História Breathe Me - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 585
Palavras 1.571
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura! E LEIAM AS NOTAS FINAIS, AMORES.
Fiquei com preguiça e colocar foto ou gif no capítulo zz.

Capítulo 41 - Realized the nightmare


P.O.V Brooke On

Eu sentia um frio percorrer toda a minha espinha, eu também sentia nevosismo e arrepios, isso não era só por que eu ia ver Justin? Era? Para mim era.

Decidi cortar caminho por um beco, eu sempre fazia aquilo, por que eu não iria fazer agora? Ali estava vazio, não havia mais ninguém além de mim. 

Senti que eu estava sendo vigiada, mas não olhei para os lados e nem para trás, eu só abaixei a minha cabeça e continuei caminhando. Vi uma sombra atrás de mim, pela sombra dava para perceber que a pessoa era homem e usava capuz, não me dei o trabalho de olhar para trás já que o medo me consumia naquele momento. Aumentei a velocidade de meus passos, ouvir o homem rir e aumentar os passos. Ele perceberá que eu já tinha o percebido e que eu também estava com medo. Mas quem não ficaria com medo?

O beco onde eu estava era longo, a rua onde tinha um pouco de movimento ficava longe de onde eu estava e acho que ali ninguém poderia ver a situação e me ajudar. Por que eu fui entrar aqui? Que merda! Eu estava desesperada e não sabia o que fazer, eu só tinha que andar... Ou melhor, correr dali e foi isso o que eu fiz, comecei a correr. Em um movimento rápido olhei para trás e o homem ainda andava, ele parecia calmo, muito calmo.

Percebi que ele não era um homem qualquer, ele era o serial killer. Ele é o monstro que anda assombrando a cidade e deixando todos com a pulga atrás da orelha por ninguém conseguir saber quem ele era... E eu estava prestes a conhecer quem era e eu não queria isso.

Senti meu corpo sendo puxado brutalmente e em seguida bati no corpo de alguém. Meu olhar assustado foi para o rosto do homem, eu não conseguia o ver direito por causa do capuz e da luminosidade do local. Meu coração batia forte e rapidamente dentro do meu peito, minha respiração estava ofegante e minhas pernas tremiam.

Eu estava com medo, eu estava com medo de morrer.

O homem chegou os lábios perto do meu ouvido e sua voz grossa soou baixo quase em um sussurro.

- Oi Brooke.

- Mike?

- Sim, eu sou a pessoa que vai te levar ai inferno. – senti uma batida na minha cabeça e apaguei.

00:24 A.M.

Local desconhecido.

1° dia - noite.

P.O.V Brooke On

Senti algo pingando no meu rosto, franzi o cenho e senti mais uma vez algo pingando no meu rosto e abri meus olhos para ver o que é. Eu não estava no meu quarto ou na minha casa, eu estava em uma floresta fechada e escura. Olhei para cima para ver o que estava pingando no meu rosto e um grito de horror saiu da minha boca, me levantei olhando aquilo com as mãos na boca. Eu não sabia se gritava, corria ou vomitava com aquilo.

Uma jovem – acho que da minha idade - loira, não sabia se era bonita já que seu corpo estava todo desfigurado. Ela estava pendurada na árvore por uma corda no pescoço, tinha um enorme e profundo corte do pescoço até o inicio da vagina,  seu rosto tinha marcas de cortes, seus pulsos e tornozelos tinham marcas que pareciam ser de correntes. Todo o seu corpo tinha algum tipo de marca.

- Se divertindo com a cena? – ouvi uma voz atrás de mim me dando um susto, olhei para trás e vi ele... Meu pesadelo no momento.

- Então, eu vou ser a próxima vitima, né? – eu tentava manter a calma o que era difícil.

- Sim, - assentiu – você vai ser a minha próxima, você é a minha última da lista.

- Lista? Você tem uma lista de quem vai matar? – ele assentiu passando a língua nos lábios. Eu comecei a andar devagar para trás e ele andava devagar para frente. – Não encoste um dedo em mim.

- Se eu encostar um único sequer dedo em você, você não vai fazer nada. Você é inferior a mim, é mais frágil que eu.

- Você é muito escroto! Você pega para matar pessoas mais vulneráveis porque é um fracote idiota, você não conhece bater em um homem e precisa bater em mu... - antes de eu terminar a frase senti um golpe no meu rosto. Mike tinha acertado um pedaço de galho grosso e pesado de uma árvore que estava no chão. O baque fez com que eu desequilibrasse e caísse de lado no chão. Minha cabeça começou a doer e o lado onde o pedaço de madeira pegou estava meio dormente.

- Você me irrita! - Mike veio até mim e me levantou pelos cabelos, ele os puxava com força e fazia com que meu couro cabeludo doesse, trinquei meus dentes e me fechei meus olhos com força, eu já não tocava mais o chão. - Você é uma vadiazinha.

