História Brincadeira Inofensiva. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 316
Palavras 1.274
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido 💙

Capítulo 2 - Demonstrações públicas de afeto.


Na hora do almoço, quase todos em Hogwarts conheciam o escândalo George e Hermione. Parvati disse a sua irmã gêmea, Padma, que garantiu que quase todos os Corvinais saberiam dentro de algumas horas. Lavender visitou a mesa da Lufa-Lufa durante o café da manhã, preenchendo ansiosamente suas amigas do quinto ano em todas as coisas que ela ouviu ou presumiu; Em pouco tempo não havia um Lufano que não tivesse ouvido. Os Sonserinos pegaram trechos das conversas dos Lufanos durante a primeira aula; Em breve, toda a casa da Sonserina sabia sobre "o traidor de sangue amante-de-trouxas magoado pela coisinha-vadia de sangue ruim melhor amiga do Potter, que até então era o ex namorado dela." Mesmo os retratos e fantasmas estavam trocando fofocas.

Os quintoanistas da Grifinória teriam Poções logo após o sétimo ano, e Hermione estava à espera de Snape dispensar a classe, a mão apertando e abrindo entorno de sua varinha. Snape estava mantendo a classe por algum motivo - provavelmente punindo-os - e isso estava irritando-a ainda mais.

Pois ela havia resolvido matar George.

Grifinórios do seu ano tiveram a manhã livre, e ela foi para a biblioteca para estudar. Durante todo o dia, ela colocou-se entre zombarias sobre George e as pessoas que estavam correndo para perguntar sobre seu "relacionamento" com ele. Quando Lavender finalmente lhe disse: "Isso não é o que ele disse", durante o almoço, Hermione esquivou-se de Aritmância para tempestiar até a torre norte, onde Harry e Ron lhe contaram toda a história antes de irem para Advinhação.

Então Hermione estava esperando à quinze minutos, tendo aparecido cedo ... o que fora estúpido dela, ela agora percebia, já que Snape não teria acabado a aula cedo sem ter passado por uma lobotomia. Outros grifinórios estavam vindo agora, assim como os sonserinos, que fizeram algumas observações revoltosas sobre ela, mas ela nem as ouviu através de sua raiva cega. Eventualmente, todos ficaram encurralados em uma briga Ron-e-Harry-versus-Malfoy; Isto é, até Fred e George sairem. De repente, ela percebeu que teria muito trabalho para separá-los e não sabia qual gêmeo iria amaldiçoar até o esquecimento. Nada como a raiva para não identificar seu alvo.

"Idiota estupido", disse um deles, provavelmente em referência a Snape. "Estou pronto para pular Herbologia, o que você me diz, Georgie?"

Algum canto fraco de seu cérebro disse Ah ha! Mas ela já havia agido, pulando para frente e colocado George contra a parede. O olhar chocado como o inferno em seu rosto era cômico (ou teria sido se ela não estivesse tão homicida que realmente esqueceu de apontar sua varinha).

George se recuperou de sua surpresa rapidamente, sorrindo tolamente para ela de uma maneira que a enfurecia mais. "Ora, Hermione, querida, eu sei que você gosta de bruto, mas pensei termos falado sobre exibições públicas de carinho-"

Fred estava fazendo um som estrangulado na garganta que poderia ter sido uma cobertura para o riso. Os grifinórios do sétimo ano que optaram por fazer Poções no último ano - incluindo Lee, e a parceira ocasional de Fred para danças ou fins de semana de Hogsmeade, Angelina Johnson - estavam observando com tanto interesse quanto os grifinórios e os sonserinos do quinto ano.

"Você ... eu vou te matar ... você ... seu ... maldito ... merdinha ..." Hermione cuspiu. "O QUE VOCÊ ESTAVA PENSANDO?"

"O que?" George perguntou inocentemente. "Oh, você quer dizer como eu disse a todos sobre ... nós?" Ele sublinhou a última palavra. Harry, Ron, Fred, Angelina e Lee, os únicos que conheciam a verdade, começaram a balançar a cabeça freneticamente, tendo percebido que Hermione definitivamente o mataria e esperando que George calasse a boca antes que uma certa morte ocorresse. "Desculpe, querida, mas Parvati e Lavender me pegaram saindo na noite passada e pensei que seria inútil tentar fingir que não estávamos nos vendo." Com a exceção dos cinco espectadores grifinórios da piada (que se encolheram), os olhos de todos se alargaram, inclusive os de Hermione.

