História Breathe Me - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 558
Palavras 1.133
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoas, como vocês estão? Eu demorei para postar esse capítulo, mas está ai, ele está horrível, não gostei dele, mas tive que posta-lo. Eu estive sem criatividade para escrever este capítulo, tive que arrumar um jeito dele ficar assim porque ele vai se encaixar no que vai acontecer em um capítulo que tem pela frente.
Enfim, boa leitura!

Capítulo 45 - Out


- Ela está em coma? – Julia perguntou. – Vocês têm previsão de quando ela vai acordar?

- Infelizmente não temos previsão. Vocês sabem que uma pessoa dependendo do trauma que sofreu pode passar anos, a vida inteira em coma. Brooke foi muito espancada pelo serial killer e o estado dela é grave, mas não posso lhes informar se ela passará dias, semanas, meses ou até anos.

- Ok, doutor... – eu disse tentando ser forte.

- Peço somente duas coisas à vocês. Rezem por ela e não percam a fé.

[...]

- EU VOU MATAR VOCÊ. VOU FAZER COM VOCÊ A MESMA COISA QUE VOCÊ FEZ COM A MINHA IRMÃ. – Julia gritava e tentava ir para cima de Mike na delegacia, mas eu segurava pelos braços.

- Gritar e fazer ameaças não vai adiantar nada, Julia.

- VOCÊ ESTÁ O DEFENDENDO, JUSTIN?

- É claro que não, só estou sendo realista. Você acha que a polícia vai deixar você fazer o que falou? Não. – continuei – Eu estou sentindo a mesma raiva que você, mas pode crer que a polícia vai tratar de punir o Mike.

- Fique tranquila, Julia, Mike não vai pegar a Brooke e nem mais outra garota. – Xavier disse para acalma-la mais.

- Por quê?

- Mike é um cidadão estadunidense. – Xavier informou olhando para Mike – Ele vai ser deportado do Canadá e como ele matou várias garotas não só aqui, mas nos Estados Unidos também ele vai ser sentenciado com a pena de morte.

- Ele deveria ter a morte mais lenta e dolorosa de todas. – eu disse.

- Ou ele vai para a cadeira elétrica ou vai tomar uma injeção letal. Isso fica a critério do juiz que vai julgar o caso.

- Fazendo ele sofrer pra mim está ótimo. – Julia disse e se virou para sair dali.

 [...]

Eu estava no quarto olhando para Brooke para ver se ela se mexia, se ela dava um sinal de que ainda estava lá. Mas nada acontecia, ela estava parada como uma estatua, eu só via seu peito subindo e descendo porque ela ainda respirava. Já havia passado um mês desde que tudo aconteceu, a angustia crescia a cada dia mais no meu peito.

Mike já tinha sido julgado e foi sentenciado a morte na cadeira elétrica, mas antes do seu dia de morrer na cadeira elétrica chegar ele foi encontrado morto no presídio, os presos do local o mataram, ele teve um morte horrível, mas justa pelo o que ele fazia com as meninas. Sua morte dentro do presídio foi parecida com a que ele causava nas meninas.

Eu estava perdido em meus pensamentos quando uma enfermeira entrou no quarto. Ela checou os equipamentos que mantinham Brooke viva e se virou pra mim.

- Por que você ainda tem esperança?

- O que? – me levantei da poltrona, não entendi muito bem o que ela queria.

- Por que você ainda tem esperança dela abrir os olhos novamente? Você sabe que ela nunca pode acordar novamente...

- Sei, mas também sei que ela pode acordar a qualquer momento. E o que você tem a ver com a minha vida? Se eu quiser eu fico aqui para sempre esperando ela acordar.

- Para sempre é muito tempo. Você tem que viver a sua vida, viver a sua vida com alguém que esteja... Bem... Viva. Porque ela tecnicamente está morta. – ela tinha um sorriso debochado no rosto.

- Que tipo de enfermeira você é?

- O tipo que abre os olhos das pessoas. Você é tão bonito – ela veio andando até mim mordendo o lábio inferior e colocou os braços em volta do meu pescoço – e novo.

