História Breathe Me - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 921
Palavras 1.102
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - Only dreams... Nightmares


Fanfic / Fanfiction Breathe Me - Capítulo 27 - Only dreams... Nightmares

- Justin, para. Vamos embora – Brooke me puxou e eu sai encarando o Jackie por alguns instantes.

Ele não contestou minha quase ordem, espero que ele fique longe dela.

- O que foi aquilo?

- Aquilo o que? – perguntei

- Aquele chilique.

- Não foi chilique.

- Ciúmes?

- Talvez.

- Talvez?

- Sim, tenho que cuidar do que é meu.

- Então eu sou sua?

- Sim, completamente. – sorri para ela

- Justin, Jackie é só amigo, ele é meu amigo, não precisa disso.

- Claro que precisa. Jackie é um cara irritante, conheço ele há um tempo. E sei que ele está começando a sentir algo por você que não é o sentimento de amizade.

- Para de paranóia.

- Não é paranóia minha, é real. Você, por exemplo, não percebe quando uma pessoa está te olhando com outros olhos, te amando. Mas já as outras conseguem. Acho que a Mandie já notou isso, pergunte a ela.

- Isso não tem cabimento

- É, claro que tem. Como eu acabei de dizer: Você não percebe quando a pessoa tá te amando, já as outras percebem quando uma certa pessoa está gostando de outra. Não se faça de trouxa. Mas dependendo de mim, Jackie não vai se aproximar de você para alimentar o amor dele – eu ri – .Vou fazer de tudo para ele ficar longe de você. Você é minha e de mais ninguém.

[...]

“Vou fazer de tudo para ele ficar longe de você. Você é minha e de mais ninguém.”

Aquelas palavras ficaram gravadas na minha cabeça, eu ainda não estava acreditando naquilo e nem no que ele disse sobre o Jackie estar gostando de mim, tipo, me amando. Eu acho que Jackie não me ama, não mesmo.

Após eu terminar de fazer um trabalho de biologia eu me joguei na cama para dormir um pouco. Eu estava precisando dormir.

[...]

“Serial Killer ataca em plena luz do dia.

Nesta tarde foi encontrado corpo de Raven Jones, jovem de 16 anos estudante da escola Nepean High School. Seu corpo foi encontrado as beiras da estrada ON-416 S no mesmo estado que os corpos  das outras garotas também encontradas mortas na cidade de Ottawa. A garota sumiu após sair da escola,  amigos disseram que ela foi  sozinha até um pequeno mercado e não voltou mais.”

Flashes vinham na minha cabeça, as meninas correndo por uma floresta desesperadas com um louca atrás delas.

Lágrimas, desespero, medo, sangue.

 Todas sendo mortas de maneiras brutais e mesmo depois de mortas sofrem violação. Depois de mais um flash eu me vi sair de trás de uma caçamba de lixo e ir sair andando por um beco escuro, o mesmo local onde eu sonhava que estava sendo perseguida. Mais um flash e eu me vi correndo em uma floresta, a mesma que os flashes que eu via das meninas correndo e dessa vez era eu que estava correndo desesperadamente. Cansada, com dores e alguns arranhões eu estava. Eu corria e olhava em todas as direções procurando o homem que estava me fazendo correr daquele jeito.

Eu queria viver.

De repente eu me choco contra uma superfície, ou melhor, um homem. Cai ao chão, tentei me levantar, mas o homem com o pé me empurrou de volta para o chão. Eu gritei: “ME DEIXA EM PAZ”, ele riu e disse: “Todas imploram por isso. E todas morrem.”

- BROOKE, ACORDA! – me senti sendo balançada a pós ouvir uma pessoa gritar comigo. Me despertei daquele sonho, ou pesadelo.

- Por que grita tanto comigo?

- Você estava sonhando, tendo pesadelo.

“A pericia nos informou que ela foi morta durante o dia e ficou a beira da estrada por cerca de uma hora até ser encontrada por um motorista.” – a moça do tele jornal falava

- Quem foi morta?

- Uma tal de Raven Jones, foi encontrada morta, provavelmente foi aquele maluco. – Eu estava meio zonza e lenta, não sabia o que estava acontecendo

- Por que você está soando frio?

- Você estava tendo pesadelos, estava soando, gritando, se debatendo e seus olhos estavam entre abertos. Você está me preocupando com esses seus pesadelos. Não é a primeira vez que eu te vejo assim.

- Eu estou bem. Acabei de me lembrar, tenho que ir para casa do Justin hoje. – me levantei do sofá e fui correndo para o meu quarto, olhei pela janela do mesmo e percebi que já estava escuro. Que horas eram?

Tomei banho, vesti uma calça jeans escura, uma blusa de manga comprida branca, coloquei uma jaqueta de couro e calcei meu all star e peguei minha mochila. Desci as escadas correndo e disse para a Julie que estava no sofá.

- Vou ir  para casa do Justin e não vou voltar hoje.

- Você vai ir sozinha? VOCÊ É DOIDA, BROOKE? TEM UM SERIAL KILLER A SOLTA QUE GOSTA DE MATAR MULHERES.

- Não vai acontecer nada comigo.

Sai de casa antes que Julie falasse mais alguma coisa, estava frio, me abracei ao sentir o vento gelado em meu rosto, mesmo usando uma jaqueta eu estava sentindo um pouco de frio. Eu não tinha dinheiro para pagar um taxi então resolvi pegar ônibus mesmo. Peguei o ônibus que ia em direção a onde o Justin morava.

Minutos depois eu já estava virando a esquina perto onde Justin morava, quando eu cheguei lá o encontrei do lado de fora com as mãos no bolso. Ele estava perfeito como sempre, a luz do porte que ficava ao lado da porta da Mecânica o iluminava. Justin usava uma touca cinza, camisa  cola v branca, uma calça jeans e estava de meia, eu ri desse pequeno detalhe.

- Você não está sentindo frio? E por que você está de meias?

- Oi, eu estou bem e você? – eu ri dele

- Estou bem também.

- Vamos entrar, aqui fora está fazendo frio.

- Justin. – o chamei

- Sim – se virou para mim.

- Eu sonhei de novo...Com o homem que me perseguia...E dessa vez o sonho foi diferente e...Em outro lugar. Eu estou com medo. Minha irmã me acordou do pesadelo.

Mas, espera, como eu fui parar no sofá sendo que eu dormi na minha cama?

- E eu dormi na cama e acordei no sofá. – acrescentei

- Você é sonâmbula?

- Nunca tive sonambulismo

- Calma, Brooke. São só sonhos...Pesadelos. E eles não se realizam, não neste mundo. Não importa se é bom ou ruim. Ah, mudando de assunto, eu tenho uma coisa para te contar.

- Conte.

- Eu decidi ir até o presídio fazer uma visita pro meu...pai, amanhã eu vou, se der.


Notas Finais


Esse capítulo não ficou legal como eu queria e estou arrumando um jeito de falar para vocês quem é o assassino, tenho que encaixar isso em algum capítulo. Eu queria uma cena mais romantica entre Justin e Brooke nesse capítulo, mas não consegui, não consigo escrever isso zzzz. Quero comenários e favoritos u.u.
Leiam Stalker > http://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-justin-bieber-stalker-1868179 favoritem e comentem pls.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...