História Brincadeira Inofensiva. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 263
Palavras 1.406
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Para mais explicações: notas finais, sim? 💙

Capítulo 8 - Você está louco?


"Eu não acredito nisso", reclamou George. "Isso deveria ter ficado perfeito."

"Você a subestimou", Fred disse com um suspiro.

George olhou duro para ele. "Assim como você, amigo. Por que você não volta com ela na biblioteca e da uns beijos novamente e depois vem me falar sobre subestimar-"

Fred levantou as mãos em rendição. "Acalme-se. Eu não quis dizer isso assim." George assentiu e deu-lhe um olhar de desculpas. "Você sabe, talvez você devesse chamá-la pra sair de novo."

"O que?" Lee franziu as sobrancelhas. "Ele nunca a convidou para sair uma primeira vez. E por que convidar ela?"

"Você sabe o que quero dizer", Fred disse com impaciência. "Obter um bom confronto público onde George pede que ela volte com ele. Então ela terá que admitir que ela estava brincando."

"Ou ela só vai dizer não", disse Lee.

"Ou ela vai dizer sim para me colocar no lugar", acrescentou George. Ele esfregou a mão pelo rosto. "Meu Deus, o que estou fazendo? Estou pensando em perguntar a uma garota que eu nunca namorei para me aceitar de volta."

"A vida é estranha assim", brincou Lee.

"Bem, devemos dar à Operação Karma outro tiro pela manhã?" Fred disse.

"Eu não sei", disse George, suspirando enquanto colocava o pijama. "Mas isso está a ser uma verdadeira dor."

"Então desista", disse Lee com um encolher de ombros.

"Desistir? Desistir!" Fred repetiu, parecendo escandalizado.

George olhou para Lee com indignação. "O que há com você, cara? Desistir e admitir a derrota? Para uma garota? Uma garota sem um osso humorístico em seu corpo? Você está louco?"

Lee balançou a cabeça. "Não, mas meus dois melhores amigos estão", ele respondeu.

George sorriu. "Tem razão."

Ele se arrastou para a cama e os três disseram seus boas noites um para o outro. George ficou acordado durante muito tempo, novamente contemplando seus problemas com Hermione.

Ela é quente. Ela é gostosa e ela beija bem pra caralho. Ela também é muito legal, inteligente e corajosa e maldita, é uma pensadora rápida. Ele esperava que ela estivesse perplexa no inferno quando ele explodisse em gritos sobre com ela beijou Fred; Mas não, ela voltou toda a coisa estúpida na sua cara; Ele teve vontade de gritar "Touché!"

E ela beijando Fred ... aquilo o tinha confundido. No momento em que ela tinha feito isso, ele estava sobrecarregado de ciúmes e um forte e irracional desejo de matar seu próprio gêmeo, especialmente quando Fred a puxou para o colo. George a queria. Ele a queria muito.

Ele não sabia se Fred e Lee haviam percebido seus sentimentos - ele sabia que Fred perceberia, mais cedo ou mais tarde, e provavelmente também Lee - mas não se tratava de um jogo estúpido. Uma parte de George estava esperando ter Hermione quando a guerra acabasse. Uma parte dele estava determinada a ganhar. Para ganhar não apenas o jogo, mas ela.

____

Mais uma vez, os corredores estavam cheios de conversas. Já não ajudava nada a George fingir que era Fred; As pessoas queriam questionar Fred tanto quanto George, se não mais. A notícia de que Fred tinha conduzido outra briga entre George e Hermione se espalhou como fogo maldito.

"Você sabe, se isso não fosse tudo besteira, provavelmente me sentiria horrível", Fred disse a George brincando. "Quero dizer, estou acidentalmente mantendo você e sua namorada separados."

"Oh, cala-se, Fred," murmurou George.

Eles estavam sentados no Grande Salão, esperando que Lee e as meninas se juntassem a eles. Angelina, Alicia e Katie estavam exigindo respostas, só Fred, George e Lee não tinham tido muita certeza de o que lhes contar. Tiveram a idéia de não dizer nada, mas eles tinham sido amigos das meninas por quase sete anos, e eles sabiam melhor do que manter as garotas no escuro por muito tempo (e eles sabiam melhor do que pensar que poderiam). No entanto, eles descobriram que esse plano deles levaria algum tempo para as meninas se acostumarem (em outras palavras, Angelina, Alicia e Katie provavelmente iriam mastigá-los sobre isso), e considerando Lee ter um pouco mais de diplomacia do que os gêmeos, eles decidiram deixar Lee conversar com as meninas sozinho.

"Eu queria que ele se apressasse", Fred disse, verificando o relógio. "Eu quero sair antes que Hermione apareça."

"Com medo de que se ela te beijar de novo, você a foda aqui mesmo na mesa?" George provocou.

Fred lançou-lhe um olhar zombeteiro. "Não, mas tenho medo que você o faça."

George ainda estava pensando em uma resposta espirituosa quando alguém se sentou em frente a ele. Seu coração parou quando o medo de que Hermione estivesse mais uma vez prestes a instigar algo varreu sobre ele, mas quando ele se moveu, ele encontrou Harry, não Hermione. Ron estava sentado ao lado de Harry, em frente a Fred, ambos parecendo sombrios.

"Ouça," Harry disse com um suspiro, "nós viemos dizer-lhe que você precisa superar essa bobagem com Hermione. Se resolvam ou concordem em ficar terminados, seja o que for. Mas vocês não pode ficar com raiva um ao outro."

"Não podemos?" George disse. Fazendo o seu melhor para cumprir o papel apropriado, ele acrescentou: "Ela ficou com meu irmão, acho que tenho o direito de estar com raiva."

