História Brilho - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Killing Stalking
Personagens Oh Sangwoo, Yoon Bum
Tags Amizade, Depressão, Drama, Killing Stalking, Romance, Superação, Universidade, Universo Alternativo
Visualizações 71
Palavras 1.999
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Eu sorria feito boba no metrô enquanto lia os comentários no último capítulo. Me deixaram tão feliz! Agradeço de coração <3 Boa leitura!

Capítulo 11 - The way you are


Fanfic / Fanfiction Brilho - Capítulo 11 - The way you are

 Entrou em casa correndo, atropelando Seungbae. O coração acelerado, a respiração descompassada, o rubor nas bochechas…

 

 O rosto de Sangwoo a milímetros do seu… a respiração quente e ritmada… o cheiro do loiro…

 

 Queria sentir o gosto dele.

 

-AAAAAAAHHHH!

 

-Woah! O que houve, Bum?!

 

 Não obteve resposta, pois o amigo correu pro banheiro.

 

 Mas é imaginável o motivo. Bum entrou correndo para dentro de casa, afobado e envergonhado, respirando feito louco, e estava no carro com Sangwoo, o que era estranho de se ver tendo em vista que o amigo não quisera mais caronas nem mesmo dele, para “aprender as possíveis rotas de ônibus no bairro”. Mas ainda assim... estava com Sangwoo. E mesmo nas férias de verão, o outro se dispôs a ajudar Bum nos estudos.

 

“Está feito. Não há mais o que fazer. “

 

 Bum estava apaixonado.

 

 Por ninguém menos que Oh Sangwoo.

 

 “Eu dei meu máximo para evitar, mas… “

 

 Todo instante que via o amigo sorrindo perto do outro… ou quando o via se esforçando para compreender livros e mais livros, ou quando o via cantarolando enquanto preparava pequenos potes com comida para quem o estava esperando na biblioteca…

 

 Ou como Bum se levantava todos os dias com vontade de viver.

 

 É gratificante para Seungbae a evolução do amigo. O quer bem, e por isso o trouxe para cá. Porém…

 

 “Eu não imaginava que esse interesse de Sangwoo surgiria. “

 

 Estava confuso… o que fazer? Ainda não aceita Sangwoo. Não que fosse a mãe de Bum para dizer quem ele deve ou não namor-

 

 Espera.

 

 Eles… já se beijaram?

 

 “E se Sangwoo já estiver planejando onde irão morar juntos? Ou quantos gatos terão? Ou onde irão passar a lua de me- “

 

-Seung?

 

-Hã? O quê?

 

-Você tá viajando aí faz um tempão. Eu preciso de uma toalha.

 

-Ah… toalha… certo.

 

Realmente… Seungbae é um homem ansioso.

 

#*#*#*#*#*#*#*#*#*#*

 

 “Será que ele está chegando? “

 

 Bum estava esperando Sangwoo em frente ao parque Hangang, com uma bolsa com comidas que ele preparou e um lençol, assim como o loiro pediu.

 

-Bum, guarde os livros! Nada de estudar hoje!

 

-O-O quê?

 

-Vá pra casa e prepare dois potinhos de comida como você sempre faz, e um lençol. Me espere em frente ao parque Hangang!

 

-Mas… não íamos sair depois de estudar? Você até me mandou mensagem ontem dizendo qu-

 

 Foi puxado para fora da biblioteca.

 

 Se apressou, pois, o metrô havia demorado mais do que o esperado. Mas Sangwoo estava atrasado.

 

 “O cheiro da comida está me dando fome… “

 

 Admite que ficou muito feliz ao receber a mensagem de Sangwoo no dia anterior perguntando se queria ir para algum lugar, mas como não tem muito dinheiro, havia desanimado. Até o loiro entrar radiante na biblioteca, ignorando as broncas da atendente, e dizer para se encontrarem num parque. Existe passeio mais econômico?

