História Breathe - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 56
Palavras 1.002
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Parece q um trator passou por cima de mim. Odeio esse calor!

Enfim, em resposta aos comentários do cap anterior:::::::: n se iludam pipols, a vida não é um mar de crisântemos -'

to zoando

ou n

Capítulo 51 - Capítulo 50: Seja homem pelo menos uma vez!


Sophie PDV


— Jayden, será que você pode me ouvir, por favor? — Imploro novamente, já cansada de tentar conversar com ele.

— Tô atrasado — Passa por mim na porta do banheiro, sem nem me olhar nos olhos. — Será que podemos conversar a noite? — Pergunta parado em frente ao espelho. Eu suspiro revirando os olhos.

― Jayden, é domingo!

― É trabalho, Sophie. Eu não escolho dia. ― Seu tom parece entediado. ― Conversaremos a noite.

― Não, não conversaremos ― Cruzo os braços, encarando-o com raiva. — Você vai fazer a mesma coisa que vem fazendo há dois dias — Resmungo. — Jayden, já tô cansada, O.k.? Encare pelo menos uma vez na sua vida uma conversa nossa. Como um homem. — Ele congela. Posso ver seu reflexo no espelho. Seu rosto enrubesce e ele cerra os punhos.

— O que deu em você, hein?! — Vira pra me olhar, furioso. — Deu pra me atacar agora?! Sophie, você por acaso está cansada do nosso relacionamento?!

— Não — Digo em um tom baixo e controlado. —, mas sim do que você está o tornando.

— Agora a culpa é minha? — Ele ri sarcasticamente. — Quer saber? Não vamos ter essa conversa agora. Realmente tenho mais coisas para me preocupar do que esses seus chiliques. — Puxa a pasta sobre a mesa e passa por mim com passos longos e rápidos.

― Chiliques?! ― Repito, incrédula.

― É isso que você está fazendo. ― Começa a descer os degraus dois por vez.

— Jayden! — O sigo escada a baixo.

— Sophie, não! — Grita atravessando a sala.

— Um dia nós vamos ter que conversar.

— Quando você relaxar e entender que pensamos igual. Nós nos amamos e você só ta entrando em parafuso. Quando você perceber que não sou seu inimigo, aí sim iremos conversar! — Abre a porta e me olha uma última vez.

— Você nunca vai ser homem suficiente, não é? — Pergunto o encarando.

— Meu Deus, Sophie. — Diz uma última vez e sai, batendo a porta com força.

Parte de mim quer segui-lo, insistir no assunto, sentar e conversar como um casal adulto. Só que eu conhecia Jayden melhor do que ele mesmo. No fundo eu sabia que essa viagem ao lago viria a calhar. Daria um tempo para pensarmos melhor nisso tudo. Talvez seja realmente melhor repensarmos esse negócio de casamento. Quanto mais convivíamos como um casal, mais eu o via com clareza.

Vínhamos discutindo tanto ultimamente, que só em saber que passaria uns dias longe, já me relaxava. O grande motivo de nossas discussões eram os horários apertados que tínhamos. Ele ficava noites preso no escritório e não gostava do fato de eu reclamar disso e, agora que resolvi tocar nesse assunto, começamos a brigar ― novamente ―, resultando nele fugindo ― novamente.

Fecho os olhos com força e sou inundada por pensamentos. Havia se tornado corriqueiro meus pensamentos destinados a aquela garota petulante. Desde que Erin e eu havíamos nos beijado, eu pensava nela quase 24h por dia. Seu sorriso, seus lábios, aquele seu cheiro...

No fundo eu só queria pegar meu carro e dirigir até ela. Puxá-la pelos cabelos e levá-la até o lugar mais longe possível. Fazia dias que não ficávamos a sós ou conversávamos de verdade. Sempre que eu a via ou ela estava com algum amigo ou estávamos em público. Essa viagem seria perfeita para sentarmos e conversar. Sobre tudo, se possível.

Sinto algo tremer em meu bolso. Provavelmente Zoe querendo conversar sobre o passeio. Atendo a ligação enquanto refaço meu caminho até o quarto.

— Já disse a você que não precisa levar saco de dormir — Ela ri alto. — É sério.

Eu sei, Nick me convenceu que eu passaria vergonha na frente dos alunos — Ela diz. — E aí, conversou com Jayden? — Eu suspiro e me jogo em minha cama.

— O que você acha? — Rio.

Que seu noivo tem medo de levar um pé na bunda — Fala com sinceridade. — Mas convenhamos, você anda bem estranha ultimamente. Distraída, olhando pro nada como se procurasse por algo. — Reviro os olhos e sorrio.

— Impressão sua. — Desvio.

Me engana que eu gosto, Depardieu! — Eu rio da sua insistência. — Vamos, me conte, por favor — Pede Zoe. — Prometo que não conto a ninguém.

— Contar o que, Z? Não tenho nada pra contar! — Gargalho.

Você não confia em mim? — Pergunta, mudando o tom. Sinto logo que a conversa estava ficando muito séria. Dependendo de seus argumentos, talvez eu nem conseguisse escapar dali.

— Confio, boba — Rio tentando soar brincalhona. —, mas não há o que contar e, se tivesse, pode ter certeza que você seria a primeira a saber.

Jura?

— Juro — Sorrio. — Agora preciso desligar e arrumar minhas malas que amanhã temos uma longa viagem pela frente.

Tudo bem — Ela diz e suspira. — Ah, e boa sorte com o terceiro ano amanhã!

— O quê? Por quê? — Pergunto sem pensar.

É a turma mais bagunceira em viagens — Ela diz lentamente, como se começasse a estranhar meu tom assustado de voz. — Qual o problema? Tem medo de viagens com adolescentes? — Ri levemente.

— Um pouco — Minto. — De qualquer forma, obrigada.

De nada anjo, até amanhã... — Faço menção de desligar, mas escuto seu grito. — Espera!

— Que foi Zoe? — Pergunto aos risos.

Vamos juntas amanhã? Um carro só pra ficar no estacionamento — Explica. — O que você acha Sophie? Facilitaria pra nós duas. — Não demoro a pensar, ela tinha razão.

— Claro. Ótima ideia. Você vem me buscar? — Me ergo da cama e saio do quarto.

Uhum. Passo ai as sete e quarenta. — E encerra a ligação.

Suspiro logo me sentindo sozinha. Era domingo e Jayden simplesmente fugiu de mim para o trabalho, o que era um tanto irônico já que nossa discussão girava exatamente entorno disso. Ele sempre fugia da discussão “trabalho” para o seu trabalho.

Eu já havia conversado com ele sobre a viagem amanhã e o mesmo até pareceu aliviado. Para ele, desde que não tivéssemos aquela conversa, estava tudo bem. Mas ele me conhecia e sabia que uma hora teria que encarar aquela conversa e, quanto mais tempo levasse, mais queixas acumulariam e, sedo ou tarde, eu iria explodir e cuspir tudo encima dele.


Notas Finais


eu n falei q ia ser leve

preparem os gilete q os proximos caps serão bad

zoera

n, é sério, melhor prevenir hasuahuas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...