História Brigadeiro - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin
Exibições 423
Palavras 1.135
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nossa, tem muito tempo que parei de postar aqui. Esse imagine não é exatamente novo, é da mesma época dos outros e foi postado no FC de uma amiga minha no twitter a alguns meses, mas ele é de minha autoria.

Enfim, boa leitura ( ˘ ³˘)❤

Capítulo 1 - Capítulo único


Eu estava em frente ao fogão, cozinhando uma panela de brigadeiro para mim e para ele. Jimin nunca teve muito tempo para dedicar a nós dois, a banda o consumia demais, mas sempre que podia estar comigo nós aproveitávamos ao máximo. A noite seria de filmes e brigadeiro, pode parecer chato pra quem está lendo, mas era muito especial pra nós, era a primeira vez que ele poderia passar tanto tempo aqui em casa.

J: Jagi, vai demorar muito? O filme já vai começar.
S/N: Só mais um pouquinho.

Desliguei o fogo e levei a panela ainda quente para a sala, o chocolate fica mais gostoso desse jeito. Parei na porta que dividia os dois cômodos observando-o todo esparramado no sofá... e sem camisa.

S/N: Você é muito corajoso mesmo, se meus pais chegarem antes do esperado, você pode dar adeus aos nossos futuros filhos.
J: Não vou precisar, o sogrão me ama e, além disso, não acho que seus pais vão deixar de aproveitar o jantar pra vir proteger a filhinha inocente deles do lobo mau.
S/N: (Risos) Você não presta, Park Jimin.

Ele me mandou um beijo - que eu respondi revirando os olhos -e depois sorriu se ajeitando melhor no sofá, dando um tapinha para que eu me sentasse junto a ele. Suspirei e fui em direção à mesinha ao lado do sofá, onde coloquei a panela. Assim que o fiz, senti os braços fortes de Jimin se entrelaçarem em minha cintura e me puxarem para o sofá, ajeitando-me em seu peito nu. Estremeci na hora mas, aos poucos, fui relaxando e curtindo o momento. O brigadeiro estava muito bom, modéstia à parte, eu cozinho muito bem e ele pareceu concordar com isso porque comeu a maior parte do chocolate. Não tivemos tempo de ir numa locadora, então acabamos assistindo alguns doramas que estavam passando mesmo, devia estar sendo tudo muito chato pra ele, mas ele fez questão de me abraçar forte e entrelaçar nossas mãos embaixo do cobertor.
Começou a passar a cena do reencontro de um casal, era tão lindo que dava até vontade de chorar, mas minha atenção foi interrompida quando o Jimin começou a distribuir beijos pelo meu pescoço, ombros e nuca. Prendi a respiração, mas acho que ele não percebeu porque colocou a mão no meu queixo e me puxou pra um beijo carinhoso. Não posso dizer que não estava gostando, mas aquilo estava me deixando nervosa, acreditem ou não, mesmo eu já tendo 20 anos, Jimin era o meu primeiro namorado e eu ainda era virgem, e corríamos o risco de os meus pais aparecerem. Eu não estava sabendo lidar com a situação e não estava conseguindo me entregar totalmente ao beijo. Ele percebeu isso e me soltou, me olhando com preocupação.

J: O que foi? Eu fiz algo errado?
S/N: N-não, não é você, sou eu.
J: Ah, isso...
S/N: Isso o qu...

Ele me puxou pra outro beijo, ainda delicado, mas mais necessitado dessa vez, ele me virou para si e me abraçou com mais força, aos poucos eu fui cedendo aos seus toques.Ele separou os lábios dos meus e os levou até minha orelha, onde sussurrou.

J: Não precisa se preocupar, só confie em mim.

