História Brincadeiras do destino - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Raiva, Realidade, Relacionamento, Revelaçoes, Romance, Sexo, Suspense, Tragedia
Visualizações 28
Palavras 614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - O que aconteceu com você?


No relógio marcava 6:00 horas da manhã. O local estava pouco iluminado. Mas San pôde sentir uma brisa leve bater em seu rosto. Abriu um pouco mais os olhos, com um pouco de dificuldade. Não reconheceu o lugar. Olhou para si mesma, estava sem a blusa de frio, sua camiseta estava rasgada e suja de sangue. Sentiu uma pontada no braço esquerdo. Olhou para o mesmo e viu que o pedaço de sua camiseta, amarrava o braço que parecia ter se cortado e não se lembrava como. Tentou se levantar, mais logo, sentiu seu corpo enfraquecer. Arrastou o corpo sobre a cama e sentiu sua perna queimar, viu que havia um corte não muito fundo, mais o necessário para causar dor aguda. Apertou os lábios com força, abafando um grito. Se apoiando na cabeceira , suspendeu o corpo, sentindo uma dor forte na cabeça, e no quadril. Olhou para o lado e havia um celular carregando, viu ser o dela. O pegou, estava desligado.

-Que bom que acordou.

Ouviu uma voz feminina dizer e se virou bruscamente, fazendo sentir tonteira e cambalear para o lado.

-Desculpe ter te assustado. Meu nome é Alecxandra.

-C.como vim parar a.aqui?

-Eu e meu marido, encontramos você caída na beira da estrada, atrás do parque. Estava desacordada,e machucada. Não se lembra o que aconteceu?

-N.não.

-Bem, e sobre a sua roupa tivemos que rasgá-la para estancar o sangue do seu braço esquerdo, que aliás tinha...uma...cicatriz.-disse baixo a última parte. San segurou o mesmo e abaixou o olhar.

-Bem trouxe, trouxe algumas frutas, você quer?-A mulher pergunta gentil. San nega com a cabeça.

-Quer tomar um banho antes de partir? Claro, se você quiser ir embora. A casa é pequena, mais é como o coração de uma mãe, cabe sempre mais um.-disse sorrindo, mais percebeu o olhar triste de San, apesar de ter recebido de volta o sorriso.- Disse algo errado?- a mulher pergunta preocupada.

-Não, obrigada por me ajudarem. Mais devem estar preocupados...comigo,prefiro ir embora.

-Tudo bem.-respondeu ela chateada, havia gostado da menina.- Se quiser chamo um táxi. Vi em sua bermuda e tinham R$20,00. Não sei onde mora, então...você acha que dá?

-Sim. Moro aqui perto.

Alecxandra assentiu. Logo chamou um táxi. Com menos de 10 minutos ele chegou. San com cuidado e com ajuda do motorista entrou no carro.

-Para o hospital moça?

-Não, para a minha casa moço.-disse ela, ele apenas ficou calado e começou a dirigir. San deu à ele um papel com o endereço e o nome da tia escrito e o dinheiro. Era arriscado, não podia confiar nele, mais já não se aguentava de dor. No caminho, já perto de casa, ela sentiu uma forte dor na barriga.

-Hmm...-gemeu com a dor e se curvou. Sem tempo de ouvir o que o motorista disse, desmaiou. ele tentou chamá-la diversas vezes mais decidiu, já encostando  no passeio da casa dela, bater na porta.

Milla e Neuza já não se aguentava de chorar. Os garotos não sabiam o que fazer, estavam super preocupados e Ken se sentia culpado. 

-Toc, toc.-Logo ouviram batidas na porta.

-Eu atendo.-Ken disse. Correndo até a porta. Vendo em seguida, um moço parado com expressão preocupada e um táxi na porta.

-Oi.-ele disse sério.

-É aqui que mora....-fez uma pausa para ler no papel.-...Neuza?- ele pergunta e a mesma corre até a porta, junto de Leandro e Milla.

-Sim, moço. Sou eu.-disse esperançosa.

-Trouxe uma garota comigo, ela me passou esse endereço e nome. Não sei o que houve. Mas aconselho levá-la para um hospital.

-O quê?- Neuza pergunta confusa, e corre até o táxi. Vendo San desacordada e ferida, muito ferida.- Meu Deus, San, o que aconteceu com você?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...