 

 Não queria se sentir ansioso, mas ainda estava pensativo sobre o momento no carro. Toda vez que lembra, o coração bate como louco e seu rosto cora. Admite que, por um instante, sentiu medo por Sangwoo não querer mais vê-lo depois disso. E mesmo que seja apenas um tempo com o loiro, como tinham mesmo com Jieun os encontrando, tratou de se arrumar apropriadamente, com uma blusa branca longa fina e calça jeans confortável, já que o outro decidiu que iriam no parque.

 

-Bum! -Sangwoo foi apressado ao encontro do amigo.

 

-Ah, Sangwoo! - sorriu ao ver o rapaz se aproximar. Ele estava... bonito.

 

-E então? - Sangwoo colocou as mãos na cintura. - O que acha de um “day off”? Pelo menos um dia nas férias de verão devem ser aproveitadas, não é? - sorriu.

 

-É… é uma boa ideia. - sorriu pro loiro.

 

 Ah… que sorriso fofo. Sangwoo quis apertá-lo.

 

-Vamos entrar? - não pôde conter o sorriso com a curva nos lábios do amigo.

 

 Um dia sem estudos é o que precisavam. Por vezes tiravam alguns minutos do dia para fazer algo diferente, mas nunca tiraram um dia para descanso. Admite que não sabia se conseguiria encarar Bum depois da tentativa fracassada de tentar alguma coisa que mesmo ele não sabe. Mas…

 

 “Ele parece não se importar. “

 

 Não sabe se… fica feliz ou triste com isso.

 

“Ai meu Deus, Sangwoo… do meu lado…! O que eu faço? O que eu faço? Será que ele está constrangido? É uma boa falar sobre aquilo? Ugh... estou me importando muito com isso…!” Bum tentava parecer o mais calmo possível.

 

 Passaram pela ponte com o rio Han cristalino e belo, que arrancava suspiros de todos que ali passavam. O parque estava ameno, e o dia estava maravilhoso.

 

-Que beleza! - Bum se desvencilhou de seus pensamentos turbulentos e passou a admirar o rio.

 

-Realmente, é lindo.

 

 Bum se apoiou na ponte para observar melhor, e Sangwoo o acompanhou.

 

 Observou o moreno. A pele pálida e levemente corada do rosto, os fios negros voando com a brisa, o sorriso leve e encantado, sua blusa branca e fina fazendo movimentos pelo corpo esguio.

 

 Sangwoo tem um problema. Grande.

 

 “Eu poderia o observar assim por mais tempo… “

 

 Bum notou o olhar do amigo.

 

-Ah, deve estar com fome, né? Essa cara é de quem quer comer algo! Vamos comer.

 

-É… comer.

 

 Caminharam mais alguns passos até uma árvore, para aproveitarem a sombra. Sangwoo estendeu o lençol no chão, e Bum retirou os alimentos.

 

 Conversavam e riam enquanto comiam, observando as pessoas que ali passavam e se divertindo com histórias e acontecimentos engraçados.

 

 Estava tudo muito bem.

 

-Agora sinto sono. - Bum se espreguiçou e deitou-se no lençol, soltando um suspiro satisfeito.

 

 Sangwoo observa o amigo, que parecia pacífico.

 

-Sabe Bum… você melhorou muito.

 

-Huh? - abre os olhos para encarar Sangwoo. Coloca um braço atrás da cabeça para se apoiar. - É… eu sinto que melhorei. Afinal, deixei um grande pesadelo para trás… - olhou o céu, pensando longe. - às vezes acordo de sonhos que insistem em me apavorar, mas, quando isso acontece eu penso em… - parou bruscamente, e virou o rosto para o lado.

 

 Mas Sangwoo é curioso demais para deixar passar.

 

-Emmm…? - se apoiou em um braço para ficar mais perto de Bum, que olhou o amigo corado.