"Nossa, não consigo ver como ela poderia cometer um erro desses", disse Ron secamente. "Não é como se ele fosse exatamente como você ou qualquer coisa."

George lançou-lhe um olhar sujo, mas antes que ele pudesse responder, Harry o interrompeu. "Ouça, Pig nos trouxe uma carta da Sra. Weasley. Ela está convidando Hermione e eu para passar as férias de inverno com vocês todos na Toca."

George piscou e deixou que se instalasse. "Uh-oh", era tudo o que ele poderia pensar para dizer.

"Sim, uh-oh," Harry disse friamente. "Se você deseja fazer isso com Hermione na Toca, veja quanto tempo demorará antes que a Sra. Weasley descubra e exija uma explicação."

"Eu posso apenas imaginar o olhar no rosto da mamãe quando ela descobrir que você tem transado com a Mione desde o verão passado", disse Ron com um sorriso malicioso.

George olhou para eles, atingido, de repente se sentindo fraco. "Ela vai me matar", ele sussurrou. "Ela vai me matar muito."

"Sim", Harry, Ron e Fred disseram em uníssono.

"O que eu vou fazer?" George gemeu. Ele começaria a falar, começaria a dizer a verdade, a contar tudo e apenas a falar até que eles acreditassem nele. Nada valia a pena enfrentar a ira de sua mãe. Ele lembrou-se de anos atrás, durante as férias de verão, quando Bill estava ficando frenético com sua namorada e a Sra. Weasley entrou no meio disso. O grito e a repreensão foram por horas e Bill foi aterrado até o final do verão.

Ele deteve-se antes de esclarecer a verdade, no entanto. Era exatamente o que Hermione queria, que ele falasse a verdade. Além disso, quem disse que a Sra. Weasley tinha que descobrir o que estava acontecendo? Hermione não lhe contaria; Ela queria viver tanto quanto George. Ron poderia dizer algo com raiva ou ciúme, mas ... bem, George sempre poderia negar isso se Ron gemesse demais. George não estava pronto para perder a batalha, não quando as chances de a Sra. Weasley descobrir e acreditar que eram mentiras eram magras.

A expressão de George tornou-se pedregosa. "Bem, acho que vou ter que resolver isso com ela, então", disse ele, em uma voz monótona e em branco. "Eu pensarei em algo."

Harry e Ron trocaram um olhar; Então, sem outra palavra, eles se levantaram e foram embora. "Isso foi estranho", Fred observou pensativo.

"Você acha que eles estão envolvidos nisso?" Perguntou George, estreitando os olhos com desconfiança contra as costas de Harry e Rony.

"Não", Fred respondeu. "Eles agiram muito irritados conosco. Eles ficaram chateados por dias."

"Sim você está certo."

Fred assentiu. "Claro que sim. Então ... você está louco, ou apenas é um maldito idiota? Nossa querida velha mãe vai arrancar membro por membro de você."

"Ela nunca saberá", George disse-lhe com firmeza. "Mesmo que ela descubra, eu sempre posso dar as claras quando ela for. Então ela não vai me matar. Ela ficará com raiva, mas eu vou viver."

Fred suspirou. "Estamos passando por muito problema para isso."

"Vamos lá, Freddie, não jogue a toalha agora. Vou te dizer o que, se você ficar comigo, eu vou deixar você fingir ser eu por algum tempo para que você possa beijá-la novamente, combinado?"

"Oh, cale a boca."


Notas Finais


Olá olá olá tortinhas, tudo bem com vocês? Espero que sim.

Alguns de vocês viram que a algumas horas atras, titia teve um momento de stress não muito bonito, então, cá estou eu novamente para explicar: apaguei o que escrevi porque foi na hora do nervosismos como havia explicado, a parti de agora o link será compartilhado em todas as fics postadas para que ninguém diga que não leu.

Por respeito a mim, se eu NÃO questionar vocês sobre qualquer outra história, por favor, NÃO façam perguntas sobre elas aqui ou em outras, pois eu vou ignorar - tudo o que precisa saber está em Mensagem para Você (https://spiritfanfics.com/historia/mensagem-para-voce-9855717) - lá é o local para dúvidas.

Não levei para o lado pessoal e já disse que me coloco no lugar de vocês, eu também sou leitora, eu sei que demora é algo chato e que a gente quer tudo pra agora; mas como autora eu vi o outro lado da moeda, o lado de quem escreve e pensa e cria mesmo que a ideia base já exista - como é o caso do Fandom de HP - nossa base tá feita, mas como manipulamos a história é totalmente nosso.
Não se escreve Fanfic da noite pro dia, eu pelo menos faço um puta senhor planejamento para as minhas histórias, reviso elas duas à três vezes e ainda assim deixo passar coisas que se eu ver, irei voltar para corrigir; tem trabalho de edição, de pesquisa - tudo isso requer tempo. Preservem qualidade ao invés de quantidade galera: não aceitem ler qualquer coisa só por ler, refinem seus gostos. Não tô falando por mim, mas para toda história que forem ler.

Queria agradecer o carinho imenso que recebo de muitos de vocês com relação a mensagens privadas, comentários, brincadeiras, tudo isso é motivacional para mim, é o que me faz permanecer. Eu realmente não tenho como explicar minha gratidão por vocês, seus lindos e lindas.

Então, de volta à rotina: queria agradecer as 760 visualizações, 61 favoritos e 124 comentários, vocês são demais!

Sobre as metas: façam como quiserem, quem quiser demonstrar algo será mais do que bem vindo - todo o amor, carinho e respeito que recebo de vocês sempre será bem vindo.

Até loguinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...