- Me solta e saia do quarto. – tirei seus braços de mim e me afastei dela.

- Por quê? Vai me dizer que não sente vontade de me tocar toda? Eu quero você dentro de mim. – eu estava há muito tempo sem fazer sexo, mas eu não iria transar com ela, não mesmo.

- Eu acho que você é uma vadia e deveria parar de dar em cima dos homens dessa porra de hospital. – ela ia abrir a boca para falar alguma coisa, mas eu a interrompi gritando – SAIA DAQUI AGORA. VAI ENCHER O SACO DE OUTRA PESSOA. EU NÃO QUERO VOCÊ, VOCÊ É UMA VADIAZINHA DO CARALHO. VAI REBOLAR NO COLO DO CAPETA.

- Ninguém nuca falou assim comigo. – falou indignada.

- FODA-SE, GAROTA.

- Que gritaria é essa? – Julia chegou no quarto. – Tão querendo acordar a Brooke no grito?

- Ele queria me atacar. – filha da puta – Eu só estava me defendendo.

- EU ESTAVA QUERENDO TE ATACAR? – eu ri sem humor – VOCÊ QUE CHEGOU NO QUARTO FALANDO QUE A BROOKE NÃO VAI ACORDAR E COM FOGO NO CU FALANDO QUE ME QUER. EU QUERO TE ATACAR, MAS NÃO PRA TRANSAR COM VOCÊ E SIM PRA TE BATER E MUITO.

- JUSTIN! – Julia gritou.

- O QUE? VAI ACREDITAR NESSA DAÍ? VOCÊ ACHA QUE EU SERIA CAPAZ DISSO?

- Acho.

- ACHA É O CARALHO.

- Ele não é um bom partido para a sua irmã, Julia.

- Vai tomar no cu.

- Justin saia do quarto.

- O que? Você vai acreditar nela? Você acredita em tudo que dizem pra você?

- Eu só quero o bem da minha irmã, Justin.

- EU NÃO SOU BOM PARA ELA? EU SOU BOM PARA ELA.

- É tão bom que estava dando em cima de mim ao lado da namorada.

- Saia daqui, idiota. A conversa ainda não chegou ao galinheiro. – Julia disse para a enfermeira.

- Olha aqui... – Julia interrompeu.

- Olha aqui o caralho. Sai daqui logo. – a enfermeira saiu do quarto e eu comecei a tentar convencer Julia que eu não estava fazendo o que a enfermeira falou que eu estava.

- É serio, Julia. Eu não estava fazendo nada que a enfermeira falou. Ela chegou aqui, olhou os equipamentos de Brooke e começou a falar um monte de me...

- Não quero mais você vindo visitar a Brooke. – Julia me interrompeu.

- O que? Você só pode estar brincando.

- Não estou brincando. Quero que você nunca volte aqui para vê-la. Quero você longe dela, não só pelo o que aquela enfermeira falou, você sabe que eu nunca gostei de você. – eu ri dela.

- Sei que você gostou de mim antes do meu pai falar um monte de coisas e enfiar minhocas na sua cabeça que, aliás, é muito oca. Você tem um cérebro ai? Você por acaso pensa? Porque parece que não, você acredita em tudo que as pessoas falam para você.

- Justin, saia daqui logo.

- Eu ajudei a salvar Brooke, se não fosse por mim ela estaria morta.

- Sou eternamente grata, mas não te engulo. Saia. – continuei parado olhando para o rosto abatido de Julia. – SAIA.


Notas Finais


Eu ia postar esse capítulo na segunda, mas eu passei muito mal segunda e só na possibilidade de ter que pensar para escrever algumas partes que ainda não estavam prontas eu me sentia mais mal ainda. Eu tava com uma dor inexplicável no estomago, parecia que ele ia explodir dentro de mim.
Muito obrigada por tudo, comentários, favoritos, visualizações e as mensagens no wpp, morro de felicidade com isso. E me desculpem por esse capítulo lixoso.
Mudei o user do meu twitter de novo dsggfdg agora sou @recowerz | wpp +55 Telefone Removido.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...