 

-E-Em… er… - e agora? Como dizer à Sangwoo que pensa nele quando tem esses momentos horríveis? Será que vai parecer um tarado caso diga isso? Admira muito o rapaz por ser forte, e quer ser como ele… não quer que pense outra coisa ou que descubra que gosta dele.

 

 Até que, algo pegou sua vista.

 

-Jieun.

 

 Sangwoo ficou boquiaberto.

 

-J-Jieun? - Sangwoo ficou indignado. - olha Bum, eu sei que você deve ter achado ela bonita e tudo mais, mas…

 

-Não, Jieun! - Bum apontou para o outro lado de parque, fazendo Sangwoo virar o rosto.

 

 Jieun olhava para todos os lados, como quem procura algo. Mas ela estava longe.

 

 “Merda! “

 

-Ah não, ela não vai nos atrapalhar de novo se me encontrar! Com certeza Soo Yun deve ter falado algo. Rápido, pega as coisas.

 

 Bum se levantou e pegou as coisas rapidamente, enquanto Sangwoo fez uma bola com o lençol e pegou a mão de Bum, correndo dali.

 

 Riram com os tropeços, e com a fuga infantil.

 

-Sangwoo, qual é! Eu já tenho idade, sabia? - Bum ria enquanto perdia o fôlego, quase não conseguindo acompanhar Sangwoo, que tem excelente forma.

 

-Só mais um pouco, seu velho! - Sangwoo ria enquanto puxava o amigo.

 

 Correram até uma árvore grande que estava isolada, e ficaram atrás dela para que ninguém os visse.

 

-Será que ela nos viu? - Bum arfava feito louco.

 

-Eu espero que não. - deu uma olhada na estrada do parque, mas haviam pessoas desconhecidas caminhando e visitando o local.

 

 Bum encostou-se na árvore, rendido ao cansaço.

 

-Nunca mais faça isso. - riu leve, recuperando o fôlego aos poucos. - Minha saúde não é das melhores.

 

-Pois acho que deveria se cuidar mais. - Sangwoo se encostou na árvore, ao lado de Bum, se virando para ele.

 

-O que, quer ocupar o posto do Seungbae de ficar no meu pé? Posso parecer um fraco pra vocês, mas sei tomar conta de mim também.

 

-Fraco? - Sangwoo ficou sério. -Não, longe disso. Você é uma pessoa incrível, Bum.

 

 Olhou Sangwoo sem ter vergonha das bochechas rosadas. Soltou um riso, e empurrou o ombro de Sangwoo, como em brincadeira.

 

-Ora, vamos. Ainda tenho muito o que melhorar…

 

 Sangwoo notou o moreno olhar melancólico para o chão. Como? Como dizer a ele que, mesmo pensando que tem tanto a melhorar, Sangwoo sente-se bem perto dele do jeito que é? Quer fazê-lo se sentir especial e querido, assim como se sente quando Bum escuta seus desabafos ou seus sonhos estranhos.

 

 No entanto, sua mente ainda ficava confusa sempre que retorna para casa… é como se algo o dissesse que tudo pode dar errado. E tudo de bom que sente no dia, parece vazio ao se deitar em sua cama.

 

 Mas…

 

 O olhar do garoto à sua frente…

 

-Bum…

 

 O fazia sentir necessidade…

 

-Huh?

 

 De cuidar…

 

-Você…

 

 Abraçar.

 

-...

 

-Eu… - se enrolou com as palavras. Tantas coisas na sua mente, e não saía nenhuma delas.

 

 Querer.

 

-Você está bem? - Bum se inclinou um pouco para frente para olhar o rosto do amigo.

 

 Esse foi o movimento que Sangwoo precisava para que sua mente trabalhe de acordo com seu instinto.

 

 Olhou nos olhos de Bum, e passou todos os sentimentos que estavam dentro de si. Começou a revezar o olhar para os lábios de Bum, tentando passar suas intenções. Não queria assustá-lo.

 

 Mas Bum já estava assustado.

