História Breathe Me - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 750
Palavras 958
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não achei gif bom ai decidi colocar esse de "A Entidade", esse filme é muito zzz, mas gosto dessa parte ai. Desculpem-me o capítulo pequeno, mas o próximo é até grandinho, eu acho fhgdgfgh.
Boa leitura!

Capítulo 33 - The killer?


Fanfic / Fanfiction Breathe Me - Capítulo 33 - The killer?

O homem levou a garota desacordada nos braços, um pouco de sangue saia de sua nuca, mas nada que a mate... Agora. Daqui há poucos minutos aquela garota iria implorar para ficar viva, ela não parecia ser valente, mas também não seria muito medrosa. A figura mascula chegou ao ponto da mata que queria e deixou a a garota no chão, ele esperaria ela acordar para a brincadeira começar. Ele respirou fundo e saiu dali cantarolando uma música que tinha ouvido na rádio mais cedo. 

Quinze minutos depois a garota acordou, estava confusa, com frio e medo. Hilary se lembrava do que aquele belo garoto tinha falado pra ela. Ela sabia agora que ele era um assassino e sabia que morreria ali, morreria pelas mãos dele. 

- A bela adormecida acordou - ela ouviu a voz ao longe que antes era tão atraente e causava tesão agora causa medo, pavor.  - Agora vamos brincar. - a voz  que antes estava longe agora sussurrava no ouvido. - Eu disse que iriamos fazer farias coisas. Essa é uma surpresa pra você, vadia.

- Não me chama de... - a figura mascula não deixou ela terminar.

- Não te chamar de que? De vadia? Mas você é uma vadia. Tem cara de anjo, mas apetite sexual de um demônio.  

- Por que você faz isso? O que eu fiz pra você?

- Essa segunda pergunta: O que eu fiz pra você? - repetiu - Sempre me perguntam isso. - aproveitando a desleixo do assassino, Hilary que de burra não tinha quase nada, empurrou o homem e pegou o facão que ele segurava nas mãos. Com força ela conseguiu retirar o facão das mãos do homem e desferiu um golpe no braço, no rosto e na perna, após fazer isso saiu correndo com o facão na mão. Ela sentia que o assassino corria atrás dela, mas não olhou para trás. Hilary nem sabia para onde estava indo, ela não sabia onde acabava aquela mata densa, não sabia onde estava uma rua ou estrada, mas ela persistia. Mesmo bêbada e cabaleando um pouco. Ela teve sorte de lesionar o serial killer na perna, assim ela ganharia distancia dele mesmo nas condições que estava. 

O homem que corria atrás dela tirou um canivete de sua roupa, parou de correr e o mirou na perna da moça, ele tinha vantagem em ela não olhar pra trás, ela não iria saber onde ele estava e o que estava fazendo, após mirar bem ele lançou o canivete em direção a perna esquerda e o canivete pegou em cheio. Um sorriso apareceu em seus lábios ao ver sua mira perfeita e a moça gritar caindo no chão. A vádia estava perto de conseguir ir pra estrada, essa estrada não era a rua na qual eles foram para aquele lugar, mas era uma via para ela se livrar dele. 

Hilary se arrastava no chão ainda com o facão na mão e o homem andava devagar em sua direção. Oh Deus! O barulho de suas botas no chão cheio de galhos e folhas secas a deixava mais nervosa. Aquilo era desesperador. 

- SOCORRO! - ela gritou e tirou o canivete que estava fincado em sua pele.

- Grite e grite, ninguém vai te escutar. - o homem ia para tocar nela quando ela se virou tentando desferir mais golpes na pessoa monstruosa, mas foi impedida, ele tirou a arma das mãos de Hilary e fincou a ponta do facão em seu pescoço e depois cortou uma das arterias do pescoço da bela moça.

Aquela garota foi a que ele matou mais rápido, porque ao contrário que pensava ela era valente e inteligente e poderia dar merda fazer o joguinho de sempre que ele fazia. Como estavam perto da estrada ele não se aproveitou do corpo morto ali, ele pegou o canivete, segurou firme no facão e saiu dali correndo. Isso foi pura sorte porque minutos depois um homem encontrou o corpo, provavelmente estava na estrada e ouviu os gritos e foi se certificar. O assassino daquela moça sabia que não poderia "escorregar" novamente em seu plano.

P.O.V Xavier Stormwhite On

Dia seguinte....

- Mais uma garota morta por aquela serial killer. Quando isso vai acabar? - Xavier estava indignado e via as cameras de segurança de um bar onde Hilary tinha passado na frente antes de morrer, mesmo sendo um bar pequeno ele tinha câmeras de segurança por ficar em uma área perigosa da cidade.

- Delegado, mas por que o chamam de serial killer? - o tenente Gregory perguntou confuso e curioso.

- Porque ele mata pessoas em serie. E essas mortes não aconteceram só em Ottawa. Existem registros de mortes exatamente desse jeito em Miame e Seatle, mas nenhuma das autoridades conseguiram pegar o autor dos atos. Juntando as vitmias de Miame, Seatle e Ottawa dão sessenta e três, mas provavelmente essa pessoa matou mais que sessenta e três. - respirei fundo -  Quando se trata de serial killer é quase impossível saber exatamente o número de vitimas.

- Ah sim, esse cara é mais difícil de achar do que uma água no palheiro. 

- Ele da muito trabalho.

Eu conversava com Gregory enquanto via as imagens das câmeras, o dono disse que viu a menina passar por lá e ela estava acompanhada. Além de Gregory também tinha na sala um invertigador e uma policial. Eu vi uma imagem que me chamou a atenção e quase gritei com a policial.

- Amelia pausa. - rapidamente Amelia pausou o vídeo, ao lado de fora do bar dava para ver Hilary completamente bêbada e realmente estava acompanhada de uma figura masculina como o dono do bar havia lhe dito. E essa figura sorria maliciosamente... E eu a reconheci.

- Mike?


Notas Finais


Desculpem-me também por não postar ontem, eu fiquei das três da tarde até as nove da noite fazendo o trailer da minha nova fanfic, terminei o trailer hoje e ficou divino. Eu queria mostra-lo pra vocês agora, mas não tem jeito agora e estou triste por conta disso, é o primeiro trailer que eu faço e ele ficou muito bom.
Enfim, digam a opinião de vocês nos comentários sobre o capítulo e sobre quem pode ser o serial killer, as opinões de vocês são muito importantes pra mim, ok?
Beijos e até o próximo capítulo.
twitter: @shitbieba | wpp: +55 Telefone Removido


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...