- Larga de fazer esses seus joguinhos e me mata logo já que é isso que você quer. - eu disse com dificuldade, Mike me jogou com força no chão e deu dois passos para trás.

- Não quero te dar o prazer de morrer logo, o que vale aqui é o meu prazer e eu quero ter o prazer de te ver morrer aos poucos e nas minhas mãos. - ele chegou perto de mim, ficamos cara a cara, ele me olhou nos olhos e continuou -  Eu mando aqui, eu faço as regras e você vai segui-las a risca. Eu vou te fazer implorar para morrer logo. E agora... Que a minha diversão comece. - ele sussurrou a última frase no meu ouvido.

Senti uma picada no meu braço, olhei para o lado e vi uma seringa injetada no mesmo, o liquido já estava entrando em contato com o meu organismo, segundos depois do liquido ser ejetado totalmente no meu corpo eu desmaiei.

P.O.V Brooke Off

Mike iria se divertir com a Brooke do jeito dele, o liquido que ele ejetou nela não iria a matar, só fazer-la ficar desacordada por um tempo. Ele não iria facilitar para Brooke, ele não facilitava para ninguém. Sim, ele facilitou para a Hilary, mas foi porque foi preciso. Mike não iria facilitar para a sua última vitima da lista, ele queria ver sangue e ouvir gritos de dor.Ele é um maníaco que não pensa em ninguém além de si mesmo.

P.O.V Justin Bieber On

Eu estava ficando a esquina da casa onde Brooke mora. Eu queria tentar vê-la novamente e dessa vez eu queria falar com ela. Não vou ser mais covarde, não vou ser mais idiota. Eu a amo, a quem eu quero enganar? A mim? Quero enganar meu coração dizendo que não a amo, dizendo que eu não preciso dela e que eu não sinto falta dela?

Isso não vai funcionar.

Fiquei do outro lado da rua e em frente a casa dela, não tinha nenhuma luz ligada, Brooke deve estar dormindo, ou deve estar em outro lugar que não é a casa dela. Me sentei no meio-fio e fiquei olhando para cima esperando ver alguma coisa em seu quarto, mas eu não via nada, não tinha nenhuma movimentação no quarto e nos outros cômodos da casa. Fiquei lá parado esperando alguma coisa mais ou menos meia hora e tomei uma decisão: Vou subir até lá e ver se ela está lá e falar tudo o que eu sinto por ela e pedir desculpas por eu ser tão idiota. Fiquei a tarde toda ensaiando o que eu iria falar para ela e só a noite tomei a decisão de vir até ela e falar tudo.

- Bom, Justin, é agora. – respirei fundo e me preparei para escalar a casa.

Da mureta da varada, consegui subir no telhado da varanda e com certo receio caminhei até a janela do quarto da Brooke. Olhei pela janela e percebi que Brooke não estava na cama, sua cama estava praticamente intacta. Suspirei e abri a janela, entrei no quarto e o vasculhei procurando algum vestígio dela. Eu não acho que ela estaria em uma festa, era meio de semana e não tinha mais as festas da escola pros terceiros anos. Vi a luz do corredor ser ligada, fiquei parado no mesmo lugar, talvez dessa Brooke... Talvez seja Julia. A porta se abriu e vi Julia com um roupão preto por cima de seu pijama, sua cara era de sono e seus cabelos estavam desgrenhados.

- O qu você está fazendo aqui, Justin?

- Vim ver Brooke, entrei pela janela, mas ela não está aqui. Aonde ela foi?

- Eu não sei, eu não a vi saindo. Ela não me avisou que ia sair.

- Como ela sai assim sabendo que tem um serial killer por ai? – gritei, mas me perguntando do que perguntando para Julia.

- Eu não sei. – Julia disse desesperada.

- Pensei que ela tinha saído, sei lá, para uma festa ou ter ido a casa da Mandie ou ter ido para sua casa.

- Vou ligar para Mandie, talvez ela esteja na casa da Mandie.

- Não adianta, eu já liguei pra lá. – Julia tinha lágrimas nos olhos. – E também já falei com Zack, com o Jackie, ela não está em lugar nenhum.

- Serial killer. – pensei comigo – Tem um maníaco pela cidade pegando e matando meninas, ele deve ter pegado ela.


Notas Finais


OI OI OI OI, foi difícil escrever esse capítulo, mas está ai. Não sei quando vou postar o próximo.
Postei minha o prologo da minha nova fanfic, leiam http://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-barbara-palvin-after-storm-2465814 tenho vários planos para ela. Eu mesma fiz o trailer dela, foi o primeiro trailer que eu fiz na vida, não tenho paciência com essas coisas, mas até que saiu legalzinho https://www.youtube.com/watch?v=K05VEyLURqA&feature=youtu.be
Beijos.
fc: @journaliex


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...