 

 Seu coração começou a bater como louco, seu peito ardia, as pernas estavam bambas, sua mão tremia e seu corpo suava frio. Não sabia o que fazer, nunca havia se sentido assim…

 

 Talvez porque entendeu o que Sangwoo quer fazer.

 

 E porque nunca beijara.

 

 O medo começou a tomar conta. Sangwoo o olhava com expectativa, está com medo de decepcioná-lo ou fazer algo errado. Lhe passou tantos sentimentos pelo olhar que sentia-se paralisado com as emoções. E ele é um cara!

 

 Um cara que está debruçado sobre a árvore, pairando sobre ele, e que levou uma mão até seu rosto já que o outro braço se apoiava no tronco, acima dele. E o rosto desse cara está chegando perto.

 

 Corou violentamente. Não sabia o que fazer, sentia que ia desmaiar a qualquer momento. Fechou os olhos com força, e encolheu um pouco os ombros.

 

-Bum.

 

 A respiração quente de Sangwoo no rosto parecia levá-lo ao céu. E o perfume dele…

 

-Bum, abra os olhos.

 

 Abriu os olhos. Sangwoo o olhava com ternura, e a mão em seu rosto começou a acarinhá-lo.

 

-Você é incrível da maneira que é. Não esqueça disso.

 

 Encarou Sangwoo. Ele... realmente queria dizer isso. Era verdadeiro.

 

 Não teve como os olhos não marejarem. Uma lágrima teimosa escapou, droga. A mão macia em seu rosto a limpou. Não sentia mais vergonha quando fraquejava na frente de Sangwoo, sentia-se livre. Sorriu levemente.

 

-Obrigado, Sangwoo.

 

 Sangwoo sorriu. É… não há confusão que o faça mudar de ideia.

 

Quer protegê-lo.

 

 Inclinou a cabeça para o lado, se aproximando do moreno, que agora fechou os olhos com naturalidade, aceitando o momento e se deixando levar. Nenhuma consequência o faria mudar de ideia.

 

Quer animá-lo.

 

 O cheiro de Bum invadiu seus sentidos… tudo o que queria agora, é...

 

Quer beijá-lo.

 

 Encostou sua boca em lábios macios e tentadores que o faziam sentir vontade de avançar em Bum. A respiração presa e o barulho das batidas do coração eram o único som que ouvia. E o gosto daquela boca era tudo que queria sentir. Afastou-se lentamente, para se aproximar de novo.

 

Quer…

 

 Os lábios começaram uma leve dança, se encaixando aos poucos, mesmo que tímidos. O momento tomava conta de todos os seus sentidos e de todo seu corpo. E ao sentir um par de braços o envolver, não teve mais confusões, e não teve mais dúvidas.

 

 Quer amá-lo.


Notas Finais


The way you are = Do jeito que você é. Fofo, certo? <3 Saiba que você é incrível do jeito que é, e nada nem ninguém pode tirar o seu amor próprio. Eu pensei na música do Bruno Mars, chamada "Just the Way You Are", ela é muito fofa e super se enquadrou para esse capítulo!
Day off = Dia de folga. É como dizemos para dar uma quebrada na rotina :)

Eu tenho uma notícia chata: eu machuquei o meu polegar :( E como havia dito em um capítulo atrás, escrevo grande parte da minha fanfic no meu celular enquanto estou no ônibus/metrô/trem. Então, eu não comecei o extra ainda ;-; peço desculpas. Eu irei publicá-lo assim que possível! (Estou no meu notebook agora, rs)
PS: O próximo capítulo não será afetado por isso! <3

Gostaram do capítulo? *-* Eu sou uma boba apaixonada, precisava colocar o romance logo, rs. E como havia dito, faço baseado em locais que existem na Coréia.

Críticas são super bem-vindas! E qualquer dúvida podem me perguntar. Eu espero que gostem desse capítulo.

Beijos e até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...