História Breathe Me - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 716
Palavras 1.160
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 35 - Sooner or later


Fanfic / Fanfiction Breathe Me - Capítulo 35 - Sooner or later

Três dias depois...

- Jackie? Pensei que estivesse preso. - eu falei surpresa por vê-lo ali, pensei que Justin tinha o denunciado por calunia.

- Não, eu não estava. Tirei esses dias para tomar vergonha na cara e ter um pouco de paz.

- Ah sim, e conseguiu isso?

- Sim. - sorriu.

- Mandie estava quase subindo pelas paredes. - falei caminhando junto com ele.

- Ah é? - ele riu - E por que?

- Por que? Você é lerdo ou o que? Ela estava preocupada com você.

- Bom saber disso, vou ir pra minha sala.

- Tchau.

- Tchau. - me despedi e fui caminhando pra minha sala.

- Jackie banana. - levei um susto ao ouvir Justin do meu lado - O que foi?

- Você me deu um susto.

- Estava pensando no Jackie?

- Não, Justin, eu não estava. Dá pra parar com essas coisas?

- Não, não dá. - respirei fundo.

- Se você quisesse que eu nunca mais converse com o Jackie você teria o denunciado por calunia e a policia poderia prender ele também por falso testemunho.

- Não enche, Brooke. - Justin bufou e foi andando para a sua sala.,

- Agora pronto. - falei incrédula e entrei na sala.

[...]

- Brooke. Brooke. - ouvi alguém me chamar.

- Sim, Mike.

- Eu queria te convidar para uma festa que vai ter na minha casa.

- Festa?

- Sim. Você vai, né?

- Vou sim. Vou ver se o Justin vai ir e...

- Não - ele me interrompeu rapidamente e logo depois ficou sem jeito, seu rosto pálido ficou vermelho - Hm... Deixa. Aparece lá hoje. Dez horas.

- Ok. - sorri assentindo a cabeça e Mike saiu de perto de mim.

Respirei fundo e olhei o caminho para casa.

[...]

- Por favor, Brooke. Não vá nessa festa. - Justin me disse pela milésima vez.

- Por que Justin?

-  Eu não sei. Não estou com um bom pressentimento. Eu estou com medo.

- Não fique assim. Não vai acontecer nada.

- Eu não estou fazendo piti ou o caralho a quatro. Não é ciúmes também, eu só não te quero fora dessa casa. - respirei fundo.

- Ok, eu não vou. Vou ligar pro Mike avisando. - eu disse indo em direção ao meu celular, mas não o alcancei já que Justin segurou o meu braço.

- Não precisa. Se é uma festa quer dizer que vai ir muita gente. Ele nem vai ligar se você estiver lá ou não. - ele arqueou as sobrancelhas e eu molhei meus lábios.

- Tudo bem.

- Quer sair comigo hoje? Digo - ele riu - Ir comer um cachorro quente na praça. - eu ri e assenti dando um selinho nele.

- Sim. Só me deixe trocar de roupa.

- Você está linda. - sorri.

- Mas eu não vou ir comer cachorro quente vestida desse jeito. - eu estava com roupa de festa e eu não iria vestida daquele jeito só pra comer um cachorro quente.

- Espero você trocar de roupa.

P.O.V Mike Simpson On

Já passava das meia noite e nada da Brooke aparecer.

Quando deu onze horas eu pensei: "Meninas sempre atrasam, certo?"

Mas ai deu onze e quarenta: "Vou esperar mais um pouco."

E agora é meia noite. Certo, ela não viria, provavelmente Justin, aquele namorado problemático a impediu de vir. Mas não importa, mais cedo ou mais tarde eu a pego e mato, se brincar eu a mato na frente dele só por atrapalhar meus planos.

Eu estava sentado no sofá com os cotovelos apoiados nas minhas pernas. Não, não tinha festa nenhuma naquele caralho. Não chamei ninguém, só ela. Eu queria acabar com o que eu queria e sair daquela cidade rapidamente.

Dessa vez eu não vou fraquejar, dessa vez eu não vou fraquejar.

Vou pegar e matar todas que eu quero e do jeito que eu quero. Nada de coisa rapida o que acaba com toda a graça das coisas.

Peguei minha blusa de frio que estava jogada em cima do encosto do sofá e sai de casa. Minha mente quer ver sangue, quer ouvir gritos de desespero, quer sentir a adrenalina nas veias, quer ter o prazer de matar alguém e olhar nos olhos desse alguém. É assim que eu sou. Sou um psicopata que ama matar adolescentes, não tenho sentimentos além de prazer e ódio. Amo ver toda essa fama pra cima de mim; eu sou serial killer muito procurado. Não estou entre os serial killers da história, mas estou fazendo a minha história.

Miame, Seattle, Ottawa e a próxima será Inglaterra. Vou sair da América para ser melhor pra mim. Ninguém iria pensar que eu iria sair da América e ir para a Europa, eles acham que eu não penso nas coisas, mesmo caindo um pouco eu aprendo com o meu erro e não o cometo mais.

Eu estava na frente de um bar movimentado, olhei para as pessoas dentro daquele estabelecimento, eu estava a procura de mais uma da lista. Já que não tinha mais a "Party Hard" eu teria que procurar minhas vitimas assim. No bar tinha um homem fazendo o cover de "Angel In Blue Jeans", música da banda Train. A música já estava no final e depois começou a cantar uma música mais "calminha", "Snow (Hey Ho)", Red Hot Chili Peppers.

Vi uma ruiva com uma camisa de uma banda de rock, uma calça e um coturno. Sim, eu presto atenção em tudo, presto atenção nos minimos detalhes da pessoa. Caminhei até ela que cantava a música e balançava para um lado e o outro. Ela estava perto do balcão, me sentei em uma banqueta, pedi apenas um copo de água, eu ainda não tenho idade para beber nessa porra de país. 

Como eu estava sentado ao lado da ruiva que estava em pé, eu ouvia a sua risada e o que ela conversava. Ela se sentou ao meu lado e eu sorri olhando para a camisa dela, vou conversar com ela e sua camisa me mostrava do que ela gostava, isso pode dar um bom papo... Talvez.

- Gosta de Metallica?

- Oi? 

- Perguntei se gosta de Metallica?

- Ah sim, gosto. Amo muito.

- Já fui em um show deles uma vez. 

- Serio? Eu nunca consegui ir, não tenho muita grana. - ela riu. - Qual a sua música favorita?

- É difícil escolher uma favorita, todas as músicas são boas. 

- Verdade, é difícil escolher.

- Qual o seu nome?

- Melanie Anderson. - ela estendeu a mão pra mim e eu a apertei.

- Mike Simpson. - ela sorriu simpática.

Coitada! Estava sendo simpática com um assassino, o homem que irá fazê-la sofrer e implorar para morrer logo por não aguentar mais. Eu sou um bom ator, sei mentir muito bem e ninguém nota. Ri dos meus pensamentos e continuei conversando com Melanie, cabelo de fogo. 


Notas Finais


FINALMENTE TIVE CRIATIVIDADE PARA ESCREVER UM CAPÍTULO. PALMAS PRA MIM. Mas não sei quando eu vou postar novamente, os professores já começaram a me encher de trabalhos na escola zz. Algumas pessoas desfavoritaram a fic, fiquei triste e de coração partido, mas é assim mesmo. Me desculpem pela demora, eu estava sem nenhum pingo de ideia mesmo. Eu escrevia mas não chegava nem na metade do capítulo de eu já o apagava. Esse capítulo ficou chatinho, mas é preciso.
Tchau e até a próxima postagem.
twitter: @shitbieba


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...