"O que?" Ela balbuciou.

"Não se preocupe, Hermione, agora que o nosso segredo está livre, as coisas serão muito melhores. Nada mais de ficar em passagens secretas e armários de vassoura - não sei por que mantivemos isso em segredo em primeiro lugar."

Fred bateu sua testa, murmurando que seu gêmeo estava condenado - e ainda falavam que ele era o gêmeo imaturo e burro. Hermione afastou o punho, e George agiu - metade para evitar-se de receber um olho roxo ou um nariz quebrado, e metade porque ele simplesmente não podia se ajudar; A atenção dos grifinórios e sonserinos estava puxando-o.

Ele a beijou.

Vários livros caíram das mãos. Queixos caíram. Ambos os amigos mais próximos de Hermione e George olharam com uma mistura de horror, admiração, choque e diversão. "Agora, isso é o que eu chamo de bravura da Grifinória", murmurou Lee.

George não tinha certeza do que possui-o para fazê-lo; A auto-preservação era no que ele culparia suas ações mais tarde. Seja qual fosse o motivo, ele a beijou como se não houvesse amanhã, deslizando a língua dentro de sua boca aberta. O choque de Hermione não estava desgastando, o que significava que ela não morderia sua língua até que virasse duas - e George ergueu a mão e passou os dedos pelos cabelos dela, desejando de repente que ele a tivesse beijado de uma maneira que não significava que ele acabará de se suicidar. Harry e Ron trocaram olhares com Fred, Lee e Angelina; Os momentos se estenderam e, enquanto os cinco sabiam da postura de Hermione (ela tinha endurecido com o punho ainda prestes a atacar, e ela não estava se movendo) que ela não estava reciprocando, ainda era muito tempo para ela não reunir seu juízo.

Hermione, entretanto, sentiu sua resolução enfraquecer enquanto ele acariciava a boca com a sua, e a sensação terapêutica de suas mãos em seus cabelos fez seus olhos cairem e fecharem. Mais tarde, ela culparia a surpresa e problemas de saúde mental, mas ela o beijou de volta.

George ficou surpreso além do imaginável quando ela correspondeu. Ele poderia dizer que o punho ainda estava levantado em sua direção, e talvez fosse o fato de que George sabia que ele estava dentro dessa quando ele parou, ou (mais provavelmente) talvez fosse o fato de que Hermione era uma boa beijadora, mas George eventualmente a desenhou contra ele com uma mão e segurou-a firmemente ao redor da cintura.

Infelizmente, o movimento a despertou para fora disso. Ela puxou para trás depois de apenas um momento em seus braços, pronto para golpeá-lo duramente - ele a beijou! Na frente de seus colegas de classe! Depois de lhes contar uma mentira de araque!

Ainda mais, infelizmente, ela não se afastou a tempo suficiente. O professor Snape entrou no corredor, perguntando-se por que ninguém estava entrando em sua aula e por que o corredor estava estranhamente calmo quando podia-se ver vários grifinórios de sua mesa.

Snape, assustado e desgostoso, deu um passo para trás no mesmo instante que Hermione, e salvou George de seu destino sangrento, de alguma forma inadvertidamente. "Weasley! Granger! Qual é o significado disso?!"

O lote inteiro deles - sonserinos e grifinórios - saltou de surpresa. Hermione não se virou, olhando para George com uma expressão mortificada, o braço ainda erguido para bate-lo sem sentido. "Detenção, ambos", Snape latiu. "O resto de vocês, pra dentro, agora."

Ninguém se moveu. "Eu disse agora!" Snape gritou com razão. Todos pularam de novo, lutando para recuperar livros e mochilas.

Os olhos de Hermione se estreitaram. Com um chute na canela que fez com que George gritasse, ela pegou sua mochila e flutuou para dentro da sala de aula.


Notas Finais


Olá olá olá tortinhas, tudo bem com vocês?
Eu espero que sim.

Olha eu aqui de novo né, hahaha, mas como eu havia prometido: queria agradecer pelas 45 visualizações, 20 favoritos e 12 comentários, vocês são demais!

Tudo isso em só 10 horas, coisas amadas da minha vida.

Vamos ver quanto tempo demora pro próximo ser postado? O próximo desafio de vocês: 30 favoritos e 20 comentários.

Compartilhem com os amigos e façam uma autora feliz hahahahhaha

Até loguinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...