Jimin se levantou, desligou a televisão e depois me pegou no colo sem muito esforço, me levando até o meu quarto e me deitando na cama com cuidado. Ele começou a desabotoar a minha camisa vagarosamente, depositando um beijo doce em cada pedaço de pele que era revelado. Eu apenas suspirava olhando para o teto enquanto sentia o meu rosto corar, nunca havia ficado desse jeito na frente de um homem, quando ele subiu o rosto e ficou de frente pra mim, me fazendo encará-lo.

J: Você é muito linda pra ter vergonha, sabia?

Sorriu, me deu um selinho e voltou a sua atenção ao meu short jeans, retirando-o habilmente, deixando que seus dedos deslizassem pelas minhas pernas e me fazendo ter arrepios e voltou o caminho feito pelo short, desde o pé até a minha virilha, beijando-me e repetiu todo o processo com a minha calcinha. Fechei as pernas envergonhada, Jimin apenas deu um sorriso debochado e as abriu novamente com cuidado mas com firmeza, me olhando como se me dissesse pra parar. Eu obedeci e fechei os olhos, mas os abrir rapidamente quando senti sua língua quente explorar minha intimidade sem nenhuma hesitação, suspirei pesado e apertei um pouco o rosto dele entre as minhas coxas devido à surpresa, mas fui amolecendo aos poucos enquanto ele me fazia experimentar a melhor sensação que já havia tido até então.
Eu suspirava ofegante e puxava os cabelos macios dele enquanto mordia os lábios tentando abafar meus gemidos roucos. Ele subia e descia a língua por minha intimidade já encharcada, alternava entre chupões e mordiscadas no meu clítoris e vez ou outra fazia menção de me penetrar um dedo, mas apenas o colocava na entradinha e retirava. Então todos os músculos do meu corpo começaram a se contrair e eu pensei que aquele seria o meu primeiro orgasmo, mas ele parou imediatamente ao perceber isso, erguendo-se lambendo os lábios.

J: Opa, ainda não, vamos fazer isso direito.

  Ele abriu o fecho do meu sutiã, me ajudando a tirá-lo junto com a minha blusa já aberta e tirou a calça de moletom que vestia junto com a cueca, depois voltou a se posicionar sobre mim, sem apoiar totalmente o seu peso, e entrelaçando uma de nossas mãos. Eu fechei os olhos, já me preparando para sentí-lo dentro de mim.

J: Relaxe, confie em mim.

  Jimin deslizou seu membro por minha intimidade molhada algumas vezes antes de penetrá-lo devagar, entrelaçando também a mão que faltava. Senti uma dor diferente a cada centímetro penetrado, comecei a apertar as mãos dele com toda a força que tinha. Devo tê-lo ferido com as unhas porque um gemido que não era de prazer escapou de seus lábios. Quando não havia mais onde colocar, ele começou a retirá-lo mantendo o ritmo lento, a cada estocada a dor se esvaía mais um pouquinho dando lugar ao prazer. Ele era delicado, porém firme, carinhoso, porém sua mãos soltaram as minhas e passaram a percorrer o meu corpo como se precisasse dele assim como eu precisava do Jimin, necessitava dele tanto quanto necessitava de ar. Nossas bocas se encontraram novamente e diziam sem palavras o quanto amávamos um ao outro. Não era sexo, estávamos fazendo amor. E nesse ritmo calmo e sem pressa, nós gozamos juntos. A melhor sensação da minha vida, não apenas pelo ato em si, mas por ter sido com o homem que eu amo.
  Ele caiu ao meu lado e me puxou pra junto de si. Adormecemos assim, abraçados e exaustos. Meu pai quase o matou no dia seguinte, mas não me arrependo de nada.


Notas Finais


Eu vou colocar como terminado mas não é definitivo, estou pensando em fazer uma continuação como "o lado dele" da história com esse e alguns dos outros imagines, mas é só uma ideia que não sei se vou seguir.
Obrigada a todos que leram e me desculpem se não ficou muito bom, ele é um dos meus primeiros imagines e só agora lembrei da existência dele.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...