que não podem aproveitar aqui também? Sophie, pergunte a Jayden o que ele quer. O convite também é destinado a ele. — Sinto meu sangue ferver. Agora ela havia pegado pesado! Usar Jayden naquilo era mais do que injusto!

— Minha mãe nos convidou para ir passar o dia com ela e uma família amiga deles — Quase recuo ao me lembrar da garota, mas me mantenho neutra. — O que você acha? — Pergunto à ele.

Diga e ele que Tim trabalha com seu pai. — Debbie praticamente ordena.

— Você não... — Rosno ao telefone. — Você não está sendo justa.

Justa? Só quero passar o final de semana com a minha filha e meu genro, querida. — Seu tom era tão doce que quase vomito.

— Tim está trabalhando com A.D, por isso papai convidou ele e a família para irem à mansão... — Jay assente, pensativo. — Só vamos se você quiser ir. — Digo, esperando que aquilo surgisse o efeito necessário.

— Bom — Jayden passa a mão na cabeça. —, acho que seria bom irmos, amor. Seu pai estava precisando de umas dicas de um advogado, acho que por isso nos convidou. E também, gosto de passar um tempo com seus pais.

Eu havia perdido.

— Jayden e eu vamos ir. — Digo a mulher e não espero uma resposta, apenas encerro a ligação, escondendo o telefone embaixo do travesseiro.

— Sophie — Jayden estranha a forma com que eu ajo, mas eu não tento fingir algo. Estava cansada demais. — O que está havendo com você? — Ele acaricia meu rosto. — Você anda distante dos seus pais, agindo como se algo ruim estivesse acontecendo. É o casamento? Você...

— Não — Minto, baixando a cabeça. — Só me sinto pressionada, amor.

— Por quem? Por mim? Sophie, tudo o que quero é que fiquemos bem, sabe disso não é? — Ele puxa meu rosto até colar nossas testas. — Te amo mais que tudo, amor.

Engulo o caroço que se instala em minha garganta. O pior naquilo tudo era ter que mentir pra alguém que me fazia tanto bem. Como um dia poderia dizer a aqueles olhos que não o amava mais da mesma forma? Algo dentro de mim havia mudado, ou melhor, se libertado. Aquele sentimento que há muito tempo era visto por mim como vergonha, agora parecia tão descontrolado e instável.

Eu amava Jayden, sabia disso, mas não o amor recíproco ao que ele sentia. Ultimamente, sempre que tentava dar forma ao que se movia dentro de mim, via o rosto de Erin projetado em cada canto. Os olhos divertidos e sagazes. O sorriso irônico e que sempre tentava tirar algo de mim. Aquela garota parecia ser a única coisa capaz de me animar agora.

Em pensar que a única coisa que eu conseguia fazer agora era afastá-la.

— Sophie — Jayden me desperta dos pensamentos. —, você não disse nada, eu...

— Desculpe amor — O afasto gentilmente. — Eu... — Sorrio um sorriso trêmulo. — também amo você. — Ele sorri de uma forma aliviada.

— Ótimo — Beija meus lábios e se ergue. — Vamos tomar café? — Olho em direção a janela.

Fazia um lindo sábado de sol.

Sabia que Erin estaria lá, na casa dos meus pais. Mesmo que a garota não fizesse o tipo de pessoa a quem frequentava esse tipo de encontro, eu sabia que ela era muito família. Se não fosse por vontade própria, iria por obrigação. Não era como se eu não quisesse vê-la, era exatamente o contrário, mas era isso que me assustava. O fato de querer tanto vê-la que não podia me dar ao luxo de deixar transparecer isso.

Ergo-me.

— Podemos ir só à tarde? — Pergunto enquanto o abraço pela cintura.

— Claro, amor — Ele beija o topo da minha cabeça. — Quer fazer o que após o café? — Inalo seu cheiro. Antigamente, costumava amar aquilo, era tão forte, almiscarado e másculo, mas, agora me sentia amedrontada por aquele aroma. Fazia-me temer todos aqueles sentimentos dentro de mim.

— Podemos passar a manhã no centro — Sugiro me afastando e entrelaçando minhas mãos a dele. — O que acha? — Ele parece finalmente contente, o que só piora tudo para mim. Não gosto de fazê-lo se sentir assim, pois vê-lo feliz sempre me lembrava o quanto eu não estava feliz. Parecia que tudo estava bem, enquanto dentro de mim... era bem diferente.

Sabia que usá-lo para esconder meus sentimentos não era justo, mas naquele momento, eu tinha minhas outras preocupações. Como sobreviver um dia inteiro com Erin e meu noivo no mesmo ambiente.

Vai ser um desastre.

 


Notas Finais


vai ser no minimo interessante

ou n haushaushau

pobre sophie


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...